Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 29/Apr/2014 às 16:33
4
Comentários

Piloto do "helicóptero do pó" diz que tem medo de morrer

Copiloto de helicóptero dos Perrella diz temer a morte. Em primeira entrevista após quatro meses na cadeia, José de Oliveira Júnior afirmou ter sido usado e disse estar com medo de morrer. “Estou acabado. Minha empresa quebrou e não consigo emprego”

helicóptero cocaína perrella
Helicóptero dos Perrella foi apreendido com quase 500kg de pasta base de cocaína (Arquivo)

Em liberdade desde o último dia 8, Alexandre José de Oliveira Júnior – copiloto do helicóptero pertencente ao deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG), filho do senador Zezé Perrela (PR-MG), em que foi transportada quase meia tonelada de cocaína – afirmou que foi usado e que está com medo de morrer e sem condições de voltar a trabalhar.

A aeronave com a pasta base de cocaína foi apreendida em novembro de 2013 em uma fazenda no município de Afonso Cláudio, no Espírito Santo. “Estou acabado. Minha empresa quebrou e não consigo emprego. Quem vai entregar helicóptero para um piloto que foi preso com 445 quilos de cocaína?”, indagou Oliveira Júnior. Ele, que passou quatro meses na cadeia, deu as declarações ao Diário do Centro do Mundo.

Além do flagrante no Espírito Santo, Oliveira Júnior foi citado como participante de um plano para resgatar chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC) presos em São Paulo. “É mentira. Respondo pelos meus erros, mas não aceito que coloquem na minha conta o que eu não fiz.”

Na entrevista, o copiloto afirmou que só soube que transportava cocaína depois que chegou a Afonso Cláudio, quando dois homens que aguardavam o helicóptero abriram as bolsas pretas onde estava a droga, e retiraram tabletes. “Eu fui contratado para trazer eletrônicos e medicamentos veterinários do Paraguai. Para mim, era contrabando de mercadorias, não tráfico de drogas”, diz ele.

piloto alexandre helicóptero cocaína
O piloto Alexandre José de Oliveira Júnior (Reprodução)

No entanto, as mensagens encontradas pela Polícia Federal (PF) nos telefones móveis usados pelo copiloto mostram outra história. Em uma das conversas, Oliveira Júnior disse a Rogério Almeida Antunes (piloto do helicóptero) que cobraria R$ 250 mil pelo transporte. Assegurou que o piloto ficaria com aproximadamente R$ 150 mil, para cobrir as despesas com horas de voo, mais 50 mil por dia de trabalho.

Na entrevista, Oliveira Júnior disse que o pagamento seria feito por Harley, um codinome que aparece na transcrição das mensagens, mas ele nega saber mais do que isso. Gustavo Perrella e o senador Zezé Perrella não foram indiciados no caso.

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 29/Apr/2014 às 17:48

    O PT afundou a Petrobrás. Lula é mensaleiro. Dilma é terrorista. Tem estádios e a saúde está um caos. Ponto final, é isso que importa. Helicóptero do Pó??? Queimem todo o material, vão na Papuda e veja a marca da manteiga do pãozinho do Dirceu.

  2. mauricio augusto martins Postado em 29/Apr/2014 às 19:39

    Caracas!!!, só 50(cinquentinha)por dia!, "O Sr. acha Justo", talvez esta seria a pergunta do Roda Presa da TV-curtura-SP...maumau

  3. Rodrigo Postado em 14/May/2014 às 11:59

    A denúncia é de que, supostamente, o helicóptero de políticos transportava milhões em cocaína/pasta-base, sendo que a empresa ligada aos mesmos teria inúmeros contratos com o governo estadual respectivo? O que a maioria governista está esperando para a propositura de uma CPI? Ainda deve ter vaga na Papuda, para mais aqueles que forem condenados. Ou tem mais gente com, eventualmente, o rabo preso?

  4. eduardo de paula barreto Postado em 09/Sep/2015 às 10:00

    . HABEAS CORPUS . A corajosa Polícia sai à caça Dos criminosos foragidos Que atiram contra as massas Na busca por esconderijos E depois de muito luta Ela conclui as buscas E prende os inescrupulosos Aí então aparece um juiz Que numa canetada diz: Eis o seu Habeas Corpus. . A brava Polícia se arrisca Em incursões perigosas Nas vielas estreitíssimas Das favelas populosas Onde entra em confronto Com bandidos sempre prontos Para matar sem ter remorso E quando eles são presos Ouve-se do juiz rico e obeso: Eis o seu Habeas Corpus. . A dedicada Policia se esmera Em combater o tráfico Subindo e descendo serras Se embrenhando no mato E num ambiente bucólico Apreende um helicóptero Com coca em vários tijolos Então prende os meliantes Mas um juiz diz: Traficantes Eis o seu Habeas Corpus. . Quando a indispensável Justiça A criminalidade não reprime Ela enfraquece a Polícia E deixa mais forte o crime Fazendo com que se prolifere No meio de quem nada deve A descrença em tal instituição E quando fica desacreditada Ela não serve para mais nada Além de ser vendedora de perdão. . Eduardo de Paula Barreto