Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 30/Apr/2014 às 11:07
27
Comentários

Condenado à morte agoniza após falha em injeção letal

Condenado agoniza 43 minutos antes de morrer após falha em injeção letal nos EUA. Problema fez diretor de presídio suspender execução de outro detento

Um condenado à morte por injeção letal agonizou por 43 minutos devido a complicações durante a execução da pena em Oklahoma, nos Estados Unidos, na noite de terça-feira (29). Segundo as autoridades penitenciárias, o corpo do homem teve rejeição à substância aplicada e ele morreu em decorrência de um ataque cardíaco. A falha fez as autoridades adiarem a execução de um segundo detento, prevista para ocorrer na sequência.

condenado morte agoniza eua
Charles Warner (esq.) e Clayton Lockett (Divulgação)

Segundo o jornal local “The Oklahoman”, antes de morrer, o preso Clayton Lockett, de 38 anos, condenado à morte pelo assassinato de uma jovem de 19 anos em 1999, se contorceu e teve convulsões quando recebeu a injeção, que continha uma combinação de substâncias que nunca havia sido utilizada em Oklahoma.

O diretor de prisões do estado, Robert Patton, ordenou a suspensão da execução de Lockett cerca de 3 minutos após a aplicação da injeção. Era a primeira vez que o medicamento “midazolam” era usado como parte de uma injeção em Oklahoma. A execução do condenado cumpria um inédito protocolo de injeção letal que continha três componentes: um sedativo, um anestésico e uma dose letal de cloreto de potássio.

Em março, os advogados de Lockett haviam conseguido o adiamento de sua execução por falta de anestésico para a aplicação da injeção intravenosa, mas o estado obteve a substância e decidiu mudar o procedimento de execução.

Diante do ocorrido, o diretor decidiu adiar por 14 dias a execução do condenado Charles Warner, prevista para ocorrer na mesma noite, segundo informou Jerry Massie, porta-voz das prisões de Oklahoma, à agência de notícias France Presse. Warner recebeu a pena capital em 1997 pelo estupro e assassinato da filha de 11 meses de sua companheira.

Essa seria a primeira execução dupla dos Estados Unidos no século XXI, já que a última vez em que a pena capital foi aplicada em dois condenados no mesmo dia foi em 9 de agosto de 2000, no Texas. Além disso, essa seria a primeira execução dupla em Oklahoma desde 1937.

Nos últimos meses, houve vários episódios de complicações na aplicação da pena de morte no país. A maioria dos 32 estados onde a pena capital está em vigor está tendo problemas para conseguir as substâncias com as quais são feitas as injeções letais convencionais. Com isso, alguns estados estão testando fórmulas alternativas, enquanto outros determinaram o uso obrigatório da cadeira elétrica se não houver medicamentos disponíveis.

Oklahoma mudou a lei que regulamenta a aplicação da pena de morte no final de março, e permitiu o uso de cinco diferentes combinações de substâncias para a injeção letal, após os problemas que ocorreram nas primeiras execuções do ano.

No início de abril, o estado informou aos advogados dos condenados que usaria uma injeção letal com o anestésico midazolam, o paralisante brometo de pancurônio e cloreto de potássio, que interrompe o ritmo cardíaco.

Lockett e Warner processaram o estado por não terem recebido informações sobre onde o estado havia adquirido os medicamentos, nem evidências de que esses remédios fossem seguros. A Suprema Corte de Oklahoma suspendeu na época as execuções de ambos os réus, mas acabou cancelando depois a decisão.

The Guardian e Agências Internacionais

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 30/Apr/2014 às 13:00

    A pena de morte em si é um ato desumano (assim como os atos que eles cometeram para receberem esta sentença). Mais desumano ainda é o criminoso ficar anos, décadas no corredor da morte sem saber o dia em que vai morrer e como. Pra quê isso? É um tipo de tortura psicológica antes da morte? Não dá para ter dignidade pelo menos na hora de morrer?

    • Leonardo Postado em 30/Apr/2014 às 13:29

      Thiago Teixeira, a demora no caso da pena capital americana, é uma política muito eficaz, pois neste tempo os advogados do condenado tem a oportunidade de trabalharem para reversão da pena, e caso o acusado seja inocente, não esteja morto quando descobrirem. Todas as evidências são levadas à exaustão, e todas as oportunidades de se cometer uma injustiça são em tese descartadas.

      • Thiago Teixeira Postado em 02/May/2014 às 17:19

        Reversão da Pena? Então é assumidamente conivente que pode haver erros no julgamento? Então porque condenaram se não tem certeza? Eu não sou conhecedor do direito, mas na lógica um crime presenciado por testemunhas, flagrante policial ou réu confesso, a conclusão da pena de morte, deve ser feita com brevidade. Não deixar o cara 15 anos olhando para o corredor esperando alguém vir buscá-lo. Fora isso, não se condena a morte até esgotarem todas as tentativas de defesa. Sei lá, penso dessa forma.

      • Denisbaldo Postado em 04/May/2014 às 13:27

        Thiago Teixeira, você deveria saber como funciona o Direito penal americano antes de tirar conclusões. Aqui no Brasil, existe o instituto do contraditório e ampla defesa. O condenado tem direito a vários recursos e acesso a todas às acusações feitas contra ele. Isso leva tempo. Independentemente de haver testemunha ocular, o acusado ainda tem diversos direitos, afinal as testemunhas podem estar enganadas ou mesmo estarem mentindo. É um processo lento e cuidadoso. É assim que se faz justiça.

      • Thiago Teixeira Postado em 04/May/2014 às 20:42

        Comecei a entender! Valeu.

  2. Carlos Postado em 30/Apr/2014 às 13:51

    "Warner recebeu a pena capital em 1997 pelo estupro e assassinato da filha de 11 meses de sua companheira". E desumana é a pena de morte... Então tá.

    • Julio Postado em 21/Jan/2015 às 16:05

      Justiça e vingança não é a mesma coisa, filho.

  3. leandro Postado em 30/Apr/2014 às 13:54

    Não adianta argumentar com esquerdistas. Eles não sabem o que é lógica, razão, bom senso. Analizam tudo do ponto de vista ideológico, neste sentido, não são melhores em nada do que os fanáticos religiosos. Querem que estupradores de crianças de 11 anos sejam "reabilitados" e devolvidos à sociedae... francamente, esse pessoal de esquerda é digno de pena.

  4. Matheus Postado em 30/Apr/2014 às 14:28

    leandro, o que você está querendo é vingança, e outra coisa uma pessoa reabilitada pode ser devolvida sim a sociedade, mas ela deve ser reabilitada não colocada num espaço sem a minima estrutura como acontece aqui, não estou dizendo que não dá vontade de matar uma pessoa que faz isso a uma criança, mas se fores seguir tua vontade não estarás fazendo melhor que ele, que sentiu vontade de estuprar a criança e assim o fez, o que deve ser feito é evitar que essa pessoa cometa outro erro e devolve-la a sociedade, ao invés de mata-la. e agora me diz, que parte do comentário do Leonardo te fez acreditar que ele é de esquerda?(sem entrar nessa discussão de qual é a melhor, pois já deixaste claro tua opinião)

    • Sandra Postado em 05/Feb/2015 às 17:21

      Concordo com você, Matheus! Além do mais, a pena de morte, coloca a sociedade em pé de igualdade com o criminoso. Além do que, se repararmos bem, as pessoas condenadas a morte, em sua maioria são negras, pobres e semi analfabetas... Não será isso uma espécie de controle social do Estado?

  5. julio Postado em 30/Apr/2014 às 16:37

    Esse Leandro é um boçal...fica julgando os outros pelos comentários.

  6. Elias Postado em 30/Apr/2014 às 18:47

    Pena de morte mais que justa, basta ver a criminalidade nos USA e no Brasil a diferença.

  7. Karine Postado em 30/Apr/2014 às 20:08

    Elias, voce está falando sério? Os Estados Unidos é o pais que mais forma psicopatas e serial killers... Sem contar a altíssima taxa de criminalidade. Não é possível que ainda vejam esse país como exemplo.

    • Elias Postado em 30/Apr/2014 às 21:57

      Karine não se compara a segurança de lá com a daqui, o Brasil está em plena guerra civil velada temos em 10 anos +- 1.000.000 de mortos, em estados como Texas algumas cidades não possuem homicídios a 30 anos a população é armada as leis protegem os policias e as pessoas e não bandidos em geral.

      • Thiago Teixeira Postado em 02/May/2014 às 17:14

        Desculpe Elias, mas exaustivamente tentei buscar fontes de seus dados e não encontrei, poderia nos facilitar e mostra da onde você tirou isso? Uma cidade perdida no meio do Texas não enaltece todo um estado ou uma nação. Holambra no interior de São Paulo teve o seu primeiro latrocínio no ano de 2009. Se seguirmos a sua sofisma, logo o Estado e São Paulo e todo o Brasil são exemplos de segurança pública.

  8. Alexandre Lopes Postado em 01/May/2014 às 20:04

    Que vergonha! Esse tipo de fato deveria ser explorado à exaustão para constranger as autoridades públicas , de forma a erradicar essa abominação jurídica e moral chamada pena de morte . Quanto à observação feita pelo Elias, penso que ele está completamente equivocado . Leis draconianas são mecanismos para varrer a sujeira gerada por um modelo capitalista para baixo do tapete . Os EUA unidos, como muito bem pontuou a Karine , têm uma altíssimo índice de criminalidade e não é mera coincidência esse fato com o modelo socio-econômico do tio Sam . Basta ver o perfil médio do criminoso . Sempre negro, pobre , morador de periferia, com pouca instrução formal , em suma , pessoas mais suscetíveis à corrupção moral e a prática de atos desumanos . Simplesmente lamentável toda essa nojeira . Primeiro , cria-se o criminoso e , depois , o mesmo é executado na maior cara-de-pau como se ele fosse um degenerado por natureza . Quanto hipocrisia ( classe dominante ) e quanta ignorância ( demais classes ) .

    • Elias Postado em 01/May/2014 às 20:33

      O kra matou e enterrou viva uma criança, crimes hediondos deveriam ter pena de morte em todo mundo, Alexandre a natureza humana passa longe do romantismo da esquerda por sinal esse "romantismo" nada romântico cheio de assassinatos e justiçamentos, o ser humana é uma besta controlada por medidas civilizatórias extremamente frágeis. Basta ver que no Brasil a justiça não existe o que temos hoje um país de criminosos que se mata mais gente que todas as guerras atuais juntas por ano.

      • Alexandre Lopes Postado em 02/May/2014 às 19:00

        E qual a solução que o sociólogo Elias propõe ? Instituir pena de morte acreditando , religiosamente , no seu poder mega intimidatório ? Faça-me um favor , Elias : por favor, não seja ridículo !

    • Sandra Postado em 05/Feb/2015 às 17:24

      Totalmente de acordo com você, Alexandre! A maioria é pobre, negra, semi analfabeta e muitos com algum tpo de deficiência mental...

  9. Elias Postado em 03/May/2014 às 00:20

    A pena de morte é uma moeda de troca contra o crime organizado, todos os países desenvolvidos a utilizam, o Brasil na área de segurança pública nem um país é, é uma piada, a pena de morte funciona contra este tipo de criminalidade e contra crimes hediondos, bandidos devem saber que se matarem vão morrer é assim que se faz uma civilização. A violência em alguns países com pena de morte pode ser grande mas com certeza seria bem maior sem ela.

  10. Thiago Teixeira Postado em 03/May/2014 às 08:04

    Não jogue o problema para a segurança pública. Sabe quantas vezes um policial prende o mesmo vagabundo? Chega a 8 e até 20 vezes. Ou seja, existe algo nesse meio que não está funcionando, se prenderam, porque estão soltos? Raciocine.

  11. Isaac Postado em 03/May/2014 às 21:21

    Escravidão, segregação, prisão e morte. Trajetória de uma parcela importante dos negros no mundo ocidental.

    • Elias Postado em 04/May/2014 às 09:53

      Issac enterre uma criança viva e a própria população local te mata, vitimismo negro em um contexto completamente sem sentido. Negro pode cometer crime é isso?

      • Isaac Postado em 05/May/2014 às 19:47

        Não disse isso, só evidenciei um aspecto social trágico, mas culturalmente tolerável e aceitável.

  12. Souza Postado em 02/Aug/2014 às 02:02

    Um vagabundo desse mata uma criança e, ao invés de terem pena dela vai ter dele. Um presidiário é caro para o Estado imagine muitos em regimes perpétuos. Ficam comendo do bom e do melhor com suas marmitinhas pagas pelos impostos do cidadão e da família da vítima, coçam o "saco" sem fazer nada lá dentro, banho de sol... é o que me faltava. Isso não é vingança, alienados e leigos, é justiça. Parem de defender bandidos e chorem pelas milhares de mulheres que são violentadas, crianças vítimas de pedofilia, pessoas que morrem em latrocínio. Hipócritas.

    • Julio Postado em 21/Jan/2015 às 16:04

      Eu acho ótimo o como pra essa gente um mal justifica o outro, ou seja, não sabe a diferença entre justiça e vingança. Convenhamos sabe pouca coisa. Comendo do bom e do do melhor completou a chorume com cereja

      • Sandra Postado em 05/Feb/2015 às 17:26

        E depois, Julio, esse mesmo sujeito a favor da pena de morte, grita publicamente ser contra o aborto e a favor da vida!