Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ditadura Militar 01/Apr/2014 às 16:00
17
Comentários

Bolsonaro e apoiadores tumultuam sessão dos 50 anos do Golpe de 1964

Jair Bolsonaro e apoiadores provocam confusão em sessão que rememora os 50 anos do Golpe de 1964. Faixa pró-militares foi erguida, houve empurra-empurra e muita gritaria

bolsonaro faixa militares golpe 1964
Faixa estendida na Câmara provocou polêmica durante sessão destinada a relembrar o golpe de Estado que deu origem à ditadura militar no Brasil (Antonio Augusto / Agência Câmara)

Sessão solene realizada nesta terça-feira (1º) na Câmara dos Deputados para lembrar os 50 anos do golpe de 1964 foi encerrada após confusão no plenário.

Uma faixa que dizia “Parabéns aos militares. Graças a vocês o Brasil não é Cuba!” foi estendida por militantes na galeria do plenário enquanto discursava a deputado Luiz Erundina (PSB-SP). Segundo a segurança da Câmara, a faixa foi trazida pelo deputado conservador Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Pessoas contrárias e a favor ao golpe entraram em conflito. Houve vaias, gritaria e empurra-empurra.

sessão congresso ditadura golpe 1964
Vítimas de tortura e familiares de assassinados pela ditadura participavam de sessão que lembrava os 50 anos do golpe de 1964 (Agência Câmara)

O evento foi retomado, mas houve nova interrupção quando o deputado Bolsonaro começou a discursar. Manifestantes que ocuparam o plenário se viraram de costas, o que, segundo o deputado Amir Lando (PMDB-RO), que presidia a sessão, é proibido pelo regimento interno da Casa.

A sessão chegou a ser retomada pela segunda vez, mas a confusão continuou e Lando encerrou o evento.

Deputados do PSOL e do PT, além dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e e Eduardo Suplicy (PT-SP) , fizeram protesto contra o encerramento da sessão do lado de fora do plenário da Câmara.

O Bolsonaro não discursou porque não quis e porque o presidente da sessão não quis. Que isso fique bem claro”, afirmou o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ).

“O requerimento que apresentamos para lembrar os 50 anos do golpe de forma alguma pretendia valorizar a ditadura. A Casa foi leniente e omissa ao permitir que esse elemento [Bolsonaro] discursasse. O que queremos é completar o processo de redemocratização , que só será possível quando a Lei da Anistia for revista”, afirmou Erundina.

bolsonaro ditadura militar
Jair Bolsonaro debocha das vítimas da ditadura militar (Ag. Câmara)

Para o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), os militares precisam pedir desculpas ao povo brasileiro pelos crimes cometidos pela ditadura. “Os oficiais novos que não sujaram a farda de sangue não precisam levar a culpa de seus antecessores.”

Mais cedo, o deputado Jean Wyllys comento em tempo real, via rede social, a confusão no Congresso Nacional:

O deputado fascista e meia dúzia de canalhas que lhe segue conseguiram tumultuar a sessão solene que rememora os 50 anos do Golpe. Com a complacência da Segurança da Câmara, dois canalhas subiram à galeria e abriram uma faixa louvando a Ditadura Militar e seus crimes.

O tumultuo foi programado pelo deputado fascista justo para a hora do discurso de Luiza Erundina, mas o plenário reagiu à presença dos apologistas do fascismo e dos crimes da Ditadura Militar com gritos de “Assassinos! Assassinos!”.

O presidente da sessão determinou que a faixa em apologia a Ditadura fosse retirada. E isso motivou a crise histérica de uma mulher – uma única – que xingava os “comunistas!” (Será que essa gente sabe mesmo que isso significa?) e pedia a volta da Ditadura.

Os apologistas foram retirados da sessão, que voltou ao seu curso normal.

com Agência Câmara

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Oliveira Postado em 01/Apr/2014 às 16:19

    O Bolsonaro tem obsessão pra chamar atenção, alguém manda ele pra algum neurologista, tem que se tratar. Já o restante de amebas mentais anti vermelho esta vendo onde comunismo? A guerra fria acabou faz tempo, mas querem ressuscitar paranoias lunáticas...

    • felipe Postado em 02/Apr/2014 às 10:03

      Caralho, velho, por que ninguém deu um pau nesse filho de uma puta ainda? Porra, paremos de nos omitir, tá na hora desse babaca ser mandado pra lugarzinho de onde nunca deveria ter saído.

  2. Thiago Teixeira Postado em 01/Apr/2014 às 16:27

    Bolsonaro não representa os militares. Trata-se de um oportunista que quer ganhar holofotes da mídia. Um verdadeiro comandante militar se dá o respeito e nem aparece na câmara.

  3. Pereira Postado em 01/Apr/2014 às 16:27

    Qual seria a diferença entre a ditadura brasileira, de cuba e da venezuela ?

    • Tadeu Postado em 01/Apr/2014 às 16:36

      Primeiro que a Venezuela não é uma ditadura, é uma democracia, o povo escolheu quem o representa. E pergunte as pessoas que perderam amigos ou familiares na ditadura aqui no Brasil a diferença.

    • Yohan Postado em 01/Apr/2014 às 17:25

      A brasileira não ocorreu por demanda popular (revolução), como foi a de cuba (na qual o povo tirou um ditador do poder). Sobre a Venezuela: Deixe de ser preguiçoso e vá ler um pouco.... a wikipédia mesmo pode lhe responder.

    • Monteiro Postado em 01/Apr/2014 às 17:28

      As três são responsáveis por torturas e execuções, só que uma é repudiada, já as outras duas são louvadas...

  4. Marcos Postado em 01/Apr/2014 às 16:49

    O que o Deputado em questão esta fazendo no congresso já que vivemos em uma democracia? se apoia a ditadura deveria pedir destituição do cargo e carregar a bandeira dos militares pelo fim da democracia!... ah... esqueci do detalhe do salario... será que ele irá para campanha desse ano com uma faixa escrito fim da democracia? meio incoerente não é?

    • joao Postado em 02/Apr/2014 às 10:48

      hahaha essa foi muito boa!! dale!!

  5. Jamilo Postado em 01/Apr/2014 às 17:10

    Primeiramente, quem elegeu esse desgraçado desse Bolsonaro????????

  6. Elias Postado em 01/Apr/2014 às 22:27

    kkkkkkkkk, Bolsonaro é mito kkkkkkkk, o povo Cubano é muito inteligente com sua ditadura agora morrem a nado de lá, a Venezuela está a beira de uma guerra civil e o Brasil já está em uma, a ditadura brasileira acabou as outras não essa é a unica diferença.

  7. Carlos Santos Postado em 01/Apr/2014 às 22:57

    Quem escreveu essa matéria deveria repensar sua escala de valores. Ao invés de enfocar o fato principal dedicou a maior parte do texto ao factóide e a seu protagonista. Enquanto continuarem a tratar o tema da ditadura com o mesmo enfoque de espetáculo que o restante da mídia apenas os interessados em confundir se beneficiarão.

  8. luiz carlos ubaldo Postado em 02/Apr/2014 às 07:28

    Bolsonaro é a face da direita, seu maior representante. Pobre Cuba sempre lembrada por aqueles que não tem o que falar, alias são apenas ventrilocos de algum merdão!

  9. Esdras Pereira Alves Neto Postado em 02/Apr/2014 às 10:36

    Pessoal eu me pergunto; se falta de lucidez é sinônimo de embriagues? Porque poxa vida todo mundo vê e lê as coisas que foram feitas pelo regime militar nesses 21 anos de ditadura e ainda tem gente que quer a sua volta. Meu Deus como esse mundo aqui as vezes eu acho que não tem cura.

    • Pereira Postado em 02/Apr/2014 às 11:37

      E não tem mesmo Esdras . Acreditar em "um mundo melhor" é utopia, a tendência é piorar tudo, nada vai melhorar. Cada vez mais é políticos corruptos , juventude drogada com benção do estado, mortes no trânsito por bebedeiras(deveríamos estar estudando uma maneira de proibir o alcool, ao invés de defender a liberaçaõ de drogas) , mais infectados de DST's pela "liberdade sexual"(promiscuidade), mais crianças e mulheres sendo violentadas. Mas é isso aí...viva a copa !!!

  10. joao Postado em 02/Apr/2014 às 10:50

    tinha que voltar a ditadura mesmo, mas só pra esse aí que apoiam, vamos ver até quando eles aguentam

  11. Silva Postado em 02/Apr/2014 às 12:58

    Há uma diferença em dizer o que "poderia ter sido" e, o que de fato ocorreu... Por exemplo, diziam que aqui poderia ter sido implantado um regime comunista, o que nunca saberemos se ocorreria de fato ou não. Já o regime militar foi um fato, ocorreu. Lutar para que algo que de fato aconteceu não volte é mais lógico do que supor o que poderia ter acontecido caso a "ameaça" comunista tivesse se concretizada