Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 04/Apr/2014 às 17:07
14
Comentários

Adolescente filho de pastor é procurado por matar gays

Polícia procura adolescente de 17 anos, filho de pastor evangélico, acusado de matar dois gays e de planejar a morte de um terceiro

Acusado de matar dois homossexuais e de preparar a morte de um terceiro para os próximos dias, um adolescente de 17 anos é procurado pela Polícia Civil de Agudos, no interior de São Paulo. O jovem fugiu após a polícia localizar o corpo de Igor Alves, 15 anos, supostamente uma de suas vítimas. O corpo de Igor, morto a facadas, foi localizado na noite de quarta-feira em um reflorestamento de pinus na zona rural de Agudos.

Igor, que morava com os avós, em Agudos, estava desaparecido desde sábado. A polícia investigava o caso como sequestro. O pai de Igor, que mora em São Paulo, viajou a Agudos para distribuir fotos do adolescente na tentativa de localizar o filho.

Na quarta-feira, a polícia prendeu um comparsa do adolescente, que confessou a participação no crime e levou os investigadores ao local onde estava o corpo de Igor. “Ele ainda nos contou que o adolescente o obrigou a dar uma facada em Igor para que confirmasse sua participação no crime e teria dito que, antes de a polícia localizar o corpo de Igor, mataria outro adolescente, de 15 anos”, revelou Biazon.

“Checamos e realmente constatamos que ele havia assediado o menino de 15 anos, que já não estavam mais frequentando as aulas com medo das investidas dele”, afirmou Biazon. “Acho que ele tem algum distúrbio, não aceita a condição de homossexual”, disse o delegado.

A polícia começou a suspeitar do jovem porque ele tinha sido o último a ver Igor. “Ele contou aos familiares de Igor que ele tinha sido sequestrado por três homens que ocupavam um Fiat Pálio verde, e como ele tinha um corte de faca nas mãos, desconfiamos e pedimos sua internação”, contou o delegado titular de Agudos, Jader Biazon.

Além disso, a polícia tinha outro motivo para suspeitar de o adolescente. Ele já tinha passagem por homicídio motivado por homofobia. Ele cumpriu pena de internação na Fundação Casa por matar com 16 facadas o empresário Valdinei Rocha, 56 anos, em 17 de março de 2013. Segundo Biazon, o empresário, dono de uma fábrica de toldos e coberturas, era homossexual e tinha um caso com o adolescente, que contou com ajuda de um rapaz de 18 anos, que está preso pelo crime.

“Crime poderia ter sido evitado”

Para o delegado, a morte de Igor poderia ter sido evitada se a Justiça não aliviasse a pena do adolescente acusado de ter cometido o crime. Ele deveria sair da prisão ao completar a maioridade, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo reformou a pena e o colocou em semiliberdade seis meses depois da morte do empresário. “Foi assim, livre nos finais de semana, que ele começou a fazer amizade com Igor, que se apaixonou por ele e até ameaçava deixar a casa dos avós porque os idosos são evangélicos e não aceitavam sua homossexualidade”, contou o delegado.

No dia 27 de março, o Juizado de Menores de Marília, onde o adolescente cumpria pena, extinguiu a semiliberdade e o colocou de vez em liberdade. “Dois dias depois de ser colocado em liberdade e pouco mais de um ano depois de matar o empresário, ele matou Igor”, afirmou o delegado. Para Biazon, as atuais leis o impedem agora de localizar o jovem, que pode se transformar em um assassino em série. “Ele vai completar 18 anos em agosto próximo, mas não posso nem usar uma foto para localizá-lo”, diz o delegado.

O pai do adolescente é pastor evangélico e separado da mãe. Ele não tinha passagens na polícia até o assassinato do empresário. O seu comparsa, também não tinha passagens pela polícia, mas agora teve internação determinada pelo Juizado de Menores.

Chico Siqueira, Terra

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 04/Apr/2014 às 17:15

    Como diz meu diário matinal Luiz Carlos Prates: "Todo o homofóbico é homossexual".

    • Monteiro Postado em 04/Apr/2014 às 19:14

      Grande Prates! Este é esclarecido, não se da à esquerdas ou direitas. Acabo de ver um vídeo em que ele manda um recadinho para a Globo { http://www.youtube.com/watch?v=iYRspgzqNS4 } - 2:12 - Pra ninguém botar defeito.

  2. Pereira Postado em 04/Apr/2014 às 17:25

    OPA !!!! é apenas um adolescente ....conforme o ECA é apenas possível dar a ele medida sócio educativa .

    • Gleidson Postado em 04/Apr/2014 às 17:52

      Que por sua vez não foi dada pelo Estado. Lendo a matéria isso parece bem claro para mim.

    • Monteiro Postado em 04/Apr/2014 às 18:44

      Ha! Pegou na veia! - "(…) a questão não é saber se estamos tratando com alguém que já introjetou a norma, mas o tipo de tratamento que nós, sociedade, queremos dar a um ser especial, que é o adolescente, e aí eu tiraria a centralidade da punição” - Beatriz Vargas (UNB).

  3. Samuel Alencar Postado em 05/Apr/2014 às 01:44

    Isso tem que parar!

  4. Eduardo Abreu Postado em 05/Apr/2014 às 21:35

    ....O crime poderia ser evitado, sim, se ele tendo sido cumplice de crime contra a vida não tivesse tido "regalias" e ficado na rua. Agora, a família deveria processar o Estado de São Paulo por cumplicidade visto que foi o estado que o deixou na rua. Esse ECA é uma eca.... aliás nosso código penal e ele ECA deveriam passar por uma revisão.

  5. Paulo Ricardo Postado em 07/Apr/2014 às 09:48

    ''mas o Tribunal de Justiça de São Paulo reformou a pena e o colocou em semiliberdade seis meses depois da morte do empresário.'' ''No dia 27 de março, o Juizado de Menores de Marília, onde o adolescente cumpria pena, extinguiu a semiliberdade e o colocou de vez em liberdade''. O cara mata uma pessoa, deveria cumprir pena até a maioridade e depois ficaria livre (o que é outro erro) e aí é solto? Baseado no que a Justiça paulista procedeu assim? Vamos levar 600 anos pra mudar este país. Até lá o sol já acabou com a terra. Lamentável.

  6. João Postado em 07/Apr/2014 às 17:42

    Não entendi o "filho de pastor" na chamada da matéria, o fato é trágico e esse tipo de referencia não ajuda.

    • Pereira Postado em 09/Apr/2014 às 09:30

      É que assim eles não perdem a chance de agredir os evangélicos , praxe nesse site.

      • Joel Postado em 09/Apr/2014 às 20:09

        É que como qualquer um pode notar, ele tinha desejos sexuais e não se aceitava como tal. Não generalizo mas muitos pastores sim pregam a intolerância ao invés do amor. Pensa para uma pessoa com alguma tendência a desenvolver algum comportamento sociopata ser criado em um lar de represálias e ouvindo o tempo todo que gays são pessoas erradas, sujas, depravadas e que ser como tal é 'feio'? Isso sim é um fator agravante já que ele tinha desejos homossexuais e os odiava a ponto de retaliar o outro, como numa tentativa irracional de matar o próprio desejo.

  7. Arthur Neto Postado em 08/Apr/2014 às 10:12

    Para alguém falar mal do ECA, é porque realmente não o leu. Ele serve para proteger as crianças e adolescentes, e feliz do país que tem um estatuto como o nosso. Milhões de crianças em situação precária, de abuso, miséria ou escravidão não podem pagar por causa do crime ou insanidade de um garoto como esse assassino. Infelizmente são esses crimes que aparecem na mídia e causam comoção pública, e acabam gerando reações ignorantes como essas acima. Eu sou a favor da punição sim de um assassino, principalmente um homofóbico (tenho irmão homossexual) - mas daí defender revisão ou fim do ECA? Redução da maioridade penal? Não... acho que muita coisa deve ser feita antes disso.

  8. Luiz Postado em 08/Apr/2014 às 11:49

    "Para o delegado, a morte de Igor poderia ter sido evitada se a Justiça não aliviasse a pena do adolescente acusado de ter cometido o crime"... é curioso como algumas perspectivas partem de uma visão limitada e ingênua da realidade. Querer conter a criminalidade colocando mais policiais nas ruas ou reduzindo a maioridade penal, faz parte de uma mentalidade embotada, fraca... é preciso ir além de um imediatismo, é preciso repensar as formas de reabilitação e além disso, investigar a raiz do crescimento da criminalidade, da violência, da intolerância... certamente isso não é um problema isolado.

    • Lucas Postado em 09/Apr/2014 às 11:03

      Pois é Luiz mas a sociedade prefere matar a mosca do que tirar o lixo. Sempre assim ,sempre medidas imediatistas que atuam na consequência e não na causa.