Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 26/Mar/2014 às 16:20
20
Comentários

Vídeo flagra abuso sexual em ônibus e gera revolta na internet

Vídeo flagra abuso em ônibus do ES e gera revolta na internet. Nas imagens, homem retira o órgão genital da calça e encosta em mulher. Registro foi publicado em uma página do Facebook, no último sábado

Um vídeo que mostra uma cena de abuso dentro de um ônibus da Grande Vitória está circulando pela internet e despertou a revolta de muitos usuários das redes sociais. Nas imagens, um homem é flagrado colocando o órgão genital para fora da calça, encostando-o em um mulher que também fazia uso do coletivo. O vídeo foi publicado em uma página do Facebook, no último sábado (22). Segundo a publicação, o ônibus seria da linha 591, Serra x Campo Grande, na Grande Vitória. Nos comentários, muitos usuários classificaram a atitude como “nojenta” e lamentaram não ser possível identificar o homem pelas imagens.

Leia também: Praticantes de “encoxadas” se espalham e marcam até “rolezinhos”

O agressor utiliza um buraco no bolso da calça, aparentemente feito de forma proposital, para encostar órgão genital na mulher. De costas e em meio a vários outros passageiros, a vítima parece não perceber a situação, e não reage. Após dois dias no ar, o vídeo já contabilizava mais de 280 compartilhamentos nesta segunda-feira (24). Os comentários, quase 300, são em grande maioria de usuários revoltados com a situação. Muitos acusam o autor da filmagem, que não foi identificado, de ter sido conivente com o abuso por não se manifestar diante do flagrante.

Vídeo:

Segundo a Delegada da Mulher de Vitória, Arminda Rodrigues, as denúncias relacionadas a esse tipo de crime são quase inexistentes na capital. “Nós não temos dados, não temos estatísticas. Temos registros de apenas um ou dois casos”, disse. Para ela, a fragilidade da lei é o que desencoraja as vítimas de abuso sexual. “As pessoas têm muito medo de denunciar. Imagine que essa mulher anda sempre nessa linha e faz a denúncia. A lei é precária e ela vai ficar correndo risco. Muitas mulheres não denunciam por causa fragilidade da legislação”, lamentou.

Leia mais: Como criar um filho gentil com tanta violência masculina contra mulheres?

Além da falta de medidas protetivas às vítimas, outra questão contribui para que casos como esse continuem acontecendo. A delegada explica que para que um crime seja classificado como estupro, por exemplo, a vítima precisa se manifestar e denunciar a situação. “No caso desse vídeo, a mulher nem viu o fato. Se ela não se sentiu ultrajada ou não se manifestou, não podemos configurar esse crime como estupro. Esse crime depende da representação da vítima, a pessoa que sofreu o abuso precisa se manifestar”, disse.

Isso significa que mesmo o crime tendo sido registrado em vídeo, sem a denúncia feita pela vítima, o homem responderá apenas por um crime cuja pena é uma multa. “Nesse caso, se identificado, o homem vai responder por importunação ofensiva ao pudor, que é uma contravenção penal. Ele paga uma multa e vai embora”, explica Arminda.

Como denunciar

A delegada alerta que é preciso cautela ao denunciar abusos cometidos dentro de coletivos. Para ela, a situação é propícia à fuga do suspeito, e pode dificultar sua identificação. “É difícil encontrar o suspeito, porque se a mulher se manifesta, ele salta no próximo ponto e vai embora. Aí nós não sabemos quem ele é, onde ele mora. Infelizmente ainda é muito complicado punir agressores que atuam dessa forma”, disse. Ela explica que a vítima deve se dirigir imediatamente a uma delegacia e fazer a denúncia, descrevendo as características do agressor, para que seja feito um retrato falado.

Indicação do leitor Gerson Cunha
informações de DiariodeSP e G1

Recomendados para você

Comentários

  1. Clarissa Gomes Postado em 26/Mar/2014 às 16:38

    Revoltante...e ainda há os que zombam da luta pelas causas femininas

  2. leandro Postado em 26/Mar/2014 às 16:46

    5 anos de cadeia tava bom pra começar. tenho pena desse infeliz masturbador nojento.

  3. Bruna Pagnan Postado em 26/Mar/2014 às 16:47

    Queria tanto que isso acontecesse comigo!!! Como constrangimento é uma reação inexistente da minha personalidade, eu ia por mão, fingindo dar trela, e esticar o saco dele até chegar na testa, para largar de ser besta, ia passar dor e vergonha!

    • Lucas Postado em 10/Jun/2015 às 14:18

      rs Essa de 'fingir' dar trela sei muito bem como termina.

    • Maria Cristina Postado em 04/Jul/2015 às 21:12

      Sabe Bruna é muito revoltante isso eu faria o mesmo ou pior do que você faria, sou capaz de amputar esse maldito safado, sempre que ando no transporte coletivo mesmo cheio eu fico de olho ligado não só a minha volta mas sempre observo outras pessoas, tem um problema serio, muitas pessoas se distraem no celular ou o cansaço as deixam frágeis, então esses monstros aparecem para se aproveitar, s mulheres e crianças devem sempre ser orientadas a qualquer esbarrão ou toque e se houver, fazer um escândalo e o motorista é obrigado a se dirigir a delegacia de policia para fazer a denuncia. Não podemos aceitar assedio ou tentativa de estrupo!

  4. Lauro Postado em 26/Mar/2014 às 17:25

    Só gritar e fazer passar vergonha não é o ideal. O ideal é gritar + conseguir ajuda de outros homens pra segurá-lo e encaminhá-lo a delegacia e registrar boletim de ocorrência e deixá-lo com passagem na polícia.

  5. Mulher Postado em 26/Mar/2014 às 17:46

    A pessoa que filmou deve ser amiguinho do nojento. Que revoltante, eu queria que a moça percebesse e desse uma joelhada no saco do cretino que fizesse ele nunca mais conseguir se reproduzir.

  6. Thiago Teixeira Postado em 26/Mar/2014 às 17:49

    Se a polícia achar um cara desse, deverão fazer o quê? Simplesmente levar pra delegacia?

    • Diego Postado em 08/Jul/2015 às 15:13

      Sim. O que você queria? Linchamento?

  7. Irlan Rodrigues Postado em 26/Mar/2014 às 18:26

    O que falta mais acontecer para que seja tomada alguma atitude por parte das autoridades?? Estupro coletivo semelhante ao que ocorre na Índia??

  8. Sílvio Postado em 26/Mar/2014 às 19:59

    A delegada está usando legislação defasada, só pode!!! Estupro não é crime de representação quando as provas afloram ao Estado, como neste caso!!!! Se agressão doméstica (Maria da Penha) é incondicionada, IMAGINE UM ESTUPRO.

  9. Dida Dias Postado em 27/Mar/2014 às 01:00

    Tem que gravar o abuso e a cara do tarado e colocar no face pra toda a família e os conhecidos dele saberem o que ele faz.

  10. Dhoco Postado em 27/Mar/2014 às 14:48

    Engraçado que, a algumas semanas atrás ninguém falava sobre esse assunto, agora, derrepente, começa vários e vários do nada? Daqui a pouco, vão querer transportes separados. Povão...menos, beeemmm menos. PS: não me refiro ao vídeo, e sim aos fatos em geral.

    • Leandro Postado em 28/Dec/2014 às 21:08

      Se fosse sua mãe, acho que vc pensaria um pouco diferente, um pouco.. pelo menos um pouco..

  11. Marcos Freybert Postado em 01/Apr/2014 às 11:09

    Devia ter feito um esporro, chamado o cara de bicha, boiola, viado, e o escambau.

  12. Luiz Quintanilha Postado em 09/Dec/2015 às 11:31

    Pior é colocar a mão na barra onde ele segurou depois de pegar na coisa nojenta.

  13. paulo santos fennix Postado em 22/Jan/2016 às 11:39

    Bruna Pagnan, este é o caminho... Qualquer que seja o homem ...ele desmonta.

  14. maria Postado em 09/Feb/2016 às 02:19

    O cara nao foi pego porque o jumento que fez o video so filmou da cintura para baixo amador e florida.......hhhhhhhh

  15. Lopes Postado em 23/Feb/2016 às 17:35

    Isso é um tarado!

  16. Roger Postado em 04/Mar/2016 às 18:46

    É bom demais ter carro e não precisar de ônibus. Eu, homem, já detestava quem quer que fosse encostando, imagina as mulheres... Esse tonto que gravou, por que não gravou a cara do anormal?! Castração química seria uma boa nesses casos.