Preencha o nome e sobrenome!
Administrador(a)
Compartilhar
Mulheres violadas 29/Mar/2014 às 22:14
13
Comentários

Organizadora de campanha recebe ameaças de estupro

Organizadora da campanha “Eu não mereço ser estuprada” recebe ameaças de estupro. Jornalista e escritora Nana Queiroz foi atacada com mensagens agressivas

A jornalista e escritora Nana Queiroz, de 28 anos, organizadora da campanha “Eu não mereço ser estuprada”, recebeu ameaças e ofensas pelo Facebook após o protesto virtual ir para o ar. A campanha, que começou na noite desta sexta-feira (28), é um protesto contra os resultados de pesquisa divulgada quinta-feira (27) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Conforme o estudo, 65,1% da população concorda total ou parcialmente que “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas” e 58,5% concordam total ou parcialmente que, “se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros”.

Na campanha – um protesto virtual contra o machismo -, mulheres se fotografaram sem blusa e com cartazes com a frase “Eu não mereço ser estuprada” ou “Eu também não mereço ser estuprada” à frente do peito. Nana disse que, ao ver o resultado do levantamento, ficou com vontade de sair nua na rua gritando a frase.

A jornalista disse neste sábado ao Portal Fórum que vai denunciar os autores das postagens à Delegacia da Mulher em Brasília. “Estamos reunindo prints das mensagens para levar à delegacia e vou registrar também um boletim de ocorrência por ameaça de estupro”, adiantou Nana.

Ela contou que há postagens dizendo que ela merece “um negão de 50 centímetros”; em outra colocaram foto de uma pia cheia de louça suja “para ela lavar” e ela soube também de montagens com fotos dela em sites pornográficos.

Outras mensagens diziam que a estuprariam se a encontrassem na rua e outra convoca para um estupro coletivo.

“Mas também tenho recebido muito apoio. A cada postagem machista e agressiva, recebo outras dez me apoiando, inclusive de minha família”, disse Nana. “Creio que essa campanha acabou servindo como uma armadilha para os machistas, uma vez que vamos levar à polícia essas mensagens”, afirmou a jornalista.

Nana adiantou que, além do protesto virtual, ela e outras mulheres criaram um grupo de discussão e pretendem apresentar alguma proposta para ser levada ao Congresso Nacional. “Não sei ainda o que podemos propor, mas vamos ver o que é possível fazer para punir mais severamente atitudes machistas”, acrescentou.

Além da página no Facebook, os organizadores também criaram um site para a postagem das fotos (www.naomerecoserestuprada.tumblr.com)

A jornalista postou no Blog do Sakamoto um texto com imagem de um dos agressores, que postou uma foto com um cartaz com os dizeres “#Eu já estuprei e estupro de novo”.

Revista Fórum

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Prado Postado em 29/Mar/2014 às 23:06

    Que não mereça não duvido. Minha dúvida é quanto que isto pesa para a decisão de um psicopata.

  2. Antonio Carlos Bueno Postado em 30/Mar/2014 às 10:05

    O estuprador não é homem, é um psicopata incapaz de conquistar uma mulher.

    • Carlos Prado Postado em 30/Mar/2014 às 13:19

      E como já diz o grande Sakamoto, deveria ser crime ostentar um belo corpo e belas roupas por oprimir ainda mais o já oprimido estuprador. Bem, pelo menos ao oprimido ladrão este já se pronunciou e disse ser favorável ao crime por ostentação contra o pobre criminoso.

  3. Thiago Teixeira Postado em 30/Mar/2014 às 10:11

    Isso tem nome: Liberdade de Expressão. As pessoas se sentem no direito de falar o que quiserem, blasfemar contra o próximo, ameaçar, fazer deboche, incitar a violência (neste caso é o estupro). Nesta ideologia que vivemos, é mais provável que as nossas ativistas sejam as vilãs da história.

  4. Carlos Prado Postado em 30/Mar/2014 às 13:17

    http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2014/03/29/estupro-machismo-culpa-levante-a-plaquinha-eu-nao-mereco-ser-enganada-pelo-ipea-e-mais-maioria-defende-pena-de-morte-ou-prisao-perpetua-a-estupradores/#.Uzg-_mirnE4.facebook

    • Lopes Postado em 31/Mar/2014 às 11:36

      Carlos, para boa parte da pessoas, pensar doi!

  5. Caio Postado em 30/Mar/2014 às 17:14

    No máximo serão só mais umas crianças levando advertência por ter zuado a coleguinha..

  6. Monteiro Postado em 30/Mar/2014 às 17:32

    [...]"Nana disse que, ao ver o resultado do levantamento, ficou com vontade de sair nua na rua gritando a frase."[...] Sério mesmo? Isso é realmente necessário?

  7. Lopes Postado em 31/Mar/2014 às 11:27

    E os estupradores menores de 18 anos? Vão continuar livres, leves e soltos?

  8. Lopes Postado em 31/Mar/2014 às 11:37

    Tem que criminalizar os bandidos! Porque não enquadram o crime de estupro como hediondo e não aumentam as penas para garantir que passem muito tempo na cadeia. Enquanto estiverem presos, a sociedade estará protegida.

  9. eu daqui Postado em 31/Mar/2014 às 13:08

    Tanto o abuso de autoridade como o estupro são crimes de poder. As ferramentas é que são diferentes.

  10. Monteiro Postado em 31/Mar/2014 às 15:13

    Como sempre, no Brasil, tudo é motivo para alarde e confusão. Um instituto de pesquisas faz uma enquete malfeita e pronto, está armado o barraco. Recomendo: http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2014/03/29/estupro-machismo-culpa-levante-a-plaquinha-eu-nao-mereco-ser-enganada-pelo-ipea-e-mais-maioria-defende-pena-de-morte-ou-prisao-perpetua-a-estupradores/#.Uzg-_mirnE4.facebook Sempre um protesto contra a tal "sociedade". Tudo é culpa da sociedade. Que vergonha, que vergonha...

  11. felipe Postado em 31/Mar/2014 às 15:13

    Nana, se precisares de uma 'proteção' (não queria usar essa palavra, mas foi a única que me veio à mente), pode contar com uma grande parcela da população, tanto masculina quanto feminina. E, se, algum dia, alguém te encostar a mão, pode sair gritando pra todo mundo ouvir que alguém, e tomara que seja eu, te ajudarás. Apoio total a essa causa! Psicopatinhas de plantão, se algum dia eu ver algo desse gênero, o bixo vai pegar, como já pegou.