Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 07/Mar/2014 às 20:22
136
Comentários

Jean Wyllys responde Rodrigo Constantino

"Rodriguinho e o pensamento infantil", resposta do deputado Jean Wyllys ao colunista Rodrigo Constantino, da revista Veja

rodrigo constantino jean wyllys
Rodrigo Constantino e Jean Wyllys (Ilustração, Pragmatismo Político)

Por Jean Wyllys*

Em desenhos de super-heróis animados destinados às crianças, a vida é dividida de maneira simples e esquemática: há o Bem e o Mal; heróis e vilões: de um lado, Esqueleto; do outro He-Man, ou, de um lado, a Legião do Mal; do outro, a Liga da Justiça. Nesse esquema montado para estruturas cognitivas de uma criança em formação, o mundo é o cenário de uma guerra entre dois lados perfeitamente definidos, sem contradições nem interseções. Contudo, quando a gente cresce e começa a conhecer o mundo como ele é de fato, a vida se apresenta em sua complexidade e precisamos nos esforçar mais para compreendê-la fora do esquema simplista dos desenhos animados de nossa infância: é o que chamamos de amadurecimento. Há, no entanto, pessoas que, mesmo depois de adultas, continuam analisando o mundo com as estruturas cognitivas e emocionais de uma criança e, por isso, têm sérias dificuldades em lidar a complexidade da vida. É o caso de Rodriguinho, aquele colunista da revista marrom e enfant terrible que distrai a corte de reacionários brasileiros sem discernimento, mas com muita indigência intelectual. Em seu novo desabafo macartista, ele responde ao meu texto – “Desonestidade intelectual” – publicado nesta sexta-feira em O Globo, tentando enquadrar meu pensamento em seus esquemas infantis por não conseguir ir além: quem é o “bom” e quem o “mau”? Oriente ou Ocidente? Negros ou brancos? Gays ou héteros? Feijão preto ou o caviar?

Vou tentar ser didático e espero que dessa vez ele consiga compreender. E passarei ao largo de suas referências ao BBB, porque estas são frutos de sua inveja mal-disfarçada do sucesso alheio. Deve ser mesmo frustrante para alguém criado a Toddy e Ovomaltine em bairros nobres e formado em escolas papai-pagou-filhinho-passou ter de ver um gay assumido, mestiço, nordestino, sem apadrinhamentos nem capitanias hereditárias, vindo das camadas mais pobres da população na posição que eu ocupo hoje. Também não comentarei outras pérolas da estupidez que não valem a pena.

No primeiro texto que Rodriguinho publicou em O Globo, ele dizia que o movimento gay é de esquerda; odeia Ocidente — e, portanto, os brancos — e gosta da África; e que, por isso, não critica a lei homofóbica aprovada em Uganda, já que, para fazê-lo, o movimento gay precisaria dizer que os negros são homofóbicos. Vejam como sua simplificação é burra — e racista — ao ponto de não diferenciar “negros” de “africanos” e “brancos” de “ocidentais”. Ele precisa colocar um grupo inteiro do lado dos bons e o outro  — porque, em sua percepção como na das crianças, o mundo é binário e só tem dois grupos de pessoas — do lado dos maus.

E precisa imaginar que eu faço o mesmo, só que no sentido contrário ao dele: Uganda aprovou uma lei anti-gay porque os negros africanos esquerdistas são homofóbicos, mas nós, gays, não criticamos essa lei porque somos de esquerda e, portanto, gostamos dos negros e detestamos os brancos, que são ocidentais judeus e cristãos, e, por isso, inimigos da esquerda…

Harvey Milk era negro, Obama é branco e Karl Marx era oriental. Não é mesmo? (Aviso que isto é uma ironia, já que a claque de Rodriguinho tem as mesmas estruturas cognitivas que a dele e, por isso, pode não captar a ironia de um texto.)

Além de informar o colunista sobre tudo o que os movimentos gays do mundo inteiro têm feito para denunciar a lei homofóbica de Uganda e outras semelhantes, eu tentei explicar para ele algumas questões básicas que ele parece desconhecer sobre a história da África. Tentei que ele compreendesse que as primeiras leis homofóbicas desse continente (as chamadas leis “antissodomia”) foram levadas pelo Império Britânico quando dominava vastos territórios por ali; e que a onda de preconceitos anti-homossexuais que infelizmente tem se espalhado por lá nos últimos anos não tem raízes nas culturas africanas, como o colunista imagina, mas na religião dos conquistadores e, mais recentemente, na ação política de igrejas evangélicas fundamentalistas dos EUA que investem milhões de dólares na “evangelização” desses povos, usando o preconceito contra os homossexuais como estratégia de marketing e financiando campanhas de políticos homofóbicos.

São dados da realidade, comprováveis com uma mínima pesquisa histórica. Há livros, documentários e teses que se debruçam sobre esse fenômeno e estão disponíveis para quem quiser ler. E, afinal de contas, não deveria ser difícil de compreender, porque no nosso próprio país, a força do discurso homofóbico vem, também, do fundamentalismo evangélico (que não é a mesma coisa que o evangelismo ou o cristianismo, mas uma versão fanática, extremista e preconceituosa dele, da mesma maneira que o islamismo dos aiatolás do Irã ou dos terroristas de Al-Qaeda não é a mesma coisa que a religião de Maomé, mas uma versão fanática, extremista e preconceituosa dela).

Contudo, sua estrutura cognitiva infantil –que divide a vida entre bons e maus– precisava adaptar minha resposta à sua visão do mundo. Então, o que ele entendeu é que eu estava dizendo que a culpa da homofobia na África é “do Ocidente”, da Grã-Bretanha e dos EUA, e não, como ele acha, “dos negros”.

Ele diz: para Jean Wyllys, a culpa é “do homem branco ocidental”. Não, menino, você não está entendendo nada! Há fatos históricos, como a implantação das leis antissodomia britânicas nas colônias africanas, e há fatos mais atuais, como a ação das igrejas fundamentalistas dos EUA que desmentem a sua burra e racista teoria de que a homofobia é um “traço cultural dos negros africanos”; porém, nem uma coisa nem a outra dizem respeito ao Ocidente como um todo uniforme e atemporal: nem as leis dos britânicos daquela época dizem respeito à sociedade atual desse país, que tem até casamento igualitário — de fato, os gays britânicos, que também são ocidentais, foram vítimas dessas leis, como testemunha a história do cientista Alan Turing —, nem a ação das igrejas neo-pentecostais americanas dizem respeito ao povo americano como um todo.

E nada disso tem a ver com a esquerda e a direita — afinal, da mesma maneira que o Império Britânico levou leis homofóbicas à Índia e às colônias africanas, o estalinismo soviético levou homofobia e outras calamidades aos países socialistas. A história da humanidade vai além, muito além, do esquema mental e da indigência intelectual que a divide em Legião do Mal e Liga da Justiça.

É fato que a homofobia — o nome que hoje adotamos para se referir à interdição e aversão à relação sexual entre pessoas do mesmo sexo — é um fundamento das religiões abraâmicas — as chamadas “religiões do livro”: o judaísmo, o islamismo e o cristianismo; e está ligada à exortação “crescei e multiplicai-vos” feita pelo Deus de um povo (as tribos patriarcais semitas) que precisava sobreviver à fuga do cativeiro até a “Terra Prometida”.

Essa exortação fez, do sexo para procriação, o único legítimo, e se converteu num valor reproduzido e transmitido ao longo dos séculos, pela língua e demais regimes de representação, nas culturas engendradas e influenciadas por essas religiões. E as sociedades ocidentais ainda carregam o legado dessa história, embora muitos teólogos e líderes religiosos já não façam a mesma leitura desses fatos (um exemplo é o arcebispo anglicano Desmond Tutu, da África do Sul, ativo militante contra o racismo e a homofobia, mas também tem outros exemplos nas igrejas protestantes dos “ocidentais” EUA e Grã-Bretanha). Também é fato que as sociedades ocidentais, capitalistas e com democracias liberais (nem todas as sociedades capitalistas são ocidentais, nem todas são democráticas), no último século, avançaram mais (e mais rápido) no reconhecimento dos direitos humanos da população LGBT e outras minorias, do que outros regimes.

E é fato, também, que os países africanos mais subdesenvolvidos e com regimes pós-coloniais que ainda nem chegaram ao capitalismo liberal têm condições de miséria (tanto no acesso aos bens de consumo quanto aos bens culturais e à educação formal) e carência de regras democráticas que fazem com que eles sejam mais permeáveis à ação dos fundamentalismos religiosos. A própria Igreja católica tem começado a olhar mais para a África e a América Latina, ao tempo que perde influência na Europa, que já foi seu berço e seu império. Para entender tudo isso tem que estudar e pensar um pouco mais!

Eu poderia continuar enumerando outros fatos, mas o fundamental é compreender que o mundo é bem mais complexo do que os desenhos animados e não há blocos estáticos, uniformes, atemporais, essenciais. A luta contra a homofobia, o racismo, o machismo, a intolerância religiosa e outras ameaças contra a liberdade e a dignidade humana é um desafio no capitalismo e no socialismo, em Cuba e nos EUA, no Oriente e no Ocidente, em Roma e em Teerã, no judaísmo, no islamismo, no cristianismo e até entre os ateus. E tem dado passos e recuos em cada canto do mundo. Os preconceitos se entrecruzam das maneiras mais diversas — há gays racistas, negros homofóbicos, mulheres antissemitas, judeus xenófobos, etc. — e atravessam nossa cultura das mais diversas formas, em diferentes regimes políticos e econômicos.

Quem quiser derrotá-los e construir uma sociedade mais justa e mais livre, precisará se livrar dos dogmatismos e deixar de ver o mundo como uma guerra entre o Bem e o Mal, como o vêem as crianças e os indigentes intelectuais (tenho pena dos conservadores que adotaram o enfant terrible como seu mentor intelectual). Precisará fazer política, no melhor dos sentidos, que é o que eu tento fazer cada dia da minha vida.

*Jean Wyllys é professor universitário e deputado federal pelo PSOL. Artigo originalmente publicado no sítio de CartaCapital

Recomendados para você

Comentários

  1. renato Postado em 07/Mar/2014 às 21:18

    Curto e grosso, seu Rodrigo... Parabens Jean, boa luta...

    • Justo Postado em 13/Mar/2014 às 04:34

      Rodrigo Constantino já respondeu esse texto ridículo do sr. Ui ui ui sou uma minoria gay, nordestina, só eleito com meia dúzia de votos no vácuo de outro político, me defendam por favor. A resposta sim vai além da superficialidade do maniqueísmo aqui burramente retratado. Acorda Brasil! Enquanto esse tipo despreparado for eleito graças ao BBB continuaremos sendo piada internacional.

      • Grilo Postado em 15/Mar/2014 às 16:43

        Quem és tu Justus? Hipócritas ou Estúpidus? Desenvolva a capacidade de pensar com seus próprios meios, e argumentar com lealdade. Leia sobre "Falácia do Espantalho" para entender melhor...

      • J. Andrade Postado em 05/Feb/2015 às 11:15

        Seu mentor já respondeu, é? E você, o que você pensa a respeito? Papagaio do menino maluquinho e nada...

    • José Petrúcio Postado em 14/Mar/2014 às 22:37

      Parabéns Jean pela objetividade.

    • silveira Postado em 17/Mar/2014 às 11:34

      nenê... não precisa responder zangadinho assim!.. eu sei quem tu eis, tu é parte desses que entopem as pautas das comissões de direitos humanos com fato de interesse especifico que mais interessa o ativismo gay. Em detrimento de causa que perpassam tais dimensões; como é o caso do combate: ao analfabetismo, falta de segurança, saúde desgraçada.... milhões de mortos por falta de um atendimento minimamente digno, e a pobreza que produz cada dia uma quantidade maior de famintos nesse país sendo sua causa primeira a corrupião. vcs principalmente os "políticos" tem q ter vergonha na cara.. e essas causas ser prioridade. pois são problemas que atingem todos indistintamente OLHA QUE O POVO VAI P AS RUAS e não sei se isso é o melhor vcs escolhem O RECADO ESTÁ DADO. quem tem ouvido ousa.

      • Thais Linhares Postado em 23/Jun/2014 às 12:18

        Que peguiça, hein rapaz? Vai no site oficial do gov e verifica lá que o Jean é dos mais ativos TAMBÉM em pautas que não são especificamente LGBT. Como uma nova lei do inquilinatos, defesa da criancas, etc. Por puro preconceito e estreiteza mental perde a oportunidade de conhecer o trabalho sério do politico eleito DUAS vezes seguidas como o MELHOR em Brasilia.

      • J. Andrade Postado em 05/Feb/2015 às 11:17

        Mais uma "topera" falando "eis"... É bom você ouvir antes de "ousar".

  2. Thiago Teixeira Postado em 07/Mar/2014 às 21:47

    Ciro Gomes também já deu uma esculachada presencial neste Jornalista modinha e ao vivo.

  3. Peterson Silva Postado em 07/Mar/2014 às 22:05

    Excelente texto.

  4. Hugo Postado em 08/Mar/2014 às 00:47

    Só faltou desenhar heim Jean Wyllys, parabéns pelo texto.

  5. Alexandre Lopes Postado em 08/Mar/2014 às 08:42

    Esse energúmeno do Rodrigo Constantino está colecionando humilhações. Como bem disse o Thiago, no youtube há um vídeo em que o Ciro Gomes acaba com ele , num debate sobre economia ( área na qual ele é " especialista " ) e , agora , vem o Jean Wyllys passando um rolo compressor sobre ele . Esse pateta está ficando cada vez mais desmoralizado e a associação dessa indigência mental do Rodriguinho à revista "Veja" ( da qual ele é colunista ) é inevitável .

    • José alayon Postado em 10/Mar/2014 às 21:40

      Ciro Gomes entende de economia???? Desculpe ele é um ignorante neste assunto.

      • Alex Marques Postado em 05/Oct/2014 às 17:01

        Ciro entende bastante de economia, tanto é que keynesiano em sua política econômica. Defende uma economia estratégia de desenvolvimento do país, ao invés de uma política de mercado, como é o caso desse colunista da veja ai. Tem um video do Ciro que ele da uma palestra de história econômica do Brasil.

      • J. Andrade Postado em 05/Feb/2015 às 11:19

        Quem não entende de economia é o menino maluquinho, cujo único discurso é falar de Mises, ler manuais ultrapassados da extrema direita e soltar abobrinhas de seu pobre economês. Veja o vídeo e depois acuse a surra.

  6. Mauro Ribeiro Postado em 08/Mar/2014 às 10:10

    A ideia do texto é realmente boa, mas o que estraga é o autor. Jean Wyllys é conhecido por estereotipar seus opositores. São sempre reacionários, homofóbicos, racistas e católicos. Para ele é regra: se alguém matou um gay, violentou uma mulher ou se é contra pobre ostentar, esse é direitista. Ou seja, ele mesmo faz o que fala que não se deve fazer. Jean é uma vergonha, tanto para esquerda quanto para o país inteiro.

    • jean Postado em 08/Mar/2014 às 12:48

      Voce nao leu o texto, pelo jeito. Leia pelo menos o penultimo paragrafo que verá que é justamento o contrário.

    • Rogerio Postado em 08/Mar/2014 às 14:49

      Caro Mauro, Você acertou em cheio. Assino embaixo.

    • Lourenço Postado em 08/Mar/2014 às 20:11

      Pelo contrário de que o autor do texto tente estereotipar o que lhe é oposição. Ao meu ver o que tentam fazer e não conseguem é incluir o JW num estereótipo político. Não tem colado. Coincidentemente aos seus argumentos a oposição se mostra racista, homofóbica, reacionária, não apenas católica fundamentalista como abre o leque de matizes variados tons de fanáticos. E cá entre nós os argumentos são bem burros.

      • josey Pandeom de R. Postado em 10/Mar/2014 às 08:33

        O mundo não gira ao seu redor Lorenço, usar argumentos pessoais anula automaticamente sua resposta.

      • Irina Cezar Postado em 10/Mar/2014 às 15:57

        A conclusão é: JW critica o que também faz com seus opositores. Quem discorda dessa afirmação nunca conviveu com alguém do PSOL por 5 minutos...

      • Vilma Lopes Postado em 15/Mar/2014 às 10:53

        Obrigado pela resposta que eu gostaria de dar Lourenço. É exatamente isso.

    • edson Mendes Postado em 09/Mar/2014 às 09:40

      Você deve ser o nosso exemplo. Não é maurinho?

    • Daubi Postado em 09/Mar/2014 às 10:44

      Você acabou de prejudicar teu próprio comentário. Ao escrever a frase final também extremou um pensamento fundamentalista em relação ao Jean! Veja que todos nós temos nossos extremismos! O que cabe diferenciar é se é tendencioso ou não. Vide os Malafaias e Bolsonaros da vida, que usam de argumentos esdrúxulos para justificar sua homofobia. Se você, ou eles, dissessem: “Não gosto de gays e penso que eles não deveriam direitos”, estaria externando um pensamento que é compartilhado com muitos, independente do juízo de valores de estar ‘correto’ ou não. Entretanto, não é o que acontece! Repetindo: somos seres múltiplos e devemos aprender a viver como semelhantes, no sentido mais básico do ser humano, respeitando espaços e direitos. Somente deste modo construiremos um mundo melhor e mais justo. No entanto, se alguém se julga melhor ou com mais direitos do que os demais, não tem interesse nisso. Cabe refletir se quando emitimos uma opinião destas estamos ajudando a melhorar o mundo a torná-lo pior. Refletir! É sempre bom! Um abraço e bom domingo!

    • eriko Postado em 09/Mar/2014 às 12:32

      Vergonha é ler seu comentário, será que vc realmente leu todo o texto, vc se importa mais em querer claridade direita e esquerda, não está muito diferente do tal Constantino

    • Denis Postado em 09/Mar/2014 às 21:02

      Concordo em número, gênero e grau.

    • Renato Postado em 10/Mar/2014 às 16:46

      Sempre vejo a tentativa de estigmatizar o jean wyllys de alguma forma, e a mais forte de todas é a de que ele seria um grande preconceituoso distribuidor de rótulos, curiosamente, exatamente aquilo que ele combate. No entanto, essa tentativa parece menos reflexo da realidade e mais um fruto da dificuldade de se aceitar a eloquência, e inteligência de uma pessoa de forma tão concisa e honesta. Perceba se de fato é o que ele faz. Chamar o rapaz de infantil, simplista e ainda mencionar seu poder econômico, pra mim, é uma simples e corriqueira estratégia de combate num discurso. Por exemplo, não vejo no texto o momento em que ele estabelece que o jornalista em questão é de direita. Ele critica, ridiculariza suas credenciais, mas não descreve nenhum tipo de determinismo entre a posição política do rapaz e sua opinião. Mais uma coisa, não é a ideia do texto que é boa, o texto é bom, reconheça isso. Não desmereça o trabalho de alguém só porque você não quer gostar dela.

      • Raquel Camargo Postado em 12/Mar/2014 às 14:14

        Não entendo pq tanta resistência em aceitar as opiniões do deputado. Esse pseudo jornalista conservador e neonasista é o senhor dos absurdos!

      • rogerio Postado em 13/Mar/2014 às 11:57

        bingo! eita! ler estes comentários todos tem sido uma aula social! mas requer estômago. Exclente texto, excelente posicionamento do jean Willys, que passo a conhecer agora. Quero mais parlamentares assim no meu país! e menos jornazistas ridículos (mais jornalistas!).

      • Danilo Postado em 16/Mar/2014 às 14:00

        Falou tudo. O texto é bom, e por algum motivo essas pessoas não querem gostar ou respeitar o JW, dai são até capazes dizer "a ideia do texto é boa" negando que o próprio texto é muito bom, com boas argumentações e definições de muita clareza no que ele ali defende. Essas pessoas pequenas aqui disfarçadas de democráticos, só sabem disseminar ignorância.

    • Rosalia Nascimento Postado em 11/Mar/2014 às 00:51

      Leia com mais atenção meu querido, existe um produndo e lamentavel equivoco em sua argumentação.

    • Douglas Postado em 11/Mar/2014 às 13:01

      Concordo plenamente contigo.

    • Rodrigo Postado em 12/Mar/2014 às 14:34

      O Mauro realmente não entendeu o texto, e continua a reproduzir a burrice. Deve mesmo ser problema dessa gente que se aproxima dos discursos da direita a indigência mental. Mas estudar o que de fato significa em termos políticos ser de direita e esquerda pode te ajudar a entender teu questionamento.

      • J. Andrade Postado em 05/Feb/2015 às 11:20

        Eles não leem, e se leem não pensam, e se pensam... Esse é o problema dos emissários submarinos...

    • Diego Postado em 13/Mar/2014 às 01:11

      Perfeito... Alguém com bom senso...

    • Leonardo Postado em 14/Mar/2014 às 11:01

      Concordo com vc, ele define todos por estereótipos, mas esquece de aceitar o próprio passado que o levou "à fama": o BBB. Nesse texto ele ainda reafirma que isso não significa nada. Ele é rídiculo ao ponto de achar que seu salário de deputado é pequeno (como assim?). Ele é uma vergonha também para muitos gays que não aceitam essa "luta" que o Jean acha que deve enfrentar, mas que na verdade, é só sua forma de captar votos. Os gays conscientes só querem passar despercebidos como qualquer outra pessoa, não querem chamar atenção para si, isso sim é criancice e o Jean é mestre nisso! Sem contar que apóia o Che Guevara, mas é tão incompetente, mas tão incompetente a ponto de não saber que op Che perseguia e estraçalhava viados em Cuba....

      • Lorran Postado em 16/Mar/2014 às 00:18

        Você nem merece uma resposta.

      • Danilo Postado em 16/Mar/2014 às 14:05

        Que papo é este de gays conscientes só querem passar desapercebidos. Meu caro, se pra você passar desapercebido é ter que se sujeitar a se esconder de uma sociedade que não te aceita, você no mínimo é covarde ! Não sei, mas parece que você fala de você mesmo, então, se você é acomodado é quer passar desapercebido, este é um problema totalmente seu, lamento totalmente sua fraqueza e sua anulação. Acho louvável o que o Sro Jean Willis faz, mostrando quem é, o que pensa, o que faz, e lutando pelo direito dele e muitos outros de várias minorias de serem cidadãos.

    • Danilo Postado em 16/Mar/2014 às 13:54

      se um cara que se mostra em suas causas e luta pelos seus ideais com clareza como ele são uma vergonha o que se poderia dizer dos outros ? Você diz que é uma vergonha por uma conclusão sua de que o este deputado minimiza o discurso colocando todos como direitista, se você prestar mais atenção (talvez precise de mais cultura estruturante pra isso) verá que o texto fala exatamente sobre esse reducionismo que você esta cometendo aqui. Respeitaria sua opinião se ela fosse fincada em verdade ou em pensamento lógico. Vai estudar !

  7. Antonio Palhares Postado em 08/Mar/2014 às 10:26

    Rodrigo Constantino, big bosta , Veja, Globo, Bial, para mim são lixos..

    • Bruno Postado em 09/Mar/2014 às 09:55

      Parabéns, não aprendeu nada com o texto.

    • SERGIO Postado em 11/Mar/2014 às 13:54

      Oi????? Gente do céu, o que o Bial tem a ver com isso?

      • João Renato Postado em 12/Mar/2014 às 14:10

        Como assim? A única parte da afirmação em que ele tem razão é a que fala do bial (;

    • garcia Postado em 11/Mar/2014 às 23:03

      Generalização e modo agressivo - típico de quem não tem argumento.

  8. Thiago Teixeira Postado em 08/Mar/2014 às 11:23

    Agora que li o texto por completo. Bela reflexão e muito bem fundamentada sobre a homofobia e sempre com o cuidado de não generalizar uma determinada religião ou regime econômico-social, e sim como ele disse: "versão fanática, extremista e preconceituosa dele".

    • Danilo Postado em 16/Mar/2014 às 14:06

      gostei muito do trecho em que ele divide as "vesões fanáticas, extremistas e preconceituosas"... que tem a mesma estrutura de pensamento perigoso de fundamentalistas como Al Qaeda.

  9. Edson Postado em 08/Mar/2014 às 11:28

    Grande texto Jean Wyllys, pena que o endereçado não vai ter a capacidade (como já foi provado) de entender (ele parece aquele palhaço sem graça que ri da própria piada).

  10. Fernanda Postado em 08/Mar/2014 às 12:39

    Difícil compreender seus comentários Sr Elias, deve-se ter, ao menos, boa escrita ao expor a sua opinião publicamente, especialmente se vc está criticando o texto de outra pessoa que chama de burra.

  11. Maria Biolcatti. Postado em 08/Mar/2014 às 12:49

    Parabéns, tem que ser assim... Desenhar, para esse boçal entender.. Coisa que duvido muito.

  12. Tomaz Elias Robinson Postado em 08/Mar/2014 às 13:09

    Pena que ele não menciona o grande preconceito que existe no ser humano, que é dar mais valor ao TER do que ao SER, negro rico pode, pobre não, Gay rico pode, pobre não, e este deputado que teve a coragem de dizer que o salario dele não mudou depois que passou a ser deputado é um mentiroso, pois afirmou que com os descontos que tem sobre os proventos de deputado recebe liquidos R$15.000,00 que era o mesmo que recebia como professor universitário, só que ele não menciona os descontos que há no salario dos trabalhadores. Pura hipocrisia. Podem divulgar meu e-mail, sem problema algum.

  13. Lexx Postado em 08/Mar/2014 às 13:11

    Você deve ter razão, afinal de contas, a moral Cristã (que deve ser a única) fez sempre o bem não é mesmo? Principalmente durante a Inquisição.

    • Elias Postado em 08/Mar/2014 às 22:09

      Obviamente o conceito é extremamente complexo, poderia escrever paginas sobre isso, mas resumindo o mal realmente existe, e infelizmente poucas pessoas são capazes de enxergá-lo.

  14. Daniel Rosa Postado em 08/Mar/2014 às 14:15

    Nota 10!

  15. Maria Aparecida Jubé Postado em 08/Mar/2014 às 14:30

    Jean Wyllys, apesar de ter minhas restrições ao PSOL, espero que você seja reeleito, gosto muito dos seus posicionamentos, acho que você faz muito bem ao Brasil no congresso nacional. Adoro ver os coxinhas idiotas da Veja serem desbancados, ainda bem que logo, logo não terão mais esse lixo para reproduzir suas asnices.

  16. joana Postado em 08/Mar/2014 às 14:35

    Realmente o texto em questão é muito bom...mas nem sempre esse Jean se coloca bem...um exemplo é o que ele diz sobre pedofilia,li uma frase em que ele diz que pedofilia ajuda na formação sexual da criança...fiquei horrorizada,pois entendi como uma forma de defender a pedofilia...

  17. Ricardo Barcellos Postado em 08/Mar/2014 às 14:37

    Gosto da luta e posicionamento do Jean Wyllis, mas fiquei com um pé atrás em relação a ele quando disse uma vez que deputado não ganha o suficiente...

  18. José Postado em 08/Mar/2014 às 14:39

    Parabéns novamente Jean. Sinceramente já estamos carecas de saber que esse Rodrigo é um ridículo e alienado, não sei ainda como ele pode se sentir ''o tal'' encabeçando uma corja anencéfala metida a besta, sem falar da cara de ''virjão'' que ele carrega.

  19. cely Postado em 08/Mar/2014 às 14:55

    Muito bom. Não li o texto do enfant mas fica claro a mentalidade do menino em questão.

  20. Joaquim Postado em 08/Mar/2014 às 15:10

    Seria melhor o Jean Wyllys explicar, com desenhos e figuras, o que são "estruturas cognitivas". Vai que o Mocinho da direita contemporânea e seus discípulos não entendem.

    • Mauro Postado em 08/Mar/2014 às 18:49

      Não seria uma má idéia, afinal a erudição ou a ausencia dela são atributos que independem do caráter e ninguêm precisa ser execrado por não ter entendido algumas linhas ou compreendido alguns termos, afinal nem todos são professores universitários ou membros da ABL. Nivel intelectual não define grandeza de espirito.

      • Danilo Postado em 16/Mar/2014 às 14:11

        Muito interessante sua colocação Mauro, eu não tinha pensado a respeito disso. Fiquei pensando, muitos que leem os textos popularizados que jornalistas como este Rodrigo poderiam escrever, entenderiam seus "argumentos" enquanto algo desta categoria ficaria a uma pequena parcela da população. Mas, infelizmente me parece que os meus de comunicação de massa com seus textos didáticos são instrumentos de uma maioria com outros interesses.

  21. Giov Postado em 08/Mar/2014 às 15:20

    Sábias palavras e bons argumentos históricos. Jean Wyllys sobre contatenar as ideias sem extremismos. O conhecimento é o nosso poder, é disso que o governo tem medo e, é por essa razão que não há interesse,por parte desse, numa educaçao pública de qualidade.

  22. Filho do Demo Postado em 08/Mar/2014 às 15:52

    Você leu o texto? Foi o que ele disse, as coisas não são tão maniqueístas, simplistas e "preto no branco" como as pessoas pensam ser. Existem pessoas da esquerda que são homofóbicas, assim como existe gente da direita que não é racista. Basicamente o que o texto diz é que generalizar é sempre uma perda de tempo. Parece que sua mente funciona como a do Rodriguinho.

  23. Paulo Cesar Jakimiu Sabin Postado em 08/Mar/2014 às 16:16

    Olha Elias, entendo seu ponto de vista, mas convenhamos, geralmente - que se leia com atenção GERALMENTE - as posturas mais conservadoras são adotadas por aqueles que possuem uma ligação maior com a direita. Acredito ser muito difícil distinguir esquerda e direita hoje, e sim, precisava-se levar em contas diversos aspectos que, obviamente, o Jean Willys não o fez em seu texto. Porem, por se tratar de um texto em um blog e não de um livro com auto teor de filosofia política, acredito que a distinção dele, devido as ultimas posturas dos direitistas no Brasil, não seja lá um grande absurdo, e em questão de coerência ao criticar Rodrigo Constantino, ele fora perfeito, pois também detesto essas distinções Bem e Mal, Certo e Errado, e inclusive, Esquerda e Direita. Mas convenhamos, alguns que se dizem de direita apelam. Exemplo? O proprio Rodrigo. O ultimo texto dele na veja para "homenagear" a mulher em seu dia é sobre a falácia de dizer que mulheres ganham menos por preconceito, querendo refutar tal tese - e devo dizer, achei que beira a ignorância, mesmo para um texto de blog ou uma coluna. Mas enfim. Aproveito também para recomendar, a quem quer que tenha lido meu comentário, o livro Esquerda e Direita de Norberto Bobbio, sem duvida, muito esclarecedor sobre essa questão.

  24. Pakkatto Postado em 08/Mar/2014 às 16:19

    Parabéns pela tentativa de esclarecer ao pobre imbecil coxinha. Não vai funcionar mas mostra engajamento. De certa forma, também possuo uma visão maniqueísta do mundo: O bem são os educadores e o mal os ignorantes. Os educadores querem salvar os ignorantes e os ignorantes querem escrachar com a reflexão. Quanto mais maduro fico mais quero desistir de ficar batendo boca com coxinhas como Rodrigo Constantino. Meu respeito guardo apenas aos que seguem o bom e velho princípio socrático: Só sei que nada sei. Idiotas como Rodrigo vomitam certezas e repetem mentiras pré-fabricadas para receber tapas nas costas. O tapa que eu lhe daria seria daqueles bem forte, na nuca, seguido de um: "toma vergonha, moleque".

  25. Thiago Melotti Postado em 08/Mar/2014 às 16:48

    Só uma correção no texto. O Cristianismo é uma religião da revelação, e não "do livro" como o deputado citou neste excelente texto: bem construído e com um argumento coerente, digno de quem estuda a complexidade do mundo.

  26. Fábio Postado em 08/Mar/2014 às 17:31

    Fecha a bíblia e abre o livro de português, please (isso é inglês)!

  27. Guilherme Sá Postado em 08/Mar/2014 às 19:40

    Hoje Cuba é exemplo que liberdade homossexual e lidera as pesquisas em centros academicos da América Central sobre igualdade de gênero e homossexualismo! Por favor não fale do que vc não tem a mínima noção! (alias a esquerda com a direita perseguiu os homossexuais por décadas no XX, não foi diferente em Cuba, mas na década de 70 o próprio Fidel veio a público pedir perdão e propor uma sociedade que entendesse e respeitasse o homossexual)

  28. Victor Rodrigues Postado em 08/Mar/2014 às 20:33

    Jean, Será que nós também não sofremos da ação política das igrejas evangélicas fundamentalistas dos EUA? Há semelhanças nessa ação, com a diferença da classe social que aceitou esses fundamentos não ter força político-militar para botar em prática seus costumes e controle. No Brasil, essas ações foram dentro da lei, pelo voto.

  29. Leni Postado em 08/Mar/2014 às 21:25

    Jean Wyllys me representa!!!!

  30. Thiago Hermes Postado em 08/Mar/2014 às 21:41

    Faltou vc ler essa parte do texto dele; " Também é fato que as sociedades ocidentais, capitalistas e com democracias liberais (nem todas as sociedades capitalistas são ocidentais, nem todas são democráticas), no último século, avançaram mais (e mais rápido) no reconhecimento dos direitos humanos da população LGBT e outras minorias, do que outros regimes."

  31. Telopa Postado em 09/Mar/2014 às 02:35

    Excelente texto mesmo. Vale lembrar que a literatura infantil não foi sempre binária e tampouco precisa ser, felzmente.

  32. Isaque Postado em 09/Mar/2014 às 04:47

    "Curti i grosso, rs" Realmente, o texto desse Rodrigo Constantino está assaz infantil e precipitado na suas conclusões, com pensamentos rasos. Parece aqueles adolescentes revoltados ou adultos revoltados que estagnaram na idade mental adolescente que ficam na internet vociferando e demonizando quem pensa diferente dele, ou seja, vendo o mundo de modo maniqueísta: os famosos trolls. Indivíduos neste estado mental não conseguem ou se negam a ver que os fenômenos, neste tema biopsicossociais, envolvem vários fatores que se amarram às vezes de forma aparentemente ilógica, pois necessitam de um raciocínio mais elaborado. O pensamento infantil e adolescente não consegue alcançar a percepção de alguns problemas do mundo, pois ainda não se depararam como o mundo é de fato, ou, no caso do adolescente até se esbarrou neles, mas ainda não o compreendeu, pois para tal carece de outros conhecimentos que ele ainda não adquiriu pelo empirismo natural da vida.

  33. Edson Mendes Postado em 09/Mar/2014 às 09:35

    Brilhante resposta. Precisamos de mais representantes do seu estilo e humanismo. Vemos que muitos de nossa sociedade. E que muitas vezes determinam regras ainda vivem na idade da pedra. O poder midiático domina com seres dessa natureza. Você Deputado tem o meu respeito e admiração. Continue assim, fazendo valer nosso voto.

  34. Mauro Postado em 09/Mar/2014 às 10:05

    Se eu não me engano, foi ele quem escreveu o livro Esquerda Caviar. Só pelo nome parece puro preconceito. Reconheço que fiquei curioso para saber sua linha de raciocínio, mas sei que não terei estômago para ler, nem quero dar dinheiro para esse sujeito.

  35. Daubi Postado em 09/Mar/2014 às 10:28

    Belo texto do Jean! Não li o do articulista da Veja! Revista que não leio, por que não assino e nem compro! Mas, que tem sido muito criticada por seus posicionamentos. Pena que não se pode votar no Jean do meu estado. Espero que ele continue fazendo este bom trabalho sempre. Aqui, temos um Senador chamado Pedro Simon, que se reelege por mais de duas décadas, devido a sua postura. A simplificação e polarização do debate nunca é saudável! É preciso perceber as diversas matizes!

  36. Alfredo Postado em 09/Mar/2014 às 11:26

    O ex BBB usa da mesma simplificação , preconceito e maniqueismo para criticar o artigo de Consentino por sua simplificação, preconceito e maniqueismo. Dois artigos de mesmo nível mas com sinais trocados.

  37. João Pedro Postado em 09/Mar/2014 às 12:39

    "Minoria em função da maioria". Não devemos seguir este padrão sugerido pelos movimentos gays.É uma inversão de fluxo. O mundo é hetero. Mas existem desvios também (poucos). Simples assim.

    • Matheus Postado em 12/Mar/2014 às 01:03

      acorda, alice!

  38. Bruno Oliveira Postado em 09/Mar/2014 às 14:37

    Por mais que eu seja favorável ao que diz o Jean Wyllys, não dá para não ficar incomodado com a qualidade do texto: tantos lugares comuns, parágrafos mal colocados e argumentos espalhados que poderiam estar juntos. Irritante.

    • Paulo Carvalho Postado em 09/Mar/2014 às 17:12

      A meu ver, o texto está bem escrito e eu entendi bem o que competente Deputado Jean Wyllis quis expressar. Ele faz um relato histórico - de forma inteligente - da origem do preconceito, do homofobismo e de outras agruras do ser humanos. Vale

    • Bernardo Postado em 12/Mar/2014 às 09:00

      Cara, lugares comuns pra ser claro pra quem ele estava respondendo que, como está no próprio texto, não entenderia se foosse diferente.

  39. F Hilario Postado em 09/Mar/2014 às 14:57

    Parecem que à todo momento tentam atacá-lo por ser (agora) político, dentro de um caldeirão fervente que todos conhecemos. Mas se esquecem que é (bastante) inteligente, e professor. Ok, de repente ele pegou pesado aqui (onde provavelmente a "turma" do colunista nem vai aparecer), mas, pela repercussão, reflexões (e cusparadas virtuais) assim ainda são necessário na republica da(o)s bananas. Que bons ventos tragam mudanças.

  40. Nonato Postado em 09/Mar/2014 às 16:35

    Muita ignorancia de certas pessoas quanto ao texto do JW.... certamente a alienaçao é tamanha quanto a do jornalistazinho de nada...... até paragrafos talvez mal colocados incomodou...pequenos erros insignificantes perto do conteúdo postado..... Brasil sempre será atrasado por causa disso e desses. ATENÇAO DIRECIONADA PARA O QUE NAO DEVE. JW texto incrivel !

  41. Thercyo Postado em 09/Mar/2014 às 18:38

    O texto seria legal se não fosse do Jean Wyllys. Ele em diversos episódios classificou e generalizou a direita e evangélicos. Quem tá sujo não pode falar de mal lavado. Eu achei que o texto ficou chato de se ler, além de muito alongado.

  42. Herbo Postado em 09/Mar/2014 às 21:13

    Jean mostra todo seu preconceito contra os super-heróis, apreciado não só por crianças e cada vez mais um tipo de literatura aceito, os arquetipos de hérois e mocinhos não estão só nos "desenhos animados para crianças", mas em boa parte da literatura mundial. Não é só pra "mentes infantis", a novela que você acompanha usa e abusa disso. O jean ele usa de uma falácia pra lá de infantil, a falácia do espantalho e tenta ridicularizar o Rodrigo, que lhe aponta suas incoerências brutais e relativismo moral galopante, dai foge pro recurso de falar aquilo que faz, reduzir, a esquerda é especialista em criar jargões pra reduzir seus debatedores, coxinha, reacionários, etc... Jean, você é fraco, seus argumentos são chulos e razos, é extremamente preconceituoso e reducionista.

    • Rafael Postado em 10/Mar/2014 às 00:29

      Engraçado como ataca o texto criticando a primeira parte - obviamente não tendo entendido a analogia, ou refutando ela sem o menor argumento - Parece que não o entendeu de proposito ou não quis entender. Logo após, acusa de usar argumentos falaciosos, mas usa um discurso de retorica ad hominem, criticando o argumento pelo argumentador, sem contudo refutar o argumento de fato.

    • Pedro Postado em 10/Mar/2014 às 16:54

      Ele não demonstrou "preconceito", apenas ressaltou que o universo dos super-heróis é simplista (e é simplista mesmo, e olha que sou um grande fã de quadrinhos há mais de 20 anos) e que é nessa linha que funciona o pensamento DESSA parcela da direita da qual o Rodrigo Constantino faz parte (não significa que seja TODA a direita).

    • Bernardo Postado em 12/Mar/2014 às 09:03

      Ele só estava dando exemplos. Quanto esforço pra não entender as coisas que as pessoas falam!

  43. Nancy Postado em 09/Mar/2014 às 21:29

    Jean você é 1000!!!!!!!!!!!! Adorei seu texto, uma verdadeira aula de história. Sua inteligência e bom senso me emociona. Votarei em você com certeza, mesmo não gostando do jeitão do seu partido.

  44. Nina Postado em 09/Mar/2014 às 21:32

    Jean, fico muito feliz que uma pessoa tão ética, humana, inteligente e engajada como você tenha um cargo político! Que você possa continuar a se manifestar, a fazer política, a buscar pela justiça, enquanto inspira a tantos de nós! Grande abraço.

  45. Ulisses Postado em 10/Mar/2014 às 01:00

    Tá bom que o Constantino é uma mula, mas "inveja do sucesso alheio" foi forçado. A "posição que eu ocupo" só está ocupada pq o nobre deputado teve votos suficientes graças ao "sucesso" obtido pelo tal programa de alto nível que aquela emissora "reacionária de direita representante das elites" infelizmente coloca todo ano no ar. Os fins justificam os meios, meu caro Jean? Hipocrisia a gente vê por aqui!

  46. Mateus Marrero Postado em 10/Mar/2014 às 06:24

    Conversar com o Bolsobaro ninguém quer né ?

  47. Andrea Postado em 10/Mar/2014 às 08:59

    O texto é legal. Mas tem um problema, como comunicação ou seja, algo que visa transmitir uma mensagem e por isto precisa estabelecer uma relação de respeito e coerência dentro de si e com o leitor. A tal discurso de ódio entre classes (luta de classes): "Deve ser mesmo frustrante para alguém criado a Toddy e Ovomaltine em bairros nobres e formado em escolas papai-pagou-filhinho-passou ter de ver um gay assumido, mestiço, nordestino, sem apadrinhamentos nem capitanias hereditárias, vindo das camadas mais pobres da população na posição que eu ocupo hoje." Pronto, qualquer pessoa de classe-média pra cima já vai criar um puta preconceito contra o texto/autor, se sentir criticado e atingido em um texto que nem visa isto (pela minha interpretação). Sem contar a tal parte da coerência que é quebrada aqui com isto: "Quem quiser derrotá-los e construir uma sociedade mais justa e mais livre, precisará se livrar dos dogmatismos e deixar de ver o mundo como uma guerra entre o Bem e o Mal, como o vêem as crianças e os indigentes " Sei que não é o assunto principal do texto, que a Veja faz uso deste discurso de ódio-contraprodutivo de luta mais que ninguém, que o Psol é o Psol e com isto já se fala muito sobre as idéias de como a sociedade funciona pra eles..... Mas eu acho que em um discurso cujo objetivo é concientizar, unir as pessoas, ter linhas de generalização e ódio (ou raiva) que sejam voltadas a um agente que não é parte do discurso que fazem sentido (como no caso extremismos religiosos, o cara da Veja e homofóbicos em geral): mas sim agentes como "você pessoa de classe social tal" que eu, escritor, digo que se sente incomodada pela minha existência, "porque sua CLASSE generalizadamene odeia gente XYZ" (que em miudos semanticos é chamar de "classe malvada per se")...cara, isto é extremamente bizarro e contraprodutivo. Não me faz sentido nenhum... O texto seria tão melhor sem isto, tão melhor. Enfim, fim do desabafo.

  48. Rodrigo Postado em 10/Mar/2014 às 08:59

    Pior cego é o que nao quer ver! Texto claro e recado dado! Pra b entendedor, meia palavra basta! Mas quando o preconceito ta enraizado é difícil enxergar. Parabéns pelo texto!!

  49. Edson Luiz Postado em 10/Mar/2014 às 09:26

    acertou na mosca Sr. Jean -- porém as moscas são muitas e se reproduzem com facilidade (crescei-vos e multiplicai-vos) -- a revista veja escreve para elas -- por isso vende bastante. Quanto a esse jornalista Sr. Rodrigo -- é pago para satisfazer as mentes pouco desenvolvidas dos leitores de veja. Esse jornalista Rodrigo não deve acreditar no que escreve. É um impostor da desinformação que vende, simple as that.

  50. Julihermes Cavalcanti Postado em 10/Mar/2014 às 10:06

    Ótimo texto. Parabéns, Jean! Espero que o jornalista modinha Ovo Maltine tenha entendido.

  51. Henrique Schneider Postado em 10/Mar/2014 às 10:18

    Ótimo texto. Pena que Rodrigo Constantino não vai entendê-lo...

  52. Rodrigo Postado em 10/Mar/2014 às 12:02

    Inicialmente, fiquei muito satisfeito ao ver a diferenciação promovida pelo Deputado, religião e fanatismo. Realmente, muitos há a confundir, em suas crenças, o que seria a vontade de seu Deus com a própria vontade, negando (no caso cristão), o mandamento de amar ao próximo como a ti mesmo. Tal é muito salutar, a partir do momento em que assumamos a mesma postura nas discussões políticas, deixando de demonizar o norte do pensamento em si ("direita", "centro-direita", "centro esquerda" e "extremos"), focando, sim, na distorção, no abuso, na malversação de um pensamento, uma filosofia etc. Nesse sentido, já visualizamos abusos, crimes, em países com governos dos mais diversos pontos do espectro do pensamento político. Ou seja, não há eternos "bonzinhos" e "mauzinhos", como diz o Deputado. Em seguimento, destaco ainda concordância outra para com o Deputado: realmente, o foco é argumento, mas não a pessoa. Discussões não devem ser encerradas mediante tom de voz mais alto ou agressões (físicas ou verbais), mas pela lógica tendente à demonstração da insustentabilidade de um argumento, ou ainda no sentido de que comporta críticas positivas e negativas, a fim de fomentar sua evolução. E, então, o Deputado faz justamente o que diz, de forma coerente, focando no argumento válido: em Uganda a colonização trouxe consigo, ainda, a imposição de uma religião e seus (para uns) dogmas (para outros, preconceito); a grupos étnicos diversos foi ensinado, mediante o argumento do pecado/danação, que a homossexualidade atrai a reprovação divina, havendo de ser abominada, o que foi sendo absorvido e passado, de geração em geração. Neste ponto, confesso, aguardei crítica outra, também contundente, do Deputado. Os cidadãos de Uganda, em sua maioria ampla formada por pessoas negras, poderiam ter criticada a opção pela manutenção de um pensamento sectarista, dentro de sua liberdade individual, de sua autodeterminação, deliberadamente valorando a criminalização de uma conduta/orientação sexual, em vez de entendê-la e como violadora de direitos humanos - em última instância, vemos pessoas valorando pensamento retrógrado, esquecendo-se do fato de serem discriminadas por muitos, apenas pela quantidade de melanina na pele (repetem a injusta agressão sofrida e oprimem seus iguais). O ser humano há, sim, de estar atento à evolução natural da sociedade e do direito, bem como à evolução pessoal. Reconhecendo a origem de um erro e compartilhando a responsabilidade, mas lançando-se à correção, no mínimo, pessoal, instando os demais ao mesmo. A quem quiser refletir sobre a questão da responsabilidade pessoal, da autodeterminação (claro, dentro de suas possibilidades), recomendo o filme "Ensaio sobre a cegueira": a partir de quando igualados (pela cegueira) e sujeitos às mesmas limitações (racionamento de comida), o ser humano passa a demonstrar seu pior lado, buscando oprimir o outro na busca de vantagens pessoais, na busca por um poder ilusório, esquecendo-se de sua condição de semelhante. Os cidadãos negros de Uganda podem ter tido, incutido em suas mentes, por gerações a fio, a alegada impropriedade da homossexualidade e necessidade de abominação, mas devem lembrar que são, meramente pela cor, também discriminados, sendo a hora de compreender a igualdade, em vez de valorarem-se como carrascos de seus semelhantes.

  53. Nilson Mendes Postado em 10/Mar/2014 às 12:34

    Jean, tenho uma admiração inconteste pelos seus artigos, suas críticas e crônicas. A coerência dos seus posicionamentos é firme e logicamente fere diretamente aos camuflados homofóbicos que tentam infundadamente lhe contestar. O que acabo de postar está claro nas tolices protagonizadas acima por Herbo, tão vazio no apelido quanto no que escreve. Felizmente o Pais possui homens como você representando e defendendo os brasileiros de injustiças as mais variadas que nos tentam impor. E isso se estende a todas as minorias.] Saudações, Nilson Mendes.

  54. Rose Postado em 10/Mar/2014 às 12:54

    Que texto perfeito Professor Jean

  55. eu daqui Postado em 10/Mar/2014 às 14:14

    Concordo com o antimaniqueismo de Jean. Tanto que não vejo nenhum dos dois, nem ele enm o Rodrigo como totalmente bom ou totalmente mau. Ambos tem momentos de lucidez e momentos de falar merda.

  56. eu daqui Postado em 10/Mar/2014 às 14:14

    Concordo com o antimaniqueismo de Jean. Tanto que não vejo nenhum dos dois, nem ele enm o Rodrigo como totalmente bom ou totalmente mau. Ambos tem momentos de lucidez e momentos de falar merda.

  57. Pereira Postado em 10/Mar/2014 às 15:30

    jean wilis ???? aquele que se valeu do BBB para se eleger ???? aquele que usou perfil falso no facebook para atacar pastores ???? esse que é o herói da esquerda falida ???? hahahahahaha

  58. Pereira Postado em 10/Mar/2014 às 15:30

    jean wilis ???? aqueles que pede diheiro público para a passeata gay ????

  59. Pereira Postado em 10/Mar/2014 às 15:50

    jean wilis ???? o fundamentalista gay que quer criminalizar a opniao dos crentes ???? aquele que tenta desviar o foco para seus compadres do mensalão não sejam condenados ????

    • amina Postado em 14/Mar/2014 às 17:38

      desinformado, fanático e "crente" é o q vc é tem medo q gente inteligente derrube sua "igreja" e vc passe fome é isso?

  60. Silvio Postado em 10/Mar/2014 às 16:18

    "É fato que a homofobia [...] é um fundamento das religiões abraâmicas — as chamadas “religiões do livro”: o judaísmo, o islamismo e o cristianismo; e está ligada à exortação “crescei e multiplicai-vos” feita pelo Deus de um povo (as tribos patriarcais semitas) que precisava sobreviver à fuga do cativeiro até a 'Terra Prometida'." Texto muito inteligente Jean, mas no trecho acima, vc viajou na maionese.

  61. Pereira Postado em 10/Mar/2014 às 16:28

    jean wilis ???? aquele que é "cunpanherô" do freixo ???? aquele que é do partido que ficou com 70 % da grana arrecadada para o amarildo, através de uma "ong" ? a mesma ong que doou 250 mil para a campanha do freixo ????

  62. Isabel Postado em 10/Mar/2014 às 19:08

    O Rodriguinho se pensasse mais em mulheres e menos em Ovomaltine era mais homem, mais adulto e mais magro.

  63. Tatiana Postado em 10/Mar/2014 às 19:25

    E passarei ao largo de suas referências ao BBB, porque estas são frutos de sua inveja mal-disfarçada do sucesso alheio. ......KKKKKKKKKKKKKK MORRI SO FALTOU FALAR : BEIJO NO OMBRO !

  64. Silvio Barreto Postado em 11/Mar/2014 às 08:47

    Excelente, mas perda de tempo do deputado. Essas penas de aluguel da direita não merecem sequer serem citadas.

  65. MAC MAC Postado em 11/Mar/2014 às 10:00

    Hahahaha, Rodrigo não vai entender nada, hahahaha, se tem pensamento binário!

  66. Jonas Postado em 11/Mar/2014 às 11:16

    O homem normalmente é egoísta, egocêntrico e portanto imbecil e gerador de problemas. Tanto o autor quanto o personagem tem tendências binárias. Enquanto um ainda vive o mundo infantil do bem e do mau o outro vive entre esquerda e direita. Para mim tudo isso é idiotice do "homo imbecilis".

  67. André Postado em 11/Mar/2014 às 11:37

    Obviamente há um excesso por parte das palavras de Jean , mas o que não invalida o conceito geral de seus textos que sempre muito bem escritos, e elaborados em cima de ideias e propósitos mais humanos e realísticos com base em fatos e não em teologias e teocracias em suma particulares e pessoais, usadas em sua grande maioria como fator de ataque a grupos estereotipados e incluídos como minoria, mas que contém o mesmo peso ,ou não quando maior, em impostos, votos,pratica social e outros "n" fatores. Então é considerado válido o excesso quando a argumentação contrária é difamatória e vem de cunho pessoal e não baseado em fatos comprováveis e históricos.

  68. Villas Postado em 11/Mar/2014 às 13:03

    Jean Wylliys (que nome mais americanizado!), sinto uma profunda rejeição a tudo o que pensa e a tudo o que defende. Há a agravante de sua condição de deputado ter sido adquirida através de votos de TERCEIROS, portanto, o Sr. não representa autenticamente a sociedade e nem parcela dela.

    • Luzia Biancato Alberton Postado em 11/Mar/2014 às 23:20

      Não sou do Psol mas admiro muito o trabalho de Jean Wylliyns. Seria muito bom para o país se tivéssemos muitos deputados no nível dele. Quanto a votação caro Villas você precisa conhecer melhor como funciona a lei eleitoral. Não existe votos de terceiros existe partidos (conjunto de ideias, pra simplificar) e as pessoas votam num candidato ou numa legenda, mas em ambos os casos os votos são computados na legenda partidária que irá eleger x deputados.

  69. Ricardo Milflores Postado em 11/Mar/2014 às 13:13

    O maior equívoco da réplica de Wyllys é não abordar o cruzamento entre a homofobia britânica e as diversas homofobias africanas. A verdade é que nenhuma sociedade africana era "liberal" quanto à homossexualidade durante a colonização britânica, e por essa razão interessa não sublinhar demasiado a importância da influência externa na questão do Uganda.

  70. Heloisa Bezerra Postado em 11/Mar/2014 às 13:41

    Ai como eu te amo, Jean!!! <3

  71. Joel Postado em 11/Mar/2014 às 15:40

    Caraca, humilhou. Coitado do Rodriguinho.

  72. salamaleicum Brasileno Postado em 11/Mar/2014 às 18:07

    Tanta seriedade , otimas mas palavras , mas tudo entra no ouvido e sai no outro ... pq infelizmente pra se defender , justicar e prometer é desse jeito "lindo" ,mas enquanto isso O Brasil continua o mesmo Brasil... Porque nao perder seu tempo digitando uma lei ou uma proposta ao inves de ficar com essas briguinhas que nao levam ng a nada.... so acho que deve defender seu ideal sim! mas tem tanta coisa mais importante....

  73. Evanildo Mercês Postado em 11/Mar/2014 às 22:51

    Muito bom texto! Valeu Jean. Aprendi muito com você!

  74. Rodrigo Postado em 11/Mar/2014 às 23:05

    "É fato que a homofobia — o nome que hoje adotamos para se referir à interdição e aversão à relação sexual entre pessoas do mesmo sexo — é um fundamento das religiões abraâmicas — as chamadas “religiões do livro”: o judaísmo, o islamismo e o cristianismo; e está ligada à exortação “crescei e multiplicai-vos” feita pelo Deus de um povo (as tribos patriarcais semitas) que precisava sobreviver à fuga do cativeiro até a “Terra Prometida”." (Jean Wyllys Para bom entendedor, meia palavra basta. Precisa dizer mais alguma coisa? Quer dizer então que o simples fato de pessoas que professam a fé evangélica acreditarem nesse mandamento bíblico fazem delas pessoas homofóbicas?? E outra: você só é deputado federal graças aos milhares de votos conquistados pelo Chico Alencar. Porque será que isso nunca é mencionado por você?? Alguém que já teve a cara-de-pau de dizer que salário de deputado federal é baixo, pode ter algum tipo de crédito??

  75. Bruno Postado em 12/Mar/2014 às 10:36

    Os dois sāo criados a leite com pêra, difícil saber quem é o mais afetado...ô discussāozinha mais.......deixa quieto, hj. Em dia nāo se pode falar mais nada....

  76. Valter Postado em 12/Mar/2014 às 10:39

    Tenho saudade desse mundo dos desenhos que diferenciavam o bem do mal. Hoje você vê que até aquele Lex Luthor líder da Legião do Mal virou presidente dos EUA e o Batman que nos anos 60 tinha uma barriga proeminente, uma cueca por cima da calça hoje é um foragido da justiça. Da mesma forma que todos os políticos são farinha do mesmo saco, uma hora o cara defende uma bandeira e na outra diz que um salário de quase 30 mil livre é pouco.

  77. Rogério Tenenbaum Postado em 12/Mar/2014 às 20:29

    Parabéns ao Jean, que passou três parágrafos xingando, apresentou referências sem referências (!) e no final falou algo óbvio e genérico, mas que soa bonito.

  78. michel Postado em 14/Mar/2014 às 02:24

    "É fato que a homofobia — o nome que hoje adotamos para se referir à interdição e aversão à relação sexual entre pessoas do mesmo sexo — é um fundamento das religiões abraâmicas — as chamadas “religiões do livro”: o judaísmo, o islamismo e o cristianismo; e está ligada à exortação “crescei e multiplicai-vos” feita pelo Deus de um povo (as tribos patriarcais semitas) que precisava sobreviver à fuga do cativeiro até a “Terra Prometida”." Voce e seu partido, e isso e' notorio, pelos atos de queima da bandeira de Israel, recentemente por seus membros, e' que sao racistas antisemitas. Voce e' que deveria ler um pouco mais, antes de denegrir a religiao judaica, como voce o faz no texto acima! Voce desconhece as razoes morais e eticas de todo o Tanach (estudo ) judaico, uma vez que nem aramaico sabe ler. So assim voce poderia fazer uma critica sem se- la antisemita!!! Precisamos combater pessoas como voce que como os nazistas, mataram milhoes de judeus em nome da limpeza etnica. Nao gosto do pensamento desse Rodrigo, e tenho pleno entendimento do discurso dele e do seu, pois sou sociologo, e creio que pessoas como voce disseminam falsa cultura. Caso nao entenda do que estou falando, ha varios textos de professores da Universidade de Tel Aviv, que podem explicar melhor...se e' que voce gosta de leitura, como diz!!!!

  79. Octavio Almeida Postado em 14/Mar/2014 às 10:12

    Entendo que a polêmica é algo fomentado por ambas as partes. O enfoque que NINGUÉM dá é que, fazendo uma lei própria à homofobia, como foi feita para a mulher que apanha do marido, a sociedade admite a discriminação. Pois hoje vemos mulheres, se esbofeteando, para que seus ex-maridos sejam presos, sumariamente. E isso não é uma simples possibilidade, é um fato ! Portanto LEGISLATIVO, mude a lei das execuções penais, que geraram tantos benefícios à criminosos, que a população de maneira geral (brancos, negros, amarelos, homo, heteros, bi, crentes, católicos, macumbeiros, umbandistas, etc) estão totalmente desprotegidos. Vou dar um exemplo: Se eu cortar o braço de uma garota, se pegar um facão e cortar o braço dela fora, respondo por lesão corporal, grave ou gravíssima e não passo um dia na cadeia; ao contrário, se me defendo da minha mulher, ao ser agredido por ela, passo dias na cadeia, por conta da Lei Maria da Penha. Entendam, esse povo é podre e transforma o "benefício" em malefício. A bolsa família é algo feito para estimular a pessoa a crescer, mas o cidadão vive dela, acomodando-se na miséria velada. Percebam o que acontece com um povo sem moral e sem cultura. A questão toda é bem mais complexa do que essa "briguinha" de BBB.

  80. marilena barabbas Postado em 14/Mar/2014 às 10:19

    Mas o mundo é dividido em dois grupos, gente de bem e gente do mal. Bandido é bandido e gente de bem é gente de bem. Esse negócio de relativizar o mal é coisa de gente do mal. Não adianta escrever bonitinho que vai continuar sendo do mal. jeanzinho. Ah! sou pobre de marre de si

  81. gellis prado Postado em 14/Mar/2014 às 16:52

    excelente texto, muito bom!!!!

  82. José Humberto Postado em 15/Mar/2014 às 04:32

    Pessoas que precisam diminuir seus adversarios para se sentirem grandes, são, na maioria das vezes, inseguras e despreparadas.

  83. Joseli Postado em 20/Mar/2014 às 17:43

    é um fundamento das religiões abraâmicas — as chamadas “religiões do livro”: o judaísmo, o islamismo e o cristianismo; e está ligada à exortação “crescei e multiplicai-vos” feita pelo Deus de um povo (as tribos patriarcais semitas) que precisava sobreviver à fuga do cativeiro até a “Terra Prometida”. Copiei esta parte para mostrar que o inteligente deputado e professor é ignorante de leitura bíblica, pois o texto que ele cita num fala de um Deus que mandou multiplicar um grupo nomande ou que estava em fulga e sim para o homem quando Ele (Deus) o criou. Esse deputado precisa conhecer para poder criticar se não conhece "fecha a matraca" para num falar besteira ele criticas os evangélicos e se esquece que os católicos também não aprovam o que ele tenta defender. Cada uma faz o que quer com sua vida, num é tentando inferiorizar os outros numa tentativa de defenestrar que você conquista. Este texto ele que dar uma resposta ao colunista e ataca para todos os lados; esta incomodado munda o disco.

  84. Inele Postado em 20/Apr/2014 às 15:48

    É isso mesmo Jean, esse moço se acha,e a veja então!!!! nem se fala!!!!!

  85. Ayrton Postado em 24/Jun/2014 às 00:08

    A tática dos ideólogos de extrema-esquerda é destruir a família, base da sociedade judaico-cristã-greco-romana, estratégia essa apontada inicialmente por F. Engels e seguida à risca por Marx, pela Escola de Frankfurt e tutti quanti.

  86. Ayrton Postado em 24/Jun/2014 às 00:11

    SÃO MENTIRAS E HIPOCRISIAS: . 1) Que Constantino tenha inveja de jean ter sido um participante do Big Brother Brasil. . 2) Que de fato não existiriam na vida real a maldade (os casos de Suzane Ritchtofen, Hitler e Stalin, por ex, destroem o argumento do ex-BBB) e a bondade (Madre Tresa de Calcutá, Dalai Lama e Irmã Dulce, mostram que jean é mentiroso ou, no minimo burro quando se julga sábio). . 3) Que a Revista Veja encarne a imprensa marrom. Na verdade, Paulo Henrique Amorim e Mino Carta (expoentes do tipo de imprnesa que Wyllys admira) trabalharam na Veja. Aliás, foi graças a essa publicação que muitos escândalos vieram à tona. . 4) Que existe "macartismo" (setido popular) no fato de Constantino criticar Jean, uam vez que ele próprio se autodenomina socialista. . 5) Que seja homofobia o fato de se seguir uma religião ou não concordar com determinadas preferências sexuais, como suruba, homossexualismo, swing, zoofilia etc. Homofobia é uma patologia. Até se poderia usar o termo no caso de alguém perseguir gays ou proibir a prática, como no Irã ou em países da África. Constantino nunca defendeu isso. . 6) Que o islamismo seja tolerante com o homossexualismo. . 7) Que os países subdesenvolvidos, como muitos da África sejam alvo apenas de "opressores" cristãos protestantes; são alvo também de espertalhões comunas, viúvas das falidas URSS e Cuba. . 8) Que alguém que seja alinhado ideologicamente com o PSOL defenda a democracia, com liberdade de expressão, oposição constituída, liberdade de ir e vir e a separação dos poderes. Alguém já viu alguma vez JW atacar as ditaduras de Castro e Maduro??? . PS PUBLICA AÍ, POR FAVOR: DEIXE O DEBATE ACONTECER, SE NÃO TEME NADA. . AGRADEÇO DESDE JÁ.

  87. Luiz C. Cardoso Postado em 28/Feb/2015 às 18:51

    Parabéns pelo texto Jean Wyllys, esse Rodriguinho desempregado precisava desse esporro para baixar a bolinha dele, que por sinal está bem murcha.