Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ditadura Militar 21/Mar/2014 às 11:37
7
Comentários

Atriz recebe prêmio e lê Eduardo Galeano para criticar Shell em premiação

Atriz vencedora de prêmio Shell lê trecho de 'As Veias Abertas da América Latina' para criticar patrocinadora por apoio a ditadura

atriz fernanda shell ditadura
Atriz Fernanda Azevedo critica Shell por apoio a ditadura (Folhapress)

A atriz Fernanda Azevedo, vencedora de melhor atriz da 26ª edição do Prêmio Shell pela peça “Morro como um país – cenas sobre a violência de estado”, aproveitou o seu discurso ao receber a premiação para criticar a empresa que patrocina o evento por ter apoiado a ditadura na Nigéria.

“Como esse prêmio tem patrocínio da Shell, eu gostaria de ler quatro linhas sobre essa empresa. O texto é de Eduardo Galeano [autor do livro ‘As Veias Abertas da América Latina’]. No início de 1995, o gerente geral da Shell na Nigéria explicou assim o apoio de sua empresa à ditadura militar nesse país: ‘Para uma empresa comercial, que se propõe a realizar investimentos, é necessário um ambiente de estabilidade. As ditaduras oferecem isso’”.

O desabafo da atriz foi devido ao fato de que, no próximo dia 31 de março, o Brasil vai completar 50 anos do golpe militar – que trouxe uma ditadura que durou 21 anos. A peça pela qual ela foi vencedora trata desse assunto.

Após a cerimônia, Fernanda falou aos jornalistas que o discurso foi algo pensado por todos da companhia. “A gente tem que discutir as ditaduras de uma forma mais abrangente porque as ditaduras não são só militares, são civis e militares. E contam com o apoio de parte da população e das empresas. É uma questão de coerência com o nosso trabalho. Apesar de toda a alegria pelo reconhecimento e pelo prêmio que recebemos”, acrescentou.

Criado em 1989, o Prêmio Shell de Teatro é ponto de referência nos palcos brasileiros. É oferecido aos maiores destaques do ano, no Rio de Janeiro e em São Paulo separadamente, em nove categorias — Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenografia, Iluminação, Música, Figurino e Inovação.

aBr e Uol

Recomendados para você

Comentários

  1. Esdras Pereira Alves Neto Postado em 22/Mar/2014 às 04:40

    Gostei dessas palavras da atriz. Parabéns.

  2. leandro Postado em 23/Mar/2014 às 13:24

    que coragem...

  3. Cesar Postado em 27/Mar/2014 às 16:30

    Por coerência deveria ter rejeitado a indicação, a cerimônia e ao prêmio...

    • Marcello Postado em 27/Mar/2014 às 17:23

      Aí ela perderia a oportunidade de se expressar e obrigatoriamente ser ouvida. A estratégia dela foi perfeita, na minha opinião.

    • Raphael Travassos Postado em 27/Mar/2014 às 18:33

      Acredito César, que a aceitação do prêmio pode ser encarada como um método usado para protestar. Acho que ela juntou a fome com a vontade de comer. : )

  4. Bia Postado em 27/Mar/2014 às 17:21

    Não, Cesar! pelo contrário, se ela abrisse mão, ninguém ia dar bola, outra atriz ia lá ganhava o prêmio, e pronto. Agora, ela foi fazer o protesto dela.

  5. biarritzzz Postado em 28/Mar/2014 às 16:40

    É ISSO MESMO!!!!!!!!!!