Redação Pragmatismo
Compartilhar
Capitalismo 10/Mar/2014 às 19:16
164
Comentários

7 erros que você comete quando fala em Comunismo e Capitalismo

Por que você está equivocado sobre o comunismo: 7 grandes erros que as pessoas cometem sobre ele –e sobre o capitalismo

7 erros comunismo capitalismo

Por Jesse Myerson, em Salon Tradução e adaptação: Cynara Menezes

1. Somente as economias comunistas se apoiam em violência de Estado.

Obviamente, nenhum ricaço quer abrir mão de parte de sua fortuna, e qualquer tentativa de obter justiça econômica (como os impostos sobre grandes fortunas) sofrerá uma oposição ferrenha das classes mais altas. Mas a violência estatal (como a tributação) é inerente a todo conjunto de direitos sobre a propriedade que um governo pode adotar –inclusive aqueles que permitiram ao hipotético barão amealhar sua fortuna.

No capitalismo, as reivindicações de propriedade autorizam o Estado a usar a violência para excluir todos, menos um reclamante. Se eu reivindico a mansão de alguém, por mais libertário que seja, ele vai recorrer ao governo e às suas armas para me colocar no devido lugar. Ele possui aquela mansão porque o Estado diz que possui e tentará prender qualquer um que discorde. Se não houver um Estado, quem tem o poder mais violento determina quem possui as coisas, seja a máfia ou um bando de cowboys no velho Oeste. Seja por vigilantes ou pelo Estado, os direitos de propriedade se apoiam em violência.

Isto é verdadeiro para objetos pessoais e para a propriedade privada, mas é importante não confundi-los. Propriedade implica em ter um título. Quando marxistas falam em propriedade coletiva de terras ou meios de produção, estamos no campo das propriedades; quando apresentadores da Fox falam em confiscar minha gravata, estamos no campo dos objetos pessoais. O comunismo necessariamente distribui a propriedade universalmente, mas não quer tomar seu smartphone, falou?

2. As economias capitalistas são baseadas em livre comércio.

O oposto do mito do “comunismo opressivo” é o “capitalismo libertador”. A ideia de que todos estamos fazendo escolhas livres todo o tempo é claramente desmentida pela experiência de centenas de milhões de pessoas. A maioria de nós nos encontramos atrelados às pressões da competição. Estamos estressados, exaustos, sozinhos, em busca de significado para a vida –como se não estivéssemos no controle dela.

E não estamos; o mercado está. Se você não concorda, tente deixar “o mercado”.A origem do capitalismo foi tirar de camponeses britânicos o acesso à terra e com isso seus meios de subsistência, fazendo-os dependentes do mercado para sobreviver. Uma vez sem propriedades, eles eram forçados a tomar o rumo da sujeira, bebida e doenças das cidades rodeadas de miséria para vender a única coisa que tinham –sua capacidade de usar cérebros e músculos para trabalhar –ou morrer. Como eles, a maioria das pessoas hoje é privada dos recursos que necessitam para prosperar, apesar de eles existirem em abundância, e é forçada a trabalhar para um chefe que está tentando ficar rico nos pagando menos e nos fazendo trabalhar mais.

Mas mesmo este chefe (o aparente vencedor no “livre mercado”) não é livre: o mercado impõe à classe proprietária o imperativo de acumular riqueza incansavelmente ou então fracassar. Os capitalistas são compelidos a apoiar regimes opressores e a arruinar o planeta por uma questão de negócios.

O tipo particular de capitalismo dos EUA demandou exterminar todo um continente de povos indígenas e escravizar milhões de africanos sequestrados. E toda a indústria capitalista só foi possível porque mulheres brancas, consideradas propriedades de seus pais e maridos, estiveram dedicadas ao papel invisível de criar filhos e arrumar a casa sem remuneração. Três brindes ao livre comércio.

3. O comunismo matou 110 milhões* de pessoas por resistir ao fim da propriedade privada.

*Este número é um total chute

Greg Gutfeld, um dos apresentadores da Fox News, recentemente disse que “somente a ameaça de morte pode sustentar o sonho de esquerda, porque ninguém em sã consciência se alistaria voluntariamente em uma porcaria dessas. Portanto, 110 milhões de mortos”.  Ao dizer isso, Gutfeld e sua laia insultam o sofrimento de milhões de pessoas que morreram sob Stalin, Mao e outros ditadores comunistas do século 20. Pegar um número grande de mortos e atribuir suas mortes a algum abstrato “comunismo” não é uma maneira de mostrar preocupação humanista com vítimas de atentados aos direitos humanos.

Uma grande parcela das pessoas que morreram sob o comunismo soviético não eram os kulaks (camponeses ricos) com quem a direita quer se preocupar, maseram, eles mesmos, comunistas. Stalin, na sua crueldade paranoica, não somente executou líderes revolucionários russos, mas também exterminou partidos comunistas inteiros. Estas pessoas não estavam resistindo a ter sua propriedade coletivizada; eles estavam comprometidos com a coletivização de propriedades. Também é bom lembrar que os soviéticos tiveram que lutar uma guerra revolucionária –contra, entre outros, os EUA– que, como a revolução americana mostra, não se consiste majoritariamente em abraços grupais. Eles também enfrentaram (e historicamente derrotaram) os nazistas, que não estavam do outro lado do oceano, mas bem à sua porta.

Chega de URSS. O episódio mais horrível no comunismo oficial do século 20 foi aGrande Fome Chinesa, cujas mortes são difíceis de precisar, mas certamente foram dezenas de milhões. Muitos fatores evidentemente contribuíram para esta atrocidade, mas o principal foi o “Grande Salto Adiante” de Mao, uma combinação desastrosa de pseudociência aplicada e perseguição política pensada para transformar a China em uma superpotência industrial num piscar de olhos. Os resultados da experiência foram extremamente cruéis, mas dizer que as vítimas morreram porque, em são consciência, não quiseram ser voluntários de um “sonho de esquerda” é ridículo. A fome não é um problema unicamente da esquerda.

4. Governos capitalistas não cometem atentados aos direitos humanos.

Seja qual for a avaliação dos crimes cometidos pelos líderes comunistas, não é esperto por parte dos fãs do capitalismo brincar de contar corpos, porque se pessoas como eu têm de explicar os gulags e a Campanha das Quatro Pragas, eles precisam explicar o comércio de escravos, o extermínio indígena, os holocaustos do fim da era vitoriana e toda guerra, genocídio e massacres promovidos pelos EUA no esforço de combater o comunismo. Já que os pró-capitalistas se preocupam tão profundamente com o sofrimento das massas russas e chinesas, talvez queiram explicar os milhões de mortes resultantes da transição destes países ao capitalismo.

Deveria ser fácil perceber que o capitalismo, que glorifica o rápido crescimento em meio à competição cruel, iria produzir grandes atos de violência e privação, mas de alguma forma seus defensores estão convencidos de que ele é sempre, e em toda parte, uma força impulsionadora da justiça e da liberdade. Deixe-os convencer as dezenas de milhões de pessoas que morrem de desnutrição todo ano porque o livre mercado é incapaz de solucionar uma situação em que metade da comida do mundo é jogada fora.

As 100 milhões de mortes que talvez sejam mais importantes de enfocar agora são aquelas que a organização de direitos humanos DARA projeta que irão ocorrer por causa do clima entre 2012 e 2030. Outras 100 milhões de pessoas mais irão se seguir a estas e não vão levar 18 anos para morrer. Fome como a espécie humana nunca viu está nos rondando, porque o livre mercado não regula o carbono e as empresas capitalistas de petróleo, desde o colapso da URSS, se tornaramsoberanas. Os mais virulentos anti-comunistas têm uma forma muito útil, embora moralmente vergonhosa, de tratar esse evento de extinção em massa: eles negam que esteja acontecendo.

5. O comunismo americano do século 21 iria se assemelhar aos horrores soviéticos e chineses.

Antes de suas revoluções, a Rússia e a China eram sociedades agrícolas pré-industriais, com maioria analfabeta, e cujas massas eram camponeses espalhados sobre enormes vastidões de terra. Nos EUA de hoje, robôs fazem robôs, e menos de 2% da população trabalha na agricultura. Estes dois estados de coisas são enormemente díspares. A mera evocação do passado não tem valor como argumento sobre o futuro da economia americana.

Para mim, comunismo é uma aspiração, não algo imediatamente conquistável. Isto, como a democracia e o libertarianismo, é utópico porque envolve um ideal, neste caso a não-propriedade de tudo e o tratamento de tudo –incluindo cultura, tempo das pessoas, o mero ato de cuidar, e coisas assim– de forma digna e intrinsecamente valorizada em vez de tratado como mercadorias que podem ser postas à venda. Etapas para esta condição não necessariamente incluem algo tão assustador quanto a completa e imediata abolição dos mercados (afinal, os mercados antecedem o capitalismo em vários milênios e comunistas adoram um bom mercado direto do produtor). Pelo contrário, eu defendo que podem até incluir reformas com o apoio obtido entre partidos divergentes ideologicamente.

Dados os avanços tecnológicos, materiais e sociais do último século, nós podemos esperar uma aproximação ao comunismo, aqui e agora, muito mais aberta, humana, democrática, participativa e igualitária do que as tentativas da Rússia e da China. Acho até que seria mais fácil atualmente do que antes construir o conjunto de relações sociais baseado em companheirismo e ajuda mútua (à diferença do capitalismo, que se caracteriza por competição e exclusão) que seria necessário para permitir o eventual “definhamento do Estado” que os libertários fetichizam, mas sem reproduzir a Idade Média (só que desta vez com drones e metadados).

6. O comunismo promove a uniformização.

Aparentemente, um monte de gente é incapaz de distinguir igualdade de homogeneidade. Talvez isso derive da tendência das pessoas em sociedades capitalistas de se enxergar primordialmente como consumidores: a fantasia distópica é um supermercado onde uma marca de comida fabricada pelo Estado está em todos os itens, e todos eles possuem embalagens vermelhas e letras amarelas.

Mas as pessoas fazem muito mais do que consumir. Uma coisa que fazemos enormemente é trabalhar (ou, para milhões de americanos desempregados, tentar e não conseguir). O comunismo prevê um tempo além do trabalho onde as pessoas são livres, como escreveu Marx, “para fazer uma coisa hoje e outra amanhã, caçar de manhã, pescar à tarde, cuidar do gado à noitinha, criticar depois do jantar… Sem nunca se tornar caçador, pescador pastor ou crítico”.  Deste modo, o comunismo é baseado no oposto da uniformização: uma diversidade enorme não só entre as pessoas, mas até na “ocupação” de uma única pessoa.

Muitos grandes artistas e escritores que foram marxistas sugerem que a produção de cultura em uma sociedade como essa poderia alimentar uma tremenda individualidade e oferecer formas de expressão superiores. Estes artistas e escritores pensavam o comunismo como “uma associação em que o livre desenvolvimento de cada um é a condição para o livre desenvolvimento de todos”, mas você pode querer considerá-lo como uma instância real do acesso universal à vida, à liberdade e à busca da felicidade.

Você nem vai ligar para os pacotes vermelhos com letras amarelas!

7. O capitalismo promove a individualidade.

Em vez de permitir a todas as pessoas seguir seu espírito empreendedor em busca de desafios que os realizem, o capitalismo aplaude o pequeno número de empresários que conquistam largas fatias dos mercados de massa. Isto requer produzir coisas em escala, o que induz a uma dupla uniformização da sociedade: toneladas e toneladas de pessoas que compram os mesmos produtos e toneladas e toneladas de pessoas que fazem o mesmo trabalho. Uma individualidade que viceja dentro deste sistema é muitas vezes extremamente superficial.

Você já viu os condomínios que se constroem no país? Viu os cubículos cinza, banhados em luz fluorescente, em prédios de escritório tão semelhantes entre si que deixam a gente desorientado? Já viram as lojinhas e as áreas de serviço e os seriados da TV? A possibilidade de adquirir produtos de firmas capitalistas concorrentes não produziu uma sociedade interessante e variada.

Em realidade, a maior parte da arte aparecida sob o capitalismo veio de gente que foi oprimida e marginalizada (exemplos: blues, jazz, rock & roll e hip-hop). E então, graças ao capitalismo, é homogeneizada, comercializada e explorada em todo o seu valor por “empreendedores” sentados no topo da pilha, acariciando a pança e admirando a si mesmos por fazer todos abaixo deles acreditarem que somos livres.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Postado em 10/Mar/2014 às 19:53

    No capitalismo juntamos dinheiro, para na velhice ter um bom plano de saúde, ter uma boa garantia de vida. No comunismo estas preocupações não existem, pq saúde e educação é de graça, tu tendo uma profissão vc vive a vida sem este stress do capitalismo. O capitalismo é bom para os ricos, e um grande problema é que a maioria da população pensa que é rico e então tem medo do comunismo, pois vão tomar sua suposta riqueza !! Pra que exista capitalismo, precisa do pobre, muito pobre.

    • William Postado em 11/Mar/2014 às 14:24

      É de graça? Ninguém precisa pagar? Não existe almoço de graça, meu amigo. Se você comeu de graça, sabe que alguém pagou por isso. Seja coercivamente através de impostos ou mesmo de trabalho escravo. Se você exige que algo seja prestado gratuitamente, você está exigindo que terceiros sejam escravizados para que esse trabalho seja prestado gratuitamente.

      • ricardo carvalho Postado em 12/Mar/2014 às 21:22

        ...ja ouviu falar em trabalho em grupo espontaneo,pois preciso de ti pra fazer o almo;o e vc precisa de mim pra fazer seu smart fone e assim vai ,um ajudando o outro ,nao vendendo servicos e pagando impostos altissimos pra sustentar a classe rica e politica ....mas vejo que fizeram um bom trabalho na tua cabeca com o capitalismo

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 05:03

        O capitalismo praticamente inventou e readaptou a escravidão, para servidão, trabalho compulsório e para exploração infantil etc. Afinal era lucrativo pagar menos para uma criança do que adulto e o comércio de escravos ou carga humana até o final do século XIX rendia muitos bônus. São só negócios caras sabem como é vender nossa humanidade em prol de lucro.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 05:48

        Desenhando outros dois frutos do capitalismo também segregação social (bairros ricos e pobres) e racial (senhores brancos/ escravos negros, mestiços e indígenas).

      • Tiago Postado em 15/Oct/2015 às 13:27

        Carlos, Ricardo Carvalho e companhia limitada...o fato é que não é de graça...você teve que pagar pela velhice dos outros antes, através de impostos, ou seja, de certa forma seria como guardar seu dinheiro numa poupança...Não existe comunismo santinho, no comunismo há a necessidade de ditadura e isso ja destrói qualquer argumento a favor do comunismo. É claro que o capitalismo não é um bom sistema econômico, mas até agora não inventaram nada bom o suficiente para substituir. Aliás, nem acho que as desigualdades sociais do mundo sejam causadas apenas por um mau "sistema econômico", mas por uma combinação de inúmeros fatores. Condenar os habitantes de um país a um regime ditatorial devido a incompetência dos governantes de dar uma vida melhor às pessoas é algo ridículo e nojento, coisa saída da mente de políticos corruptos que querem implantar uma ditadura e defendido por uma multidão de gente ignorante, uma verdadeira massa de manobra nas mãos de alguns.

    • Célio Postado em 11/Mar/2014 às 16:16

      O que acontece na realidade é que tanto o liberalismo quanto o comunismo são muito bonitos no papel. Porém, na realidade, ambos fracassaram. Talvez o problema não esteja na ideologia política ou econômica, mas na falha da construção de um ser humano justo e ético. Olhemos para as crianças!!

      • Camila Postado em 11/Mar/2014 às 22:07

        Disse tudo!

      • João Pedroso Postado em 12/Mar/2014 às 01:14

        Perfeito. Dê qualquer sistema sócio, político, econômico... ao ser humano como conhecemos e rapidamente estes serão subvertidos em formas de tirar vantagem alheia.

      • William Postado em 12/Mar/2014 às 21:57

        Na verdade, é apenas o comunismo/socialismo que promete um mundo perfeito, o paraíso na Terra. O capitalismo nunca prometeu isso, ele apenas promete prosperidade e melhores condições de vida para o maior número de pessoas possíveis e em relação a isso, o capitalismo não fracassou nenhum pouco. Aliás, se provou como o melhor sistema já criado pela humanidade.

      • Mateus Postado em 13/Mar/2014 às 10:53

        Na verdade William, o liberalismo promete sim um mundo perfeito. Promete que sob o julgo do mercado, haverá o pleno emprego dos fatores de produção, todos que quiserem trabalhar trabalharão, não haverá desperdício de nada, não haverão crises se superprodução nem nada disso que também não tem nada a ver com a realidade. O liberalismo também é uma utopia que falhou.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 05:19

        Melhor sistema criado pela humanidade? É apenas mais sistema injusto mantido pelas malditas elites. Seu sistema é uma MENTIRA! Ele gerou escravidão, exploração de recursos naturais até o colapso de uma autodestruição eminente. Gerou e gera guerras pelo lucro, ajuda com crime em menor ou larga escala. Como isso é melhor? Melhor para quem? Diga isto para os bilhões de miseráveis de fome, doenças e sofrimentos intermináveis com guerras lá na África, Ásia e América Latina. Só que com esse sistema a maioria se ferra por séculos. Já no comunismo ninguém vive como rei, mas ninguém mendiga nas ruas por comida meu caro ou morre em uma guerra porque um megalomania elitista quer. Ao dizer isso meu caro das duas uma ou é um iludido procurando uma falsa e quase impossível ascensão social ou é um homem de privilégios que herdou de um explorador cretino.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 05:23

        Um sistema autodestrutivo explorador de recursos naturais à exaustão e criador de guerras e corrida armamentista é fracasso do por definição William.

      • Wellington Postado em 30/Nov/2015 às 20:01

        é mesmo Célio o problema é os homens,os homens são falhos e suas criações como Religião,Ciência,Artes por exemplo todos eles apresentam falhas.Entendam Capitalismo E Socialismo nunca existiram na prática como está escrito na Teoria de Adam Smith e Karl Marx.

    • Renan Postado em 11/Mar/2014 às 17:04

      Uai Carlos vá viver em Cuba então. O que lhe prende aqui? Albânia tb tem um clima ótimo...

      • Gabriel Postado em 13/Mar/2014 às 00:08

        E você Renan, já comprou sua passagem pros EUA?

      • Renan Postado em 14/Mar/2014 às 22:06

        Sim, já. Por que?

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 04:50

        Se ele for muito rico não tem problema, mas se for um daqueles imigrantes pobres ele vai sofrer talvez até mais do que em uma Cuba bloqueada de recursos pelo Tio Sam. Eu prefiro mil vezes uma Cuba que uma Arábia Saudita (monarquia absolutista amigona dos EUA). EUA amam defender a liberdade, por isso os pais fundadores eram escravocratas. KKKKKK! E cuidado com a KKK (Klu Klux Klan)?Acho que ele acha que EUA são os bons moços da S.H.I.E.L.D. (HIDRA). Wernher von Braun (Doutor Fantástico manda lembranças para o Führer). :P

      • Lucas Postado em 28/Jan/2016 às 17:17

        Salário mínimo para cidadão americano tá 7,50 dólares amigo, para imigrante não sei não.. Sendo imigrante ilegal tu consegue uns 15 dólares por hora, mas veja teu candidato Trump tá chegando ai. Pelo que ouvi ele não é muito chegado em hispanos. Boa sorte!

    • Jorge Postado em 12/Mar/2014 às 05:03

      Concordo plenamente Carlos.

    • Paulo Luiz Mendonça. Postado em 22/May/2014 às 10:21

      A vivência trás experiência. Desculpe-me os petistas em geral, mas vocês estão enganados com a política, como eu no passado também sofria do mesmo engano. Quando eu era ainda jovem, também fui simpatizante do Partido comunista, Mas hoje já com 76 anos descobri que este regime político não tem nada a ver com igualdade social, na verdade o que eles querem é apenas o poder. Não se esqueçam, vivência trás experiência. Para entender é só observar como o Lula vive hoje, Já há muito tempo passou para a elite classe A. Um líder verdadeiro estaria ao lado do povo, vivendo em um lugar mais simples, mas ele, ao contrário se distanciou das suas origens de retirante e metalúrgico. Hoje ele nem sabe o que é ser pobre, ele não esquece os pobres, somente através do bolsa família, porque rende votos. Outra coisa todos seus companheiros estão empregados em cargos públicos, todos com altos salários. Estes são os motivos que me levaram a desacreditar, pois comunismo ou socialismo é utopia, é um regime sobejamente provado que está falido. Um abraço a todos os petistas e oposicionistas. Paulo Luiz Mendonça. Nota, Não pode haver igualdade social, porque entre os humanos não há igualdade intelectual.

      • ANTONIO RIBEIRO NETO Postado em 26/May/2014 às 02:43

        Só pra contrariar, quero dizer que aos 67 anos de idade depois de ter militado no MR8, onde também conheci algumas pessoas que notadamente são pequenos burgueses como tu o Paulo Luiz Mendonça que acham que não pode haver igualdade social porque não existe igualdade intelectual. Quero dizer-te que na verdade o que ocorre é que gente como você e todos os que conheci nunca foram comunistas e evidentemente se acovardaram diante da possibilidade de termos um estado comunista onde a propriedade deixaria de existir e o cidadão apesar do seu nível cultural teria que passar a viver de acordo com sua capacidade laborativa e com os mesmos direitos sociais comum a todos. Isto sem duvida não é tarefa fácil pra quem nunca viveu as covardias do capitalismo e das democracias corruptas e falidas que escravizam o cidadão por falta de cultura e matam milhares de seres humanos todos os dias por puro descaso com a coisa pública. Quanto a ser uma utopia o socialismo e o comunismo, essa é a maneira que capitalistas imundos e covardes encontraram para impedir que a raça humana aceite esta ideia como sistema de governo. Mais podes crer companheiro, o mundo está muito mais próximo disto acontecer do que imagina vossa vã filosofia e no comando das ações não estará a pequena burguesia. Os trabalhadores assumirão o poder até porque não existe mais trabalhador imbecil no mundo.

      • Valéria Couto Postado em 23/Nov/2014 às 11:47

        Concordo contigo. Não pode haver igualdade social porque entre os humanos não há igualdade intelectual. Os comunistas se deparam com a frustração do poder criado por eles quando se sentem instados a se aproximar do poder, unicamente para serem um pouquinho diferentes dos outros E NESTA HORA ELES VÃO FAZER O DIABO PARA PERMANECER NO PODER. Nós seres humanos somos diferentes uns dos outros, e isto o comunismo é frustrante. Mas como saber sem antes provar, não é mesmo? SÓ BRASILEIRO INEXPERIENTE que ainda acredita nisso. Então, vá provar em Cuba, por exemplo. Como artista que sou, queria saber (ALGUÉM PODE ME DIZER?) porque a arte não aparece nos países comunistas? Vocês conhecem artistas cubanos famosos?? Eu, na minha ignorância, imagino que não há dinheiro para arte, já que não há nem para comida, roupa a conforto, como vão ter dinheiro para produzir arte? TÔ ERRADA? ALGUÉM PODE ME INFORMAR SE ESTOU ERRADA? Então, presumo que o regime comunista será um grande promotor do desânimo, da frustração e da depressão. EU NÃO POSSO VIVER SEM ARTE, VC PODE? Viver sem ouvir música, sem ver uma exposição marcante, sem ter detalhes encantadores na arquitetura da sua casa...que vidinha chinfrim, hein!!! E onde não há competição HÁ DESÂNIMO. Vide alguns setores do serviço público. A competição é natural do ser humano. Desde os espermatozóides nós somos competidores (não estou querendo dizer que precisamos esmagar o outro, competindo, reserve isto para Stalin, aquele louco), só acho que precisamos nos empenhar, pra valer, para encontrar meios mais justos de viver em coletividade, mas não com comunismo, pelo-amor-de-Deus, isto não presta! Sem corrupção já seria um bom começo, e dando penas bem duras para o corrupto, tirando a possibilidade de ele preencher qualquer vaga em emprego público, isto já daria uma boa saneada, e teríamos mais fôlego para encontrar solução pros nossos problemas.

      • Fábio Postado em 02/Dec/2014 às 03:38

        Como assim, Valéria Couto, “a arte não aparece nos países comunistas”? Fiquei curioso e fiz uma busca rápida no Google por “arte cubana”… Aparentemente Cuba tem um dos museus mais importantes da América Latina, e parece investir mais em arte do que o próprio Brasil – pelo menos, lá, o investimento em arte não vai todo pro cinema da Globo. http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_Nacional_de_Belas_Artes_%28Cuba%29

    • fernando Postado em 31/May/2014 às 00:04

      e para que exista comunismo, tem que ter mais pobre ainda. e nada neste mundo é de graça, meu caro. por que não se muda para cuba então? ou coréia do norte? a família castro e os tiranos ricaços coreanos vão agradecer mais um trabalhador que vai aumentar a fortuna pessoal deles, ou seja, todo o país.

    • Fernando Postado em 31/May/2014 às 00:06

      quem gosta de comunismo é quem não quer ter responsabilidade e ser guiado como gado. até parece que no comunismo tudo é lindo e gratuito. Se tem algo "de graça" fica tranquilo que alguém pagou por isso.

    • Fernando Postado em 31/May/2014 às 00:10

      eu não vejo o pessoal do PT, PC do B, P Sol, pedindo dinheiro e se matando de trabalhar para pagar as contas. São todos muito bem de vida, com patrimônios bem recheados, muito maior que a maioria dos brasileiros, indo passear na Disney e comprar em Miami; "Comunistas?" ahahhaha, só para ganhar votos.

    • Flávio Loureiro Postado em 04/Nov/2014 às 12:48

      "é de graça..." "é de graça..." Ai ai ai... preciso de uma cerveja. Cerveja pública, gratuita e de qualidade.

    • Nicolau Postado em 03/May/2015 às 20:29

      A Rússia e Europa do Leste são a Tumba do comunismo! Em 1989, a Rússia e Europa do Leste mandaram para o inferno tudo que tinham de "graça" dos exploradores comunistas, que foram derrotados em um dia! Comunismo serve hoje só para Panacas Subdesenvolvidos do miserável terceiro mundo cheio de analfabetos e favelas!

    • Ecthor Postado em 21/Nov/2015 às 12:02

      que bom que não vejo ninguém fugindo para Cuba, Coreia do Norte, Africa do Sul, Somália , Síria...Bla bla bla, neste ditos sonhos socialistas

  2. arão Postado em 10/Mar/2014 às 20:21

    Porque o signatário não vai morar em Cuba? Leve sua família.Lá é comunista. Ou então vá para a Coréia do Norte?O capitalismo responsabiliza a pessoa, o comunismo esconde a incapacidade da pessoa se rebelar. Ninguém quer ser reponsável pelos próprios erros.

    • Katharina Postado em 10/Mar/2014 às 20:59

      "Porque o signatário não vai morar em Cuba..." ¬¬

    • Selton Postado em 10/Mar/2014 às 21:43

      Já leu A revolta de Atlas da Ayn Rand? É uma distopia que nos apresenta o mundo todo como comunista: pessoas preguiçosas,pouco desenvolvimento científico,etc,isso tudo por que não há a competitividade,que de acordo com a autora,é o que gera o desenvolvimento.Agora eu te pergunto: no comunismo,partindo da ideia da autora,as pessoas não agem pois não há nada que as incentive.No capitalismo,há aquelas que agem devido a competição,assim é,a meritocracia.Ainda falando do capitalismo,você não acha que ele "sufoca"algumas ideias que seriam demasiadamente úteis para nós? Seguindo a lógica,o capitalismo tem sua essência no lucro,mais sucintamente,se você quer primeiro você paga.Existem pessoas que querem.Mas não podem pagar.Como elas ficam?Deixo bem claro que não sou comunista nem socialista.

      • Thiago Teixeira Postado em 10/Mar/2014 às 23:11

        Permita-me responder Selton. Quem não tem dinheiro, morra. Não tem porque não merece, porque é fraco. (é isso que pensa o capitalista bisneto da casa grande).

      • anônimo Postado em 11/Mar/2014 às 11:19

        O maneiro de ver a evolução do pensamento direitista brasileiro é que ele está uns 30 anos atrasado em relação ao americano. Ayn Rand é batida já, lá. E os libertários são uma imensa piada desacreditada.

      • Kaléo leitholdt Postado em 21/Nov/2015 às 20:05

        É errado pensar que o incentivo a vencer, ou competição se definir, e causa de progresso. Ele é causa da busca por estar em primeiro lugar, de ser visto, de ser reconhecido e nisso há ócio. A pessoa se mantém estreita nessa única maneira de se relacionar, não descobrindo funções superiores, que são tão simples quanto um abraço. A criança aprende sozinha, e não precisa competir. Ela quer saber, e o que os pais podem fazer é alimentar esse desejo natural. Ao dizerem "você é o melhor", farão com que ela repita essa força de vontade natural e espontânea para uma finalidade nada justa. Ora, o casal que transa, precisa um ganhar do outro? Não há cooperação? Os familiares precisam competir para estarem na frente, se desenvolverem? Estranha a lógica sem observação.

    • Paty Postado em 10/Mar/2014 às 21:54

      Pq vc nao vai morar na africa, no haiti ou na asia? Existem vários paises capitalistas com indicadores sociais muito piores que cuba!!!

      • Ronaldo Postado em 14/Mar/2014 às 22:07

        Porque não. Liberdade de escolha, quero paises capitalistas bons, não ruins. Que socialistas bons mesmo você tem a recomendar? kkkkkkkkkkkkkk

      • Victória Postado em 21/Sep/2014 às 19:29

        A África, maioritariamente, não é muito capitalista, na verdade. Os países africanos, em geral, tem pouca liberdade. Se quiser procurar, veja no ranking da Fundação Heritage: Os países mais capitalistas são Hong Kong, Suíça, Nova Zelândia, Singapura, Austrália e Canadá. Não há nenhum país com alta liberdade econômica que seja subdesenvolvido. E não há nenhum país com nenhuma liberdade econômica que seja desenvolvido. Ou seja, o sistema capitalista só funciona bem com liberdade econômica e democracia. Não tenho certeza de como seria o socialista, mas, pelo menos até hoje, ele sempre terminou em ditaduras.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 02:10

        A África é sim capitalista comunista que nunca foi. Alias é uma ilusão e uma mentira relacionar capitalismo com liberdade. Ele nunca foi e nunca vai ser isso. Diga-me o quanto de liberdade teve os escravos Africanos trazidos aqui? Ou em outras colônias europeias? Diga-me quanta liberdade esse sistema deu para os povos indígenas? Isso quando não foram exterminados sistematicamente para tomar suas terras para defender a suposta "propriedade privada" de um tal sistema predador. Isto é prova definitiva e absoluta de que a propriedade é um roubo. Estude mais vitória. Vale lembra-se da Era Vitoriana (Época de homenagem a Rainha Vitória) o quanto de miséria essa época não produziu em seu gigantesco império capitalista. Lembram-se das obras literárias ou de cinema, peças de teatros como Oliver Twist, Grandes Esperanças, David Copperfield e a miséria retratada nelas pelo Charles Dickens, pois bem isso era um retrato fiel desse belo sistema mostrado o quanto destrutivo pode ser e é para humanidade. Resumindo a destruição tem um nome e é capitalismo. Predador, selvagem, destrutivo pode ser mais ou menos, mas é o mesmo sistema que para existir riqueza em alguns bairros, cidades, regiões se faz ao custo dependerem do lucro ao custo da grande pobreza em seu entorno. Foi assim por séculos. Ele foi derivado de outros sistemas injustos muito antes do comunismo existir com essa visão demonizada. Qual a desculpa vocês vão inventar para encobrir essas falhas nesses velhos modelos e seus derivados? Ele já foi mais do que provado que a humanidade caminha para sua destruição. Consumismo, exploração de pessoas, recursos etc. Acha que nesse ritmo viveremos mais 500 anos como espécie? Eu acho que não. Vai ser nossa extinção certa. E não vou ser hipócrita e não dizer que o repudio por completo, pois o não desprezo e sabe o por que? Porque acima disso tudo a real razão de ainda ter esse apego por ele é que somos viciados nele. Ele é uma droga que nos consome. Nós aprendemos a viver dependentes dele. A começar pelo nosso modo de vida que não abdicamos. Nossas perspectivas de “sobrevivência” do mundo contemporâneo estão atreladas a ele, com os combustíveis fósseis e seus derivados (Polímeros), eletricidade, a própria internet aqui etc. Todavia acho um dever substancial reconhecer que ele é nocivo sim e muito pior que outro que fomos adestrados a odiar. O que vai ser das futuras gerações? Sem água (SP), sem ar limpo (SP outras megalópoles), sem perspectivas (bolha econômica gerada por esse sistema) ou estou errado? O fruto é guerras por recursos básicos acarretando a miséria para todos, fome e doenças. Se quiserem ver o futuro da humanidade olhem para África. Um continente interiro de como não funciona esse modelo. E sobre escolher entre uma Coreia do Norte e um país africano com guerra civil, doenças e fome. Com todo respeito e sentimento lógico de autopreservação, eu prefiro mil vezes a Coreia do Norte. E vocês? E outra para ir para desfrutar de qualquer país com alto IDH que seja a pessoa precisa de ter uma renda para viver lá ou acham que vão sobreviver como? Vai para EUA o preferido das elites sem dinheiro e vemos o quanto gentil eles são com os pobres. Os podres de Ricos vivem bem até na África. Vejam quantos ricaços não passam verão lá em safáris (O Ex-Rei da Espanha Juan Carlos que o diga). Quando aprenderem a usar lógica e não as respostas prontas da TV, rádio, jornal e outros barões ricaços da mídia, talvez vençam uma discussão racional. “Essa elite fará de tudo por nós menos sair de nossas costas como abutres para acenderam aos céus e deixar nós debaixo de sua sujeira”.

      • Daniel Postado em 27/Nov/2014 às 00:47

        "Diga-me o quanto de liberdade teve os escravos Africanos trazidos aqui? Ou em outras colônias europeias?" Não foi o capitalismo que criou a escravidão, há milhares de anos atrás, no Egito e na Mesopotâmia já existia escravidão. Na verdade a escravidão só acabou após o advento do capitalismo. Viva o capitalismo! "lembram-se das obras literárias ou de cinema, peças de teatros como Oliver Twist, " A Europa já era miserável antes da revolução industrial. Foi só depois dela que houve reforma sanitária e grande aumento da expectativa de vida. Viva o capitalismo de novo!

      • Paulo Galliac Postado em 26/Jul/2015 às 10:23

        Eu mais que ninguém nesse universo sei que a escravidão têm origens muito antes até que a antiguidade do Egito e Mesopotâmia. Na sua ótica distorcida o bondoso capitalismo corrigiu um problema que ele primeiramente recriou. Tudo em prol do lucro. A escravidão acabou, porque é um sistema injusto e eles reconheceram isto. Em sua fabula reconfortante. Ou foi porque viram outro caminho mais lucrativo? Já que citou a revolução industrial se lembrou que ela foi a razão de a Inglaterra querer acabar com tráfico negreiro e a escravidão para ter mais mercado CONSUMIDOR. E outro é bom ser capitalista quando está no topo da pirâmide social, eu quero ver o senhor Daniel ser Capitalista estando na base dessa pirâmide sofrendo em prol dos ricaços. Você posta respostas defensivas desse sistema monstro sem está sob a mesma condição dos mais explorados e injustiçados.

    • Leandro Postado em 10/Mar/2014 às 22:18

      Concordo plenamente Arão!

    • marcio Postado em 10/Mar/2014 às 22:25

      pô como eu gostaria de morar em cuba, de ser tratado de uma forma inteligente, como ser humano! creio que o senhor nunca foi à cuba, nunca leu sobre cuba, só o que teve foram enlatados made in usa via tv bobo, pra fazer sua lavagenzinha cerebral particular

      • Antônio Nunes Postado em 12/Mar/2014 às 13:49

        Márcio, você pode ir morar em Cuba. Basta querer. O que você não poderá, depois de ter cidadania cubana, é se arrepender e sair de Cuba. E, por favor, não venha me dizer que isto não existe e é propaganda capitalista. Em caso de dúvida, leia NOSSO ANOS VERDE OLIVA que conta a história de alguém que fez isto.

      • Fernando Postado em 31/May/2014 às 00:16

        kkkkkk, ué vai para lá então meu chapa! deve ser muito maneiro!!!! ir para a praia todo dia e cortar cana, ficar umas 3 horas na fila para pegar um papel higiênico? já pensou? o que está esperando?! viva guevara e fidel!!!

    • Diego. T Postado em 10/Mar/2014 às 23:44

      Arão. Porque você não vai morar na Somalia? Leve sua família. Lá é um país liberal. Ou então, corra para o Egito que esta sob comando militar. O capitalismo tira de todos as condições necessárias para a vida uma vida digna para dar a poucos privilégios que vão além. O capitalismo, no minimo dificulta muito que as condições de vida seja boa a todos(veja o numero crescente de sem-tetos nos EUA). Enquanto, o estadismo, quando não é opressor, da as condições para que todos possam ter boas condições de vida e assim fazer com que o país se desenvolva. O capitalismo é matador, pois se baseia em consumo desenfreado, e isso não só acaba com os seres humanos em todas as esferas, como também, acaba por cada vez mais devastar o mundo natural, pois exige sempre mais de forma desenfreada. PS: Fiquei com a impressão que o senhor não leu toda a postagem do site, pois se lesse, não viria com esses chavões que já estão mais ultrapassados que os antigos sistemas.

      • RANIÊ Postado em 11/Mar/2014 às 18:27

        VAMOS PELA LÓGICA, QUAL FORMA FOI MAIS OPRESSIVA? O CAPITALISMO SELVAGEM COM SUAS DESIGUALDADES E OPORTUNIDADES OU O SOCIALISMO COM SEUS VARIANTES COM SUA IDEIA DE IGUALITARISMO E IRMANDADE ENTRE OS HOMENS E MULHERES. QUERO QUE ME CITEM AO MENOS UM PAIS SOCIALISTA, COMUNISTA OU QUE ISTA FOR NO TERMO DE IGUALDADE QUE TENHA PROSPERADO E FEITO DA IGUALDADE ALGO ACESSÍVEL A TODOS SEUS CIDADÃOS.

      • Fernando Postado em 31/May/2014 às 00:18

        cara, vai para cuba então!!! lá é muito maneiro, as pessoas andam felizes, cantando e cantando e cantando!!!

    • Ricardo Postado em 11/Mar/2014 às 09:58

      mandou ir pra cuba, ja sei que não tem argumentos...

      • William Postado em 11/Mar/2014 às 14:28

        O sonho de qualquer libertário que sabe que o capitalismo é a melhor forma de levar qualidade de vida ao maior número de pessoas possíveis, morre de vontade de morar nos países mais libertários possíveis. Como EUA, Canadá, Austrália, etc. Logo, se comunistas acham que o comunismo é a melhor forma de levar qualidade de vida para o maior número de pessoas possíveis (na verdade, para todas), por que não ir para Cuba? A verdade é que ninguém quer morar em Cuba, vocês sabem que um pobre vive melhor no Brasil, do que em Cuba. Falam da boca para fora, agora morar em Cuba mesmo, ninguém quer.

      • RANIÊ Postado em 11/Mar/2014 às 18:30

        QUEM MADA IR PARA CUBA NÃO É POR FALTA DE ARGUMENTOS, É QUE A DEFESA IDEOLÓGICA DAQUELE PAÍS SE FAZ COM TANTA VEEMÊNCIA QUE NÃO VEJO OU LEIO ALGO COMO UMA PEREGRINAÇÃO OU VISTO DE MORADIA NA PARADISÍACA ILHA CARIBENHA PELOS SEUS DEFENSORES.

      • William Postado em 12/Mar/2014 às 22:00

        Chora amis, Raniê, chora mais. Me mande ir morar na Austrália, que se me pagarem a passagem e o visto, eu vou com gosto. Agora duvido que se alguém pagar a passagem para você ir morar em Cuba, você aceitaria. Jamais! Pimenta no cu dos outros, é refresco!

    • anônimo Postado em 11/Mar/2014 às 11:17

      Coréia do Norte não é mais comunista há algumas décadas. Juche, a filosofia deles, é meio que uma negação total de tudo que o comunismo acredita. E Cuba (e a Coréia do Norte também, aliás) sofrem muito mais pelo isolamento imposto pelos EUA, do que pelos próprios méritos. Então procure pensar um pouco antes de repetir essas opiniões rasas e desmentidas.

      • RANIÊ Postado em 11/Mar/2014 às 18:32

        ESTÁ BEM, ENTÃO ONDE O COMUNISMO É PRATICADO E QUE SEJA REFERÊNCIA? NÃO VALE CITAR A CHINA, POIS A MESMA NÃO SE ENQUADRA NOS MOLDES DO COMUNISMO. OU QUER QUE DESENHE?

      • Victória Postado em 21/Sep/2014 às 20:47

        Cara, é porque o comunismo utópico é mesmo IMPOSSÍVEL de acontecer. Veja bem, vou tentar expor porque acho que não daria certo. É uma lógica simples: Em primeiro lugar, para que um país produza o suficiente para que todas as pessoas tenham uma vida digna, primeiro teremos que definir uma vida digna. É comida saudável, escola, transporte, saúde, e um horário de trabalho razoável? Esse lugar precisaria então de uma infraestrutura, ciência e tecnologia que suportassem uma produtividade de primeira. Afinal, sem produtividade, o trabalhador teria que trabalhar mais tempo para produzir bens e, logo, essa qualidade de vida que propomos seria perdida. Até porque boa parte dos desperdícios que a autora citou não ocorrem porque os ricos jogam a comida fora; 30% dos alimentos, no mundo todo, são perdidos por causa de uma infraestrutura deficiente. E para ter infraestrutura, ciência e tecnologia, precisamos de investimento, primeiro. E, para ter investimento, precisamos de capital. Esse capital pode ser estatal ou privado. Mas o capital estatal costuma ser mal alocado e ineficiente. Para diminuir essa ineficiência, então, teríamos ou que adotar uma estratégia de economia planificada, com metas de redistribuição social definidas por um partido central ou distribuir os recursos por toda a economia, de forma que cada um consumisse o que produzisse. No primeiro dos casos, já que se apenas um lojista estatal descumprisse as regras e escondesse o dinheiro, as metas virariam pó, teríamos então, que usar de vigilância e violência estatal em larga escala e, logo, de uma ditadura para contê-los. Isso sem falar da falta de flexibilidade de tal sistema, que inevitavelmente levaria à escassez, depois do boom econômico inicial. Foi isso que ocorreu em URSS, China, Cuba, etc. Como vocês dizem que isso não é o comunismo "verdadeiro", entretanto, vamos para a segunda opção. Vamos supor que eu tenha o usufruto total sobre o que produzo, que todo mundo tenha. Não há mais-valia nessa nova sociedade. E vamos supor que eu seja, sei lá, um trabalhador em uma fábrica de chips. E que, no tempo livre, eu goste de ler livros em japonês. Vamos supor, então, que, um dia, eu descubra que os chips do Japão são muito melhores que os daqui e resolva estudar sua estrutura. Estudando-a, descubro um modo mais barato e eficiente de fazer chips, e divido a descoberta com meus colegas. Se os chips ficam mais fáceis de produzir, então, os trabalhadores de chips poderão consumir mais, já que terão o usufruto do que produzem. E, já que os trabalhadores de chips consumem mais, mais gente quererá entrar no setor de chips. E o setor não terá espaço para todo mundo, porque nem todo mundo poderá trabalhar com chips, já que há outras coisas que precisam ser produzidas. Assim, só os melhores entrarão no setor, e isso aumentará ainda mais a produtividade. E essa prosperidade, com o tempo, nos dará um certo status; dizer que produz chips vai ganhar um certo verniz social. E aí, já temos a divisão social nascendo. E a não ser que você obrigue todo mundo a distribuir os ganhos de produtividade que tiver - e aí voltamos a ter uma economia planificada, e, consequentemente, uma ditadura - essa divisão vai ficar. Mas ela não é ruim em si. Afinal, foi gracas a nós que o preço dos chips ficou menor e, assim, as pessoas puderam consumir ainda mais, ficando mais ricas também, consequentemente. O problema do capitalismo, portanto, não é a divisão social orgânica - é isso que os comunistas erram ao criticar. O problema é justamente a intervenção governamental. Os problemas que temos hoje é porque os governos de ONTEM os causaram. Porque o Nordeste é mais pobre que o Sudeste, por exemplo? Porque, na República do Café com Leite, dirigiam-se investimentos apenas para o Sudeste. Porque nós, negros, somos mais pobres e sofremos mais com a violência? Porque o Estado inicialmente incentivou o tráfico negreiro em larga escala e depois nos libertou sem planejamento, nos deixando na miséria, em situação de risco. O Estado tende naturalmente a privilegiar grupos de maior poder econômico - e isso é verdade até mesmo para governos de esquerda. Nos últimos anos, por exemplo, o déficit habitacional subiu em 1,5 milhão de casas, e o que foi investido a cada ano pelo BNDES nos ricos foi o equivalente a 24 anos do Bolsa Família para os pobres. Ou seja, o melhor seria o governo criar mecanismos para melhorar a sociedade, mas sem intervir. Um exemplo disso seria o sistema de voucher educacional. O voucher é quando a pessoa pobre escolhe em que escola quer colocar o filho e, então, o governo dá dinheiro para que ele vá para essa escola. A pessoa, naturalmente, irá escolher a melhor escola possível, então as escolas terão que melhorar, para acompanhar o mercado. O mesmo poderia ser feito para várias outras coisas, como sistemas de saúde. Logo, acho que o ideal não seria o comunismo - e sim um sistema de voucher amplo para suprir as necessidades sociais básicas e mecanismos de democracia direta.

    • Francisco Postado em 11/Mar/2014 às 16:28

      Meu caro, Cuba, Coreia do Norte, União Soviética e cia. jamais foram comunistas de verdade. Procure estudar a história desses países e o verdadeiro ideal do comunismo.

      • William Postado em 12/Mar/2014 às 22:01

        Lógico que foram, o comunismo teórico é utópico, ele jamais vai existir. Logo o comunismo real, é o que foi realizado, o que tentaram realizar em Cuba, Coreia do Norte, URSS, etc. Abraços.

      • fernando Postado em 31/May/2014 às 00:23

        comunismo é uma coisa linda de se ver nos livros. esses países todos tentaram e só fizeram merda. Nunca vai dar certo, pois é contra a natureza do ser humano.

      • Wellington Postado em 30/Nov/2015 às 20:25

        Cara deixa de falar merda na verdade tanto o Comunismo como o Capitalismo(liberalismo)jamais foram praticados perfeitamente como estavam nos livros dos defensores do Socialismo como nos defensores do Liberalismo.A diferença é que o Socialismo fracassou porque era inferior tecnologicamente ao Capitalismo.e a Urss acabou se metendo nessa guerra fria de burra que é e perdeu para os Eua,que na minha opinião a Urss perdeu no final da década de 70 quando os dirigentes soviéticos deslocaram enormes gastos para a Defesa do território e dos países integrantes do Pacto de Varsóvia,fabricação de armas para vender para os movimentos de guerrilhas ou terroristas marxistas na América Latina e Africa e isto acabou prejudicando as industrias de base e de bens duráveis.O muro de Berlim e a tomada de poder pelo progressista Yeltsin encerrando o poder de Gorbatchev só foi a aceleração do fim deste modelo ideológico,econômico,politico,cultural etc.Infelizmente muitos acham que o Socialismo e a Urss terminaram por causa de uma conspiração Ocidental como Putin acha que foi.

    • Sabrina Postado em 11/Mar/2014 às 17:29

      Muita gente aqui precisando voltar para sua fonte de informação - revista VEJA. Tá fazendo o que aqui rapaz? Quem quer saber sobre "capacidade da pessoa se rebelar" quando todos têm o essencial para levar uma vida digna, onde não há analfabetismo, há saúde de qualidade pra todo mundo e todos chegam à universidade? E a nossa capacidade de se rebelar? Ah, é mesmo, só funciona para o futebol.

    • Nicolas Postado em 12/Mar/2014 às 00:45

      O capitalismo responsabiliza a pessoa? O comunismo esconde a incapacidade da pessoa se rebelar? Por favor cidadão, quanta asneira reunida em um só lugar. Estude mais um pouquinho.

      • fernando Postado em 31/May/2014 às 00:24

        fala mal do fidel e família lá em cuba para ti ver o que vai te acontecer, meu caro.

  3. Pedro Postado em 10/Mar/2014 às 20:36

    Comunismo combate imediatamente os valores religiosos e familiares, o maior inimigo do comunismo foi o Papa João Paulo II, se o comunismo fosse bom porque milhares de pessoas morreram tentando fugir da Alemanha Oriental Comunista.

  4. Claus Postado em 10/Mar/2014 às 21:23

    Sério mesmo, estou tão descrente com a humanidade que este trecho parece piada: "Acho até que seria mais fácil atualmente do que antes construir o conjunto de relações sociais baseado em companheirismo e ajuda mútua" O que me incomoda no socialismo é, conhecendo a malandragem brasileira, os poucos trabalharem por muitos. No meu ponto de vista, isso não é justiça. É preciso uma boa educação para poder fazer funcionar um socialismo decente. E pelo jeito, não parece ser esse o objetivo de muita nação por aí.

  5. Daniel Torres Postado em 10/Mar/2014 às 21:32

    Bom, o texto não diz que o comunismo é melhor que o capitalismo. Na verdade ele diz que, se alguém quer criticá-lo,não deve usar esses sete argumentos.Não é uma questão de defesa da irresponsabilidade, mas de respeito à argumentação consistente.

  6. Sidnei Postado em 10/Mar/2014 às 21:39

    arao, se, e se realmente, voce leu todo o texto certamente nao entendeu. Sugiro ler de novo e re avaliar ses conceitos pré-concebidos

  7. Tiago Postado em 10/Mar/2014 às 21:40

    Tem certeza que você leu a reportagem "Arão"? A mesma ignorância e falta de bom senso de sempre, levando os argumentos a um extremo absurdo.

  8. Luiz Postado em 10/Mar/2014 às 22:01

    Eu gostaria de um exemplo de comunismo que tenha todas as boas características apresentadas no texto. O capitalismo tem graves defeitos, mas o comunismo não deu certo em nenhum lugar. Ou deu? Em Cuba, com seus altos índices de saúde e educação? Não duvido que sejam verdadeiros, mas um país que controla a entrada e saída de seus cidadãos tem algo errado. Resumindo, a argumentação é claramente a favor do comunismo, mas não me convenceu.

    • Eric Postado em 11/Mar/2014 às 18:37

      Todo pais controla a entrada e saída de cidadãos. Pra isso existe passaporte. Em alguns países, esse controle é mais crítico, sobretudo os que passam por ditaduras, de esquerda ou de direita. Diga-me um exemplo de capitalismo que deu certo. Um que não haja fome, miséria, crime, alto índice de suicídio. Os de melhor índice em geral tem amplos serviços sociais do Estado.

      • Victória Postado em 21/Sep/2014 às 21:18

        1)E existe algum país comunista também, que não tenha fome, miséria, alto índice de suicídio, crime? Não existem utopias. Mas admita: Os países mais capitalistas - com maior liberdade econômica - como Hong Kong, Nova Zelândia, Suíça, Canadá e Austrália chegam perto. 2)Ué, mas o capitalismo não impede que se tenham amplos serviços sociais de Estado. Impede apenas que o Estado seja dono dos meios de produção. E liberdade econômica não é só ter ou não ter mais impostos. Na Dinamarca, por exemplo, os impostos são mais altos do que no Brasil, mas nós estamos em 114 no índice de liberdade econômica, e eles estão em 11, apenas um posto atrás dos americanos. O que muda? Burocracia. O governo da Dinamarca só se incube mesmo de saúde e educação, não tem cargos comissionados nem estatais inúteis como o nosso. Assim, é melhor pararem de demonizar o capitalismo. O capitalismo é a propriedade privada dos meios de produção, só isso. Pode ser um sistema bom ou ruim, dependendo de se a elite é meritocrática ou não. A autora, por exemplo, cita a escravidão, o extermínio indígena, etc, como consequências do capitalismo. Mas como o sistema capitalista não precisa necessariamente que essas coisas aconteçam, logo, elas não são consequência direta do sistema capitalista, mas sim dos costumes da época. Já o comunismo precisa necessariamente de distribuição pouco natural e contínua de riquezas, o que exige uma ditadura que a imponha (a não ser que algo realmente mude muito na natureza humana). Assim, não culpo o comunismo por fome ou guerras, já que essas coisas acontecem em qualquer sistema; mas o culpo pela falta de liberdade e escassez de produtos básicos a qual esse sistema leva. Afinal, o comunismo não dá certo de jeito nenhum, mas, com liberdade econômica, o capitalismo é ótimo. Agora dar um capitalismo sem o seu maior tônico, a liberdade, e achar que vai dar certo, é totalmente falso.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 03:29

        Já vivemos em certa parte do comunismo a internet que o diga pelos menos em nível informativo ainda. Wikipédia, Wikileaks, Pirate Bay etc. Acho que o conhecimento (comunismo) mata a ganância (capitalismo). Para o amado capitalismo “dar certo” ele explorou alguma coisa que vai ter consequências graves no futuro próximo. Já o comunismo olhando pelo lado racional é mais improvável de nos levarmos há uma guerra (indústria bélica), consumismo desenfreado, fome extrema, doença e outras coisas que o capitalismo produz em larga escala. E a sua falsa liberdade de mercado (monopólio corporativo) Victória (Companhia Britânica das Índias Orientais e outras Companhias predadoras históricas) que levou a bolha econômica (cíclica) e as “justas” medidas de austeridade lá na Europa. Alias essa fórmula fascista (Chicago Boys do Milton Friedman), se mostrou ainda uma versão mais predadora e injusta com a produção de um IDH mais miserável ainda na Ásia, América Latina e África. E se o comunismo não vingou ou deu certo ainda é por um motivo lógico evidente as elites fizeram e vão fazer de tudo para impedir de perder seus privilégios como antigo regime monarquista o fez. Prova disso são suas guerras que produzem como resposta de controle sobre os miseráveis e lucro imoral de medicamentos (corporações), armas (corporações) e a construção civil (corporações). Mas comunismo é inevitável em uma sociedade futura mais consciente. Quanto mais acesso a informação, quanto mais pessoas percebem quem de fato são as elites e do que elas são capazes contra os 99% dos mais pobres. Cedo ou tarde os 1% vão perder a coroa como certos Imperadores Romanos, reis Ingleses, um rei Frances, Czar etc. Afinal ao se produzir tantos escravos, servos, indigentes, miseráveis e outros excluídos no sistema do planeta que eles vão se rebelar contra o sistema. Eles vão formar uma legião imbatível deles que vão lutar pelos seus direitos roubados da sobrevivência bem limitada ou negada.

  9. renato Postado em 10/Mar/2014 às 22:49

    Assim, me deu até medo, o bicho vai pegar.... A pouco tempo só falávamos de Democracia com o advento das marchas das manifestaçoes e meia duzia de cagão... MAS parece que o panico vai tomar conta da casa redonda, agora é de NOVO.. DEMOCRACIA X COMUNISMO.. ferrou.... Não vai dar para reclamar mais do preço da passagem, isto será superfluo. Engraçado, fazia tempo que não ouvia ou lia esta palavra. S U PE R F L U O ! Será que tem a ver com o MERCADO.

    • Carlos Prado Postado em 10/Mar/2014 às 23:16

      Democracia? Não é aquela palhaçada que os EUA querem exportar como se fosse capitalismo e liberdade? Porque a opinião de terceiros que nem me conhecem devem me importar? Porque a minha opinião deve interferir na vida de outrem? Se fosse só ter opinião beleza, escuta quem quer. Mas mudar drasticamente a vida de outros que nem conheço? Tire esse lixo de democracia daqui! Lembre-se das Republica Democrática da Coreia, China, que Hitler, Maduro, Collor, Sarney, Chaves, todos foram eleitos democraticamente. Democracia é comunismo, mesmo que em grau mais leve, onde ela não atinge pode haver capitalismo puro. Porque não vive como se minha opinião não mudasse 1 cento e noventa milhões avos da sua vida? Porque não viver sem que 190 milhões de pessoas levem a culpa por tantas cagadas que fazem com nossa vidas?

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 03:49

        Você é mentalmente perturbado ou se comporta de má fé mesmo? Melhor uma democracia do que uma tirania ou uma oligarquia serpente fascista. Viva de fato uma tirania sem os privilégios de ser um ditador e me diga se é bom? Alias se vivesse seu comentário irracional seria apagado e você seria torturado e morto.

  10. Carlos Prado Postado em 10/Mar/2014 às 23:06

    Falar em governo capitalista é contraditório. O capitalismo não tem nada a ver com estado, então nada a ver com violência de estado. O capitalismo por si só é voluntariedade. Cada um fazendo o quiser com o que é sua propriedade, como o seu corpo, sua casa, suas economias. Trocando benefícios mútuos quando precisa de algo que não se tem. Não é preciso dizer que não há um lugar totalmente capitalista. Mas temos muitas situações de capitalismo. Já quando entra o estado no meio podemos falar em graus de comunismo, de fascismo, de mercantilismo ou qualquer outra forma não voluntária de relações e intrusão em propriedades de terceiros. Origem do capitalismo aquele confisco ridículo de terras do cercamento inglês? Onde mesmo estava o respeito à propriedade privada? Onde estava o mercado onde cada um poderia vender, dar ou usar suas terras quando quisessem em vez de serem espoliados? Capitalismo mesmo só sem estado interferindo. Onde o estado interfere há mortes e desperdícios. E o comunismo marxista se baseia num superestado. Um superestado que deve crescer tanto que quado tudo for estado não fará mais sentido em falar de estado, será o comunismo "sem estado". Também, qual o sentido de falar em claridade se não houvesse canto atingido pela luz? http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=772

    • Eduardo Postado em 11/Mar/2014 às 20:13

      Amigo, em primeiro lugar, o verdadeiro comunismo (conforme defendido pelos seus "clássicos", inclusive Marx) pressupõe a não existência do Estado, ou a sua menor presença possível. Em segundo lugar, a existência do capitalismo não é espontânea, ao contrário, pressupõe uma pesada atuação do Estado, pois as suas contradições não seriam suportáveis sem uma poderosa mão a intervir constantemente. Pesquise sobre as revoluções burguesas (sécs XVII e XVIII), e como elas instalaram a mudança no sistema econômico, e vc verá que esta não foi uma mudança natural!

  11. Marcos Postado em 10/Mar/2014 às 23:43

    Se Estado deixasse tudo na mão dos capitalistas ainda estaríamos trabalhando 16 horas por dia, sem férias, etc. Os países só criaram leis depois de manifestações de operários e muitas mortes, porque as democracias capitalistas são para proteger os donos do capital, é claro. Alguns teorizam como se fosse muito fácil um pobre sair da condição miserável e tornar-se um milionário. Isso é ilusão até mesmo para o povo dos EUA. Defender o capitalismo é o mesmo que achar normal a lei da selva. Sistema predador, o lucro de um é a desgraça do outro. A maioria não quer nem pagar impostos, prefere viver em ilhas de riqueza com favelas por todo lado. Se tem violência, põe o pobre na cadeia, pois ele é culpado por ser pobre. Trabalhou a vida inteira e nada conseguiu? É um fracassado, é isso que dizem. Muitas pessoas que vivem na periferia foram expulsas do campo porque o Estado deixou o mercado agir. O mercado cria as crises e joga no colo da sociedade. Na crise o capitalistmo "socializa" o prejuízo, eis a justiça capitalista. Não tenho ilusões, um sistema verdadeiramente justo nascerá com a evolução da humanidade, por enquanto ainda somos muito primitivos.

    • Pedro Henrique Postado em 11/Mar/2014 às 14:51

      Cara, você precisa ler muito sobre como funciona o capitalismo, por que você vomitou no teclado um texto que meu enteado de 13 anos faria. Gostaria de te corrigir, mas não vai valer a pena.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 04:02

        A verdade é que você não tem contra argumento. Pois se tivesse mesmo não choraria aqui ou blefaria e sim responderia rebatendo a crítica. E as crises econômicas são cridas sim meu caro. Veja a história se repetindo por mais de uma vez pelos séculos e siga um padrão disso. Estou sendo racional na análise, mas se quer ir pelo lado emocional vai falhar em sua argumentação.

      • Paulo Galliac Postado em 13/Nov/2014 às 04:10

        A verdade é que você não tem contra argumento. Pois se tivesse mesmo não choraria aqui ou blefaria e sim responderia rebatendo a crítica. E as crises econômicas são criadas sim meu caro. Desde que o mundo é mundo praticamente. Veja a história se repetindo por mais de uma vez pelos séculos e siga um padrão disso. Às vezes os mesmos grupos beneficiados de geração a geração por essas crises cíclicas. Alias estude história a sério e vai perceber que ele tem base lógica. Estou sendo racional na análise, mas se quer ir pelo lado emocional vai falhar em sua argumentação.

  12. Lúcido Postado em 11/Mar/2014 às 01:02

    Não gostei do artigo. Entretanto, concordo com o fato de que se fala muita bobeira. Também é comum essa exploração de que o pensamento esquerdista de hoje é o mesmo de 50 anos atrás. Mas isso também ocorre porque um exército de "esquerdistas Coca-Cola" realmente defendem isso. Nunca trabalhou na vida e já se sente explorado. Extremismo "non sense" de um lado gera extremism "non sense" de outro. Voltando ao artigo, ninguém com dois neurônios comete os erros elencados no artigo. Vamos e eles: 1) ninguém defende que só os regimes comunistas se apoiam em violência de Estado, somente que no comunismo ela é mais intensa e descarada, normalmente por causa da diminuição das liberdades individuais. Agora, em democracias ela é sensivelmente menor. Problema é que temos exemplo de democracias capitalistas, mas não de democracias comunistas. 2) Concordo com a premissa, não é calcado em livre mercado mesmo. Deveria, tanto quanto o comunismo deveria ser calcado em um monte de outras coisas. 3) Desconheço o número de mortos, mas são mortos para dedéu. Mas a boabagem aqui talvez seja uma das maiores do texto. Não conheço ninguém que defenda que as mortes foram de pessoas que resistiram às expropriações. Esses regimes totalitários lançavam no kulags os opositores ou aqueles que representavam ameaças. Quem diz o contrário? 4) Nunca ouvi alguém dizer isso. Mas não tenho dúvida que, pelo menos, as democracias precisam manter um mínimo de compostura quando fazem esse tipo de ingerência para não perderem apoio interno. 5) Concordo. Acho uma ideologia equivocada, antes era nefasta. 6) Bobagem novamente. Desencorajar a diferenciação remuneratória das profissões mais complexas, mais procuradas ou de maior responsabilidade gera desestímulo . Não precisa ser gênio para ver isso. É só perceber a fuga de capital humano que existe em todo ocidente (exceto talvez Alemanha e Japão), onde cada vez se formam menos engenheiros. Se a perspectiva de remuneração for a mesma, naturalmente vais optar por profissões mais lúdicas, já que poderás usufruir da mesma qualidade de vida. 7) Concordo. Defender isso é bobagem mesmo. Capitalismo costuma vir junto com liberdades individuais mas que acabam conduzindo as pessoas para um número limitado de possibilidades. Mas isso dentro de um mesmo contexto. Em países diferentes esses perfis profissionais e de consumo serão diferentes.

    • Pedro Henrique Postado em 11/Mar/2014 às 14:53

      (Palmas)

  13. Rodrigo N. Postado em 11/Mar/2014 às 01:32

    Não existe democracia no capitalismo. Além disso, nada matou mais que o capitalismo... são bilhões de pessoas.

  14. Elias Postado em 11/Mar/2014 às 02:29

    7 Erros Cuba > ditadura falida Venezuela > caminhado para o de cima Coreia do Norte > ditadura genocida falida Russia > governo autoritário China > governo mais autoritário Bolívia > drogas.... Brasil > 80000 mortos em 1 ano

  15. César Postado em 11/Mar/2014 às 07:41

    Pense num texto fácil de desmascarar hein? Vamos lá: Item 1 - Já começamos que o título nada tem a ver com o texto, sendo que utiliza da máxima Comunista - "Acuse-os do que você é xingue-os do que você é" O texto diz que o Capitalismo também tem violência, pois o Estado impede as pessoas de tomarem a propriedade uma das outras, que seria a mesma violência que o Comunismo promove ao "distribuir igualitariamente" os recursos. Ocorre que o texto não explica é quem decide quando a violência ocorrerá. No Comunismo, quem decide é o Governo, no Capitalismo, é você. No Capitalismo as regras são claras e não mudam. Se você não trabalhou para ter, não é seu. Não invada, não roube, enfim, não "Socialize" que o Estado lhe deixará em paz. Quem decide se vai sofrer violência ou não é você. Por fim, o texto tenta ser simpático, deixando o "proletariado" tranquilo, com uma mentira sem tamanho: "O comunismo necessariamente distribui a propriedade universalmente, mas não quer tomar seu smartphone, falou?" Oras, se o comunismo NECESSARIAMENTE distribui a propriedade, significa que o smartphone NECESSARIAMENTE não é SEU. O Smartphone (e a internet, os carros, o bar, a baladinha, e você, inclusive) são todos PROPRIEDADE do Estado que vai fazer o que bem entender com essas COISAS. Sim meu amigo, no COMUNISMO você é uma COISA a serviço do Estado. Aliás, no COMUNISMO, o smartphone sequer seria INVENTADO, porque não existe "interesse social" num aparelho desses, "falou?" 2 - No Capitalismo nimguém é livre porque todos são oprimidos pelo Mercado. Outra falácia. Sim, muitas pessoas na sociedade capitalismo são oppimidas pela necessidade de consumir, passando a viver basicamente como numa sociedade comunista onde o Governo lhes oprime da mesma forma. A diferença, novamente, é a escolha. Você é um escravo porque tem de trabalhar longas oras para pegar pelo Carro zero, a casa própria, a educação dos filhos e o salão de beleza da mulher? Basta ESCOLHER diferente e sair da "opressão". Compre um carro mais simples, more de aluguel, ponha filhos na escola pública (que não deve ser uma opção descartada pelos comunistas, afinal, no comunismo, não existe escola particular) e separe dessa mulher interesseira. Pronto, você está livre. Portanto, não existe essa "necessidade" de consumir, que é uma das maiores falácias do Comunismo contra o Capitalismo. As pessoas ESCOLHEM consumir, porque querem um determinado estilo de vida, e acham que removendo a CAPACIDADE de escolha, o problema será resolvido. Agora, como fazer esta escolha se o Governo for dono de tudo? Para quem pensa assim, dou uma sugestão. Experimente o comunismo, de forma bastante fácil. Você quer uma sociedade onde todas suas necessidades básicas lhe sejam fornecidas e você não precise escolher? Volte a morar com sua mãe. Morar com a mãe é essencialmente viver numa sociedade comunista. Ela te fornece tudo que você precisa, em troca de você não ter privacidade nem escolhas. A única diferença é que o Governo não vai te amar como tua mãe te ama. 3 - Esse é o mais fácil. O número de 110 milhões de pessoas é realmente um chute. Só que o texto não explica que é um chute PRA BAIXO e não pra cima. O Comunismo, de FATO matou NO MÍNIMO 110 milhões de pessoas. A Maioria de FOME, e DE PROPÓSITO. Se o Governo é DONO DE TUDO, como já provei que é, ele é dono de você, e pode te matar quando quiser. E acredite, não precisa muito pra ele querer. Afinal, gente é uma coisa que surge todo dia, e dar fim aos inconvenientes não vai fazer com que falte Gente. Ainda, o texto tenta desmentir uma informação que não é dada pela Direita. A culpa pelas mortes não é do "abstrato comunismo" mas sim do próprio fundamento do Comunismo que é o Estado ser dono de tudo, inclusive das pessoas. Numa sociedade onde o Governo é dono de tudo, as chances dele matar o próprio povo aumenta EXPONENCIALMENTE. Assim, pode até ser que a culpe pelas mortes não seja do "Comunismo" em si, mas com certeza as condições para as mortes ocorrerem só estiveram presentes POR CAUSA do comunismo. E termina o texto dizendo, "a fome não é unicamente um problema de esquerda" Sim não é. Mas com certeza não é um problema no Capitalismo. 4 - Novamente, xingue-os do que você é. A estratégia aqui é "Nós matamos, mas os Capitalistas também matam!" Ocorre que as mortes causadas pelo "Capitalismo" não chegam nem perto das mortes do Comunismo. E por fim, joga a culpa do "Aquecimento Global" (que até hoje não foi nem perto de ser comprovado) no Capitalismo, esquecendo que o país que mais polui o mundo hoje é a China, que é, adivinhem adivinhem? Comunista. Ainda, para acabar de vez com os argumentos do item 4, pare e pense: Quem mais viola os Direitos Humanos no mundo? Sim, respondeu certo, o ESTADO. E a solução para isso então é MAIS ESTADO? Isso tem tanta lógica quanto apagar uma vela com um balde de Gasolina. 5 - A velha falácia do "O Comunismo não deu certo, mas agora vai dar". O texto simplesmente diz que o comunismo não deu certo porque o mundo "não estava preparado". É sério Isso? Uma coisa que NUNCA deu certo e a melhor coisa que conseguiu produzir foi o AK-47 agora vai dar certo? Como? Com "drones e metadados?" "Errar é humano, insistir no erro, é burrice". 6 - Comunismo e Liberdade no mesmo tópico. Como você vai ter liberdade se o Governo é dono de tudo? Volto à minha sugestão. Lembra quando você tinha 8 anos, morava com a sua mãe e ela mandava em tudo, inclusive na hora de você dormir? Então. Isso é comunismo. Se quer isso de volta, vá morar com a sua mãe. Ou Em cuba, que é basicamente a mesma coisa, só que sem o Amor e a cama quentinha. Liberdade e Comunismo na mesma frase... essa é boa... 7 - Essa é a mais fácil de resolver. O texto afirma que o Capitalismo tem como resultado a massificação e o fim das escolhas (xingue-os do que você é) " A possibilidade de adquirir produtos de firmas capitalistas concorrentes não produziu uma sociedade interessante e variada." Não? Vá ao shopping. Lá é tudo tão desinteressante e não tem nada pra comprar e escolher né? E não se engane, aproveite o capitalismo, e ESCOLHA bem, enquanto pode. Estude, planeje, e seja feliz, sem ter uma "mãe" rancorosa lhe dizendo tudo que você deve ou pode fazer.

    • Fernanda Postado em 11/Mar/2014 às 08:24

      Parabéns pelo comentário César!

    • Paulo Postado em 11/Mar/2014 às 09:27

      Não entendeu nada do que leu. É uma pena.

    • Daniel Postado em 11/Mar/2014 às 09:40

      "Você quer uma sociedade onde todas suas necessidades básicas lhe sejam fornecidas e você não precise escolher? Volte a morar com sua mãe. Morar com a mãe é essencialmente viver numa sociedade comunista. Ela te fornece tudo que você precisa, em troca de você não ter privacidade nem escolhas". César, eu moro com a minha mãe e tenho privacidade e escolhas sim. Claro que não é a mesma privacidade de morar sozinho, mas do mesmo jeito que casado e com filhos você também não tem a mesma privacidade. Pela sua lógica então as pessoas só teriam total liberdade se morassem sozinhas? Não entendi essa sua comparação. E a China é um país comunista? Pode ser governada pelo partido comunista, mas há muito tempo sua economia se abriu para o capitalismo, inclusive há várias empresas privadas multinacionais por lá. E outra, você disse que numa sociedade comunista, o Iphone não existiria? Esse produto tbm não é fabricado e comercializado na China e vc não disse que a China é comunista? Bem contraditório isso não?

    • Emanuel Postado em 11/Mar/2014 às 09:46

      Belo texto Cesar, pena que tenha terminado com um apelo ao consumismo desenfreado, mas afinal isso é capitalismo!!!

    • Smoke One Postado em 11/Mar/2014 às 10:18

      Texto fácil de desmascarar, César? rs... Que tal começar explicando melhor o item 1? Então, no "Capitalismo" (o que penso ser apenas uma teoria) quem decide quando a violência ocorrerá é o cidadão? Imagino-o sentado em casa decidindo quando será violentado pelas vítimas sequeladas pela desigualdade social...rs A regra é clara? Se não trabalhou para ter, não é seu? Esse pensamento se encaixa em heranças? Ou seja... Se não nasceu em "berço de outro", conforme-se e se mate de trabalhar motivado pela ilusão corporativista veiculada pelas mídias de massa. Mídias que, adivinhe? Pertencem ao Estado ou são Empresas Privadas agindo em benefício próprio. rs... "Não invada, não roube, enfim, não "Socialize" que o Estado lhe deixará em paz." Claro! Só lhe cobrará impostos abusivos por serviços "tão bons" que o cidadão, além de paga-los através dos impostos arrecadados, terá que pagar um pouco mais pelas instituições particulares que oferecem serviço similar. No comunismo não existe interesse social em um smartphone? Como explicar a distribuição da telefonia na China? Onde até as áreas rurais foram incluídas? Como explicar cientistas chineses inventando tecnologia para melhorar esses serviços, como sinal de WiFi emitido por lâmpadas? Que estranha falta de interesse social, hein...rs E o item 2? Escolhas? Tente escolher comprar um litro de leite tipo A ou caviar na periferia. Você pode até querer argumentar que esses produtos estão ao acesso de todos. Se assim fosse, moradores da periferia não teriam que se deslocar até os bairros nobres para adquiri-los, pagando bem mais por esses produtos tão acessíveis. Compre um carro mais simples e more de aluguel, ou seja, escolha o peso dos elos de sua corrente. Libertem-se...rs No “comunismo” não existe escola particular? Por que será? Pesquise como é a educação do povo de Cuba. Talvez descubra o porquê. Pesquise como era a noção política do povo no governo de Salvador Allende antes de ser derrubado pelos “libertadores yankes”. Ou como eram as escolas no Irã antes da investida norte americana via embaixada. Pesquise como Chaves se tornou o terror de sua nação quando decidiu que toda criança – com ou sem documentos – deveria estar na escola. Exemplos não faltam. Não existe a necessidade de consumir? Pergunte às crianças contemporâneas se elas preferem dinheiro ou brincar. E talvez descubra como o corporativismo doutrina seus consumidores desde o berço. E verá se as pessoas escolhem consumir ou são condicionadas ao consumo. Querem um determinado estilo de vida? Determinado por quem? Voltar a morar com a mãe? E aqueles que por conta da violência gerada pela opressão e segregação social cresceram sem mãe? Também serve? Aqueles cujas mães vendem o almoço para comprar o jantar? É melhor voltar parar elas? E o item 3? Mortes em nome do Comunismo/Socialismo? Que tal assistir à série documentada realizada por Oliver Stone intitulada “A História Não Contada dos E.U.A. (2012)”? Talvez se dê conta de que o número de mortes em nome do “mundo livre democrático” ceifou mais vidas do que qualquer governo antagônico somado. O Governo Comunista/Socialista pode te matar quando quiser? Explique isso para as nações cuja liberdade foi defendida pelos “libertadores democráticos”. (Pergunte às famílias afegãs, como é o governo do Talibã, que chegou ao poder, financiado pelos E.U.A.). A fome – com certeza – não é culpa do capitalismo? Então as pessoas que reviram lixeiras prediais ou catam restos na feira livre vivem no comunismo? E o item 4? Assistir ao documentário que indiquei ajuda a entender melhor pelo que morreu mais gente. O país que mais poluí o mundo é a China? E o segundo maior? Não é importante? De onde você acha que sai todo lixo eletrônico que o ocidente descarta em Gana? Parece que não é só a nação “comunista” que polui, hein... Quem mais viola os direitos humanos no mundo? Já analisou os Estados teocráticos? E o item 5? O Comunismo nunca deu certo? E será que algum dia daria? Talvez seja porque o termo criado jamais alcançou sua essência e nem alcançará. Jamais um padrão governamental conseguiu ser aplicada na totalidade. Se tiver algum exemplo, gostaria muito de conhecê-lo. A melhor coisa que o “Comunismo” produziu foi a AK-47? Israel e Finlândia agradecem. Pois foi através dessa produção que basearam seus M62 e Galil...rs E o item 6? “Comunismo” e liberdade não são compatíveis? “Democracia”, “Capitalismo” e “Livre Mercado” onde o corporativismo induz o cidadão a “escolher” o que consome é? E o item 7? Vá aos shoppings? Qualquer um pode ir? Mesmo não estando trajado “adequadamente”? O que os recentes “rolêzinhos” demonstraram enfatiza bem a liberdade no mundo livre...rs O “capitalismo” lhe dá liberdade de escolha? A mesma liberdade que tem quando se depara com um cardápio de um restaurante onde todos os itens ofertados foram escolhidos por terceiros? Rs...

    • digo Postado em 11/Mar/2014 às 10:24

      Tu é burro cara que coisa exaltada fera, isto que vc falou é tudo sem sentido . Me sinto agredido em ler essa merda.

    • João Postado em 11/Mar/2014 às 10:29

      Esse é O COMENTÁRIO! Muito boa a resposta

    • Diogo Postado em 11/Mar/2014 às 10:39

      Cara... sensacional! Haters gonna hate! Alguém berrando reacionÁÁÁÁrio em 3...2...1!

    • Junior Postado em 11/Mar/2014 às 12:20

      O cara até tem pontos interessantes, mas na sanha de querer rebater o artigo inteiro comete uns erros que acabam com a credibilidade do comentário todo. Como assim a fome não é um problema no Capitalismo? A realidade que eu vivo é diferente. Minha opinião é que não é possível sair do capitalismo sem que haja um movimento mundial nesse sentido. Provavelmente o maior impacto na adoção de uma sociedade comunista esteja nos problemas nas relações com outras nações. Não dá pra se tornar uma ilha e ter uma sociedade em evolução

      • Carlos Prado Postado em 11/Mar/2014 às 23:49

        Junior, a mágica do capitalismo é que se alguém não tem comida outro estará disposto a oferecê-la. O capitalismo na verdade salvou e salva muitos da inanição. A revolução demográfica que vivenciamos hoje se deve muito pela divisão de trabalho capitalista. Na revolução industrial muitos tiveram a oportunidade de trabalhar em fábricas, nunca obrigados a aceitar as condições do ambiente, e foi possível uma explosão populacional. O problema começa quando os governos, sejam com as melhores intenções do mundo ou não, resolvem se meter e desperdiçam e encarecem os produtos. Podemos ver isso bem nas nações comunistas, pois estas foram onde os governos mais interviram: mercados desabastecidos, falta de carnes, óleo, açúcar, papel higiênico, sabão. O mesmo podemos falar do governo Sarney, com um controle econômico soviético e com "fiscais" populares prontos para combater a "ganância", dista a causa dos desabastecimentos dos mercados e do confisco do valor do dinheiro do povo. Já podemos ver em menor escala em países que conseguiram acumular uma grande quantidade de capital e diversificar as atividades laborais, como os EUA. Porém o estado vem afundando a vários governos aos poucos o país e a doença se mantem enquanto não for desperdiçado todo o capital ou ficar tudo na mão de burocratas e seus amigos mais próximos. Para eles não é tão simples quanto foi para a Russia, onde a União Soviética implodiu após se esgotar. Eles tem muito o que desperdiçar, mas olhos atentos podem já ver o estrago do governo contra o capitalismo, ou melhor, o voluntarismo.

      • Junior Postado em 12/Mar/2014 às 16:02

        Carlos, essa "mágica do capitalismo", é bem teórica, na minha opinião. Eu tenho um palpite que em países capitalistas existem pessoas com fome. No país simbolo capitalismo, os EUA, existe esse problema.

      • Carlos Prado Postado em 13/Mar/2014 às 00:33

        Simbolo do capitalismo os EUA? Isso desde quando? Talvez bem antes do século XX pensar em começar. Eles podem ser a maior potência, uma potência estatal. E isto já torna contraditório serem um simbolo de capitalismo.

    • Gabriel Postado em 11/Mar/2014 às 12:34

      Rapaz, tu escreveu muita merda aí, tanta que tô até com preguiça de responder. Mas vou fazer um esforço pra responder alguns,pois responder tudo levaria muito tempo. 110 milhões no MÍNIMO??? Você já leu o livro onde esse cálculo é feito? Não? Então não te contaram que nele entram os mais de 20 milhões de mortos na Segunda Guerra Mundial, os outros milhões mortos na Guerra Civil, os outros milhões mortos por FOME (diversas grandes fomes aconteceram ANTES dos planos forçados de expropriação, por más condições climáticas) e os números dos Gulags são simplesmente inventados de forma aleatória. Os documentos liberados após o fim da União Soviética nos dá um número em torno de 4 milhões de mortos nos Gulags, o que com projeções de pessoas que morreram em decorrência de trabalhos nos Gulags dificilmente chegaria a 7-8 milhões. É muita gente sim, o mesmo que matar todos os habitantes da cidade do Rio, mas muito distante do número falacioso de mais de 50 milhões de soviéticos mortos. Uma coisa que não entendo é: se já tem tanta coisa ruim no comunismo para ser criticado, pq não se ocupar dos problemas verdadeiros e não os inventados? China Comunista? Por algum acaso você sabe que no ano 2000 houve uma proposta de referendo dentro do partido para se retirar o nome "Comunista" e se tornar apenas Partido Chinês? E que tal coisa não foi possível pois os chefes do partido desistiram por medo de perda de afiliados? Não acha que é desonestidade intelectual dizer que a China é comunista com seu mercado inundado de investimento estrangeiro e os consumidores chineses tendo liberdade de comprar o que bem entenderem no vasto mercado chinês com seu suado salário? (conquistado em empresas capitalistas multinacionais, não estatais). Sobre as condições do comunismo, ele foi pensado a priori para sociedades industrializadas. Aliás, não sei se você sabe qualquer coisa sobre teoria marxista, mas nela o CAPITALISMO é um estágio importante do comunismo. Primeiro a sociedade tem que se desenvolver e industrializar e depois passar pelos estágios socialista e comunista. Pq é utópico? Pq só funcionaria de fato com países desenvolvidos e provavelmente com todo o planeta sendo comunista, onde não haveria bloqueios ou embargos. Só que quando todas essas teorias foram pensadas, não se pensava em coisas como globalização ou integração na comunicação através da internet. O mundo mudou. Os países que viveram essa experiência eram predominantemente agrícolas. A Alemanha que não, teve a melhor experiência socialista em resultados e ainda assim saindo de um ponto bastante defasado, um país destruído pela guerra. O final do seu texto explica bem uma desatenção sua ou pura incapacidade de abstração intelectual. Uma das primeiras coisas pontuadas no texto é a dificuldade de se enxergar para além de um consumidor. Você concluiu o texto pensando unicamente na lógica de consumidor. Ô MEU AMIGO, NO COMUNISMO ESSA LÓGICA MORRE! É tão difícil entender assim? Na Idade Média, ninguém sentia falta de opções variadas do mercado e etc. Em filmes de ficção científica pós apocalipticos, ninguém sente falta disso também. É a lógica social que muda.

    • Gabriel Postado em 11/Mar/2014 às 12:40

      E sobre mortes, já que confia tanto em cálculos, faça aí calculos das mortes na Revolução Industrial, nas estradas de ferro abertas em todos cantos do mundo (inclusive aqui nas terras tupiniquins), em obras como o canal do Panamá e etc. Todas essas com um firme propósito: desenvolver a economia, escoar produções e mercadorias e tudo isso feito com trabalho quase compulsório mas assalariado. Digno do capitalismo. Não existe fome nos países capitalistas né? O nosso nordeste não existe com diversas pessoas subnutridas e morrendo de fome não é? E as várias economias africanas que são liberais e sofrem com o mesmo? Isso é problema de regiões essencialmente agricolas, assim como eram principalmente URSS e China. Procure dados de pessoas que morreram de fome nos grandes centros, como Moscou. É irrelevante.

    • Gabriel Postado em 11/Mar/2014 às 12:53

      E outra coisa que mostra mais da sua dificuldade de abstração: você não entendeu o conceito de liberdade capitalista abordado no texto. As pessoas não trabalham porque QUEREM, trabalham pq são OBRIGADAS. Sem trabalho você não come, não anda, não se veste e etc. Você tem duas opções - trabalhar muito pra ter uma vida confortável e com regalias ou trabalhar menos pra ter uma vida com base na subsistência. Logo, não há opção de não trabalhar. Se você quer viver bem é obrigado a trabalhar muito e esse conceito de liberdade de escolha esfarinha. Quem quer viver mal amigo? Ter um carro confortável, uma casa agradável e comer bem não estão automaticamente ligados ao consumismo mas sim à dignidade humana. O que o comunismo defende é que todos tenham direito a isso ao contrário de poucos conseguirem tal e principalmente o patrão, que atinge tal objetivo ganhando muito e trabalhando muito menos que os assalariados. Logo, essa liberdade de escolha não existe. Conseguiu entender?

  16. Flavia Coutinho Claudius Postado em 11/Mar/2014 às 10:08

    Não sou defensora do comunismo mas também não engulo essa panaceia capitalista como vocês a colocam. Não existe santo. Os dois lados da torcida carecem de autocrítica. Mas acho mesmo curioso que os defensores do capitalismo sejam bons com números de economia, mas não com números que se referem a pessoas. Gostaria de vê-los, por exemplo, por no cômputo geral, todas as pessoas que já morreram de fome, miséria em países capitalistas, acorrentadas em máquinas durante a Revolução Industrial, nos países africanos massacrados pelo imperialismo europeu e americano (que, como sabemos, são comunistas), nos rincões do Brasil onde ainda há trabalho escravo (somos comunistas?), nas favelas, nos campos, nas secas do nordeste, toda essa gente pobre e miserável que nasce, cresce e morre sem chance de ter uma vida digna. Tudo cortesia do capitalismo, amiguinhos. Não me venham com esse papinho vagabundo de meritocracia porque existe muita gente no mundo que não tem oportunidade nenhuma e padece por falta dessas oportunidades. Assim como tem gente que herda riqueza, existe gente que herda miséria - e isso não se muda com força de vontade e iniciativa, certo? Portanto, muita gente sofre e morre pelas condições que lhe são dadas ao nascer. Pode por isso na conta do capitalismo, negada. Vamos calcular? Acho lamentável que nessas alturas do campeonato ainda existam mongolóides que repitam por aí que "só o comunismo matou, que o capitalismo é um santinho que não matou ninguém".

    • Carlos Prado Postado em 11/Mar/2014 às 10:28

      Acorrentados em máquinas na revolução industrial? Que eu saiba os industriais eram partes do povo, burgueses, plebeus, não nobres, e que produziam para outros plebeus. Os nobres compravam tudo de artesões que faziam tudo personalizado à mão. Qual nobre gostaria de uma porcaria de um produto feito em série? Até hoje os melhores violões e os melhores ternos são feitos sob encomenda por artesões. Já o industrial produzia para sanar uma necessidade do pobre, que ninguém atendia. E o pobre trabalhava se quisesse, tinha ninguém obrigando ele. Se não quisesse não trabalhava, um acordo mutuo. Agora se vários aceitaram é porque era um condição muito melhor do que as outras. Hoje um marginalizado numa favela pode viver muito melhor que os nobres daquela época. Sem pompa e poder, mas com melhores condições. Escravismo é coisa do capitalismo? Se bem me lembro a Inglaterra, onde ocorreu a revolução capitalista, que propagandeou o fim da escravidão pelo mundo. E que eu saiba no comunismo todos são escravos se não pertencem ao alto escalão da nomenklatura. E realmente muitos não tem oportunidades e esta meritocracia não funciona, pois temos um estado, que é redundância falar comunista, impedindo um mercado genuíno. São bolhas comunistas num ambiente capitalista. Ou talvez sejam bolhas capitalistas num ambiente comunista. O capitalismo não pode matar ninguém porque ele tão somente é as relações de beneficio mútuos entre os indivíduos. A não ser se alguém peça para ser morto. Fora disso é mercantilismo, fascismo, comunismo, espoliação, coerção violenta e involuntária.

      • digo Postado em 11/Mar/2014 às 10:42

        É ? Como é lindo esta certeza que vc tem deste grande liberalismo capital que ajuda e beneficia. A questão não é a defesa de um comunismo ultrapassado e sim dizer as pessoas que poderia ser diferente do que vemos agora. Pois hoje a escravidão continua, só que com nome bonito chamado carteira assinada com 724,00 mensais que é o que dá apenas pra comer e mais nada. Antes os escravos e trabalhadores das industrias ganhavam apenas para conseguir comer. E ai mudou algo?

      • Junior Postado em 11/Mar/2014 às 12:34

        "E o pobre trabalhava se quisesse, tinha ninguém obrigando ele." Carlos, é justamente essa ~Liberdade~ que é questionada a respeito do Capitalismo. Na verdade é uma ilusão de liberdade. Você diz: "Trabalhe se quiser, mas se não trabalhar vai morrer de fome." Isso não é escolha.

      • Rodrigo Postado em 11/Mar/2014 às 22:29

        Junior disse: " "Trabalhe se quiser, mas se não trabalhar vai morrer de fome." Isso não é escolha." Claro que é escolha! Escolha nao respirar... Acho que todos temos que trabalhar para comer, vestir-se, etc... Os inválidos serão ajudados, é claro, mas se eu sou saudável e nao trabalho, alguem vai ter que trabalhar para me sustentar, certo? Outro comentário : do "digo" ""Antes os escravos e trabalhadores das industrias ganhavam apenas para conseguir comer. E ai mudou algo?"" Mudou! Hoje há o emprego qualificado, participação nos lucros onde o "proletário qualificado" tem carro, casa, viaja... No meu ponto de vista o que cabe ao Estado é: formar um cidadão, saudável, culto e seguro. Com isto ele irá empreender ou participar de um empreendimento alheio, gerando impostos que serão recolhidos pelo Estado para formar mais cidadãos saudáveis, cultos e seguros, numa ciranda sem fim, gerando riqueza, inovação, cultura e bem estar social. O comunismo bloqueia isto tudo ao criar uma casta ( os integrantes do partido comunista) que se locupleta de toda riqueza gerada no país, causando desestimulo e quebra da produção, provocando fome e por fim morte. Isto foi observado em TODOS os países que tentaram criar este modelo utópico de sociedade sem classes.

      • Carlos Prado Postado em 12/Mar/2014 às 00:00

        Ai nem o capitalismo, nem o comunismo nem o mundo mágico das fadas pode fazer algo por você. O homem tem necessidades variadas e não vejo comida caindo do céu que seja suficiente para todos. Assim o homem nunca será livre pois dependerá sempre do oxigênio e da água. O homem não pode ser livre pois precisa comer. O homem não pode ser livre pois sente necessidades de relações sociais, de distrações que o aliviem, de atividades lúdicas, de prazeres, de comida, de descanso, de abrigo. E que eu saiba muitos não só conseguem comer como conseguem TVs gigantes de tela plana, celulares de dar inveja a muitos militares das grandes guerras, carros melhores que de muitos investidores de Wall Street do século XIX, geladeiras que conservam alimentos de forma mais eficiente do que qualquer caríssimo método acessível apenas a grandes califas em tempos passados e muitíssimo mais. E mais, enquanto o governo tem monopólio no fornecimento de água e tratamento de esgoto há pessoas que não recebem nenhum dos dois serviços em casa, porém conseguem um carro e celulares novos. E mais, há pessoas em situações confortáveis financeiramente ou até ricas donas de grandes negócios que começaram pobríssimas trabalhando aos dez anos em mercados ou pelas ruas vendendo ou engraxando sapatos. Isto enquanto muitas outras tem o dinheiro confiscado num processo chamado inflação, onde o governo inventa mil desculpas de ajuda social para imprimir dinheiro e entregar para os seus amigos, desvalorizando seus papeis coloridos e transferindo renda da população para lobistas.

      • Junior Postado em 12/Mar/2014 às 15:37

        Carlos, obviamente não quis dizer que trabalhar é opcional. Me referi à questão de trabalhar em fábricas. Especificamente no período histórico que você citou. E entenda, não sou contra o capitalismo. Só acho que devemos considerar seus problemas de maneira realista e não somente comparando com um sistema ruim que existiu no passado

      • Carlos Prado Postado em 12/Mar/2014 às 20:21

        Opções de trabalho haviam. Se muitos preferiam trabalhar em um negocio totalmente novo como uma fábrica é que algo de bom viam. Cabe lembrar que as fabricas não eram tocadas por nobres com rios de dinheiro, mas por gente que saiu do povo e começava a acumular umas economias e não era aceita na alta sociedade por não ter "sangue azul". Estas pessoas enriqueceram aos poucos porque seus projetos atraíram o povo. Eles não tinham escravos(coisa abominável entre o europeu que não conhecia a realidade dos árabes e africanos e que foi exportada para os americanos) e não tinham muito capital para já sair fazendo grandes industrias. Com o tempo foi-se acumulando capital e elaborando processos melhores, o que permitiu o aumento de salários e melhores condições de trabalho(apesar de sindicatos acreditarem em canetas mágicas que podem melhorar a condição de todos os trabalhadores se usadas pelo parlamentar certo). Ninguém era obrigado a trabalhar num negócio desconhecido e arriscado, onde a industria poderia quebrar a qualquer momento ou se poderia sofrer um acidente. Trabalhava quem queria, e pelo que a história conta chegou um momento de filas quilométricas para se trabalhar nas fábricas. Haviam outras opções de trabalho, como sempre houveram quando não existiam as fábricas. Mas por algum motivo as fábricas eram muito mais procuradas, assim como em tempos recentes ter um emprego em uma fábrica era um grande sinal de status.

      • Carlos Prado Postado em 12/Mar/2014 às 20:38

        Bem, se você não é contra o capitalismo eu sou contra o que muitos rotulam por capitalismo. Sou contra o abuso de mega corporações, contra os ciclos econômicos, os monopólios, o confisco de dinheiro dos pobres para os ricos, ações que beneficiam o grande empresário em detrimento do consumidor, o consumismo desenfreado, o desperdício... Mas tudo isso só ocorre ao capitalismo quando o estado intervem na vida das pessoas e em suas relações econômicas. O sistema que defendo, primeiramente por motivo moral - uma visão utilitarista a mim é inútil pois até o assassinato de todos os inimigos ou de todo um grupo será útil à alguém de alguma forma -, mas se pode ver com um estudo mais aprofundado como que o certo é bom. Na falta de nome melhor este sistema também pode-se ser chamado de capitalismo.

    • O nome da rosa Postado em 23/Nov/2014 às 12:26

      Flávia, acho que quando não há meritocracia no capitalismo é por falta de e-du-ca-ção das pessoas. Quer um exemplo? Sou graduada em artes plásticas, fiz cursos caríssimos, particulares, de desenho e pintura. Abri um atelier, que tive que fechar, porque não conseguia alunos. Sabe por quê? Pessoas graduadas (dentistas, professores, advogados) preferiam fazer curso de pintura com veteranos na cidade que eu morei, mas que nunca fizeram nenhuma graduação, nem fizeram cursos com os artistas famosos internacionalmente (como eu fiz). Daí que, no meu caso, de pequena burguesa, não tive meus méritos reconhecidos, porque os alunos do tal professor (mal formado e artista medíocre), não receberam uma educação artística decente, nem orientação sobre custo/benefício, para poderem escolher um melhor professor de pintura.

      • Paulo Galliac Postado em 26/Jul/2015 às 10:31

        Não existe pessoa nesse planeta que se construiu sozinha isso é mito. Eu tenho MUITO mais mérito que muito filho de papai mimado ai que teve tudo o seu alcance e não batalhou por nada nessa vida. Meritocracia = nascer com privilégios. Normalmente um cara branco, rico e com a indicação a um emprego pelo amigo rico do pai rico, que comprou o carro do ano para o filho que passou na faculdade. Tá ai os "méritos" de muitos.

  17. Digo Postado em 11/Mar/2014 às 10:09

    Galera vamos interpretar melhor as coisas, parece que vocês já tem as respostas prontas e homogenizadas. É este o problema da sociedade, não querem ler e intender os pontos divergentes, ficam repetindo ideias de merdas que o sistema implantou. Acho que muitos devem ter as mesmas opiniões de merda sobre racismo, índios, política... Robôs programados é o que vcs sao.

  18. Lucia Postado em 11/Mar/2014 às 11:59

    Alguém aqui já morou em um pais comunista? Eu morei na Bulgária antes da queda, eu NUNCA vou apoiar o comunismo! E' uma escravidão velada, uma pobreza cruel, o pais se torna um enorme presidio onde as pessoas na tem o direito de ir e vir! A corrupção era mil vezes pior do que aqui, porque passava por todas as classes e coisas banais! Era corrupção para conseguir um chocolate, para comprar um jeans. A violência e o medo eram absurdos! A prostituição feminina, masculina e infantil eram uma instituição em troca de comida!!! Conheci dentistas, professoras que se prostituíam para conseguir um pouco de comida melhor! As habitações, hospitais e escolas caiam aos pedaços!!!! O pais era todo despencado!!! Outra coisa que não falam e' que a maioria dos chefes de Estados comunistas possuem CASTELOS, literalmente CASTELOS na Bulgária!!! Então o que vi foi um povo sofrido, sem direitos e escravizado!!!! COMUNISMO ESTOU FORA!!! Minha sugestão para que gosta de comunismo é não usar mais internet, aparelho celular, carro, comer feijão com arroz todos os dias, estudar em escola publica de 5a, morar num kitnet com a famila toda, usar o jeans com remendo, sapato furado, colado com fita crepe e NUNCA PODER MUDAR DE CASTA!!! Porque isso e' o que eu vi num pais comunista! Se e' isso que vc quer para sua vida, boa sorte!

    • Nicolau Postado em 16/Aug/2015 às 17:10

      Estas certa Lucia, e por isso que a perversa escravidão comunista foi destruída na Europa do Leste em 1989! Quem é comunista hoje são só panacas, burgueses liberastas, degenerados, pederastas, drogados e fracassados na vida!

  19. victor leal Postado em 11/Mar/2014 às 12:04

    1- Ele falou q o Estado se apoia na violência mesmo, mas os smartphones e as gravatas estão seguros. Então não é um erro. 2- Os russos nunca deslocaram populações inteiras, nem demandavam trabalho cativo em massa e a mulher era "propriedade legal" do homem nos EUA, aham, claudia. Me mostra uma lei, por mais machista q fosse, q torna a mulher propriedade. Aliás, me fala uma entidade que tentou ou tenta proteger os indígenas dos estepes russos? Não existe né? Eles viveram todos felizes nos deslocamentos em massa de Stalin. Essa é a diferença entre um pais livre e um regime totalitário, os países livres mostram seus problemas, se arrependem e se culpam, os regimes totalitários esquecem do passado, culpam os outros e desaparece com as testemunhas. A oposição não tem outra ferramenta senão buscar marginalmente pela verdade, e acaba desacredita por ser uma busca não-autorizada. 3- Ditadores que mataram milhões, apoiados pela esquerda internacional são comunistas "abstratos", mas o autor mesmo não da exemplos de comunismo histórico. Comunista de verdade está no mundo dos sonhos. 4- países mais capitalistas passam menos fome, e países capitalistas africanos que tiveram fome, tinham forte agenda anti-livre-mercado. fato! Basta comparar a qualidade de vida dos cidadãos mais pobres e a agenda política em curso. 5-claro, vamos acreditar mais uma vez nesses calhordas! Dessa vez prometo não ter tanto sangue! Não tenho exemplos pra dar, mas com certeza, com todos esses tratores, não precisamos matar tantos camponeses de fome. 6- wow, comunismo não será uniformização pq sonhamos com um mundo do trabalhador q é caçador e filósofo ao mesmo tempo, q lindo. Isso contra toda medida coletivista e militarização massiva dos regimes históricos. Nenhum exemplo de diversidade cultural em cuba. que aliás, proibia o rock e a homossexualidade. 7- sob o capitalismo, os oprimidos tiveram voz e expressaram suas diferenças. Cadê o exemplo da arte russa espontânea e não propagandística? Não tem nenhum exemplo mesmo depois de Stálin? Então tbm não está errado. Pq eu perco meu tempo respondendo isso?

  20. Pereira Postado em 11/Mar/2014 às 12:13

    Cesar , aqui eles não têm coerência nenhuma eu ja desisti de tentar argumentar , o maior fraudador dos direitos humanos é o estado...e advinha ??? eles querem mais estado . perfeito seu raciocínio, haja vista as mortes na venezuela , censura de imprensa e morte aos opositores dos camaradas. E o que dizer da coréia do norte? que ja foi defendida por aqui. "Volte a morar com sua mãe. Morar com a mãe é essencialmente viver numa sociedade comunista. Ela te fornece tudo que você precisa, em troca de você não ter privacidade nem escolhas. A única diferença é que o Governo não vai te amar como tua mãe te ama. " O comentário mais inteligente que eu vi nessa escassez de inteligência que é esse site....

  21. Vinícius Postado em 11/Mar/2014 às 12:29

    Não temos exemplos de países comunistas, por isso o comunismo não matou ninguém. Qualquer estudante do ensino médio que prestou atenção nas aulas de história sabe diferenciar comunismo de socialismo. E mesmo o socialismo do séc XX é muito diferente do que Marx idealizou.

    • Rafael Postado em 11/Mar/2014 às 13:37

      Essa aula eu também assisti. Todos os citados exemplos de "comunismo" são, na verdade, ditaduras militares ou coisa parecida, mas nenhum aplicou os ideais como propostos. Aliás a concepção original, tinha relação única e exclusiva com a situação 'pré'-alemã da época em que foi criada. Não há como aplica-la em outra situação, ainda mais sob forte coerção. O socialismo deve ser um estado independente em que só se entra por adesão espontânea e com profundo conhecimento da causa, caso contrário, jamais funcionará. Mas o mundo pode ser mais social sim. Se as cabeças pensantes forem mais atuantes na busca por uma sociedade mais horizontal. Grande parte desta eterna discussão se dá em função da falta de conhecimento. As nomenclaturas também atrapalham, devido a sua carga histórica de preconceito e descriminação. Do ponto de vista do arranjo social, deveríamos separas as pessoas em Conservadores(dir) e Progressistas (Esq). Conservadores (bem nascidos) são os que querem manter o arranjo social como esta, hierarquizado, vertical e mercantilizado. Progressistas são os que acreditam que um mundo diferente é possível, um mundo onde as pessoas seriam valorizadas pela sua trajetória, pelo seu conhecimento, pelas suas ideias, pelo seu caráter e não pelo seu carro na garagem ou seu i-qualquer no bolso. Mas é praticamente o mesmo que bater contra a parede. Nunca veremos esta mudança. Fica para as próximas gerações.

    • kael Postado em 15/Mar/2014 às 01:08

      Muito bem. Vejo que estudou. É muito difícil a compreensão que podemos ser todos iguais no sentido matérial, pois nos esforçamos para sermos melhores quê os outros pelo quê detemos de riqueza. Queremos aparecer pois nosso carro é melhor de quê meu vizinho. As qualidades mais belas do homem o dinheiro não pode comprar. Não está a venda. Falou muito bem amigo. Sóbrias palavras sem rancor.

  22. lucas Postado em 11/Mar/2014 às 12:29

    FODA-SE O CAPITALISMO ... E O COMUNISMO TAMBEM! ALGUEM AI TEM ALGUMA TERCEIRA OPCAO?

  23. Gustavo Postado em 11/Mar/2014 às 13:40

    ..nossa, quanta raiva galera.. vamos devagar, menos violéncia! ..sobrou até pra coitada da mae, o ser mais caridoso que pode existir. Comunismo real nunca existiu, ele foi ideaizadol por Marx mas na prática não há nao existiu (a nao ser o comunismo pritivo) . Assim como Democracia real também nao; nao vivemos em uma democracia real, vivemos numa democracia representativa.. aliás, perceba que "conceitos e palvras" posuem uma carga subjetiva o que pode distorcer os seu(s) significados.

  24. André Postado em 11/Mar/2014 às 15:07

    Como já dizia MILLÔR: O comunismo é uma espécie de alfaiate que quando a roupa não fica boa ele faz alterações no cliente.

  25. Igor Postado em 11/Mar/2014 às 15:23

    Coxinhas dirão que isso tudo é recalque, e detalhe, ele dirá que é recalque lendo este texto do IMac dele na mansão de seu pai no sul da França, é...

    • João Paulo Postado em 12/Mar/2014 às 14:13

      Recalque não, utopia que quase ninguém quer praticar, só isso mesmo.

  26. Rodrigo Mateus Nickel Postado em 11/Mar/2014 às 15:53

    Comunismo e capitalismo dizem respeito às relações econômicas que se estabelecem histórica e socialmente. Ditadura e democracia dizem respeito à regimes políticos que se instauram histórica e socialmente. Teoricamente ambos os aspectos, econômico e político, em quaisquer facetas, podem associar-se. Concretamente, a história nos mostra exemplos de ditaduras capitalistas (nazi-fascismo) e comunistas (URSS a partir de Stálin), assim como democracias capitalistas (Brasil atual, apesar da imaturidade do regime) e socialistas (Chile de Allende). É importante distinguir os conceitos para sabermos sobre o que estamos falando. Caso contrário, torna-se briga de bugio.

    • Carlos Prado Postado em 12/Mar/2014 às 00:05

      Ditaduras não podem ser capitalistas. Até porque o capitalismo é puramente relações voluntárias. Ela pode permitir ou até incentivar o capitalismo dentro da sua bolha comunista, mas uma ditadura e qualquer outra forma de estado, imposto à força, é não-capitalista. E a ditadura vista no Brasil é de dar a inveja a muito comunista. Estatizaram toda a economia, inflacionaram a moeda e tudo o que foi feito em solo nacional foi sob a tutela estatal. Não é de se espantar que a nossa economia se colapsou assim como a da URSS também, porém os militares tiveram a sorte de a bomba explodir no colo de outrem. Um livro boníssimo para entendermos melhor: http://www.mises.org.br/files/literature/Uma%20Teoria%20sobre%20Socialismo%20e%20Capitalismo%20-%20WEB.pdf

  27. Halter Maia Postado em 11/Mar/2014 às 15:56

    A maior obra de Marx, curiosamente, é O Capital. Ele descreve o funcionamento do sistema capitalista que pode presenciar (sua obra é da segunda metade do século 19) e usa uma ferramenta filosófica - o pensamento materialista dialético - para inferir algum possível desenvolvimento histórico do modo de produção capitalista. Para ele, o socialismo, com a socialização dos BENS DE PRODUÇÃO (NÃO DE BENS DE CONSUMO). Convencido de suas ideias foi um militante apaixonado da Internacional Socialista. Nunca defendeu o Socialismo em Um Só País, máxima defendida por Stalin e/ou Mao Tsé Tung. Marx acreditava que as contradições internas do modo de produção capitalista levaria à sua superação, da mesma forma que as contradições internas do feudalismo levaram à sua superação. No capitalismo, uma das contradiçõe internas que Marx previu em 1800 e bolinha era a contradição entre o capital produtivo e capital financeiro ... Não há nada mais atual que essa previsão. O capital financeiro está escravizando o capital produtivo. Marx não escreveu nem uma linha sobre como deveriam ser as instâncias políticas. Escreveu muito sobre como PODERIAM ser. O socialismo era e continua sendo uma ÍDÉIA. A história vem comprovando muitas das deduções marxistas. Não há UM economista capitalista competente que não tenha devorado 'O Capital' . Ainda que só para prevenir e minimizar as 'crises periódicas' que Marx hipotetizou. A propriedade do pensamento marxista é inegável, inclusive por ser ainda uma referência básica a ser combatida e citada por pensadores que discordam dele. Marx não escreveu um 'manual para a subversão planetária' . Ele descreveu o funcionamento da economia capitalista então incipiente. O Capital. Como ele também era um militante, escreveu o Manifesto Comunista. Nunca confundam a obra econômica teórica de Marx com seus escritos políticos. Mesmo que o estilo agitador esteja presente no O Capital. Para criticar um filme, é imprescindível ASSISTI-LO. Ninguém critica um filme apenas com a descrição do filme que o amigo conta. Para discutir o marxismo, leia Marx. Para discutir o capitalismo, leia Marx, Para discutir de socialismo, estude a história econômica do século XX. Você vai descobrir que as medidas tomadas na Europa depois da segunda guerra foram medidas socializantes, de regulação do capital. As mesmas que os EUA tomaram depois da crise de 29. E que começaram a ser derrubadas pelo neoliberalismo nascido em 1944 com os acordos de Breton Woods que criaram o FMI, e só conseguiu ser implementado como política mundial na década de 80. E para uma visão geral didática da origem e funcionamento do capitalismo financeiro assistam a 'Money as Debt' . Um documentário canadense. (Não é cubano e nem Coreano)

    • Nelson Moratto Postado em 12/Mar/2014 às 20:52

      Excelente, Helter Maia. Sem comentários!

  28. Alvaregene Postado em 11/Mar/2014 às 19:27

    Nunca houve comunismo, o que houve foi a introdução do chamado "socialismo real", com abolição da propriedade privada dos meios de produção em sociedades quase feudais na Rússia e China e depois a expansão após a segunda guerra. A China hoje volta ao leito normal na busca do comunismo a partir do desenvolvimento das forças produtivas. Agora soa estranho um artigo que se pretende falar sobre comunismo admitir esta balela de mulhões de mortos por Stalin e Mão, arma de propaganda da direita.Estes dois enfrentaram, guerras, invasões, fome, tiveram que matar e morrer, sendo que dos cinquenta milhões de mortos da segunda guerra vinte milhões foram soviéticos e de mais a mais quem contou?

    • Rodrigo Postado em 25/Nov/2014 às 22:45

      É apenas uma fuga fortuita quando vem um assunto que é muito usado para atacar o comunismo, mas lhe falta o conhecimento necessário para ver que essa é uma falsa premissa. Culpa de distorções históricas que se tornaram hegemonia na historiografia, criando preconceito contra historiadores como Grover Furr e Ludo Martens.

  29. Rodrigo Postado em 11/Mar/2014 às 22:21

    Sempre identifiquei como falaciosa e insustentável a velha justificativa dos socialistas: "ah, mas aí não vale como experiência socialista, não é o socialismo utópico"; em que pese tal, ainda acreditava que a esquerda seria a solução para todos os graves erros havidos no Brasil. Mas, recentemente, vi que não é exclusividade da esquerda um raciocínio tal. Ao buscar me informar sobre, os tão aqui citados, Constantino e Olavo de Carvalho, vi, em um "hang outs", fala coincidente: "o capitalismo não seria a invasão do Vietnã, Hiroshima e Nagasaki, bem como Iraque e Afeganistão e muito mais". Cabe, pois, questionar se tratamos, em verdade, de um pragmatismo ou de empirismo político. Se cá em discussão séria, fundamentada, a identificar vícios e propor soluções, ou apenas a tentar descobrir quem é o mais especial, o mais iluminado, impassível de críticas, que há de ser idolatrado. Afinal, os erros de ambos os sistemas econômicos devem ser identificados, em prol de soluções. Mas não ambos serem mero objeto de discussões apaixonadas. Assim, a fim de que haja justiça, bem como honestidade intelectual, a princípio é preciso olvidar tanto as lições de Maquiavel (O príncipe), quanto as lições de Schopenhauer (“38 maneiras de vencer uma discussão” , inspirado na obra dele). Abandonar a eterna justificativa dos erros, do poder a qualquer custo, bem como a demonização/ridicularização do interlocutor, o uso de argumentos "barulhentos", mas vazios de qualquer conteúdo. Então podemos passar à análise do discurso, a fim de averiguar seus argumentos, seguindo a enumeração posta: 1- violência de Estado, há em ambas, pois ambas querem a contenção dos cidadãos (no Brasil, nos EUA, na Russia, na Venezuela, a violência na contenção da população, sem precisar investigar se há ou não razão na manifestação, é a mesma) a fim de ser mantido o governo. Agora, começar com "ricaço" torna-se lamentável, ao partir para dois pontos: generalização, bem como criminalização de uma situação econômica melhor, mesmo porque não vejo nenhum esquerdista dado à prodigalidade (o que, claro, não se confunde com caridade e filantropia); A propriedade, pura e simples, confere ao detentor de tal direito a defesa do mesmo, podendo reclamar junto ao Estado que implemente concretamente tal defesa - em caso de um roubo/furto/apropriação indébita/, de uma turbação ou esbulho possessório - se um bem meu é ameaçado injustamente, tenho o direito óbvio de reclamar a intervenção policial e judicial, sendo inconcebível que uma sociedade se sustente ao concluir por aceitável a expropriação criminosa. Como devemos ensinar aos nossos filhos, não importa se o amigo tem mais de um brinquedo, se tem uma bicicleta melhor, se tem um tablet ou o que o valha. Honestidade, prezar por ser homem de bem, respeitar o direito alheio, são imperativos. E, se o terceiro adquiriu patrimônio mediante atitude ilícita, seja ao abusar da fé alheia, seja ao abusar dos empregados (como revistas que não registram o contrato, não pagam INSS e FGTS, nem mesmo o piso salarial e prontamente demitem os grevistas...), através do tráfico de drogas, armas, seres humanos, o caminho é a denúncia aos órgãos competentes (novamente, não confundir Olívia Pires com pratinho de azeitona e achar que, por alguém ter uma situação melhor, é um criminoso). Ao fim as experiências marxistas mostram que, após a apropriação dos meios de produção e terras, não há viabilidade aos cidadãos para a compra de itens como comida e papel higiênico; 2- O livre comércio realmente tem suas falhas e que merecem correção, sendo correto raciocinar que um lado interessante do capitalismo é instigar pessoas a buscar soluções, que são, ao menos boa parte das vezes, possíveis (como o motorista de ônibus que usou o dinheiro de sua rescisão para abrir fábrica de chinelos quadrados, obteve lucro e crescimento, contratando mais e pagando mais tributos), sendo possível um comparativo com o pensamento Católico e Protestante (no primeiro, a priori era pregada a vontade de Deus, ao que no segundo é instigada a pessoa ao crescimento - sou católico e sei reconhecer essa diferença de mentalidade, a qual, em ambos os casos, sofre distorções). Contudo, ainda há o que ser comprado, a exemplo de alimentos e papel higiênico. A exemplo de eletrônicos, os quais mostram-se indispensáveis, hoje, para a comunicação, informação e, essencialmente, existência de blogs como este. E cabe uma correção, esperando não ter sido maliciosa a fala: os africanos foram derrotados por tribos rivais, que passaram a vê-los, inimigos derrotados, como coisa, vendendo seu semelhante para serem escravos - o crime possui cúmplices, a história verdadeira havendo de ser contada, mas não apenas o que for conveniente. 3- Faltou especificar com base em quê é afirmado um "chute", bem como mostrar o que seria o número real. Jogar com a mente do incauto é mais fácil, mas o discurso não se sustenta por quem analisa-o de forma mais séria. Até então, nas matérias a que já tive acesso, a conta realmente era mais baixa, entre 20 a 40 milhões de mortos, mas lembremos que Hitler, também sanguinário, foi responsável por 5 milhões de mortos (Judeus, faltando contar os soldados mortos na guerra). Stalin assassinou seu próprio povo, no que é absolvido pelo festejado historiador Eric Hobsbaw, em sua obra "A Era dos Extremos" sendo afirmado que tamanho genocídio foi "necessário" aos ideais da esquerda - o historiador, pois, aloca Stalin na esquerda socialista. Ainda nesse sentido, o revisionismo em voga na Rússia, a defender a correção de tal atitude de Stalin. E o mesmo quanto a tentar desligar Mao da esquerda socialista. Não apenas os historiadores, como os ideais fundantes de partidos de esquerda demonstram que Mao é companheiro e camarada, sendo justificados seus crimes em nome da "causa"; 4- Governos, independentemente do sistema econômico que os norteia, violam os direitos humanos e, longe de minha fala representar uma justificativa, representa uma constatação a colocar socialistas e capitalistas, no poder, como assíduos leitores de O Príncipe. Massacram o próprio povo, guerreiam e matam, buscam a tomada de território alheio, têm presos políticos e torturam etc. (emblemático, pois, a coexistência de presos políticos em Guantánamo e em Cuba, ambos torturados). Nem é preciso maior análise a fim de igualar os crimes de ambos. 5- aqui há um ponto interessante, ao falar que o comunismo pode ser algo para futuro, pois, realmente, se o homem não se der à distorção, a usar as lições de Marx apenas para ter um capitalismo mais eficiente e chamá-lo de socialismo, se não quiser ter milhões para sustentar sua fortuna na Forbes, quem sabe, com muita evolução e mais amor ao próximo, sem falácias, nem justificativas para crimes, o ser humano chegue a um estágio evolutivo que o permita usar coisas em comum, tornar coisas comuns, respeitando limites a começar pelo direito alheio de poder usar de igual modo, com o mesmo respeito - assim, em momento algum tal se confunde com as experiências russa e chinesa, em que generais apenas quiseram o poder e um povo a serví-los, cometendo crimes tais quais os havidos em ditaduras de direita. 6- conheço muita gente de bem, "rica" ou "pobre", que trabalha muito e dá-se ao lazer, quando possível em um domingo, quando não apenas nas férias. Médicos que chegam em casa tarde da noite, ao "dar plantão" em várias cidades ou ao atender a vários pacientes em seu consultório (em que pese a visão de vilania que nos é passada); professores universitários, que corrigem provas, escrevem artigos, cuidam de suas teses, dissertações, palestras e orientados; Juízes e Promotores que levam trabalho para casa; diarista, que no fim de semana vai cuidar da roça que tem em sua propriedade, na semana traz o filho na cidade, para discutir o ensino do mesmo e eventual necessidade de matriculá-lo na Apae ou atendimento junto a Caps, pois não está acompanhando o ritmo de ensino; o trabalhador de baixa renda, que em grandes cidades perde 02 ou mais horas, na ida e na volta ao trabalho, ainda tendo de cuidar do lar e família, ao voltar do trabalho. Então precisamos diferenciar o ócio injustificado do "ócio" (ler um livro, revista, site, jornal, ao deixar de ver uma novela ou BBB; um momento de lazer com a família; a frequência a um curso profissionalizante, supletivo, universitário ou mesmo alfabetização). Buscar, pois, o justo meio entre a perda de tempo e o trabalho excessivo, sabendo que é normal ter de trabalhar, suar,cansar a mente/músculos, em prol do sustento próprio, da família e da melhoria de vida. 7- realmente há mais espaço para a futilidade no capitalismo, então é o momento, em vez de demonização, de socialistas e capitalistas lançarem-se à busca de soluções conjuntas. Ambos os sistemas, em largas experiências, mostram erros particulares, bem como erros comuns, sendo necessária a busca pelo equilíbrio, pelo justo meio. E isto começa, como disse, pela honestidade intelectual, pelo respeito ao interlocutor e necessária identificação de pessoas de má indole, de má intenção, que apenas querem se valer de crentes no socialismo ou comunismo para sustentá-lo em uma concepção autoritária de poder, financiando o luxo e a boa vida do governante. Nesse jogo político, em verdade, de um lado do tabuleiro há o cidadão, de outro havendo os políticos em geral, os quais apenas fingem ser diferentes e são sustentados no poder por todos aqueles que fingem ser diferentes, como Collor e Lindbergh; Lula e Maluf; Dilma e Sarney. P.S.: não, não prego anarquia, mas tão somente que lancemo-nos à efetiva cobrança, ao efetivo zelo pelo patrimônio público, ao respeito aos cidadãos, em vez de persistirmos no eterno endeusamento de políticos, como se celestiais fossem, aceitando todos os seus erros e encobrindo-os ao descobri-mo-nos como exímios apontadores, apenas, dos erros alheios.

  30. João Paulo Postado em 12/Mar/2014 às 14:08

    Já pode voltar pro planeta terra, autor.

  31. celio Postado em 14/Mar/2014 às 16:20

    Comunismo é forma de governo totalmente controlado pelo estado, sem liberdade individual, onde não se circula livremente ou circula em um perímetro pré-determinado e até para viajar tem que pedir autorização ao Estado, em oposição à democracia, forma de governo onde há liberdade individual. Capitalismo é meio de comércio, onde a produção e o consumo são livres.Portanto Capitalismo não é forma de governo. Mesmo os países comunistas praticam o Capitalismo, senão como adquiririam os bens que não tem ou não produzem.

    • Carlos Prado Postado em 15/Mar/2014 às 20:41

      Governos são sempre opostos ao capitalismo enquanto tentam se meter na vida das pessoas. O engraçado que a culpa de muitas experiências socialistas terem fracassado seja por causa de barreiras ao capitalismo. Havana antes da revolução era uma merda por conta do comércio com os EUA? Bem, hoje a desculpa é que é uma merda por não haver comércio com os EUA.

  32. Melo Postado em 19/Mar/2014 às 17:12

    Cuba só não é um país prospero por causa do embargo econômico promovido pelos EUA. E não só o embargo, mas toda a pressão que os EUA fazem contra países que tentam comercializar com a ilha. Cuba não é um país de riquezas naturais, mas com grande capital humano. O que falta para que ele se desenvolva é a instalação de indústrias lá, que poderiam ser instaladas se não houvesse esse absurdo embargo econômico. Cuba é o Japão da América Latina, pobre em recursos naturais, mas rico em capital humano. É só observar os avanços em Tecnologia da Informação (T.I.) que Cuba tem alcançado nos últimos anos, através da Universidad de las Ciencias Informáticas. Em 2012, por exemplo, obteve um terço dos lucros obtidos pela gigante Microsoft em todo o mundo com a venda do programa Windows.

    • Michael Postado em 01/Dec/2015 às 18:45

      Sei, então seu argumento é de que Cuba, uma país SOCIALISTA, não é um país próspero porque não tem capitalismo, é isso? Porraaaaa!!!!!!

  33. Nicolau Postado em 25/Mar/2014 às 22:03

    A Rússia e Europa do Leste, são a Tumba do comunismo! Hoje o comunismo serve só para Idiotas Subdesenvolvidos da América do Sul!

  34. LudoFinal Postado em 22/Aug/2014 às 09:19

    "Se eu reivindico a mansão de alguém, por mais libertário que seja, ele vai recorrer ao governo e às suas armas para me colocar no devido lugar. Ele possui aquela mansão porque o Estado diz que possui e tentará prender qualquer um que discorde." Você reinvidica a mansão de alguém, logo, ela já tem dono. Comunista é bandido pagando de vítima. Exemplos bem conhecidos.: Lula e Dilma.

  35. LudoFinal Postado em 22/Aug/2014 às 09:58

    Só falta dizer que em Cuba e Coreia do Norte tem liberdade. Só falta dizer que na China, onde milhares de trabalhadores escravizados suicidam-se, tem liberdade. Qual é a liberdade de um regime comunista?

  36. Alexandre Lisboa Postado em 31/Oct/2014 às 14:27

    Nunca li tanta merda na minha vida...

    • Michael Postado em 01/Dec/2015 às 18:44

      Cara, se fosse possível desler...

  37. Guilherme Postado em 01/Nov/2014 às 11:54

    Muita gente defende o comunismo ingenuamente, acreditando na utopia. Mas o fato é que o poder nas mãos de um ditador, ou de um partido, degenera a invasões às liberdades e aos direitos humanos mais elementares. O próprio autor do texto reconheceu atrocidades cometidas. A violência mais grave na minha opinião é a necessidade de controle, dos meios de informação (desinformar, alinhamento ideológico e contra diversidade de pensamento), do que é ensinado, da opinião das pessoas, como forma de manter ordem. Isso é extremamente agressivo a uma sociedade, à humanidade toda. Podemos resolver os problemas dentro do capitalismo, desde que respeitemos as instituições democráticas. A subversão (método para criar as ditaduras do proletariado), e o poder centralizado, será o fim das garantias do cidadão contra os poderes ilimitados do Estado. PS.: toda propriedade é em última análise do Estado, mesmo no capitalismo, a diferença é que neste o Estado é muito mais limitado pelas leis, e há mais garantias e segurança ao cidadão, e menos controle. Há o risco ainda de pessoas que buscam o poder pelo poder, gente sem escrúpulos, utilizarem toda essa engenharia política e controle ilimitado em benefício próprio e egoístico. Isso é tão grave quanto foram todos os grandes erros da humanidade.

  38. Valter Augusto Postado em 03/Nov/2014 às 21:44

    Então vai,mano!

  39. mangue Postado em 09/Nov/2014 às 17:43

    A existência, a não existência do capitalismo. A única utopia verdadeira é aquela que faz de uma realidade irresponsável, excludente e insustentável, algo promissor . O capitalismo é a única utopia, nem o reino de DEUS é utópico, pois ele é sustentável, como suas versões humanas terrenas imperfeitas que objetivam de fato isso, mas caresem de homens de coração e mentes livres e de boa vontade para existir. E nessa empreitada o capitalismo esta vencendo, cooptando e esvaziando mentes e corações, mantendo-se assim existindo.

  40. mangue Postado em 09/Nov/2014 às 19:32

    Capitalismo e antropocentrismo. A única coisa que justifica o capitalismo, é algo tão irracional quanto ele, o antropocentrismo, sem o qual o capitalismo se extiguiria, pois contra o antropocentrismo esta a ecologia força maior desprezada pelo mesmo. porém o capitalismo vai mais longe em sua realidade, diferente de sua promessa de bem estar geral, ainda que passando por cima da natureza, esse antropocentrismo capitalista é excludente, o que define bem o capitalismo como um darwinismo social (vamos dizer, velado) a lei do mais forte, dos mais "competentes", dos mais competitivos, dos mais expertos, dos mais adaptados, e se fecha em um mundo limitado e perigoso que desconhece a natureza como força vital e desconhece as caracteristicas humanas mais protetoras de si mesmo como humanidade, que é o próprio espirito humano de sabedoria e compaixão, que fica reduzido a alguns que assistem incapazes o show de egoísmo e perversidade, que se faz em troca das trita moedas. Quem é de boa fé e tem alguma dúvida sobre o capitalismo se coloque na realidade dos outros, e perceba de onde esta vindo a pujança do sistema, para onde esta fluindo e para que, e que rastro social e ambiental esta deixando, e reflita se este sistema é promissor, sobre tudo faltando um minuto para meia noite, onde a humanidade deve correr, e decidir logo que espécie de mundo deseja, o do aqui e agora e das ilusões, da felicidade superficial e passageira das aquisições materialistas de propositos vazios, ou o mundo sustentável que propicia justiça social e respeita os limites da mãe natureza (por sinal já ultrapassados) e faz desabrochar uma felicidade desconhecida, por que não esta na carapaça costumeira das superfluidades, esta no interior, que o insustentável e naturalmente ilimitado, excludente e irresponsável capitalismo não pode oferecer.

  41. Cristian Luna Postado em 23/Nov/2014 às 07:58

    Comunismo já foi ! Pior é ainda tem gente que ainda está nessa e não cai na real. Vamos estudar e bolar algo melhor que o capitalismo . Quero estudar o distributivismo, alguém conhece?

  42. André Andretta Postado em 27/Nov/2014 às 21:15

    Que lixo, hein?

  43. David Postado em 28/Nov/2014 às 16:04

    Comunismo,capitalismo,nada funcionara com a humanidade a verdade não passamos de animais que foaram sociedade a 25 mil anos nossos estintos vem primeiro, quer acabar com o problema do mundo mate a todos e me diga quantos problemas irão sobrar!

  44. anonimo Postado em 30/Nov/2014 às 15:53

    ja pensaram na terceira forma? "anarquismo"

  45. Linda Postado em 01/Dec/2014 às 20:01

    O comunismo iguala a todos por baixo, distribuindo a miseria!

  46. André Bergamo Postado em 02/Dec/2014 às 03:58

    Só deste site ter comentários mais elaborados e pensantes já acho algo válido. Sou socialista, mas cheio de dúvidas. Não tento passar o pano nos regimes totalitários que o Comunismo já produziu, assim como não passo o pano no neo liberalismo e as inúmeras gurras, escravidões e marginalizações de pessoas que o capitalismo já produziu. O mínimo que devemos tentar é uma reforma ampla do sistema capitalista brasileiro atual, no tripé, reforma tributária, reforma agrária e reforma política, isso é o mínimo que necessitamos fazer aqui. Notem que eu falei de REFORMAS do nosso sistema capitalista e não de implantar o socialismo, pois nós não estamos nem prontos para isso, necessário primeiramente avançar nessas três questões.

    • Valéria Couto Postado em 02/Dec/2014 às 18:42

      Me explique, por favor, qual é a diferença entre liberal e neo-liberal?

  47. Fábio Postado em 02/Dec/2014 às 14:09

    Comunismo não é progressista... quem estudará 5 anos de medicina numa Universidade enfrentando dia e noite no calor ou no frio para "um sistema feliz"? Quem vai estudar anos de ciências e criar novas técnologias apenas por criar? não existe benefício nenhum no comunismo... alguns ainda trabalharão mais que outros... a diferença é que cansarão mais rápido... não me venha com esse "papinho" de dizer que a culpa é da Globo e não sei mais o que... aprenda a gastar menos do que ganhar e a excluir prazeres fúteis... quanto mais rápido aprender isso mais cedo acumulará o suficiente para ter uma bela aposentadoria... ou fique "se lamentando" por que enquanto formos vivos esses bla bla bla de transformarmos em sociedade comunista vai continuar sendo história...

  48. Valéria Couto Postado em 02/Dec/2014 às 18:39

    Fábio, você foi pesquisar na wikipédia? Ela não é fonte confiável de pesquisa. Outro detalhe, eu não estou me referindo à arte mantida pelo "partidão" não, nããããoooo. Eu estava me referindo à livre iniciativa, AO PRAZER QUE TODO ARTISTA TEM DE VENDER SUA ARTE, TROCAR SEU TRABALHO POR DINHEIRO. E se a arte fosse tão apoiada lá não teria a triste notícia de um jornalista que foi procurar como estava vivendo os integrantes do grupo musical Buena Vista Social Clube (se não me engano o nome era este). O jornalista teve que fazer tudo escondido, ninguém poderia saber que ele queria gravar um documentário sobre o grupo musical, tamanha é a truculência do comunismo com a criação artística, com o fazer criativo. E Fábio, você tem informação se os pintores (por exemplo, a pintura) têm onde adquirir tintas para criar seus quadros...você sabe?? Outro detalhe que te escapou: eu não estava falando de arte que fica dentro de Cuba, eu estava falando de arte de projeção internacional. O comunismo é tão cruel que o artista fica CONDENADO A APRESENTAR SUA ARTE APENAS DENTRO DO PAÍS DELE. E alguém lá tem dinheiro para levar um quadro para pendurar na própria casa? rs...rs...não né! Há poucos dias vi uma notícia que os cubanos agora podem comprar a casa própria (mais uma estratégia do Fidel, ou quem o valha) para trazer dinheiro para Cuba (dinheiro lá é coisa rara). Mas só os cubanos que moram fora de Cuba que estão conseguindo comprar imóveis, porque, segundo o jornalista, para um cubano comprar um imóvel ele precisa viver cerca de 500 anos....kkkkkkk....

  49. clarice Postado em 09/Jan/2015 às 17:55

    lendo esse texto e após os comentários, igualmente, em ambas as partes eu me sinto cada vez mais satisfeita e feliz por ter princípios comunistas em meu ser. a justiça e a bondade estão conosco. gratidão autor pelos esclarecimentos.

  50. Felipe Kronéis Postado em 14/Apr/2015 às 14:48

    a fome era programada

  51. Nicolau Postado em 16/Aug/2015 às 17:07

    O artigio acima é de um panaca burguês metido a comuna que está lendo o judeu Marx e se acha comunista e não sabe que Anticomunista é aquele que viveu no jugo comunista!

  52. João Cirino Gomes Postado em 18/Aug/2015 às 22:30

    Só os idiotas retardados, ainda não perceberam que em todos os países comunistas do mundo, só tem miséria! E em todos os países comunistas, a população passa pelas mais diversificadas necessidades e até fome, enquanto os mandatários levam vida de sultões. Não é estranho? Vejam, se alguém esta arriscando a vida para fugir dos EUA, da França, da Holanda...? Nem precisa fugir destes países, neles a população tem trabalho, dignidade e o direito de ir e vir, e em nenhum país prospero e democrático, o comunismo é aceito! Só vemos pobres diabos arriscando a vida para fugir dos países comunistas! E agora vamos aceitar que estes vagabundos ordinários venham implantar este sistema vil e miserável no Brasil? Eles que vão para os quintos dos infos, ou para Cuba que os pariu! Eu jurei defender a pátria e a Bandeira que tem o azul do céu, o branco da paz, o verde das matas, e o amarelo das riquezas e minérios. Juramento não se quebra, e palavra do homem honrado não faz curva! Não me submeterei a uma bandeira vermelha, manchada de sangue inocente, com a foice e o martelo! Por estas e outras, convoco todos os patriotas> vamos para frente do quartel mais próximo de nossa residência pedir intervenção, Ou deixar a pátria livre destes embusteiros, ou morrer pelo Brasil! Intervenção constitucional militar já!

    • José Ademir Rosada Postado em 10/Jun/2016 às 22:54

      Também nao falam que o Brasil foi descoberto por portugueses que na época eram comunistas,que foram eles comunistas que escravizaram o povo e venderam as terras indigenas

  53. vitor Postado em 03/Sep/2015 às 16:36

    Bom texto. Me proporcionou uma excelente reflexão! Tenho tendências liberais, no entanto concordo com boa parte do que li. No final das contas o objetivo há de ser o mesmo: a liberdade em todos os aspectos possíveis e uma qualidade de vida ao menos digna. Quanto ao fim, ainda precisaremos de alguns séculos para alcançarmos, pois o problema não está no caminho, e sim, no andarilho...

  54. Paulo Postado em 19/Nov/2015 às 08:43

    Comunismo é tara, desequilibrio mental, comprova o famosos psiquiatra Lylle Rossiter, confira e veja como ele comprova e tem toda razão, caso de internamento URGENTE em clínica para malucos! Aliás, com o voto impresso e possível recontagem de votos, tomaram a galinha dos ovos de ouro do PT!

  55. José Ademir Rosada Postado em 10/Jun/2016 às 22:46

    Interessante que ninguém falou aqui sobre os comunistas no Brasil,que desde quando descoberto ,oBrasil viveu um regime de esquerda,porque antes do descobrimento .Portugal vivia um regime comunista. Que foram os ditos comunistas que escravizaram os negros no Brasil e que foram os primeiros a tomar as terras indigenas no Bras .INTERESSANTE,ISSO NINGUéM FALA AQUI .vao ler a verdadeira història do Brasil,nao a contada pelos comunistas e saibam voces que o Brasil sempre foi um pais de esquerda,com excessao do periodo militar

    • andre gialluisi Postado em 04/Sep/2016 às 02:00

      portugal vivia um regime comunista quando do descobrimento do brasil? kkkkkkk