Redação Pragmatismo
Compartilhar
Aborto 26/Feb/2014 às 12:26
128
Comentários

Uruguai: quase 7 mil abortos seguros e nenhuma morte registrada

Uruguai: em um ano, 6.676 abortos seguros foram realizados e nenhuma morte registrada. Do total de abortos realizados no marco da nova lei, em apenas 50 casos (0,007%) houve complicações leves

legalização aborto uruguai
Aborto seguro no Uruguai: desde a legalização, nenhuma morte foi registrada (Efe)

Um balanço oficial do governo uruguaio informou que, no período de um ano de vigência da Lei de Interrupção da Gravidez (lei de aborto), foram realizados 6.676 abortos seguros – nenhuma mulher faleceu. Desde dezembro de 2012, as mulheres uruguaias podem realizar a interrupção da gravidez indesejada em segurança e na legalidade.

Desta data até novembro de 2013, a média foi de 556 abortos por mês, um número próximo a 18 abortos por dia. Do total de abortos realizados no marco da nova lei, em apenas 50 casos (0,007%) houve complicações leves. O único caso de morte foi o de uma mulher que realizou um aborto clandestino, fora de um centro de saúde, aparentemente usando uma agulha de crochê. Ela já teria chegado em estado grave ao hospital.

Segundo o Subsecretário de Saúde Pública, Leonel Briozzo, a tendência é que o número de abortos diminua ao longo do tempo. “O que nos indica é que a prática do aborto é segura, acessível e infrequente. O Uruguai tem uma taxa de nove interrupções da gravidez a cada mil mulheres entre 15 e 44 anos, o que de alguma maneira nos coloca nas posições mais baixas do mundo, inclusive mais baixa que os países da Europa Ocidental, que reportam 12 interrupções a cada mil mulheres”, destacou.

Do total de abortos, 41% foram realizados pelo setor público e 59% pelo setor privado. A maioria dos abortos aconteceu em Montevidéu, ao redor de 64%, enquanto que no interior do país foram registrados 36%.

Para a ex-senadora e atual presidenta da Frente Ampla, Mónica Xavier, os resultados da nova Lei de Interrupção da Gravidez são satisfatórios e não é chamativo o incremento do número de abortos neste primeiro ano de aplicação da lei.

“Quando promovíamos [a criação de] normas legais que regulassem a interrupção da gravidez com algumas condições, entendíamos que ia haver [no longo prazo] uma diminuição dos aborto,s que não ia ser registrada no início, mas sim com o tempo”, pelo fato de não havia registros oficiais sobre o número de abortos antes.

As mulheres adolescentes foram as que menos realizaram interrupções da gravidez, ao redor 18%, enquanto as mulheres adultas representaram 82% do total. Para Xavier, é necessário dar tempo para que haja confiança e maior respeito entre as mulheres e o sistema de saúde.

“De um dia para o outro, as pessoas não vão ter confiança para não serem estigmatizadas, questionadas em sua decisão, porque há toda uma aprendizagem mútua, desde o reconhecimento do direito até a melhor atenção, de qualidade, que devem fazer as equipes de saúde”, ressaltou Xavier.

Oposição

No entanto, o deputado Pablo Abdala, um dos opositores à nova lei, dúvida que o aborto clandestino tenha sido extinto. “Acredito que a clandestinidade segue ocorrendo livremente. Além disso, o aborto clandestino agora é feito com mais facilidade que antes; não é necessário ir a uma clínica para ter acesso aos comprimidos”, afirmou Abdala para o jornal El País.

Os resultados oficiais também demonstram que 6,3% das mulheres desistiram da ideia de abortar e continuaram com sua gravidez, após realizar as consultas com as equipes multidisciplinares. O baixo índice sugere que a maioria das mulheres chega aos centros de saúde já com uma decisão tomada.

Lei de aborto

A solicitação para a interrupção voluntária da gravidez pode ser feita até a 12ª semana de gestação. O período se amplia para 14 semanas em caso de estupro e não há restrições nos caso de má-formação do feto ou risco de vida para a mãe.

Antes, as pacientes devem passar por uma equipe multidisciplinar formada por um ginecologista, um psicólogo e um assistente social. Entre outras ações, eles conversam sobre a possibilidade de concluir a gravidez e dar a criança para adoção.

Posteriormente, há cinco dias para a reflexão. Depois, caso a vontade permaneça, é feito o aborto, farmacológico e seguindo os critérios recomendados pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Rafael Reis, Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Aken Postado em 26/Feb/2014 às 13:29

    Na verdade, 7 mil mortes.

    • Thiago Teixeira Postado em 26/Feb/2014 às 14:25

      7 mil mulheres donas de seu próprio corpo.

      • cevert Postado em 26/Feb/2014 às 14:37

        Do seu sim, do que eswtava dentro do seu corpo , não.

      • Matheus B. Postado em 26/Feb/2014 às 15:18

        Donas na hora de abortar, mas na hora de transar, tadinhas, não sabiam o que estavam fazendo!

      • Cris Postado em 26/Feb/2014 às 15:45

        :) Isso mesmo Thiago Teixeira...quase 7 mil donas de seu corpo, fechei com você.

      • herbo Postado em 26/Feb/2014 às 17:06

        donas de seu proprio corpo, mas pediram ajuda pra realizar o procedimento.

      • Thiago Teixeira Postado em 26/Feb/2014 às 17:26

        Adotem então as crianças, assuma a mulher grávida. Meter a boca é fácil. Qual a solução?

      • Rodrigo Postado em 26/Feb/2014 às 18:09

        Donas do próprio corpo, decerto. Mas conter um corpo em desenvolvimento não significa ser dono dele. Não há, a não ser mediante ideais escravagistas ou machistas (quanto à alegada "propriedade" da mulher, pelo homem), como se afirmar um ser humano dono de outro. Então, ao menos no meu caso, eu contabilizo os 7 mil mortos. P.S.: pode mandar adotar a criança, mas não o "marginal"?

      • Paulo Silva Postado em 26/Feb/2014 às 19:01

        Minha namorada sempre utiliza um argumento comigo: "Quem não tem útero, não opina". Simples assim. Não interessa o quanto homens debatam, nós nunca saberemos como é. E outra, se a mulher quiser abortar, ela vai fazer de qualquer jeito. Se isso é certo ou não, não sou eu quem vou julgar, mas acredito que é melhor fazer em uma clínica, do que clandestinamente.

      • Elias Postado em 26/Feb/2014 às 22:20

        Elas não são donas dos corpos das crianças, as crianças se soubessem as mães que tem iriam sair correndo, 7 mil mortes. Esquerda e seu estado ajudando a matar de forma legalizada. Primeiro destroem a moral, transformam o país em um puteiro e depois matam crianças inocentes, meus parabéns.

      • Patrícia Postado em 27/Feb/2014 às 00:08

        Exato.

      • Paulo Silva Postado em 27/Feb/2014 às 09:41

        Elias, sério mesmo que você agora vai falar em Estado de Esquerda assassino? Em diversos países, incluindo EUA, Canadá, quase toda a Europa, o aborto é legalizado.

      • Daniel Postado em 27/Feb/2014 às 11:02

        7 mil assassinatos! São donas do próprio corpo, mas não do corpo do bebê. A mãe teve o direito de escolha, o bebê não. E o tom da reportagem ainda é de comemoração... E tem gente que ainda não sabe como foi possível Hitler chegar ao poder.

      • Paulo Silva Postado em 27/Feb/2014 às 16:58

        Daniel, desculpe, não vi o tom de comemoração na reportagem. Pelo contrário, com a legalização, é possível obter dados oficiais e verificar, por exemplo, porque em certas regiões se faz mais abortos que outras. No Brasil, mesmo sendo ilegal, segundo o Grupo de Estudos do Aborto, são realizados cerca de 1 milhão de abortos por ano. Não estou aqui tentando te convencer a aceitar o aborto, e nem estou dizendo se é ou não assassinato, apenas quero mostrar que, se é pra fazer, como se faz tanto no Brasil, melhor que seja num hospital. Se a mulher quiser abortar, vai fazer de qualquer maneira, melhor que seja feito por médicos.

      • Igor Muniz Postado em 27/Feb/2014 às 17:41

        Se sua mãe fosse egoísta, não estaria aqui dizendo essa asneira. A mulher NÃO é dona do corpo do bebê.

      • Thaís Postado em 28/Feb/2014 às 08:17

        Exatamente!

      • Giovanna Postado em 01/Mar/2014 às 02:30

        Incrível que de todas as respostas,só duas foram de mulheres,e só uma foi contra.Concordo com a namorada do Paulo:Vocês não sabem o que é passar pelo que as mulheres gravidas passam.Vocês acham que é melhor que uma mulher tenha um filho para depois ele morrer de qualquer jeito porque ela não tinha dinheiro para alimentar essa criança ? Vocês acham que é melhor que a mulher tenha um filho que depois vai ser dado pra adoção e crescer em um orfanato,porque o sistema de adoção é falho? Vocês acham que é melhor que essa criança depois vire um ladrão ou venda drogas por aí,porque precisa de dinheiro pra sustentar a família? Vocês acham que essas mulheres que não estão prontas para ser mãe devem ter um filho,mesmo que depois ela surre a criança ou mate ela sufocada porque ela não queria aquele filho e não aguenta mais ouvir ele chorar? Autorizar o aborto,não é persuadir a mulher a fazer o aborto,é dar a ela uma segunda opção

      • juliana Postado em 01/Mar/2014 às 03:13

        A questao é muito mais profunda. Sao mulheres donas do seu proprio corpo sim! Os abortos acontecem sendo legais ou nao, é melhor que a mulher que decida realiza-lo o faça com a maior segurança possivel, acho o ideal do URuguai louvavel, permitir que a mulher tome conta do seu corpo de uma maneira segura, e ainda oferecida pelo sistema publico. Absurda é a nossa legislaçao, que criminaliza o aborto, levendo milhares de mulheres a utilizar meios precarios e inseguros, levando a muitas mortes por ano. É preciso ter em mente ainda que o aborto NAO é um metodo contraceptivo, e nem é a uma decisao facil para a mulher, jamais.

      • juliana Postado em 01/Mar/2014 às 03:13

        A questao é muito mais profunda. Sao mulheres donas do seu proprio corpo sim! Os abortos acontecem sendo legais ou nao, é melhor que a mulher que decida realiza-lo o faça com a maior segurança possivel, acho o ideal do URuguai louvavel, permitir que a mulher tome conta do seu corpo de uma maneira segura, e ainda oferecida pelo sistema publico. Absurda é a nossa legislaçao, que criminaliza o aborto, levendo milhares de mulheres a utilizar meios precarios e inseguros, levando a muitas mortes por ano. É preciso ter em mente ainda que o aborto NAO é um metodo contraceptivo, e nem é a uma decisao facil para a mulher, jamais.

    • Anny Postado em 26/Feb/2014 às 14:57

      Direito de escolha, cada um tem o seu!

      • Leandro Postado em 27/Feb/2014 às 13:29

        menos o feto?

      • Raul Postado em 27/Feb/2014 às 15:47

        Exceto os fetos, não é?

      • Carlos Gomes Postado em 28/Feb/2014 às 14:52

        E aqui cheio de abortistas hipócritas que a mãe não abortou.

      • herbo Postado em 04/Mar/2014 às 08:00

        direito de escolha com ajuda dos outros ? me poupe.

    • Thiago Postado em 26/Feb/2014 às 15:36

      Antes mortos que vivendo uma vida de sofrimento, com pais despreparados sendo muitas vezes agressivos, podendo passar dificuldades financeiras, entre outras coisas.

      • Matheus B. Postado em 26/Feb/2014 às 15:45

        Rapaz, leia o que você está dizendo. Na tua escala de valores, a vida está abaixo das dificuldades financeiras...

      • Bianca Postado em 27/Feb/2014 às 07:51

        Isso mesmo.

      • Roberto Postado em 27/Feb/2014 às 12:18

        Só fala asneira. Fique calado.

      • Thaís Postado em 28/Feb/2014 às 08:20

        Isso mesmo, e lembrando que muitas vezes (muitas mesmo) a criação e todas as dificuldades ficam para a mãe, já que o pai abandona, vai embora ou é ausente mesmo morando na mesma cidade, como foi comigo, meus irmãos e diversos amigos meus

      • herbo Postado em 04/Mar/2014 às 08:02

        é o mesmo que se pode dizer de você, antes morto do que falando merda.

    • Andreia P. C. Postado em 26/Feb/2014 às 16:19

      Com certeza Aken, são "quase 7 mil" mortes, como nos diz a reportagem. E se referindo ao pronunciamento do Thiago M., penso que o aborto não ameniza em nada os problemas destas mulheres que optam por este procedimento exterminador. Mulheres desoladas fazem o procedimento do aborto para se "livrar" de um filho indesejado, que a princípio seja um problema para ela, porém depois vem a consequência como o próprio Thiago M. disse (pois só quem engravidou sabe o peso psicológico que um procedimento destes traz), o peso da culpa de ter consentido com o assassinato do próprio filho. É muito difícil uma mulher esquecer um ser que gerou. Quem apoia e promove este tipo de extermínio, provavelmente não informa as consequências desastrosas que se causa no psicológico destas mulheres. Só leiam sobre os estudos, conversem com mulheres que realizaram abortos, sobre o que sentem após ter abortado seus próprios filhos. Se pensa muito o que acontecerá com está criança se chegasse a nascer, por que preocupam-se com seu bem estar, mas e com o bem estar da pessoa que gerou? O aborto além de ser um assassinato sim, não soluciona problemas na sociedade... pode fazer com que uma vida a menos no mundo aí esteja pra trazer transtornos para a mesma, porém outros muitos surgirão em função deste.

    • Aken Postado em 26/Feb/2014 às 17:07

      Não falei que sou contrário ao direito de abortar, só estou dizendo que houve mortes sim.

      • Alice Postado em 26/Feb/2014 às 17:24

        Sou a favor da mulher decidir sobre seu próprio corpo, mas me desculpem, não dá pra comemorar 7 mil abortos. Tem gente que julga as mulheres como irresponsáveis sem saber, estou grávida, o preservativo rompeu, tomei a pílula do dia seguinte em menos de 24 horas não fez efeito, e eu decidi ter minha filha. Mas, será que se as pessoas optassem pelo aborto apenas em uma última estância de fato o número seria SETE MIL?

      • Bianca Postado em 28/Feb/2014 às 08:25

        Alice, está esquecendo que tem muita gente no Uruguai, né? Eu acho sete mil até um número pequeno. E é de se comemorar sim, porque foram SEGUROS. Quando o aborto não é legalizado o número de abortos é alto, assim como o número de mortes de mulheres.

    • Bruna P Postado em 26/Feb/2014 às 17:49

      Não houve assassinato de um bebê. Houve o aborto de um óvulo fecundado, que sequer tem sistema nervoso! O que vale mais? A vida de uma mulher, com sistema nervoso central, adulta, ou a possível futura vida de um óvulo fecundado, que sequer tem sistema nervoso central, ou seja, sem sentimentos, sem sentidos, sem dor. Quem coloca um óvulo fecundado acima de uma pessoa nascida é porque pouca importância dá a mulher. Mulher não é só um vaso para guardar bebês. Ela tem um vida, sentimentos e direitos. Nem sempre quem se protege consegue evitar uma gravidez. Meu corpo, minhas regras.

      • Ale H Postado em 26/Feb/2014 às 23:52

        Boa Bruna!

      • Guilherme Postado em 27/Feb/2014 às 10:26

        Mas nos casos q a gestante corre risco de vida, o aborto está previsto em lei. O problema é as mulheres começarem a abortar por capricho.

      • Guilherme Postado em 27/Feb/2014 às 11:13

        mas essa mulher q vc defende tem gravidez de risco? ou vc só a está defendendo pra q ela possa curtir essa vida onde uma criança atrapalharia?

      • Aken Postado em 27/Feb/2014 às 17:55

        Não é colocar acima, é colocar no mesmo nível. Ninguém está acima de ninguém, toda vida tem seu valor. Agora, não sei a que ponto está seu ceticismo, mas para se referir a uma vida, em seu estágio de formação, como um mero óvulo fecundado e dizer que uma vida tem mais valor que a outra... fiquei até meio em choque.

      • Bianca Postado em 28/Feb/2014 às 08:28

        Guilherme está sendo tão insensível que machuca. "curtir a vida", "por capricho", meu deus, que falta de respeito, que preconceito. Um dia há de enxergar além de seu próprio nariz e ser compreensivo com o sofrimento dos outros. É muita falta de amor...

      • Claudio Postado em 28/Feb/2014 às 21:04

        Interessante que um ovo fecundado de uma tartaruga em extinção possa, para os abortistas, ser mais importante que um ovo fecundado humano.

    • J Henrique Postado em 26/Feb/2014 às 18:33

      Bravo!

    • Emilio Postado em 26/Feb/2014 às 18:40

      Verdade verdade

    • Elias Postado em 26/Feb/2014 às 22:22

      Pena de morte para criminosos que são um risco para toda sociedade é um absurdo, matar crianças sem nenhuma probabilidade de defesa é algo moderno e social. Viva o progresso da esquerda!!!!

      • anônimo Postado em 26/Feb/2014 às 22:44

        Um conjunto de células sem sistema nervoso não é uma "criança". Pena de morte não tem o menor efeito sobre o crime, conforme a grande maioria dos estudos feitos sobre o tema demonstra. Serve apenas pra saciar a fome de vingança. PS: Forçar que a gravidez termine e que um embrião indesejado se transforme de fato num ser humano, e ENTÃO largar esse humano na merda, sem nenhuma assistência, é o progresso da direita.

      • Elias Postado em 27/Feb/2014 às 11:17

        Todos os melhores países do mundo possuem pena de morte, e sim surte efeito a um determinado tipo de criminalidade, em relação a criminalidade comum os efeitos são menores. Um monte de células por um monte de células fico com as crianças em vez dos bandidos.

      • Herbo Postado em 04/Mar/2014 às 08:04

        "pena de morte não tem o menor efeito sobre o crime", sério ? simplesmente acaba com o criminoso e não lhe da a chance de repetí-lo.

    • Gleybson Postado em 27/Feb/2014 às 00:45

      as justifictivas já estão começando a soar familiar,(Antes mortos que vivendo uma vida de sofrimento, com pais despreparados sendo muitas vezes agressivos, podendo passar dificuldades financeiras, entre outras coisas.) os Nazistas também defendiam o extermínio de judeus, pessoas com problemas físicos e de raças ditas inferiores.

    • mariene Postado em 27/Feb/2014 às 08:28

      Venho acompanhando a trajetória do URUGUAY em sua trajetória de enfrentamento da diminuição de mortes de mulheres, em especial de mortes maternas. Admirável a coragem de enfrentar a questão do aborto de forma a saber, de maneira mais próxima possível da realidade, o que acontece neste universo feminino e de toda a sociedade. É apenas um braço do problema, mas um braço muito importante que afeta toda uma população. Tal coragem leva à necessidade de dar suporte às mulheres para que seus filhos - e desta sociedade - sejam desejados, melhor educados e com maior possibilidade de qualidade de vida e felicidade.

      • herbo Postado em 04/Mar/2014 às 08:04

        o número de mulheres mortas em decorrência do aborto são ínfimas.

    • Alfredo Postado em 10/Mar/2014 às 22:32

      Querido Aken, segundo a reportagem, o aborto pode ser feito até a 12 semana de gestação, eu acredito que ainda não exista vida consciente nesse lapso de tempo, então não houve morte nenhuma... ou você acredita-se assassino toda vez que se masturba?

  2. Thiago M. Postado em 26/Feb/2014 às 14:11

    Agorinha vem a raça dos "pró-vida" ganir que aborto é assassinato, que a bíblia blá-blá-blá, que é uma vida, que a raça tem que ser preservada, direito á vida... mas esses são o mesmo que aplaudem quando bandido morre, passam reto por um menino de rua abandonado, que ignoram os orfanatos abarrotados de crianças, muitas delas sofrendo maus-tratos... cadê os pró-vida nessas horas? cadê o discurso inflamado e moralista? Antes um sistema de abortos legal e seguro por parte de determinado governo do que despejar crianças no mundo abandonando-as, superpopulando o mundo, trazendo problemas para a gestante, problemas sociais etc. Claro, se isso for opção da mãe ou seja necessário para a preservação da vida da mesma. A mulher tem que ter soberania sobre o corpo e decidir se quer fazer um aborto ou não. Como todos sabem, abortos legalizados não banalizam o ato sexual, pois só quem engravidou sabe o peso psicológico que um procedimento destes traz, não dando margem para acontecer outras vezes.

    • Vitória Postado em 26/Feb/2014 às 14:25

      Pensei exatamente o mesmo, Thiago.

      • Rodrigo Postado em 26/Feb/2014 às 18:17

        E a generalização fica aonde mesmo? Em que momento da filosofia, do pensamento científico, foi determinado que, por seguir uma linha, uma pessoa tem de abraçar tudo o mais que o crítico queira impor? Quem é contra o aborto necessariamente é a favor de assassinatos em razão de que imperativo categórico? Em razão de qual imposição normativa ou filosófica? Nesse sentido, a quem diz "mate quem não terá boa vida", "mate quem irá te atrapalhar", necessariamente diz "mate o 'marginal'"? Ao fim, novamente, a mulher, claro, é dona do próprio corpo. Mas seu corpo não se confunde com o de outrem. O ser humano deve primar pela responsabilidade, pela assunção das consequências de suas ações (exceção feita a casos de estupro e em que houver risco à vida da mãe e anencefalia, vez que face à autorização legislativa, somente me restando o conformismo jurídico).

    • Matheus B. Postado em 26/Feb/2014 às 15:14

      Como é fácil travestir um discurso genocida com uma bela roupa, não? Basta incluir a palavra "social" aqui e ali que tudo fica bonito. Thiago M. diz abertamente que abortos são justificados para evitar problemas sociais, e, pasmem, superpopulação! Ou seja, está dito que o assassinato é solução para eliminar indivíduos indesejados. Claro, há de se argumentar que aborto não é assassinato, mas ainda não sabemos disso. A ciência ainda não chegou lá. Quando chegar, será possível tomar uma posição com maior segurança. E vai que a ciência diga que o feto é uma vida, aí já podemos colocar 7.000 cadáveres na conta do Mujica, o descolado, e dos bacanas defensores de uma prática potencialmente homicida.

      • Pereira Postado em 26/Feb/2014 às 15:28

        A embriologia fetal é taxativa e ja chegou a um resultado : a vida começa na concepção. mas por lobby , isso é pouco falado.

    • Ricardo Postado em 26/Feb/2014 às 15:24

      Thiago se você está aqui escrevendo o seu ponto de vista, é porque você nasceu, então 7 mil pessoas iguais a você deixaram de nascer. se sua mãe tivesse soberania do corpo dela, hoje voce poderia não estar aqui, pensa nisso.

      • Bianca Postado em 27/Feb/2014 às 07:56

        Ricardo, mesmo pensando que minha mãe poderia optar por me abortar eu sou à favor da escolha. Ela escolheu gerar vidas, mas isso não me obriga a gerar uma vida indesejada, muito menos a obrigar que outras mulheres tenham crianças que não querem.

    • Pereira Postado em 26/Feb/2014 às 15:25

      E o melhor é matar então ? é saída comodista .... "mata que é melhor" .... aí não sofre maus tratos , não é infeliz né . que bela solução !!!! Por que a mulher não deixa nascer e depois da uma paulada na cabeça ? é a mesma coisa .... por que a mulher tem que envolver terceiros para matar uma criança?(médicos,enfermeiro,poder público) ...faça ela mesmo depois que nasce.

    • Aken Postado em 26/Feb/2014 às 17:16

      É pró vida de sem vergonha que estupra e depois mata mas defende o assassinato de um ser humano ainda puro das mazelas do mundo. Rs. A hipocrisia tá dos dois lados né!?

    • Bela Postado em 26/Feb/2014 às 17:24

      Parabéns Thiago! Difícil ver um homem com pensamento racional com relação ao direito da mulher sobre seu corpo. Principalmente, pq sabemos que filho, na maioria das vezes, é da mãe. Não acredito que em uma família estruturada, uma mulher cometa um aborto. Quanto aos que acham que é crime... pecado... ou seja lá que nome cada um dê, acho que todos tem que lembrar que nós somos os maiores julgadores dos nossos atoas. A lei não obriga a ninguém a fazer o aborto, só viabiliza uma forma mais segura e humana para que faça... e que cada uma das que fizerem, arque com as consequências de acordo com seu credo e valores.

      • Matheus B. Postado em 26/Feb/2014 às 19:17

        Não há o que discutir a respeito do direito da mulher sobre o seu corpo. É claro que isso é absoluto e inegociável. Entretanto, há outro corpo envolvido na história, muito provavelmente uma vida. No caso do aborto, o direito da mulher destroça o direito da criança, e isso sim é o que precisa ser discutido.

      • Bianca Postado em 27/Feb/2014 às 07:59

        Matheus, não é uma criança, não é humano, é um embrião! Quando/SE nascer terá sim todos os direitos preservados em lei, mas enquanto depender do meu corpo pra sobreviver eu terei sim todo o direito de fazer o que bem entender com o embrião/feto.

      • Aken Postado em 27/Feb/2014 às 18:02

        Bianca, isso é a letra fria da lei. A lei confere os direitos após o nascimento, mas por acaso a lei é a dona da verdade? É chocante ver alguém se referir à formação da vida como um mero punhado de células, óvulo fecundado, embrião. Deveria ser uma coisa tão divina...

      • luciano Postado em 28/Feb/2014 às 02:59

        A sua logica eh falha. A lei nao obriga ninguem e cometer crimes. Isso invalida seu argumento. N estou me colocando contra mas sua argumentacao eh ilogica

    • Daniel Postado em 27/Feb/2014 às 11:06

      Thiago, você gostaria de ter sido abortado? Por quê deseja isso aos outros?

    • Roberto Postado em 27/Feb/2014 às 12:23

      Pena que sua mãe não pensava como você.

  3. Bruna Postado em 26/Feb/2014 às 14:25

    Muito bom. Vale lembrar que tal lei não OBRIGA ninguém a abortar. Quem é contra o aborto, simplesmente não o faça, oras!

    • Matheus B. Postado em 26/Feb/2014 às 15:17

      Salvo nos casos minoritários de estupro, também ninguém é obrigado a transar.

      • Pereira Postado em 26/Feb/2014 às 15:22

        menos de 1 % dos abortos feitos no mundo é por causa de estupro ou por riscos ,ou por defeito genético ...99% é por safadeza e gravidez indesejada mesmo.

      • Bianca Postado em 27/Feb/2014 às 08:06

        Pereira, se uma mulher toma anticoncepcional a meses e seu corpo se acostuma com a dosagem ela deve mesmo ser punida com um feto indesejado? No Brasil há uma grande falta de informação, digo isso por experiência própria. Uma consulta no ginecologista demora em média 4 meses pelo SUS e ao pedir alguma indicação de método contraceptivo geralmente os médicos recomendam ciclo 21 ou microvlar, mas não dizem que a dosagem pode não fazer efeito em nosso organismo, também não dizem que alguns antibióticos podem cortar o efeito do anticoncepcional, etc.. Se houvesse um plano familiar no Brasil, os casos de gravidez indesejada cairiam muito e tantos abortos não seriam feitos na clandestinidade, claro que isso ainda não tira meu direito de fazer o que bem entender com o feto/embrião que depende e está no meu corpo. "Meu corpo, minhas regras, fica o que ou quem eu quiser."

    • Natalia Postado em 28/Feb/2014 às 19:34

      Bruna, muito bem estou com você! Outra coisa que é fato, "quem não tem útero não opina", se os homens fossem quem gerassem os bebês, certamente o aborto já seria lei há muito tempo! E mais, como visto na reportagem.. o número tende a cair, e ainda assim no aborto legalizado os números são menores que no Brasil e menores que em vários países da Europa. O fato do aborto não ser legalizado não impedirá que este aconteça, somente fará com que mais mulheres morram em decorrência disso.. E o fato de ser legalizado não vai fazer todo mundo ir correr fazer. É uma decisão difícil para qualquer mulher e que deve ser respeitada. E não existe essa de "na hora da safadeza não pensou, etc". Quantos homens realmente tomam cuidado na hora da transa? Sempre a responsabilidade cai sobre a mulher. E transar é necessidade básica, todos querem e todos precisam, os cuidados devem ser tomados, mas erros e acidentes podem acontecer e é direito da mulher escolher se terá ou não o bebê, pois queira ou não os maiores "problemas" que podem ocorrer é na vida dela e não do pai. Vê se existe preconceito com meninos que engravidam meninas? Não, o preconceito é sempre contra a menina, que é safada, que não se cuidou, etc.

  4. Pereira Postado em 26/Feb/2014 às 15:21

    7 mil assassinatos "legais" , 7 mil pessoas com seus direitos humanos violados ao extremo. Vergonha absoluta para a raça humana.

    • Julio Postado em 26/Feb/2014 às 19:26

      Parabéns ao Uruguai! Talvez no ano 3000 o Brasil possa ter grau de desenvolvimento social equivalente.

  5. Pereira Postado em 26/Feb/2014 às 15:26

    onde está a turma que defende direitos humanos para assaltantes presos no poste ?

  6. Pereira Postado em 26/Feb/2014 às 15:29

    e desses 7 mil quantos eram mulheres ? metade ? 3500 ???? Por que essas 3500 mulheres abortadas não tiveram direito a seus corpos ? como brada o feminismo.

  7. Sofia Postado em 26/Feb/2014 às 15:49

    Liberdade de escolha sempre!

  8. jose Postado em 26/Feb/2014 às 16:37

    Implante a pena de morte no país tb,Ja que para evitar que vivam um vida mediocre,que livrem os bandidos disso tb...7 mil abortos e nenhuma morte?faz sentido?...

  9. João Postado em 26/Feb/2014 às 16:41

    Pereira, você protege o direito de todos nascerem e, pelo jeito, é a favor de prender (logo espancar, humilhar...) assaltantes em um poste? Ta fazendo carinho agora para bater depois.

  10. Renan Postado em 26/Feb/2014 às 16:44

    Imagino que muitos defensores do aborto, poderiam ser um. Imagine se no nosso país fosse liberado o aborto quantos dos fieis defensores dele não teriam nascido! Vocês gostariam de ter sido abortados!? Imagino que entre essas 7 mil mortes "legais" muitas delas sofreriam, talvez mais tarde viessem elas mesmas a tirar a própria vida, mas pelo menos seria decisão delas!

  11. Junior Postado em 26/Feb/2014 às 17:10

    Legal que aparece um monte de homem para defender os fetos. A minha opinião é a seguinte: Sem útero, sem opinião. "É uma grande moleza cobrar que os outros sigam meus preceitos já que eu não terei que fazer nada para ajudar" Ass.: Pro-vidas

    • Gustavo Postado em 26/Feb/2014 às 23:23

      "Sem útero, sem opinião." Uma criança nasce a partir da utilização de dois aparelhos reprodutores femininos, ou a partir de um feminino e um masculino? O homem participa da reprodução, mas tem que ficar calado com relação ao aborto? Que lógica é essa?

      • Natalia Postado em 28/Feb/2014 às 19:39

        Gustavo, a lógica é simples, o fato de estar gravida acarreta muito mais "transtornos", e por transtornos digo, dificuldades para as mulheres do que para os homens. Nós temos que passar por todas as dificuldades de uma gravidez e não vocês. Caso sejamos solteiras, o preconceito de ser "mae solteira" sempre é maior sobre a mulher. O preconceito caso seja uma gravidez na adolescencia sempre é sobre a mulher. Ela é safada, ela não se cuidou, etc. Mas é muito dificil ver alguém pensando isso de um homem. Por esses e outros motivos que você e outros homens não podem opinar. Não irão carregar o bebê e nem todos os preconceitos e dificuldades que ele trará (No caso de uma gravidez indesejada).

    • Matheus B. Postado em 27/Feb/2014 às 00:59

      Opinião vem do cérebro, não do útero.

    • fernando araujo Postado em 28/Feb/2014 às 15:32

      não tenho opinião formada sobre a legalização do aborto. porem é esdruxulo esse argumento que só pode opinar quem é mulher ("tem útero"). o aborto é uma questão complexa e que mexe com a sociedade como um todo e muitas vezes é uma decisão tomada em conjunto entre os parceiros.

  12. José Victor Postado em 26/Feb/2014 às 17:23

    Pais que existe progresso é outra coisa

  13. Bruno Postado em 26/Feb/2014 às 17:38

    Por isso que digo: Por que ainda não tem pena de morte nesse país??? Temos o direito de viver sem criminosos ao nosso redor??? É a mesma coisa? rá...

  14. Mulher Postado em 26/Feb/2014 às 18:04

    "7 mil mortes". Acho que a Humanidade chegou ao seu ponto máximo da evolução, agora vamos começar a regredir. Ao invés de evitarmos uma gravides com um método contra conceptivo, apropriado para cada mulher, Vamos matar os bebes pois é mais fácil. Ao invés de prevenir a doença, vamos esperar ela e chegar e tratá-la. E assim nos perdemos em nossa falta de responsabilidade... Pois como pregam muitos, somos os nossos próprios julgadores e fazemos aquilo que bem entendemos, somos donos do nosso próprio corpo. Ah, há! Agora me digam: Alguém se gerou sozinho? Em, Super Humanos!!!

  15. Thiago Teixeira Postado em 26/Feb/2014 às 19:49

    Ainda ninguém respondeu, só blablabla e nenhuma solução para os problemas: Vão adotar as crianças do orfanato? Vão assumir a mulher, ou casar-se com ela para manter a Honra? Não, então cuidem de suas vidas pois atendendo as baboseiras que li "...mas pediram ajuda pra realizar o procedimento ..." não foram vocês que engravidaram as moças.

    • Pereira Postado em 28/Feb/2014 às 12:07

      e a solução é matar ? um vida que não tem nada haver com a irresponsabilidades dos pais ?

  16. Pivetta Postado em 26/Feb/2014 às 21:00

    Puts.. o que mais me da NOJO é quem usa o argumento do ato sexual como o real problema da situação.. "na hora de fazer foi gostoso, né?", quanta hipocrisia... no mínimo quem usa esse tipo de argumento tá louco(a) pra transar, mas ninguém quer dar ou comer... e digo mais.. sem camisinha, a final.. quem nunca transou sem camisinha que atire a primeira pedra;

    • cassia Postado em 26/Feb/2014 às 22:57

      Me da nojo seu argumento, transei sem camisinha com 16 anos e tenho um filho amado lindo e maravilhoso de 11 anos, quando transei estava ciente do que poderia acontecer e mesmo sendo muito nova fui mulher pra assumir sozinha meu filho, a não ser no caso de estupro NADA justifica o aborto!

      • anônimo Postado em 26/Feb/2014 às 23:42

        Cassia, fica a dica pra vc: Vc não manda na vida dos outros. Vc tomou sua decisão, e foi ótima. Outras mulheres tem o direito de tomar a decisão delas.

      • Matheus B. Postado em 27/Feb/2014 às 01:05

        Parabéns, Cássia. Falam em liberdade de escolha ao mesmo tempo que a negam para o feto. Falam em arcar com as consequências, mas recorrem ao aborto para fugir da maior delas.

  17. mari Postado em 26/Feb/2014 às 21:11

    ~7 mil mortes~ de vidas não humanas, sem consciência, sem personalidade própria, sem percepção de mundo e de si mesmas, totalmente dependentes de uma única mulher para viver. Deixem de ser hipócritas, um feto não é um ser humano, é um ser humano em potencial, não sobreviveria 1 minuto fora da barriga de sua genitora. A morte de um feto não é a morte de um ser humano. Parabéns ao Uruguai pela sábia decisão.

    • Ale H Postado em 26/Feb/2014 às 23:58

      Ressaltando que não houve uma única morte de um ser humano adulto desenvolvido, mais conhecido como mulher.

      • Anne Marie Postado em 05/Mar/2014 às 20:30

        houveram mortes de mulheres sim, considerando que metade das 7 mil mortes eram fetos do sexo feminino. Sem entrar no mérito de aprovação ou desaprovação do aborto, vamos ser CLAROS: é o mais forte )mulher mãe) contra o mais faco (feto no ventre, dependente). O argumento que o feto depende dela pra sobreviver nos valida então a matar recem nascidos ao nascerem, ou até uns 5 anos? Sim, pois até esta idade eles dependem exclusivamente de um ser adulto (mae ou cuidador) para sobreviver. Pensem nisso: o mais forte contra o mais fraco.

  18. Macpersan Postado em 26/Feb/2014 às 22:21

    Camisinha, Diu, pilula anticoncepcional, pilula do dia seguinte, gozar fora, vasectomia, etc. Nada justifica, nos dias de hoje, uma mulher fazer aborto. Era um pequeno ser que não pediu para ser concebido. Na hora de trepar a idiota não pensou que poderia engravidar. E ainda tem energúmenos que apoiam!!!

    • anônimo Postado em 26/Feb/2014 às 23:16

      Queria saber se todo mundo que está aqui sendo muito humano pra defender um amontoado parasita de células doa seu dinheiro e seu tempo pra ajudar os amontoados que nasceram. Porque em geral, o mesmo pessoal que acha que um embrião tem mais valor que o ser humano formado (a ponto de querer impedir que esse humano faça o que quiser com o seu corpo) é o mesmo que acha um absurdo que os embriões nascidos estejam comendo melhor, depois que seus papais e mamães começaram a ganhar o bolsa família. Direita é isso ai, quer mais e mais gente miserável, desesperada e sem opções no mundo. Porque afinal, o banheiro deles não vai se limpar sozinho.

      • Ale H Postado em 26/Feb/2014 às 23:55

        Boa! Da boca pra fora é fácil, né...

      • Matheus B. Postado em 27/Feb/2014 às 01:02

        Rsrsrs.... E esquerda é isso aí, homicidas em massa, é só olhar para a história. Matar é com vocês mesmo.

      • Anônima Postado em 27/Feb/2014 às 01:35

        Falou tudo e mais um pouco! Sem palavras, só pode ser esse o objetivo dessa raça hipócrita, nada mais explica.

      • Rafa Postado em 08/Mar/2014 às 02:01

        Muito bom esse comentário!

      • tatina Postado em 01/Apr/2014 às 15:46

        Até que enfim uma pessoa inteligente escrevendo, parabéns Mari pelo posicionamento adulto e baseado em fatos, o resto é balela!!! Tanta discussão e posicionamentos idiotas só me faz pensar que essas pessoas que assim opinaram não entenderam a razão da lei no Uruguay, ora, nunca se falou em apoiar ou incentivar o aborto, ao contrário, o aborto nos países em que é legalizado é sempre controlado pelos órgãos públicos de saúde e só pode ser feito até a 12 semana de gestação, ou seja, quando ainda há um feto no útero da mãe sem consciência, sem personalidade, sem sistema neurológico formado, ou seja, não sente dor, porque não é uma vida. Na verdade o objetivo dessa lei é simplesmente que o aborto seja feito por pessoas preparadas para tal, poupando assim a vidas das mães, e somente com fetos de menos de 12 semanas, e para os que não sabem e não se informaram, o Uruguay conta com serviço de psicólogos que antes de mais nada tenta convencer a mulher a não abortar. Para os leigos, só há vida a partir do nascimento, antes disso é apenas uma expectativa de algo que pode acontecer, totalmente dependente da mãe! E como já disseram aqui, os homens não tem que opinar porque quando a mãe tem problemas econômicos, psicológicos, ou seja lá qual for, depois que nasce a criança é ela e somente ela que a cuida, e se falha a responsabilidade também será dela, os homens não fazem nem 80% das tarefas com os filhos que as mães fazem e muitas os criam sozinhas. Outra coisa, o Estado que não aprova o aborto por acaso dá condições a essas mães pobres e doentes para cuidar seus filhos? Oferece creches de qualidade e garantia de emprego para as mães?? Por favor, quanta hipocrisia!! Sobre esquerda ou direita, li aqui uma postagem de alguém que falou que governo de esquerda é assassino! Primeiro, o que tem a ver isso com a discussão? Certamente é a opinião de um alienado que não sabe nada de história ou de um filho de militar, porque é público e sabido que os governos militares sim foram os grandes assassinos da história, torturando, matando e forçando mulheres a abortar ou roubando seus filhos. Os países desenvolvidos, de esquerda, centro esquerda ou direita apoiam o aborto porque é uma questão de direitos humanos e sociais, nada tem a ver com política. Acordem e parem de escrever bobagens que nada acrescentam. Vergonha desse povinho!!!!

    • Natalia Postado em 28/Feb/2014 às 19:43

      Veja só: "Na hora de trepar a idiota não pensou que poderia engravidar". Porque a culpa é sempre somente da mulher, é claro. Nenhum homem estava ali com ela, ele não precisou se preocupar com a gravidez, como se a mulher fosse gerar a criança sozinha. Meu deus que ABSURDO!! e você não transa não né? Bom, agindo como um idiota, provavelmente não transa, mas com certeza tem vontade. Erros e acidentes ACONTECEM. Quando acontecer com você, quem sabe você perceba.

  19. Henrique Postado em 26/Feb/2014 às 22:45

    Mesmo pequenino e com fraca economia, o Uruguai está caminhando para se tornar o primeiro país desenvolvido da América do Sul. Parabéns Mujica! Espero que os teus sucessores sejam tão visionários quanto tu!

    • Claudio Postado em 28/Feb/2014 às 20:59

      Hahahahaha Essa foi boa! Acorda, mané! Leia o noticiário econômico: O Uruguai caminha a passos largos rumo à falência.

  20. cassia Postado em 26/Feb/2014 às 22:55

    Quase 7.000 mortes, que horror!

  21. Bruno Magalhães Postado em 27/Feb/2014 às 00:13

    Se a mulher pode abortar usando o argumentinho tosco de que 'o meu corpo', então o homem tem o direito de querer ou não assumir a criança. É inacreditável o que Uruguai está fazendo. Ao invés de ter campanhas pro camisinha e métodos anticoncepcionais, os caras acham legal legalizar o aborto.

    • Jaqueline Postado em 14/Feb/2015 às 15:33

      nao sei se tu percebeu mas os caras ja fazem isso... ja ouviu falar em mae solteira? eles escolhem se querem ser ou nao e nao sao julgados em momento algum...

  22. Joaquin Postado em 27/Feb/2014 às 06:21

    O objetivo da legalização do aborto não é mudar o número de abortos

  23. Paloma Andrade Postado em 27/Feb/2014 às 07:49

    Eu apoio e concordo! A mulher tem que ter o direito de escolher o que fazer com seu próprio corpo. NÃO É CRIANÇA, NÃO É RECÉM NASCIDO, NÃO É FETO. É apenas células. Apenas isso. Eu acho que isso deveria acontecer aqui no Brasil. E quase certo que não seria 7.000, seria muito melhor, pois não haveria tanta pobresa, tanta criança jogada no lixo ou em rios. Porque convenhamos, aqui no Brasil as pessoas cada vez fazem mais filhos só porque tem a garantia do Bolsa Familia. Quanto mais filhos, maior o dinheiro.

  24. mayara Postado em 27/Feb/2014 às 09:39

    Alguém consegue entender a lógica esquizofrênica dos conservadores? os mesmos que estão se manifestando com horror ao suposto "asssassinato" de seres inocentes, são os primeiros a exigir que se mate e torture qualquer suspeito de delito. São os primeiros a vociferar a retórica execrável do "direitos humanos para humanos direitos". Sério mesmo que um feto tá super a fim de viver num mundo desses? Honestamente, se eu tivesse que escolher detestaria ter que ser obrigada a conviver com pessoas que pensam como vocês!

    • Jaqueline Postado em 14/Feb/2015 às 15:34

      haahah belo mayara!!

  25. Lucas Postado em 27/Feb/2014 às 10:06

    Sou a favor do aborto, da descriminalização das drogas, sou contra o desarmamento e qualquer lei, dogma ou regra que limite os meus direitos de cidadão sobre a livre escolha. Fez merda bêbado, cheirado ou sobre efeito de medicamentos que se tenha uma punição rigorosoa com dolo, matou ou feriu alguém com arma de fogo a mesma força rigorosa que seja aplicada. O que não admito é que Estado ou religião me tire o direito de seguir as minhas vontades desde que não viole a dos outros. E sim um aborto não e assassinar uma criança, sou estudante de biomedicina e digo que um embrião está distante de ser um ser humano pleno. principalmente nos três primeiros meses de gestação.não passa de uma mórula.

    • Elias Postado em 27/Feb/2014 às 11:22

      Mas se elimina o potencial humano, acaba com o futuro de uma pessoa que nem se quer existe, existem implicações filosóficas muito maiores do que se imagina, quem possui livre escolha são pessoas não fetos, é lógica simples.

  26. Gabriel Postado em 27/Feb/2014 às 10:47

    "Aborto seguro e nenhuma morte". Estranho não?! O que dizer dos possíveis 7mil ou mais crianças assassinadas por um egoísmo nojento... apenas lavam as mãos. Triste realidade e crueldade. Um ato que deve ser repudiado! É inumano uma atitude como esta.

  27. Eduardo Postado em 27/Feb/2014 às 11:34

    Isso é algo bom, todos que dizem ser contra o aborto, iriam adotar estas 7 mil "crianças"? Seria só um problema social, que foi evitado graças ao aborto, o mundo já tem muitas pessoas, e temos muitas crianças orfão, adotem elas ao invés de chorarem por fetos que nem se desenvolveram pra saber que morreram.

  28. Camila Postado em 27/Feb/2014 às 13:39

    Eu admiro a posição laica do Uruguai em menção a legalização do aborto - querer ou não fazer são outros quinhentos. Cada a cada mulher a responsabilidade sobre suas decisões... O que não implica aceitar uma gravidez indesejada por inúmeros motivos. Mas cabe ao governo balizar o problema assistindo, isto é, prestando assistência as mulheres que tomam suas próprias decisões. Sou a favor da legalização, mas não sei se algum dia eu faria um. Porem, caso algum dia eu tomasse a muito custo esta decisão gostaria de ser assistida sem colocar em risco minha própria vida. Apenas para conhecimento estima-se que mais de 1 milhão de brasileiras morrem todos os anos vitimas de abortos clandestinos e mau feitos.

  29. Carlos Normann Postado em 27/Feb/2014 às 15:37

    minha posição é um paradoxo. Considero sim, o ato em si do aborto, como algo questionável, é uma vida em início. Agora, a mulher tem o direito de optar se quer ou não dar continuidade a uma gestação, e deve ter, sim, amparo de saúde e de lei para sua decisão. Mais uma vez os hermanos uruguayos nos dão um baile de civilidade...Mujica é o cara!

  30. Italo Lorenzon Postado em 28/Feb/2014 às 00:34

    Sucesso! O Uruguai arrumou um jeito de salvar a vida da criança abortada! -#sqn

  31. Will Postado em 28/Feb/2014 às 02:04

    assunto bem polemico ,pode ser q pra frente eu mude de ideia mas hj em dia n consigo aceitar ,falam q homem n pode opinar mais uma mulher sozinha n gera nada,aqui no brasil e permitido em caso d ma formaçao ou estupro oq ao meu ver ja resolve oq problema de quem realmente tem , liberar totalmente e exagero .Por mais q n tenha maneiras 100% eficiente contra a gravidez acho q se a pessoa se cuidar e usar todo o possivel pra evitar as chaces sao minimas..........enfim e acho um absurdo quem fala q e melhor n nascer se for pra fikar abandonado , condenar alguem sem dar uma chance e ridiculo e pra quem n sabe existe uma grande fila d espera d familias q gostarian d adotar crianças nesse idade e as vezes esperam por muito tempo

  32. Will Postado em 28/Feb/2014 às 02:06

    assunto bem polemico ,pode ser q pra frente eu mude de ideia mas hj em dia n consigo aceitar ,falam q homem n pode opinar mais uma mulher sozinha n gera nada,aqui no brasil e permitido em caso d ma formaçao ou estupro oq ao meu ver ja resolve oq problema de quem realmente tem , liberar totalmente e exagero .Por mais q n tenha maneiras 100% eficiente contra a gravidez acho q se a pessoa se cuidar e usar todo o possivel pra evitar as chaces sao minimas..........enfim e acho um absurdo quem fala q e melhor n nascer se for pra fikar abandonado , condenar alguem sem dar uma chance e pessimo e pra quem n sabe existe uma grande fila d espera d familias q gostarian d adotar crianças nesse idade e as vezes esperam por muito tempo

  33. Will Postado em 28/Feb/2014 às 02:16

    Ahhh e pra quem diz q 14 semanas e um amontoado de celulas vaise informar >>>Nesta fase, o feto consegue fazer os movimentos de agarrar, franzir as sobrancelhas, fazer caretas e ficar vesgo. Talvez saiba até chupar o dedo. Os pesquisadores acreditam que esses e outros movimentos correspondam ao desenvolvimento de impulsos no cérebro.

  34. Pereira Postado em 28/Feb/2014 às 12:01

    Verdadeira barbárie , verdadeiro esquadrão da morte , verdadeira chacina . vergonha de pertencer a uma raça que mata o semelhante com a desculpa de problemas sócioeconômicos , ou pior se acha no direito de quem vai viver e morrer . vergonha absoluta . vergonha eterna para a humanindade.

  35. Pereira Postado em 28/Feb/2014 às 12:04

    Se acha no direito de "escolher" quem vai viver e morrer . Vergonha, quantas mulheres de família foram assassinadas , quantos médicos , esportistas , advogados não tiveram suas chances de provar seu valor para a humanidade . quantos cozinhieros , pedreiros , pintores de mão cheia se perdeu ? quantos homens honrados não tiveram o direito de viver ? até quando essa matança vai continuar ?

  36. Pereira Postado em 28/Feb/2014 às 12:12

    Pela lógica abortista , vamos eliminar quem "nós achamos" que não tem chance de ser feliz . vamos eliminar quem causa constragimento..... vamos eliminar os deficientes físicos , vamos eliminar as pessoas com problemas mentais , vamos eliminar os filhos de pobres .... pois pela lógica dessas "pessoas" , se tivesse sido feito o aborto elas não estariam sofrendo com a miséria do Brasil e com suas necessidades especiais. ASCO !!!! é a única palavra pra isso.

  37. Leila Postado em 28/Feb/2014 às 20:44

    Não sou a favor do aborto e não me considero conservadora. Penso contra baseada no que acho razoável e correto, sem levar em consideração crença etc. Um embrião pode ser sim um amontoado de células, mas se não for interrompida a gestação este se tornará um ser humano. Os defensores do aborto assim pensam porque já passaram pela "prova", ou seja, alguém teve a "caridade" de permitir que eles nascessem e agora eles se acham juízes para definir quem merece ou não nascer baseado em logismos e falsas projeções de que essas crianças irão sofrer no futuro e por isso devem ser exterminadas. Com tantos métodos contraceptivos que existe hoje em dia, recorrer ao aborto é, no mínimo, medieval. E não venham com esse papo de estupro etc, sabemos que a grande maioria dos abortos não são resultados de estupros, mas sim de relações instáveis, mau pensadas e pessoas covardes que optam por se livrar da responsabilidade invés de assumi-la. A mulher é dona do corpo dela? Sim é, mas não do que ela carrega dentro de si. Ao me ver, legalização de aborto é o mesmo que dar sinal verde para o oba-oba, para o sexo sem proteção e compromisso que geram além de gravidez inúmeras DST. Mas somente quem tem uma forma de pensar que vai muito além do próprio umbigo consegue entender a brutalidade, dureza e insensibilidade que um aborto representa. Aborto é o mesmo que matar o próprio filho, sendo ele um bebê ou um amontoado de células. Aborto é covardia, fraqueza e egoísmo ao extremo.