Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 20/Feb/2014 às 17:28
19
Comentários

Pior que Diogo Mainardi, só Enio Mainardi

enio mainardi
Enio Mainardi (Divulgação)

Pior que um Mainardi só dois Mainardis.

Se você pensa que não pode haver nada de mais repulsivo que Diogo Mainardi é que não conhece seu pai, Enio Mainardi.

No Facebook, Mainardi é dono de uma página que produz ódio, delírio e absurdos em geral em quantidades extraordinárias.

Mainardi, como seu filho, é um analfabeto político com pretensões messiânicas – a pior combinação possível.

O último capítulo da louca cavalgada de Mainardi é pedir aos militares que saiam dos quarteis para dar, como em 1964, um golpe militar no Brasil.

O que os militares fizeram em sua longa noite de mais de 20 anos como ditadores do Brasil?

Produziram uma das sociedades mais abjetas do mundo, em sua iniquidade formidável. Mataram covardemente civis que se insurgiram contra eles. Favoreceram os ricos.

Por tudo isso, saíram do poder quando a situação era simplesmente insustentável para eles. Teriam sido escorraçados, se não caíssem fora.

O país estava economicamente quebrado e politicamente falido.

Pois é isto que Enio Mainardi quer de novo para o país.

Não é mais fácil ele fazer as malas e se juntar a seu filho, em Veneza?

Mainardi tem um ódio assassino pelo PT. Xinga Lula e Dilma de coisas terríveis. Dilma é “bruxa velha”, Lula é o “bandido de nove dedos”, e coisas assim.

Torce abertamente para que ambos morram de câncer.

Num de seus raros momentos de lucidez, diz que ódio faz mal. Produz câncer. Ele próprio enfrentou um câncer há pouco tempo. Mas, mesmo assim, mesmo sabendo que com tanta raiva quem vai voltar a ter câncer é ele próprio e não Dilma ou Lula, ele continua a praguejar.

Mainardi diz que vivemos numa ditadura, ou em algo muito parecido com isso.

Ele não percebe que é a negação dessa tese esdrúxula. Numa ditadura, ele já estaria preso há muito tempo.

Numa democracia como a que vivemos, ele deveria responder na justiça pelos insultos que profere. Mas a Justiça brasileira é tão ruim, e tão partidarizada, que ele pode escrever o que quiser que não será cobrado.

Mainardi, publicitário, é fruto de uma época em que o dinheiro público era torrado copiosamente em seu ramo.

Umas poucas agências dividiam as contas do governo, como a MPM e a DPZ, e os donos ficaram milionários.

Contei outro dia e conto de novo: num momento em que os anunciantes já tinham descontos enormes nas negociações com os veículos, apenas o governo pagava tabela cheia.

Era um assalto legalizado. Parte do patrimônio dos Marinhos, dos Civitas, dos Frias e dos Mesquitas deriva disso. E essa farra levou para as agências dinheiro copioso.

As agências lucraram absurdamente também com outra coisa. Os anunciantes, durante décadas, pagavam a elas uma taxa de 20% sobre o valor das campanhas.

Depois, os anunciantes passaram a negociar este valor. Em alguns casos era metade do que fora. Em outros, a remuneração ficava atrelada à produtividade – o desempenho das vendas dos produtos promovidos.

Apenas o governo continuou a pagar os 20%.

Publicitários como Mainardi ganharam muito dinheiro naqueles tempos com o dinheiro público fácil que vinha de Brasília.

O único motivo real para ele ter saudades daqueles tempos de rapinagem é este: o dinheiro da viúva que ia dar nas agências.

Fora disso, é apenas, como escrevi, uma louca cavalgada. E perigosa: Anders Breivik escrevia coisas parecidas, apenas que em lugar do Brasil a vítima era a Europa, e em vez dos petralhas eram os muçulmanos os vilões.

Um dia ele acabou fazendo o que fez. Por isso você tem que prestar atenção em que está, como Enio Mainardi, tomado de um ódio irracional, incontrolável e destrutivo.

Paulo Nogueira, DCM

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 20/Feb/2014 às 17:57

    O que fico chateado é quando a discussão política extrapola para o lado pessoal. Uma coisa é ser contra o PT, contra o Lula, repúdio a presidenta Dilma, e outra é desejar morte a pessoa, ao ser humano. Isso é comum em muitos jornalistas e blogueiros de direita. Nunca vi o PHA, Mino Carta, estimular desejo de morte ou ódio ao FHC, Serra, Gilmar mendes, não que eles sejam jornalistas exemplares, mas a discussão é política, e para por ai.

    • Bruno Postado em 21/Feb/2014 às 08:36

      Você julga toda uma imprensa ou todo um grupo de pessoas por um só. Existem sim pessoas de esquerda que pedem a morte do FHC, e inclusive um que trabalha comigo, filiado ao PT, quer o Joaquim Barbosa morto e fala que já passou da hora do "FHC ir".

      • Thiago Teixeira Postado em 21/Feb/2014 às 11:07

        Pessoas, opinião própria. Não jornalistas. Os jornalistas falam morte ao Lula ao vivo em horário nobre. É diferente.

      • Bruno Postado em 21/Feb/2014 às 11:31

        Pessoas em cargos públicos, com cargos altos de comissão, falando em alto e bom tom para os funcionários. E eu nunca vi em nenhum jornal eles falando isso, pode ser na página pessoal dele que nunca acompanhei. Mas jornalistas de destaque, em jornais de massa, como os dos canais abertos nunca falaram isso. E nos fechados que eu assisto diariamente nunca ouvi falar, e se tivesse já teriam noticiado aqui. Eu estou pesquisando pra ver.

      • Bruno Postado em 21/Feb/2014 às 11:39

        Quando rotulam alguém pejorativamente de "reaça" ou "coxinha", com intuíto de ridicularizar, pode. Quando Yoani Yánchez, ofensas não faltaram. Quando chamam qualquer pessoa de "demotucano", "tucanalha", "nazista/fascista/direitista" (com intuíto de associar a algo ruim) também pode. Quando se prega a morte dos americanos, dos europeus e israelenses, também tá valendo. Quando se ataca o Aécio chamando de "cheirador" ou os memes com duplo sentido sobre o mesmo tema também pode. Mas quando é com o Lula ou a Dilma, não pode ter oposição, mesmo de um cara que nem na grande mídia tá. Vale tudo para denegrir qualquer tipo de oposição e impor o pensamento de que não pode ser diferente, ou está com a gente ou você é a pior pessoa do mundo.

      • Rodrigo Postado em 21/Feb/2014 às 11:58

        Bruno, a política sempre teve esse lado rasteiro; é uma expansão do que vemos no interior, a briga dos "carecudos contra os caneludos", os bilhetes anônimos, brigas nas padarias. Assim são as torcidas organizadas gritando "petralhas x tucanalhas". Trabalho em um órgão controlado pelo PT, e já trabalhei em outro pelo PSDB, e hoje sei que a diferença é que quanto mais local, maior a pressão politiqueira, independente de qual for, ou seja, servidor estadual sofre mais do que o federal, e o municipal sofre mais com o assédio do que ambos. A questão que vejo é que em concessões públicas midiáticas, as colunas de opinião, reportagens e editoriais deveriam ter mais compostura.

      • Márcio Postado em 21/Feb/2014 às 12:01

        "Ou está com a gente ou é a pior pessoa do mundo". Ora, mas esse é o discurso dos Mainardi (pai e filho), de Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo, Lobão, o ex-senador Bornhausen, que disse que iria se livrar "dessa gente", etc.

      • Rodrigo Postado em 21/Feb/2014 às 12:02

        E outra coisa: grande parte das pessoas que apoiam o governo não são de esquerda, nem todos que são de esquerda ou centro-esquerda são governistas, e muitas pessoas de centro-direita ou direita politicamente liberal não acompanham posturas como a do sujeito do centro da notícia. O problema no Brasil é que nas redes sociais fica parecendo que ou alguém tem de ser neofacista ou tem de ser stalinista.

    • Fernanda Lima Postado em 21/Feb/2014 às 12:54

      Faço de suas palavras minhas !

  2. renato Postado em 20/Feb/2014 às 19:46

    Acho que deve ser por isto e outras que alguém esta tremendo na base... A Justiça da Argentina anunciou, nesta quinta-feira (20), a intenção de investigar os motivos que levaram à morte do ex-presidente do Brasil, Jango Goulart, e de outros brasileiros desaparecidos durante exílio no país vizinho. A ação será tomada após o pedido do Ministério Público argentino, que investiga a Operação Condor – nome dado à série de golpes na América Latina durante as décadas de 60 e 70 e que tiveram influência dos Estados Unidos.

  3. vitor mussa Postado em 21/Feb/2014 às 06:34

    Enio Mainardi pode tornar o Carlos Lacerda do seculo XXI.

  4. Roberto Jorosil Postado em 21/Feb/2014 às 12:01

    O fato é que no Brasil a maioria não sabe o rumo que toma, quando fala de política ou forma de governo ideal. Dizem que o PT é comunista, que apoia Cuba e o governo da Venezuela por terem afinidades com ditadores. Complicado muita gente precisa pensar um pouco mais sobre as coisas. O PT não é perfeito e, na verdade, o que é perfeito??? O PSDB??? Os militares??? O PMDB??? Na verdade temos um povo abjeto e desprovido disciplina, respeito e aceitação para a evolução das coisas. como disse o amigo acima

  5. Leonardo Postado em 21/Feb/2014 às 12:02

    Durante a ditadura não tinha tantos problemas como hoje, as coisas andavam nos trilhos, é claro na época o Brasil era pobre, a democracia fez um monte de farra com dinheiro público, não é questão de voltar a ser ditadura, o tempo não volta, a questão é de ser tão sério e comprometidos com o Brasil quanto eles eram. O Brasil crescia 7% ao ano sem maquiagem nos números, hoje provavelmente estamos retraindo !!

    • Fábio Postado em 21/Feb/2014 às 13:59

      É mesmo? Como vc tem tanta certeza, se o que tem de problema em qualquer ditadura está fica escondido nos bastidores? Aliás, qdo pedimos uma Comissão da Verdade (aliás, talvez a mais tardia da América Latina) para revirar esses bastidores e encontrar os podres (muitos já evidentes) da ditadura, vêm os defensores dizendo que é "caça às bruxas". Legal, talvez seja melhor repetir incessantemente esse conjunto de ilusões de que uma ditadura de conservadores é uma ditadura em nome do bem (porque "pessoas de bem" só podem fazer o bem, não é?) em oposição ao mal "esquerdista".

      • Fábio Postado em 21/Feb/2014 às 14:06

        A propósito, quer ter a ilusão de que uma democracia gera mais problemas q "nos tempos da ditadura"? Fica assistindo ao programa do Datena e se enchendo de terror, quando todos nós sabemos q, embora a segurança seja um problema que não possa ser escondido (como tende a ser em uma ditadura), saímos à rua todo dia e voltamos vivos. Sobre "maquiagem nos números" em uma democracia, o que te faz pensar que uma ditadura é honesta e não faz "maquiagem"? Acha msm q os dispositivos democráticos - como a crítica q vc msm está tentando fazer às estatísticas econômicas do governo - são menos eficientes que uma ditadura de "gente de bem", que te convence de que são os paladinos da "moral e dos bons costumes"?

    • Smith Postado em 08/Mar/2016 às 17:49

      Leo, o Brasil cresceu por um curto período a 7% ao ano. Assim que os empréstimos baratos secaram, veio a recessão, o endividamento e o arrocho salarial. A Ditadura foi muito boa para 30% da população. Isto é, as Classes A e B, para os demais, só funcionavam o porrete e a fome. Tudo isso de forma calada, pois se abrissem o bico, desaparecia...

  6. Gildo Silva Postado em 21/Feb/2014 às 13:13

    Só para se ter uma ideia do caraterzinho desse sujeito, quem trabalha em propaganda há mais de vinte ou trinta anos conhece a história. Enio Mainardi tinha o costume de desafiar, chamar para a briga, seus funcionários de estúdio. Aceito o desafio, ele ia buscar sua arma de fogo e disparava tiros nas paredes. Isso aí é o DNAzinho dos Mainardi.

  7. camila Postado em 21/Feb/2014 às 21:14

    kkkkkkkkkkkkkkk o filhinho dele seria o primeiro a desaparecer.

  8. Iran Postado em 14/Mar/2014 às 11:03

    Não creio que a melhor opção para o Brasil seja a volta dos militares. Precisamos, sim, passar por uma transformação de caráter. Precisamos ter vergonha na cara e acabar com a corrupção em todos os níveis. Pode até parecer uma utopia, mas se sonhamos com um país diferente, exemplo para o mundo, temos que começar agora, para que isso aconteça nos próximos séculos.