Redação Pragmatismo
Compartilhar
América Latina 18/Feb/2014 às 14:54
16
Comentários

Nobel da Paz critica influência dos EUA nos protestos da Venezuela

Nobel da Paz, escritor Adolfo Pérez Esquivel criticou papel dos EUA nos protestos e disse: "Tudo isso para produzir mudanças que não se fazem por meio de eleições"

nobel da paz venezuela adolfo pérez
Adolfo Pérez Esquivel critica “intenção de desestabilizar” Venezuela (Arquivo)

Em entrevista à imprensa argentina, o Prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel garantiu que “há uma intenção de desestabilizar não apenas a economia como também a ação social e política” na Venezuela. Ao comentar nesta segunda-feira (17/02) a série de protestos e marchas de opositores ao governo de Nicolás Maduro, o arquiteto, escritor e ativista pelos direitos humanos disse também que há uma “investida originada nos Estados Unidos”.

“Tudo isso para produzir mudanças que não se fazem por meio de eleições”, disse o argentino. Para Esquivel, quem move os “fios dos protestos são os EUA e seus aliados”.

Esquivel pediu também maior presença do Mercosul (Mercado Comum do Sul), bloco formado por Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela — em nota divulgada hoje, o Mercosul repudiu a violência e “ameaças de ruptura da ordem democrática” no país. “O Mercosul tem que se fortalecer. Estão muito lentos”, disse Esquivel, horas antes da publicação do comunicado do bloco.

O Nobel da Paz ainda elogiou as conquistas sociais da Venezuela, ressaltando que a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) reconheceu o país latino-americano por ter erradicado o analfabetismo da população.

“Fui até as zonas marginais. Ali, as pessoas não tinham água e nenhum médico se atrevia a entrar para prestar atendimentos. A Venezuela era um país que não produzia nada, era provida pelos EUA. Hoje, a Venezuela tem um integração”, disse Esquivel.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 18/Feb/2014 às 15:17

    Sei que na USA ninguém é santo, mas eu acho um pouco de nóia dos Venezuelanos com o Ti Sam.

    • renato Postado em 18/Feb/2014 às 18:04

      Thiago, basta ver o México que esta desaparecendo aos poucos como um pais. Parece muito mesmo, o quintal dos USA ou EUA. E os Mexicanos, pela pobreza da fronteira e de sua cultura, ainda não acordaram...ou melhor não há inimigos dos EUA que queiram usa-los.ainda... Eles adoram Cubanos que vão para lá, até os Cubanos entrarem... Mas matam Mexicanos que entram nas fronteiras...MATAM a TIROS..

    • Carlos Prado Postado em 18/Feb/2014 às 19:55

      Não como concordar nem com o que os EUA fazem nem com o que a Venezuela faz. Não, deixemos de evocar essa ideia de um ser chamado pátria. Fazem-se em nome de uma entidade chamada EUA ou chamada Venezuela coisas horríveis e sempre com as melhores intenções. Não deixemos que tais ações escondidas por traz do nome de um estado continue. Isto já está parecendo a briga partidária brasileira para ver quem vai ser a nomenklatura. De que adianta se o resultado é o mesmo no final, e bem ruim. Não passemos nem perto de defender este tal de "Estados Unidos da America", ainda mais se escondendo sobre um passado que não lhe pertence, uma história de liberdade e capitalismo que foi vivida por outros homens que não estes que se escondem atras daquele nome. Mas também não defendamos esta tal de "Venezuela" que faz coisas mais horríveis ainda com seus indivíduos. Não discutamos quem será a nomenklatura, nem quem terá o controle do leviatã venezuelano. http://mercadopopular.org/2014/02/se-amarildo-fosse-venezuelano-o-que-diria-a-esquerda-brasileira/

      • Thiago Teixeira Postado em 18/Feb/2014 às 20:41

        Independente de como age os Estados Unidos, eu acho que uma boa diplomacia com todos os países, por mais polêmicos que sejam, só tem a acrescentar para cada país. Embargos, expulsão de diplomatas ... eu acho que ninguém ganha. O Bom diplomata toma chá com o Kim Jong-um de manhã e come um hambúrguer com o Obama a noite.

      • Frank Postado em 18/Feb/2014 às 22:45

        Thiago Teixeira, eu vou colocar uns cachorros violentos e estranhos dentro da sua casa ao mesmo tempo que ligarei um estridente som do lado de fora 24 horas por dia, durante 10 anos. Aí você pode vir exercer sua diplomacia comigo. É cada Zé que me aparece!!!

      • Thiago Teixeira Postado em 19/Feb/2014 às 11:54

        O "Dono da Verdade", me fala um país em conflito constante com os EUA que esteja bem na fita? EUA é exemplo de nação? Não, mas tem muita influência comercial no continente americano. Radicalismo não leva a nada, pois a Venezuela depende e muito da exportação de petróleo aos Estados Unidos e ocasionalmente, quando o consumo de gasolina venezuelano supera a produção, tem que comprar aditivos americanos para a gasolina deles. Portanto, na minha cabeça oca, tem que haver uma melhor diplomacia de ambos.

  2. Yohan Postado em 18/Feb/2014 às 17:02

    Vc já assistiu " A revolução não será televisionada" Thiago Teixeira ?? Acredito que não seja "nóia" .... existe uma razão para ao menos desconfiar da participação dos EUA nisso.

    • Frank Postado em 18/Feb/2014 às 22:47

      Este Thiago Teixeira é um Zé que não sabe de nada e vem falar de diplomacia contra marginais, agitadores. Duvido que tenha assistido ao documentário... e ainda vem palpitar sobre Venezuela.

    • Thiago Teixeira Postado em 19/Feb/2014 às 11:41

      Entendeu Yohan? Tem muito idiota nesse site, ainda bem que temos o Frank que eleva a suprema excelência os debates.

      • Yohan Postado em 19/Feb/2014 às 15:34

        Acho que comentários assim são sempre desnecessários.....opiniões divergentes sempre irão existir. Mas voltando ao documentário...... depois de assisti-lo (e mais algumas entrevistas com o John Perkins) eu não me surpreendo com absolutamente nada.

  3. Alexandre Lopes Postado em 18/Feb/2014 às 17:04

    O imperialismo americano tentou , em 2002 , derrubar o governo bolivariano . Conseguiram , mas , pouco dias depois , Chávez voltou ao poder . Agora, os golpistas estão mais uma vez tentando derrubar o socialismo bolivariano ; porém , eu tenho certeza de que não vão conseguir . A Venezuela entrou numa nova era e não voltará a ser um clube dos EUA .

  4. renato Postado em 18/Feb/2014 às 18:00

    è sabido que o Planeta passa por uma transformação lenta e silenciosa, transformando para melhor o mesmo. è por isto que se ve tanta merda...é na realidade o estrebuchar de um regime. A Democracia avança a passos vistos no globo politico, e é obvio que não é de interesse aos países poderosos EUA ou USA, que alguns de seus interesses estão indo por água abaixo. Eles já não são os defensores da democracia no mundo.. Um pais democrata, não significa que está democratizado de cabo a rabo.. É um processo..

  5. Henrique Postado em 18/Feb/2014 às 19:51

    A sorte da Venezuela é que as reservas de óleo no oriente médio são muito maiores, e mantêm o exército Yankee ocupado até hoje. Senão com certeza já teria sido invadida para "salvar" a democracia e a liberdade.

  6. Nythamar Postado em 18/Feb/2014 às 19:55

    USA ou EU Acho que é isso: USA EU, USA EU, USA EU ! (grito de guerra dos collaborateurs)

  7. Mario Rossoni Postado em 19/Feb/2014 às 00:47

    Leiam o livro "Venezuela: A encruzilhada de Hugo Chávez" de Pablo Uchoa. Verão como age a mídia Venezuelana e como ela pode ser eficiente. O livro mostra também como os EUA influenciou na deposição de Hugo Chaves por 2 dias.

  8. Elias Postado em 19/Feb/2014 às 00:58

    USA? USA esta decadente, existe esquerda até lá hoje, hoje os parâmetros são outros, Canada e Austrália, o povo não é bobo a influencia dos USA não tão grande quanto pensam, esquerda não funciona e leva qualquer país a miséria isso é fato histórico os que estudam se revoltam apenas isso.