Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 14/Feb/2014 às 14:43
18
Comentários

Jovem algemado deu tiro na própria cabeça, diz PM

Jovem algemado com as mãos pra trás deu tiro na própria cabeça, diz PM. Momentos antes, José Guilherme, de 20 anos, apanhou da polícia diante de várias testemunhas

josé guilherme
José Guilherme (Reprodução)

O jovem José Guilherme Silva, de 20 anos, que aparece na foto acima, morreu no dia 14 de setembro do ano passado dentro de um camburão da Força Tática da PM de Limeira, no interior de São Paulo. Antes de entrar no carro, sob a acusação de ter participado de um assalto, ele tinha sido revistado pelos policiais “nos pés, tornozelos, cintura e genitália”, conforme eles próprios admitem. Os policiais não encontraram armas com ele. José Guilherme foi algemado com as mãos para trás. O pai do menino, José Alves, conseguiu chegar ao local a tempo de ver seu filho apanhando da polícia. Diante de mais ou menos 30 pessoas, ele entrou imobilizado e desarmado no camburão.

Segundo a versão dos policiais, poucos minutos depois, quando a viatura se dirigia à delegacia com o jovem dentro, José Guilherme teria sacado um revólver 38 de cano longo e atirado contra a própria cabeça. A bala, segundo os exames criminalísticos, percorreu uma trajetória de cima para baixo. O tiro foi dado a uma distância de cerca de 50 centímetros da cabeça.

No laudo, o perito escreveu provavelmente uma das maiores pérolas da história do instituto de criminalística, digna de entrar no roteiro de um CSI brasileiro – que certamente seria uma comédia. Depois de examinar o disparo na cabeça e ver que o preso estava algemados para trás, o perito justifica a possibilidade do suicídio nos seguintes termos: ”isso envolve um estudo personalíssimo da habilidade do agente que encontra-se algemado. E é sabido nos meios policiais tanto sobre a habilidade de movimento de alguns detidos, bem como sua condição pessoal de burlar a revista”.

Passados cinco meses, apesar dos fortes indícios contra os policiais que participaram da ação, pais e irmãos do garoto ainda lutam para provar que seu filho foi executado dentro da viatura e para verem punidos os responsáveis pelo crime. Como os policiais permanecem na rua, o resultado da luta da família, por enquanto, foi apenas um: expor pai, mãe e cinco filhos (um deles gêmeo de Guilherme) ao risco de represálias. Quando foram conversar com um dos que participaram da detenção de José Guilherme, Maria de Lourdes Jesus Fagundes, e a mãe Claudia Regina, tiveram que ouvir: “antes um bandido morto do que um policial morto”.

Sem desanimar da luta fadada a inúmeras frustrações, as duas foram buscar ajuda da comissão municipal de direitos humanos de Limeira e da comissão estadual da Assembleia Legislativa, onde também funciona a Comissão da Verdade. É desanimador, passados mais de 40 anos da fase mais violenta da Ditadura Militar, sabermos que ainda se vive sob fortes suspeitas de que simulações de suicídios ainda são usadas para simular execuções.

Por último. Caro leitor que vai me atacar dizendo que estou “defendendo bandidos e atacando a polícia paulista”. Conte até dez e respire antes de começar a teclar. Perceba que talvez não seja esse o ponto da discussão. E saiba que há muitos policiais militares que compreendem que esse tipo de teatro nefasto está corroendo as estruturas da corporação, a ponto de fazê-la em breve desmoronar.

Bruno Paes Manso, Agência Estado

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Silva Postado em 14/Feb/2014 às 15:36

    Ah tá, o cara tava algemado e deu um tiro na própria cabeça dentro de um camburão da PM. Isso é uma ofensa contra o povo brasileiro, o PM pode inventar a história ridícula que quiser porque sabe que vai continuar impune e não será contestado. Isso tem que mudar, pela desmilitarização da PM já!

  2. renato Postado em 14/Feb/2014 às 16:48

    Espero Justiça neste caso sim. Mande para o J. B. para ver o que ele pensa.. Não existe pena de morte no Brasil. Quem mata,(fora legitima defesa) é assassino. Então pode ser assim:- enfluenciei ele a atirar na propria cabeça, para me defender. Imagina um filho meu, de repente num embrólio, vai para o camburão, esperneia, e pronto tá morto. A Policia Militar esta perdendo o crédito que ainda resta com a sociedade. Mas há bons policiais. Maça boa estraga no meio de ruins, não o contrário!!!

  3. Thiago Teixeira Postado em 14/Feb/2014 às 17:02

    Limeira é bocada quente, os PMs de lá botam terror. Menor de idade que dá dando relaxo na cidade eles matam mesmo, sempre foi assim. Morei lá entre 95 e 97, até eu levei uma surra da polícia por estar arrancando uma placa de trânsito!

  4. Amanda Marques Postado em 14/Feb/2014 às 18:45

    É ditadura disfarçada de democracia. Bem-vindo ao Brasil.

  5. Suely Postado em 14/Feb/2014 às 19:48

     "Caro leitor que vai me atacar dizendo que estou “defendendo bandidos e atacando a polícia paulista”. Conte até dez e respire antes de começar a teclar." Muitos ainda contarão até dez e depois teclarão #tacompenaadoteumbandido

    • Tiago Postado em 14/Feb/2014 às 20:36

      Nao precisa adotar ele tinha pai... e acredito q nao merecia a dor de perder um filho executado pela policia

    • ana lucia Postado em 16/Feb/2014 às 06:59

      cara suely,vc nao entendeu nada né?A questao nao e bandido ou nao,a questao aí é a arbitrariedade da policia...abre os olhos,eles nao matam só bandidos,muito inocente e morto por policia,vc mudadrá de ideais com certeza se un inocente da sua familia for morto arbritariamente por um fdp fardado

  6. Rafael Martini Postado em 14/Feb/2014 às 21:59

    Imagine precisar da polícia - melhor ainda, ser abordado - e um animal deste vier ao seu encontro: http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/39240/Exclusivo:-SBT-Brasil-mostra-acao-truculenta-da-PM-em-Sao-Paulo.html#.Uv6pAPldX-s (Os "apresentadores" não abrilhantaram a notícia com suas pérolas, o fascismo neste vídeo é só por parte do porco fardado e seu colega abutre que assiste). PM é autoritária e arcaica, resquício da ditadura. Não sabem lidar com o povo, sendo este suspeito ou não. Apenas o reprimem. Passou da hora de desmilitarizarem isso.

    • Thiago Teixeira Postado em 15/Feb/2014 às 09:51

      Quem é contra a polícia são aqueles que querem a desordem: Dirigir embriagados, bater na companheira e não dar em nada, ouvir som alto na esquina, entrar de graça no transporte público, protestar, saquear lojas e receber lanchinho dos financiadores da baderna, é isso. A polícia é um empecilho para quem prega a libertinagem e liberdade de vadiagem.

      • Rafael Martini Postado em 15/Feb/2014 às 19:01

        Thiago, não sou contra a polícia. Sou contra selvagens com severos desvios psicológicos que vestem uma farda e/ou distintivo e não sabem como lidar com manifestações, com "gente simples" (principalmente), com "gente estudada", enfim, batem primeiro e perguntam depois (ou apenas batem, sem nada perguntar). Por serem militares, devem obedecem ordens esdrúxulas, do contrário sofrem penalidades. Exigem a forma de tratamento "senhor", sobretudo dos mais humildes, simplesmente para demonstrarem o quanto são poderosos (ao menos num local pouco movimentado, de madrugada). Veja o vídeo e confirme isso. Tudo o que você citou, uma polícia desmilitarizada também pode combater. Por fim, sei que há policiais bons e conscientes, mas a PM, enquanto instituição, não serve ao povo, apenas ao Estado e aos interesses deste.

      • Thiago Teixeira Postado em 16/Feb/2014 às 08:33

        Desculpe Rafael, nunca vi um policial entrar numa frente de trabalho de corte de cana e estes começarem a agredir as pessoas. Nem dentro de uma escola, dentro de uma fábrica, nada disso. Esse papo de "... os policiais batem primeiro e perguntam depois ..." é típico de um madrugadão ou revolucionário que está no meio do protesto e que não se intimida ou quer medir força com a autoridade. Policial é "sim senhor e não senhor" sim senhor meu caro, e com as duas mãos para traz. É disciplina, hierarquia, respeito, o que é exatamente a vontade dos ativistas: Cancelar a disciplina e minimizar a presença do Estado. Ao invés disso porque não questiona nossos magistrados? Ontem vi na TV de Goiás um policial revoltado por estar prendendo pela quarta vez um meliante, ou seja, a polícia trabalha quatro vez porque o juiz solta o vagabundo para dar mais trabalho a polícia e sociedade. Que tal MILITARIZAR o JUDICIÁRIO?

  7. Elias Postado em 14/Feb/2014 às 23:54

    Não entendo esse apego todo da esquerda por bandidos, quer dizer eu entendo sim, deveriam postar as histórias das centenas de vitimas diárias. Sabem porque eles não postam pois boa parte do povo ira começar a tomar atitude semelhantes a desses policiais caso realmente cometeram o crime, a pericia brasileira não é tão ruim quanto pensam.

    • Gabriel Postado em 18/Feb/2014 às 05:13

      tente dar um tirro na própria cabeça com as mãos algemadas nas costas usando um revólver de cano longo que tu não possuia dentro de um camburão. vais ver que tudo isso é impossível. e ninguém está duvidando da qualidade técnica da perícia, mas da falta dela com a verdade de forma premeditada. ninguém acha que eles erraram, mas que estão mentindo. são coisas diferentes

  8. Eduardo Benatti Postado em 15/Feb/2014 às 01:49

    Um dos raros artigos desse site com que eu concordo. Mas infelizmente, se a família do garoto não for negra e pobre, o pessoal dos direitos humanos vai lavar as mãos.

  9. Eduardo Postado em 15/Feb/2014 às 12:13

    “antes um bandido morto do que um policial morto”. Assino embaixo!!!!

  10. Nino de Oliveira Postado em 15/Feb/2014 às 18:38

    A questão não é defender ladrão ou policial, a questão é que "teoricamente" vivemos em uma sociedade civilizada com leis etc e tal, e ninguém tem direito de decidir quem morre e quem vive, quem defende coisas do tipo “antes um bandido morto do que um policial morto” ou "#tacompenaadoteumbandido", é tão bárbaro quanto um monstro sem coração, ética, consciência ou seja lá o que for. A questão é que todos tem direito a um julgamento justo dentro da lei, e que o problema da violência é muito mais complexo do que se discute por ai, vai muito além de mais viatura e policia, tem mais a ver com o sistema econômico que vivemos, com o consumo, com a desigualdade social, com a falta de uma educação critica etc.

    • Elias Postado em 17/Feb/2014 às 12:04

      O Brasil é uma anarquia sem leis, trabalho na justiça nada funciona é tudo ilusão, é um país infestado de bandidos, se a população visse a verdade iriam se armar até os dentes, o povo é ignorante precisam saber a verdade, muitos iriam se mudar desse "país".

  11. ricardo vaz Postado em 17/Feb/2014 às 12:08

    Um perito destes transformava a morte do Santiago em suicídio.