Redação Pragmatismo
Compartilhar
América Latina 17/Dec/2013 às 19:56
3
Comentários

A vitória significativa do Chavismo na Venezuela

Chavismo venceu quase oito em cada dez prefeituras em eleição venezuelana, diz boletim final. Último relatório de votos mostra, também, que oposição ao governo Nicolás Maduro conseguiu 80 administrações pelo país

chávez maduro venezuela
chávez maduro venezuela

O boletim final divulgado pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, com o resultado final das eleições municipais de 8 de dezembro, mostra que a coalizão governista venceu 255 (76,12% do total, quase oito em cada dez) prefeituras e a oposição, 80 (23,88%). Os apoiadores do presidente Nicolás Maduro obtiveram 5.833.942 votos, contra 4.841.149 dos opositores.

Leia também

A agremiação de Maduro, o Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV), conquistou 242 municipalidades, incluindo Libertador, que faz parte da área urbana da capital Caracas. Em total de votos, o PSUV conseguiu 5.277.491. Os partidos aliados ao chavismo foram vencedores em 13 prefeituras.

Já a Mesa da Unidade Democrática (MUD), principal partido de oposição, venceu 75 prefeituras (74 municípios e a prefeitura metropolitana de Caracas, que engloba cinco municípios), com 4.423.897 votos. As agremiações aliadas à MUD receberam 417.252 votos e conquistaram cinco prefeituras.

Em comparação com a última eleição presidencial, em abril, o chavismo aumentou a diferença do total de votos em quase 10 pontos percentuais: de 1,5% para 11,14%.

Agência Efe

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 17/Dec/2013 às 21:53

    Certamente o PIG dirá que ouve sabotagem.

  2. renato Postado em 17/Dec/2013 às 22:34

    E os caras da direita aqui querem o LULA morto. Não conhecem nada!!! E o pior, eles não vão conseguir impedir isto!!!! Vida Longa a LULA!!! DILMA 13 2014.

  3. ademar Postado em 23/Dec/2013 às 16:38

    As expectativas não são boas para a Venezuela, a economia vai mal, taxa de inflação e desemprego muito altas, Maduro tem um trabalho duro pela frente, os próximos 2 anos serão decisivos a continuidade do Chavismo