Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 04/Dec/2013 às 17:33
25
Comentários

Senador evangélico: 'Temos votos para matar o projeto contra a homofobia'

'Temos votos para matar', diz senador evangélico sobre PL contra homofobia. Na cabeça do parlamentar, só 'negro, velho, índio, portador de deficiência e homossexual' têm direitos no Brasil

magno malta evangélico plc122 homofobia
Depois de interditar debate na Câmara, bancada evangélica quer enterrar votação de relatório na Comissão de Direitos Humanos do Senado. Na foto, o senador evangélico Magno Malta (PR).

A discussão em torno da proposta que define os crimes de discriminação ou preconceito de orientação sexual (PLC 122/2006) promete virar uma batalha no Congresso entre religiosos e apoiadores do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). A proposta que estava na pauta da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado foi alvo hoje (4) de críticas por representantes da bancada evangélica.

O senador Magno Malta (PR- ES) disse que o relatório que será posto em discussão na CDH, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) não tem consenso.

“É uma mula de sete cabeças, é um monstrengo, uma anomalia. No texto do senador Paim, se você é hetero no Brasil, você não tem direito a mais nada. No Brasil, para ter direito a alguma coisa você precisa ser negro, velho, índio, portador de deficiência (sic) ou homossexual”, criticou.

Leia também

Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual. Segundo Malta, o artigo incluído na proposta que protege a liberdade de expressão no local do culto não é suficiente, já que os cultos muitas vezes são realizados em locais públicos fora dos templos.

“Nós temos voto para matar (a proposta) em qualquer lugar, em qualquer comissão. Isso não é luta de evangélico contra homossexual, é da sociedade civil”, afirmou Magno Malta.

Para protelar a discussão do assunto, a bancada evangélica, por meio do senador Eduardo Lopes (PRB- RJ), apresentou um requerimento à Mesa Diretora da Casa para que a matéria pare de tramitar separadamente e seja apensada à proposta de reforma do Código Penal. Segundo a presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), para que esse requerimento seja votado no plenário do Senado é preciso que antes a tramitação seja concluída da CDH.

Depois de debates tensos, a leitura e votação do relatório acabaram adiadas para a próxima semana, ainda sem dia definido. Apesar da pressão dos evangélicos, o adiamento foi um pedido do ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência República, que já tinha marcado reunião para discutir o projeto a ontem, mas em razão da morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda, o encontro não aconteceu.

“A Secretaria-Geral da Presidência pediu, via José Pimentel [líder do governo no Senado], que haja essa chance de construir um entendimento em uma reunião nesta quinta-feira. Esse projeto não é bomba, é um projeto que trata de vidas, de direitos humanos”, disse Paim.

Para evitar polêmicas, o termo homofobia não foi colocado especificamente na proposta. “Nem entra a palavra homofobia. Eu apenas digo que todo crime de ódio, de agressão, de violência, de desrespeito, e quem for discriminado pela sua orientação sexual vai ter direito de recorrer à lei” explicou Paim, acrescentando que, com ou sem acordo, a proposta será votada na semana que vem.

No relatório distribuído nesta quarta-feira, além dos templos religiosos, o relator também diz que as opiniões manifestadas em eventos religiosos ficam resguardadas e portanto não podem ser punidas. Depois de votada na CDH, a proposta ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado e depois pelo plenário da Casa.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Hermes Postado em 04/Dec/2013 às 18:24

    Políticos contrários a essa lei SÃO A FAVOR DA VIOLÊNCIA contra as minorias negra, gay, idosa e outras.

    • Juniperos Postado em 05/Dec/2013 às 09:09

      só 'negro, velho, índio, portador de deficiência e homossexual' têm direitos no Brasil .......por enquanto! wOw!!!! Se eu me tornar gay terei direito nesse país? De onde ele tirou isso? Para mim, eles apenas não querem trabalhar com o que devem. Não os vejo nunca falar de menores carvoeiros, má distribuição de renda, educação falha, extinção da cultura nacional, partos em gramados de hospitais, racismo (como algo ruim), transporte publico sub-humano... O que vamos fazer? Não temos mais um setor que cuidem de direitos humanos, apenas gente pregando uma luta incessante contra gays? Como podem ser indiferentes quanto a quantia de dinheiro gasto com lixo nesse pais, ao mar de dinheiro arrecadado com impostos e não chegar nada a população? Presidenta, você fechou os olhos para isso? Que decepção... a filhinha está bem com o novo trabalho, não é? Nossos filhos também querem ficar bem. Terei que escondê-lo da comissão de direitos humanos? Ele é pardo.

      • Fernando Postado em 05/Dec/2013 às 13:38

        Cada vez mais me convenço de que ter votado em dilma foi um voto útil só para brecar a volta dos tucanos e demos. Ela simplesmente está na contramão de sua história como militante dos direitos humanos. Aliás, encher os ministérios e secretarias de mulheres não faz a menor diferença na luta para diminuir a desigualdade entre os sexos uma vez que a enxurrada de incompetentes por ela nomeada só serviu para alimentar o preconceito contra a capacidade do sexo feminino.

      • Mira Postado em 05/Dec/2013 às 14:13

        fernando, penso a mesma coisa ´pq eu votei na Dilma???

    • Juliana Postado em 05/Dec/2013 às 15:02

      Juniperos, Na realidade, por enquanto essas minorias tem apenas obrigações (impostos, etc). Quantas pessoas já morreram por serem negras, índios ou homossexuais? Não se vê hetero morrendo por ser hetero. Política não deveria ser lugar de fanáticos religiosos como este senhor e o feliciano. Mas dizer o que se é o povo que elege essa corja.

      • Juniperos Postado em 05/Dec/2013 às 15:55

        Eles são uma amostra do perigo da "teocracia evangelica". Não estamos exagerando, está acontecendo mesmo. Aos evas que acham que essa turma esta certa, digo o seguinte com certo alivio: nem Deus, nem o mundo são evangelicos. Por que deveria me sujeitar a essas pessoas? E o Feliciano ainda insinuando-se a presidencia..afs

  2. Thiago Teixeira Postado em 04/Dec/2013 às 19:37

    Acho que a sociedade deve começar um campanha de "DIMINUIÇÃO DAS DECISÕES DOS PLENÁRIOS", e de maneira independente, conscientizar e informar as pessoas sobre a homofobia ou qualquer tipo de preconceito estúpido.

  3. Daniel Terense Postado em 04/Dec/2013 às 21:11

    Esses caras invertem os valores. A luta contra a homofobia, que é uma opressao contra os gays, para eles vira uma opressao contra os heteros. Na verdade é uma opressao contra o direito deles discriminarem os gays, o que nao faz nenhum sentido, a nao ser na mentalidade distorcida dessas pessoas.

  4. renato Postado em 04/Dec/2013 às 23:13

    Tenho que ler a lei para entender. entrar nesta de manchetes sensacionalistas que os jornais produzem, não ajuda em nada. Só depois posso dar minha opinião. Como não vou ler, deixo aqui apenas uma nota. Quem tá errada, Malta, os Evangelicos, ou os Catolicos. Os gays ou os LGVTS, ou os negros (já colocaram os coitadinhos no rolo). Quem tá errado. tem que ter alguem errado, é assim que funciona.

  5. Felipe Postado em 05/Dec/2013 às 00:19

    “ No Brasil, para ter direito a alguma coisa você precisa ser negro, velho, índio, portador de deficiência (sic) ou homossexual” Típico argumento em que o opressor se põe no lugar do oprimido. Não sei se rio ou choro.

    • Fernando Postado em 05/Dec/2013 às 13:32

      É assim que funciona no regime fascista: invertendo as posições e os valores. essa camarilha evangélica é a arma ideológica do fascismo que querem instalar no Brasil

    • Pedro Postado em 05/Dec/2013 às 14:07

      A bancada evagelica não luta de pelo direito de opressão, e sim pelo direito de opinião!! E outra, chega desse falso moralismo de "vamos proteger os coitadinhos dos gays", eles não merecem direitos especiais, e sim direitos iguais, o que já o tem!

      • Thiago Teixeira Postado em 05/Dec/2013 às 19:51

        Discurso bem Silas Malafaia, meu caro.

      • Juliana Postado em 06/Dec/2013 às 08:59

        Pedro, Eles já tem direitos iguais? Cite todos os direitos iguais que eles tem, por favor. Que eu cito os que eles não tem: - Até pouco tempo não poderiam se casar e a "santa" bancada evangélica vem lutando para que não possam novamente; - Não podem andar na rua livremente sem risco de espancamento ou morte, por isso a necessidade de lei que regule a homofobia, para que os proteja de anencéfalos religiosos e intolerantes; Até onde eu sei, o único "direito" igual é o de pagar impostos como qualquer outra pessoa. Até aí, não vejo vantagem nenhuma. Se não querem lhe dar direitos, que lhes tirem as obrigações também.

      • Amanda Postado em 07/Dec/2013 às 15:46

        Direitos iguais? Aonde?

  6. luiz carlos ubaldo Postado em 05/Dec/2013 às 07:32

    Sujiro que os meios de comunicação, investigue a vida pregressa desses políticos-pastores, me parece que esses caras tem muita coisa a esconder, no Rio tem um pastor preso, acusado de varios crimes, no fundo temos é que orar por eles, pois são as primeiras vitímas de suas mentes pertubadas e outras simplesmente criminosas, gostam do mal que praticam, amam o poder que julgam ter!

    • juniperos Postado em 05/Dec/2013 às 11:03

      Talvez amem o poder de julgar.

    • Fernando Postado em 05/Dec/2013 às 13:34

      Essa pesquisa já foi feita e mais de 80% desses parlamentares evangélicos foram ou estão sendo processados por crimes das mais variadas naturezas.

      • Juniperos Postado em 05/Dec/2013 às 16:01

        A época certa de tratar o câncer é no começo. Todos já sabiam que ia dar nisso. Leis são leis. Problemas de saúde de saúde pública são problemas de saúde pública. Enquanto tratarem leis e saúde como assuntos religiosos, o cidadão que paga imposto para seu direito valer será esquecido. O Brasil não é a droga da igrejinha que eles querem transformar. Esse país continuara sendo um país laico e igualitário nem que se tenha que invadir aquele antro de Brasília. Já fizemos isso uma vez e podemos e podemos fazer de novo. Por todo negro do passado escravo, por todo índio de sua terra roubada, por todo velhinho agonizante em corredor de hospital, por toda mãe que dá luz em calçadas e gramados, essa nova inquisição não vai funcionar. Eles não vão jogar o brasil numa nova “idade das trevas”.

    • Marcus Postado em 07/Dec/2013 às 15:37

      Procure Magno Malta corrupção no google que você acha alguns esquemas em que ele tá envolvido.

  7. Deivid Leonel Postado em 05/Dec/2013 às 10:26

    O estado gera Leis que geram preconceito, que gera violência, que gera revolta, que gera manifestações, que gera morte... que gera preconceito, violência...

    • Mira Postado em 05/Dec/2013 às 14:15

      prova que ninguém é maior violador dos direitos humanos que o próprio Estado!

  8. Carlos Eduardo Postado em 07/Dec/2013 às 16:00

    Evangélicos na política = CÂNCER

  9. Mateus Matias Postado em 08/Dec/2013 às 20:16

    Senador tem votos para matar tem votos para matar votos para matar E mata.

  10. Ari Kailash Postado em 14/Dec/2013 às 21:15

    Os LGBT sao usados como escada para essa corja subir ao poder. O que mais me espanta e' que o povão acha que os LGBT sao apenas um grupo indesejável e fácil de se livrar. Galera! a turma da teologia do Ódio quer tomar a nação, convocar uma nova Constituinte baseada na biblia e dominar.