Redação Pragmatismo
Compartilhar
Capitalismo 11/Dec/2013 às 17:30
23
Comentários

Papa Francisco critica capitalismo e vira 'vilão' nos EUA

Papa Francisco critica o capitalismo e se torna o mais novo vilão entre os conservadores dos EUA

papa francisco capitalismo
Papa Francisco vira ‘vilão’ nos EUA após criticar capitalismo (Foto: AFP)

O papa Francisco se tornou o mais novo vilão entre os conservadores americanos, depois de ter criticado a ganância e as desigualdades do capitalismo.

Na semana passada, o radialista Rush Limbaugh, ícone do movimento Tea Party, chamou-o de marxista.

Leia também

“Ele tritura o capitalismo e a América, e o Obama tem orgasmos só de ouvi-lo”, afirmou. O presidente havia citado o papa no dia anterior, dizendo que concordava com sua crítica contra a “distribuição de renda mais desigual”.

Adam Shaw, editor da conservadora rede Fox News, disse que o papa é “o Obama do catolicismo”. “Assim como a América se decepcionou com Obama, esse papa será um desastre para a igreja”.

Sarah Palin, candidata republicana a vice-presidente em 2008, disse que o papa “parece marxista”. Ela acaba de lançar um livro sobre “a guerra contra o Natal” provocada por “uma sociedade cada vez mais antirreligiosa”.

Usando a Bíblia

O editor-chefe do blog The Dish, Andrew Sullivan, disse que “os evangélicos estiveram usando a Bíblia contra gays e contra o aborto. Agora, estão sofrendo do mesmo remédio, afinal a Bíblia do papa é a mesma, e ela prega a justiça social”.

“Só quem não acompanha a igreja se surpreende com a fala do papa. João Paulo 2º já falava de ganância no capitalismo”, diz.

A popularidade do papa ainda é alta no país: 78% dos católicos e 58% da população em geral têm visão positiva de Francisco, segundo pesquisa do instituto Pew. O comparecimento às missas, porém, continua o mesmo desde que ele se tornou papa, em março –39% dos católicos americanos vão semanalmente à missa.

A Igreja Católica americana brigou com o presidente Barack Obama por conta do plano universal de saúde aprovado por ele. Funcionárias de hospitais e colégios católicos terão direito à cobertura de tratamentos anticoncepcionais, como prevê o plano –a igreja pedia isenção dessa obrigação.

Papa Francisco x Ultraconservadores

“Jesus Cristo era um capitalista e agora está chorando no Paraíso por culpa dele!”.

“Ele está acabando com o capitalismo e está acabando com a América!”.

“É Marxismo puro saindo da boca dele!”

Em todas essas frases, o “ele” se refere a Francisco e todas vieram de alguns dosultraconservadores norte-americanos espalhados pela mídia. Em fins de novembro, o pontífice compartilhou alguns de seus pensamentos sobre o capitalismo selvagem e suas consequências para milhões de pessoas, em sua exortação de 84 páginas intitulada de Evangelii Gaudium. Após condenar a idolatria ao dinheiro, a desigualdade e a economia de exclusão, é seguro dizer que o papa não é um fervoroso capitalista. Fato esse que despertou a ira da extrema direita dos EUA, que chegou ao ponto de fazer comentários como os relatados acima.

O intelectual espanhol Vicenç Navarro destacou em seu artigo a respeito diversas passagens do documento papal, no qual Francisco se  utilizou muito mais das palavras de Jesus (o grande “capitalista”) do que de “O Capital” de Karl Marx para condenar o sistema. “A crítica não se limita aos excessos do capitalismo, mas ao capitalismo em si, há partes do documento que parecem aproximar-se desta postura. Escreve Francisco: ‘o mandamento Não matarás estabelece um mandato de respeitar a vida humana. Daí que este ‘não matar’ deve aplicar-se a um sistema econômico baseado na desigualdade e na exclusão’. Acrescenta Francisco que “tal economia mata”.

E, diferentemente do que seus detratores tentam apontar, o papa parece saber muito bem do que está falando ao criticar o capitalismo moderno, como aponta Navarro ao citar o pontífice. “Algumas pessoas (Francisco poderia ter escrito a maioria dos establishments econômicos, financeiros, políticos e midiáticos europeus e estadunidenses) continuam defendendo as teorias do “trickle-down”, segundo as quais a concentração de riqueza produzida no crescimento econômico (capitalista) e em seus mercados trará inevitavelmente maior justiça e inclusão, ao aumentar a riqueza, melhorar a vida de todos e a coesão social. Essa opinião, que nunca foi confirmada por dados, expressa uma fé ingênua e crua na bondade dos que concentram o poder econômico e na eficiência sacrossanta do sistema econômico existente”.

Não é necessário ser um seguidor da Igreja Católica para admitir a propriedade que Francisco tem quando fala do capitalismo moderno.  Ao acusá-lo de ser marxista e atacá-lo por defender os mais oprimidos pelo sistema,  afirmando que o Jesus capitalista pregou contra a “distribuição de riqueza”, os conservadores caem no ridículo, ainda mais quando nos lembramos de algumas de suas clássicas e verdadeiras pregações, como “abençoados sejam os pobres” ou “é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulho do que um rico entrar no Paraíso”.

Outra forma de criticar Francisco é compará-lo também a seus predecessores e seus antagonismos ao pensamento marxista. O falecido João Paulo II, por exemplo, é apontado como um dos grandes responsáveis pela derrota vermelha na Guerra Fria, junto ao ex-presidente norte-americano, Ronald Reagan. O comentarista financeiro da conservadora Fox News, Stuart Varney, apontou que “ele entendia que os livres mercados são necessários, pois cresceu sob um regime comunista”. Pouco mais de um ano atrás, Bento XVI destacou a falha do marxismo em Cuba: “Hoje é evidente que a ideologia marxista, como foi concebida, não corresponde à realidade”.

Ironicamente, todos esses críticos de Francisco e defensores da econômica global fazem parte do “Tea Party”, a mesma linha conservadora republicana que poucos meses atrás quase provocou uma crise mundial com a paralisação do governo dos EUA, fazendo a Casa Branca de “refém” e a qual, Noam Chomsky classificou como profundamente reacionária.  Não é a toa que as críticas ao Vaticano se juntam aos ataques a Obama.

Em tempo: o papa Francisco acaba de ser escolhido como a personalidade de 2013 pela revista Time. No ano passado havia sido Barack Obama.

Vinicius Gomes. Folhapress e Fórum

Recomendados para você

Comentários

  1. Vitor Postado em 11/Dec/2013 às 21:08

    EUA = lixo

    • Leonardo CM Postado em 12/Dec/2013 às 17:22

      E o Brasil é o que ?

      • Amanda Postado em 12/Dec/2013 às 20:18

        Fooooda-se o Brasil, aqui a gente tá falando dos EUA. Se vc veio aqui tomar uma posição de defender os EUA, sendo esse um país que utiliza SIM a política da desigualdade e da exclusão, vc é tão boçal quanto os idiotas que acham que o Brasil é SÓ MERDA.

    • Marcos Postado em 13/Dec/2013 às 00:06

      As melhoras universidades do mundo esta lá, não somos 1 % do que eles são, são práticos realistas, a justiça funciona, Brasil vive de utopias e ilusões a justiça não existe é fraca, criminosos comandam prefeituras e as ruas, não compare esse lixo com os USA.

      • Vanderson Postado em 17/Dec/2013 às 12:33

        Caro Marcos, eles só são melhores porque sempre sabotaram seus vizinhos para evitar concorrência, e assim, monopolizar mercados. Vê se acorda e para de se sentir inferior.

  2. renato Postado em 11/Dec/2013 às 21:54

    PAPA, se mexeu com os Capitalistas e com os ".........", do EUA. Esta com a vida contada, vai ter que prestar a atenção com, comida, e vestimenta radioativa e contra o Cancer.. Que Deus esteja com ele.

    • Amanda Postado em 12/Dec/2013 às 20:19

      kkkkkkkkkkkkkk eu pensei o mesmo... Coitado...

  3. Marcos Abraxas Postado em 11/Dec/2013 às 22:02

    Este PORCO romano, que chefia uma máfia milenar que já matou e roubou, e que hoje em dia detém um capital de 3 TRILHÕES (sic) de dólares, tem QUAL moral para falar do capitalismo que ela mesma pratica?!

  4. Estefferson Torres Postado em 12/Dec/2013 às 03:14

    Não me surpreende que o papa tenha recebido essa reação por lá, afinal, até onde sei, os católicos não são considerados conservadores, digamos assim, "verdadeiros" nos EUA. Lá os conservadores mesmo são protestantes. Tem até um episódio de Family Guy (Uma Família da Pesada) em que o Rush Limbaugh aparece e "converte" o Brian para o partido Republicano. Durante uma música que eles cantam, quando o Brian pergunta se até mesmo católicos podem se Republicanos, o velho responde que sim. Dando a entender que os católicos não vistos como uma ala realmente conservadora. E chega um papa que nem esse, aí é que a coisa pega mesmo com os conservadores americanos.

    • Gustavo Postado em 12/Dec/2013 às 11:03

      É por que essa reação é de parte da população americana, alguns indivíduos que natural têm seus próprios pensamentos e são livres para dize-los . Mas tem pessoal louco ai que vê qualquer coisa dos EUA já começam a xingar o país inteiro, infelizmente não aprenderam nada com o Mandela.

      • Luiggi Postado em 12/Dec/2013 às 16:47

        É verdade, Gustavo. O povo americano, em geral, é muito bom e ingênuo até certo ponto. Mas eles estão acordando para o fato de que estão sendo vítimas das mesmas manobras que só pensavam acontecer fora de suas fronteiras. Agora sabem que são roubados, espionados e que sustentam um pequeno e seleto grupo de parasitas que se adonou do sistema financeiro, político e midiático daquele país.

  5. Luiggi Postado em 12/Dec/2013 às 11:34

    O Tea Party é o bastião do grupo sionista encrustado na política Americana. São eles que prostituem o protestantismo, financiando seitas neo-pentecostais nos EUA e países de 3° mundo - entenda-se: Brasil, países sul-americanos e África - para disseminarem a dissolução do Estado, a ideologia do messianismo de força de Ishra-hell e a lavagem cerebral em forma de um híbrido fundamentalista entre Cristianismo de botequim (que me perdoem os bebuns) e o Judaísmo, criando aí um monstrengo religioso que afronta a ambas vertentes religiosas genuínas. Eles usam o discurso capitalista e messiânico neo-pentecostal como a solução de todos os males do mundo e pregam que tudo o que está fora de seus cânones é maldito e, portanto, passível de extinção. Isto justifica seus ataques a Obama, a Mandela, ao Papa Francisco, à Madre Teresa, à Princesa Diana, a Lula, à Dilma, aos sindicalistas, aos trabalhadores, aos gays, às feministas, enfim, a quem representar o mínimo de ameaça a suas pretensões megalômanas de se adonar do poder mundial. Senhores, isto em bom Português chama-se neo-fascismo e um tal de Adolf que viveu lá na Alemanha já deu um mau exemplo de como essa porcaria toda termina...

  6. Thiago Teixeira Postado em 12/Dec/2013 às 13:45

    "a igreja pedia isenção dessa obrigação" Como se a entidade tivesse algum direito civil de intervir na saúde das pessoas mais especificamente das mulheres.

    • Carlos Postado em 12/Dec/2013 às 17:17

      Não conheço a fundo o plano, mas se há uma obrigação que atinge a igreja ou qualquer outra organização ou pessoa, por que está não teria direito de protestar contra?

      • Thiago Teixeira Postado em 12/Dec/2013 às 19:59

        Todos tem o direito de protestar, mas este plano de saúde universal, ao meu entendimento, é um direito de todos os americanos, porque a "igreja" quer tratamento diferenciado? Seus fiéis são obrigados a aceitar tudo o que a doutrina deles prega?

      • Carlso Postado em 15/Dec/2013 às 13:18

        O protesto serve para lembrar seus fieis que isto é errado. Não há obrigação, mas se os fieis não aceitam, devem repensar se são ou não fieis.

  7. Carlos Prado Postado em 12/Dec/2013 às 17:31

    O capitalismo como única moral, caindo no mesmo materialismo moral que inspirou ditaduras comunistas e positivistas(como a vista no Brasil), acima de tudo é um erro. Temos aqueles que seguem como máxima de vida "Obter lucro". Porém deve tomar cuidado com o jogo de palavras, capitalismo pode ser muitas coisas. É pelo capital que o homem realiza muitas obras benéficas. A troca e a produção do capital quando feita de forma voluntária e consciente pouco mal pode encerrar. Mas quando este é tomado a força do cidadão, como vemos em ditaduras comunistas, e a produção do capital é penalizada se encerra um grande mal e hipocrisia.

    • Carlos Prado Postado em 12/Dec/2013 às 17:45

      http://angelqueen.org/2013/04/13/interview-with-pope-before-he-was-pope/

  8. Marcos Postado em 13/Dec/2013 às 14:42

    Alguém deveria comparar os homicídios da America Latina cheia de esquerdinhas com a violência nos USA.

    • Vanderson Postado em 17/Dec/2013 às 12:51

      Se lá é tão exemplar, por que tem o maior sistema carcerário do mundo?

  9. lidia virni Postado em 13/Dec/2013 às 22:51

    Ou muito me engano ou esse internauta Marcos, pelos erros de portugues que comete é um americano infiltrado entre os trolls, tentando defender o indefensável: a política excludente e fascista dos republicanos, especialmente os tea-partistas dos EUA.

    • Marcos Postado em 14/Dec/2013 às 20:23

      São os republicamos que fundaram os USA, o melhor país do mundo para um negro viver é nos USA.

  10. Diego Postado em 28/Feb/2014 às 15:30

    Se eu reclamo do capitalismo sou comunista? Heim? Que tipo de raciocínio é esse? Não olhe agora, tem um marxista te observando, e ele tá doido pra iniciar o golpe comunista no Brasil. Fuja para os EUA, compre uma casa na Virginia e vá ser feliz junto com os nossos irmãos em Jesus! “Sabe-se como os exercícios rigorosos e certas prédicas missionárias dos católicos, assim como a educação protestante que sempre fareja o pecado, causam danos psíquicos que não levam ao Reino dos Céus, mas ao consultório médico.” (Carl Jung)