Redação Pragmatismo
Compartilhar
Preconceito social 26/Dec/2013 às 12:07
21
Comentários

“Macaca, suja, preta velha”: Médica nega atendimento a criança e é presa

Médica é presa após negar atendimento a criança e ofender mãe da mesma: “macaca, suja, pobretona e preta velha”.

Após se recusar a atender uma criança e ofender verbalmente a mãe da mesma, supostamente chamando-a de “macaca, suja, pobretona e preta velha” dentro do Hospital e Pronto Socorro da Criança da Compensa, na Zona Oeste de Manaus, uma pediatra identificada pela polícia como Socorro Pereira foi presa por policiais militares da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) na noite desta terça-feira. A médica ainda não quis se identificar para os militares e ainda teria mordido uma PM, que efetuou sua prisão.

De acordo com a polícia, a mãe da criança denunciou a profissional de saúde depois da mesma se recusar a atender a menor de idade e ficar conversando no corredor com uma mulher. Ela teria se aproximado da médica para saber quando ela iria atender a menor de idade, que apresentava sintomas de vômito e diarréia. Socorro teria respondido de forma ofensiva e a expulsou da unidade com a criança, segundo a denúncia.

Leia também

A atitude da pediatra foi denunciada à guarnição, que foi até o local e confirmou a ocorrência. De acordo com a polícia, ao perceber a presença dos policiais, a médica se recusou a se identificar e agiu também de forma agressiva contra os militares. Ao ser levada para prestar esclarecimentos sobre o fato no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), a médica ainda mordeu uma das policiais.

Segundo testemunhas, os outros médicos saíram em favor da pediatra e deixaram de atender os pacientes por alguns minutos. A médica negou o fato e disse que a mãe foi grosseira ao questionar o atendimento e que decidiu sair sozinha da unidade, sem que ela a expulsasse.

Os policiais militares informaram ainda que a médica foi apresentada na delegacia por prevaricação – por ter se negado a prestar atendimento -, desobediência, racismo e resistência à prisão. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Amazonas, na delegacia a mãe não relatou em depoimento nada sobre as ofensas e a pediatra assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por omissão de socorro.

Ainda segundo a assessoria, a médica alegou abuso de autoridade por parte dos PMs e os denunciou na Corregedoria da Polícia Militar (PM), localizada na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Todos foram ouvidos na manhã desta quarta-feira.

Nota Susam

Em nota repassada à imprensa, a Secretaria de Estado da Saúde (Susam) informa que já determinou a instalação de Comissão de Sindicância para apurar as circunstâncias do incidente ocorrido na noite da última terça-feira, no Pronto Socorro da Criança da Zona Oeste, envolvendo uma médica da cooperativa de pediatria que mantém contrato com a Susam e uma usuária.

“Mediante o resultado dos trabalhos da comissão serão adotadas as medidas administrativas cabíveis, mas enquanto durar a apuração a referida médica está afastada do atendimento. A Susam destaca que, no momento do incidente, 12 médicos estavam de plantão na unidade e que o atendimento transcorria normalmente. A Susam reitera o seu compromisso com a Política Nacional de Atendimento Humanizado do SUS, cujas diretrizes devem ser seguidas por todas as unidades de saúde e profissionais que atuam na rede”, informa o comunicado.

A nota diz, ainda, que “independente da apuração da conduta da médica, a direção do Pronto Socorro da Criança da Zona Oeste reforçou junto à sua equipe esses preceitos, que devem ser seguidos rigorosamente por todos os servidores da saúde”.

Geledés

Recomendados para você

Comentários

  1. carol Postado em 26/Dec/2013 às 12:55

    Eu que sou vestibulanda e quero fazer medicina por amor e para ajudar os outros fico envergonhada COM TAMANHA FALTA DE RESPEITO ,CONSIDERAÇÃO E PRECONCEITO.Essa senhora tem q ser presa mesmo pra aprender a respeitar os outros . Abaixo aos "médicos " que só querem saber de status e dinheiro tratando os seus pacientes e os demais como lixo.DEPLORAVEL

    • Amanda Postado em 27/Dec/2013 às 03:14

      Exatamente como eu penso, e nada mais normal doq pensar assim... medicina é uma profissao q exige mt amor da pessoa com as outras, pessoas... uma pessoa q tem uma.atitude dessas, q sai de um plantao pra ir num churrasco ou qqr outra coisa, nao merece um titulo tao nobre como o de medico.

  2. Eduardo Abreu Postado em 26/Dec/2013 às 13:11

    É uma batalha inglória a da saúde pública no Brasil, por mais que se faça sempre tem algo para puxa-la pra baixo e manchar sua razão primeira que é a de salvar vidas, principalmente em setores de emergência, onde os ânimos já são alterados pela simples razão da emergência, que para o leigo é quando se trata de ente querido, para o profissional não o é, devido ao conhecimento do assunto e da vivência do dia a dia, e isto é um estopim para discórdia é desentendimentos frequentes nos PS, e este caso do texto, tirando as ofensas verbais da manchete, que não acredito tenha sido proferidas, são normais e rotineiras pelo motivo acima descrito. O cidadão chega querendo atendimento prioritário, lógico é um direito, mas infelizmente são dezenas de cidadãos com esta exigência e muitas vezes não se tem como atender de imediato, tendo que se aguardar, e esta espera é dolorosa para quem tem em seus braços alguém querido que sofre. Um dia isto vai mudar, e teremos uma organização melhor na nossa saúde, principalmente a pública.

    • Aken Postado em 27/Dec/2013 às 15:37

      Acho esta versão bem plausível também. Difícil imaginar alguém proferindo palavras como tal de forma gratuita, mas não que seja impossível...

  3. Antonio Palhares Postado em 26/Dec/2013 às 13:58

    Já deu para perceber que houve manipulação no BO. Pois a Policia nestas regiões, sabendo que o crime de racismo é grave, simplesmente não faz autuação de pessoas bem nascidas. No caso, a Doutora. Aqui em São Paulo seria diferente. São médicos iguais a esta que vaiaram os colegas Cubanos no aeroporto.

  4. Thiago Teixeira Postado em 26/Dec/2013 às 15:56

    "Não faltam médicos, falta vergonha na cara desse governo" Tenho que ouvir isso ainda dos mérdicos.

    • Carlos Prado Postado em 27/Dec/2013 às 14:47

      A universidade é paga por todos para beneficiar a poucos. Nisso defendo que a universidade pública deveria ser paga pelo estudante, assim ainda teria o dinheiro necessário entrando diretamente na universidade, sem passar por inúmeros burocratas do estado. A cada rematricula os estudantes poderiam apresentar comprovantes do rendimento da sua família e dos gastos de moradia caso ele viva numa republica. Assim poderia se calcular um desconto para os estudantes necessitados. Mas no mais ela seria paga e quem quiser que desembolse o quanto vale. O ensino dele tem um custo e não com essa distribuição de rendas do pobre para o rico que se melhora a educação.

  5. Antonio Palhares Postado em 26/Dec/2013 às 16:54

    Sr. Thiago. Médico brasileiro é formado em universidades públicas pagas com o dinheiro do contribuinte, mas não gostam de trabalhar para os pobres. Tanto é verdade que este "governo sem vergonha na cara", como o Sr. diz , foi obrigado a importar de Cuba 6000 médicos. Par trabalharem onde nossos queridos e elitistas médicos não quiseram.

    • Thiago Teixeira Postado em 26/Dec/2013 às 18:48

      Leia minha mensagem novamente ...

      • Antonio Palhares Postado em 27/Dec/2013 às 11:04

        Ok thiago. Um abraço e feliz festas.

    • pedro lemes Postado em 27/Dec/2013 às 09:22

      antonio. cara ,na maioria desses lugares... nao chega um antibiotico , um anti gripal ... nao chega uma seringa pra dar vacinas , sequer corativos basicos sao possiveis,por falta de material que o governo deveria fornecer aos hospitais,instituicoes de saude etc,apenas em alguns lugares chegam verbas,e quando chega,toda secretaria de saude faz o favor de reter a verba,de sumir com tudo... importaram os medicos de cuba ,reclamaram ,mas continua igual a condiçao de trabalhos nesses lugares do norte,nordeste.

      • Antonio palhares Postado em 08/Jan/2014 às 12:31

        Pedro. Começou a melhorar, temos noticias que estes médicos cubanos já estão plenamente adaptados a estas regiões difíceis, através de seus comportamentos profissional e respeitoso com as comunidades pobres conquistaram o respeito e apoio destes mais carentes. Um abraço.

    • renato Postado em 28/Dec/2013 às 05:36

      Thiagão, por um milésimo de segundo pensei que vc tinha chutado o balde.

    • Adalberto Postado em 29/Dec/2013 às 21:58

      "Médico brasileiro é formado em universidades públicas pagas com o dinheiro do contribuinte, mas não gostam de trabalhar para os pobres." Repito o comentário acima, pois a maioria são filhos de papai que podem se dar ao luxo de estudar em tempo integral ao contrário dos desafortunados que trabalham e estudam. Ainda existe a ilusão de ter clínica própria ou ser cirurgião plástico de celebridades, daí vem a revolta com a população.

      • Antonio Palhares Postado em 08/Jan/2014 às 12:15

        Adalberto, bom dia. Infelizmente neste país de fábula, os pobres pagam o estudo dos ricos em excelentes universidades federais, para eles quando formados nos cobrarem os "olhos da cara" por uma consulta, ou baterem seus pontos num posto de saúde e saírem imediatamente para tralhar nas suas clinicas recebendo da sociedade sem trabalhar.São os mesmos que vaiaram os cubanos no aeroporto.

  6. Camila Postado em 27/Dec/2013 às 00:53

    Acho a situação triste, pelo fato de faltar humildade e respeito à médica da situação. Concordo que os médicos devem atender à população carente e mais necessitada. Contudo, é inegável que o profissional deva trabalhar onde as condições irão lhe proporcionar maior bem-estar laboral e social para si e sua família, independentemente de ser no SUS ou na saúde privada. Fato que algumas pessoas que comentaram parecem ignorar. Tanto os médicos como TODO O RESTO DA POPULAÇÃO trabalham onde melhor convém. Não sou médica nem pretendo ser, mas acredito que os médicos devam trabalhar onde recebam melhores propostas conciliadas ao serviço prestado à comunidade. Todos prezam por uma boa vida, e os médicos não são exceção à regra: se o governo não oferece condições condizentes com o resto do mercado, é muito compreensível o motivo de alguns médicos fugirem da saúde pública. Por isso apoio a vinda dos médicos cubanos que, infelizmente, são obrigados a sujeitar-se a condições precárias devido ao governo de seu país, uma vez que o governo brasileiro fornece salários medianos e aceitáveis(R$ 10 mil). Antes que alguém fale das prefeituras que oferecem salários de 25 ou 30 mil e não encontram médicos dispostos a trabalhar, já peço para que constatem pesquisando na internet que as mesmas prefeituras dão calote nos médicos. Pagam 2 ou 3 meses de salário e depois não pagam mais nada. Recapitulando sobre a saúde pública, é possível notar que muitos médicos não se arriscam a exercer a medicina nela devido às péssimas condições de trabalho aliadas aos iminentes riscos de perda de carteira de trabalho. Se eu fosse médica, jamais trabalharia em um local precário onde me arriscaria a ser responsabilizada por procedimentos incorretos e até óbitos, que na verdade ocorreram devido à má-infraestrutura. Nunca me sujeitaria à possibilidade de perder o CRM e não poder exercer a profissão que escolhi, mesmo que isso, infelizmente, signifique ter que trabalhar priorizando outras ofertas de emprego. Todos querem um bom emprego e ninguém trabalha de graça, inclusive os médicos.

    • ricardo vaz Postado em 30/Dec/2013 às 18:58

      Não trabalha de graça, mas estuda de graça, ou melhor, muito caro e pago pelo povo a que se negam atender.

      • Antonio Palhares Postado em 08/Jan/2014 às 12:23

        Como tem inocente útil neste pais de desinformados. Ate na Inglaterra, que é Inglaterra, quem estuda as custas da sociedade, tem que devolver para a sociedade o investimento que esta lhe proporcionou. Na França do mesmo jeito.

  7. adriana Postado em 27/Dec/2013 às 03:26

    Parabéns a esta ''médica''....!!!! Absurdo!

    • Thiago Teixeira Postado em 27/Dec/2013 às 18:05

      Parabéns a esta "mérdica".

  8. Ari Kailash Postado em 30/Dec/2013 às 19:37

    Os evangélicos sao os mais racistas entre todos os grupos sociais no Brasil. Primeiramente por atacar o Candomble, o Vodum e a Umbanda, religiões negras que devem ser respeitadas como parte da grande herança africana no Brasil.