Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 07/Nov/2013 às 16:02
7
Comentários

Sete curiosidades sobre o novo prefeito de Nova York

Bill de Blasio é filho de simpatizantes do comunismo e casado com mulher negra, ativista LGBT; sua lua de mel foi em Cuba. Confira a seguir sete fatos que você precisa saber sobre o novo prefeito de Nova York

bill de blasio prefeito nova york
Bill de Blasio e sua família durante festa da vitória (EFE)

Dodô Calixto, Opera Mundi

Os Democratas venceram a eleição nesta terça-feira (05/11) e estão de volta à prefeitura de Nova York após 20 anos. O novo dirigente, Bill de Blasio, foi militante de esquerda nos anos 80 e projeta um plano progressista para cidade. Conheça sete fatos marcantes da trajetória do novo prefeito:

1 – Pai comunista. Warren Wilhelm, pai de Bill de Blasio, teve carreira promisora como economista no Departamento de Comércio do governo norte-americano antes de servir ao Exército. No entanto, sofreu boicote de outros funcionários quando descobriram que ele e sua esposa argumentavam em favor do comunismo. Sanções e declínio profissional levaram o economista ao alcoolismo.

2 – Mudança de nome. Na verdade, o nome no registro de nascimento de Bill de Blasio era Warren Wilhelm, Jr., em homenagem ao pai, que perdeu a perna esquerda na Segunda Guerra Mundial. Após seguidos casos de alcoolismo e violência, os pais de Bill de Blasio se divorciaram. Após a separação, ainda no ensino médio, o novo prefeito de Nova York decidiu, na época, adotar o apelido de infância – Bill – e o sobrenome italiano da mãe – de Blasio. A alteração foi feita formalmente em cartório. “Estava bastante irritado com a separação”, disse Bill, em entrevista recente.

Leia também

3- Apoio ao movimento sandinista. Um dos momentos mais marcantes da carreira política de Bill de Blasio aconteceu em 1988, quando o novo prefeito de Nova York visitou a Nicarágua para entregar ajuda de uma organização de esquerda dos EUA. Naquela época, De Blasio tinha 26 anos e o governo sandinista nicaraguense enfrentava uma guerrilha apoiada pela administração de Ronald Reagan (1981-1989).

Após voltar da visita ao país, o novo prefeito manteve seu respaldo aos sandinistas colaborando com um grupo chamado Rede de Solidariedade com a Nicarágua, embora depois tenha se desvinculado progressivamente. Segundo de Blasio, ele estava desencantado pela maneira como os sandinistas tratavam oposição e imprensa.

4 – Trabalho com Hillary Clinton. Bill de Blasio foi gerente de campanha de Hillary Clinton. No entanto, foi demitido sob a justificativa de ser “politicamente fraco” e “não decisivo”, na visão do casal Clinton. Na época, o jornal The New York Times chegou a escrever um artigo de opinião, condicionando a fraca campanha de Hillary à falta de poder de decisão do então gerente Bill de Blasio. Ambos, no entanto, mantiveram um bom relacionamento. Hillary inclusive organizou um evento para arrecadar fundos para as eleições de Nova York no mês passado, angariando mais de US$1 milhão de dólares para campanha de Bill.

5 – Casado com mulher negra e ativista de direitos LGBT. Bill é casado há 19 anos com a poeta Chirlane McCray, de 58 anos, conhecida pela atuação militante na organização radical de feministas e lésbicas negras Combahee River Collective, na década de 1970.

6 – Lua de mel em Cuba. Contrariando a legislação norte-americana que proíbe viagens a Cuba, o casal de Blasio passou metade da lua de mel na ilha. Os filhos herdaram a miscigenação da cor branca de Bill de Blasio e da cor negra de Chirlane McCray.

7 – Despejo em Nova York. Em 1983, graças a um problema contratual, Bill de Blasio foi expulso do apartamento em que morava em Nova York. Ainda candidato, citou diversas vezes o episódio para defender uma política de moradia popular aos nova-iorquinos. A promessa é de construção de mais de 200 mil casas populares na cidade.

(*) com informações da Mother Jones, Agência Efe, O Político, Washington Post

Recomendados para você

Comentários

  1. renato Postado em 07/Nov/2013 às 18:06

    Americano??? Nada a declarar.

  2. Marcos Postado em 07/Nov/2013 às 20:51

    Eu digo que existe um processo maciço de subversão na America, seria trágico se não fosse cômico, em pouco tempo NY será contaminado por medidas populistas visando votos e a violência voltara a ser regra lá. O Canada de hoje é os USA de ontem.

    • Vick Postado em 07/Nov/2013 às 21:06

      Nossa cara, vc viajou hein? Que droga é esse que vc usa?

    • Thiago Postado em 08/Nov/2013 às 10:21

      Subversão ? Você vive em 1964 ? A política imperialista americana destroçou milhões de vidas e diversas nações,levou o país a crise que hoje vive.O canadá de hoje é reflexo de uma ampla esquerda e centro-esquerda com alguns sociais-democratas que construíram um país democráticoe com grandes avanços sociais.

      • Marcos Postado em 10/Nov/2013 às 19:15

        Ampla esquerda no Canada uhahuauh, direita é capitalismo e liberdade econômica, se os políticos se dizem de esquerda mas o país é livre ele é de direita suas antas, esquerda é Cuba, Coreia do Norte, Venezuela, nem politica vcs entendem.

    • Amanda Postado em 13/Nov/2013 às 10:42

      Esse alucinógeno é bom hein, cara...

  3. Thiago Teixeira Postado em 07/Nov/2013 às 20:56

    Bela família!!!