Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mercado 12/Nov/2013 às 13:11
40
Comentários

Seis alimentos que não deveriam estar nas prateleiras

Agência de Drogas e Alimentos revela lista dos alimentos que são excessivamente nocivos à saúde e precisam passar por mudanças no seu processo de fabricação

alimentos gordura trans perigos
Agência de Drogas e Alimentos afirma que seis alimentos com gordura trans precisam sair das prateleiras dos supermercados (reprodução)

O anúncio feito pela Agência de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) de que as gorduras trans não são consideradas seguras para o consumo abriu caminho para as autoridades proporem a proibição do uso deste tipo de substância nos alimentos produzidos no país.

A gordura trans é bastante usada em alimentos processados para aumentar a vida útil dos produtos. No entanto, nutricionistas dizem que esse tipo de lipídio é prejudicial à saúde, aumentando o risco de doenças cardíacas.

A batalha para conscientizar as pessoas sobre a gordura trans começou há mais de uma década nos Estados Unidos. Desde 1999, foi proposto que os fabricantes de alimentos indicassem na embalagem o conteúdo de gordura trans. Mas a medida só entrou em vigor mesmo em 2006.

Segundo a Associação de Produtores de Alimentos (GMA, na sigla em inglês), desde 2005 houve uma redução de mais de 73% na quantidade de gordura trans colocada em alimentos.

O consumo deste tipo de gordura caiu entre os americanos –de 4,6 g por dia em 2003 para 1 g em 2012.

Agora, caso os planos da FDA avancem, a indústria alimentícia americana precisará readaptar processos de fabricação – o que pode implicar em um aumento de custos.

Confira abaixo a lista dos alimentos que precisarão passar por mudanças no seu processo de fabricação:

1. Biscoitos salgados, doces, tortas congeladas

Esses produtos geralmente contêm gorduras trans em estado sólido, para deixá-los menos oleosos.

“As gorduras ‘boas’ já desempenham esse mesmo papel. Só que são mais caras para a indústria dos alimentos. Mas elas trazem menos riscos para a saúde e são mais saudáveis”, diz o químico de alimentos Fidel Belmares.

2. Pipoca de microondas

As gorduras trans sólidas são usadas nas pipocas de micro-ondas para conservar o produto por mais tempo. A alternativa, segundo especialistas, seria usar azeite líquido no lugar.

Leia também

3. Pizzas e salgados congelados

Alguns produtos congelados – pizzas, coxinhas – contêm gorduras trans para prolongar sua duração. Os especialistas sugerem que as pessoas comprem produtos frescos e os congelem em casa.

Alguns produtos congelados sem gordura trans já são vendidos no mercado hoje.

“Há empresas que vendem batatas fritas ou outros tipos de lanches congelados e anunciam na sua embalagem que nenhum tipo de trans foi usado na fabricação do alimento”, diz Loredo.

4. Manteiga vegetal e margarina em barra

Loredo sugere que se use manteiga em vez de margarina, porque a origem animal do produto é mais bem assimilada pelo metabolismo do corpo. Melhor ainda seria, segundo ele, o uso de gorduras líquidas – como azeite de oliva – em vez de gorduras sólidas – como manteiga ou margarina.

5. Creme para café

Também existem versões deste produto sem gordura trans. Ainda assim, há substitutos que são ainda mais saudáveis, como leite natural ou leite de soja.

6. Glacê pronto para uso

Os glacês prontos para uso em doces faz com que as guloseimas fiquem mais sólidas e estáveis por mais tempo em temperatura ambiente.

Apesar de inúmeros esforços da indústria alimentícia na busca por substitutos, os especialistas asseguram que é melhor fazer o glacê desde o começo – utilizando açúcar, manteiga, leite e baunilha natural.

BBC

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2013 às 13:34

    Eu acho que as pessoas devam ter o direito de ter o colesterol alto e consumir produtos de fácil consumo. Se levarmos ao pé da letra devemos comer apenas capim.

    • Lucas Martins Postado em 12/Nov/2013 às 14:42

      Thiago Teixiera, o problema não é você consumir, e sim o rombo que gente como você dá na saúde, tirando remédios de quem realmente precisa. Quer comer porcaria, coma, só não vai ao médico e morra na sua casa. Desta forma, a saúde precária brasileira e principalmente os pacientes agradecem.

      • Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2013 às 18:01

        Quanta idiotice, então os outros doentes são vegetarianos? Quem come bolacha não é contribuinte?

    • Flávio Postado em 12/Nov/2013 às 14:54

      Não acho que seja tão radical assim. Tanto é que há sugestões dos mesmos produtos que não levam gordura trans

    • Fellini Postado em 12/Nov/2013 às 15:09

      É dever do Estado proteger a saúde da população, até porque o seu colesterol alto irá depois ser um gasto no sistema de saúde.

    • Susan Rustiguel Postado em 12/Nov/2013 às 15:39

      Thiago o problema é que nem todo mundo sabe desses maleficios e consome por ser rapido ou baixa condicao financeira, tipo crianças pobres comem mta bolacha na falta de um pao um doce e desde cedinho ja começa a ter o colesterol alterado oque nao é bom ne, e elas nem escolhem nem sabem

    • Nagga Postado em 12/Nov/2013 às 16:27

      E depois vai ficar reclamando dos gastos do sus...

    • AKen Postado em 12/Nov/2013 às 17:03

      Também acho que cada um se alimenta como quiser, as informações sobre o que é saudável ou não são muito fáceis de encontrar hoje em dia. Só que o grande problema é que comer bem custa caro, beeeeem caro.

    • Brendan Postado em 12/Nov/2013 às 18:23

      Se você ler a notícia inteira, vai ver que todos esses produtos tem um substituto da mesma natureza. A notícia se foca acima da gordura trans, e esta é sim substituível.

    • Sarah Postado em 12/Nov/2013 às 21:49

      O problema é que as coisas saudáveis são mais caras e quem não tem muito dinheiro acaba não tendo muita escolha. É forçado a consumir produtos menos saudáveis. Acho que o ideal seria inverter a ordem das coisas, produtos mais saudáveis (com menos açúcares e gorduras saturadas) deveriam custar menos que os produtos menos saudáveis (que geralmente são mais saborosos).

      • guilherme Postado em 13/Nov/2013 às 00:38

        exato, taxar os produtos "gostosos" da mesma maneira que os cigarros, e exonerar os produtos "saudaveis"

  2. Luiz Postado em 12/Nov/2013 às 14:13

    Isso explica o aumento enorme de pessoas doentes e que morrem aos milhares de câncer e coração.

  3. Leonardo Postado em 12/Nov/2013 às 14:40

    Eu acho que as pessoas devem ter o direito de se matar. O problema é quando isso começa a pesar na Seguridade Social e as pessoas que tem a vida saudável tem que bancar os demais.

  4. Lívia Postado em 12/Nov/2013 às 14:40

    Sim, todos temos o direito de ter câncer também.

  5. Bruna Postado em 12/Nov/2013 às 14:41

    Comendo apenar capim, sua saúde será tão ruim quanto comendo esses alimentos listados na matéria. Você jamais verá um nutricionista sugerir esse absurdo! Alimentação saudável não é a mesma coisa que viver a base de salada, se foi essa a indireta acima... um balanço equilibrado de proteínas, carboidratos e gorduras (de origem animal e vegetal) são fundamentais para uma alimentação e uma vida saudável. Não tem mistério e não requer esforço. Isso quer dizer que ninguém NUNCA poderá comer uma pipoca de microondas? Óbvio que não! Mas são alimentos que devem ser evitados e consumidos com moderação... se parar para pensar, todos os alimentos listados possuem alternativas mais saudáveis, como milho para pipoca, biscoitos caseiros, leite... o inimigo é só a preguiça!

  6. Ana Lee Postado em 12/Nov/2013 às 14:54

    Thiago, vc tem o direito até de pular de uma ponte; porém, saiba que as consequências se estenderão além do teu egoísmo, como complicar o trânsito, deixar pessoas traumatizadas com a cena, gasto público com ambulância e polícia, etc. Comendo qualquer coisa vc pode até não complicar o trânsito, mas os resto e outras coisas mais vc conseguirá um dia.

    • Dalva Postado em 12/Nov/2013 às 15:57

      hahahaa ótima resposta

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2013 às 18:05

      Meu, não viaja. Ao invés de satanizar a opinião das pessoa porque não dê a sua sobre o tema acima? Fumar maconha é legal, dar a bunda nesse site é legal, blasfemar evangélicos é a lei, agora uma pessoa, consciente que os produtos industrializados fazem mal, não podem fazer o consumo?

  7. Wellington Marques Postado em 12/Nov/2013 às 14:56

    Thiago Teixeira, até concordo contigo, mas desde que venham nas embalagens informações sobre os malefícios desses produtos, nos moldes das embalagens de cigarro. Liberdade sim, mas com informação.

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2013 às 18:13

      Ai sim, embora tenha as quantidades e o leigos não entendam, acho que deveria vir com fotos de pessoas doentes para conscientizar dos males que este tipo de gordura faz.

  8. Amanda Postado em 12/Nov/2013 às 14:58

    Manteiga aumenta o colesterol ruim, e aí como que fica?

    • Luiz Gonzaga Postado em 12/Nov/2013 às 15:32

      Há muito tempo deixei de consumir margarina e passei a consumir manteiga. Tenho pressão arterial e colesterol normais. A luz solar transforma o colesterol em vitamina D. As pessoas que tomam sol são mais saudáveis que o contrário. Pesquise sobre Vitamina D na rede...

    • Fabiana Santos Postado em 12/Nov/2013 às 15:38

      Pois é...essa parte da Margarina forçou MUITO a barra....na moral...

      • Dalva Postado em 12/Nov/2013 às 15:58

        forçou a barra hahaha curti o trocadilho

      • Higor Postado em 13/Nov/2013 às 11:37

        Não acho que tenha forçado a barra, basta pensar que manteiga é ruim e margarina é péssima.

  9. Paulo Concord Postado em 12/Nov/2013 às 15:07

    Esse negócio de gordura trans é balela. Estudos atuais comprovaram que, se houver uma dieta balanceada, as gorduras trans não fazem mal nenhum ao organismo. E é por este motivo que a indústria voltou a produzir alimentos tidos como "naturais" ricos em gorduras trans, como no caso do iogurte grego.

    • Luiz Gonzaga Postado em 13/Nov/2013 às 11:03

      Dê uma olhada nesta notícia, Paulo Concord. Felizmente a rede permite às pessoas falarem o que quiserem. Mas eu cito a fonte... http://www.naturalnews.com/042849_trans_fats_FDA_ban_partially-hydrogated_oils.html

  10. Alice Postado em 12/Nov/2013 às 15:13

    Muito criativa e coerente sua resposta, Ana... Espero que ele não tenha entendido como uma ofensa, e sim, como uma possibilidade de crescimento. A ignorância - resistência para entender situações sob diversas perspectivas-, pode ser evitada e precisamos aprender a ter cuidado com as nossas palavras.

  11. Paula Postado em 12/Nov/2013 às 15:21

    Thiago, sua afirmação "Se levarmos ao pé da letra devemos comer apenas capim." está equivocada. É óbvio que a maioria dos produtos encontrados em supermercados são nocivos à saúde por passarem por processos químicos, mas para aquele que realmente quer uma alimentação saudável, ele encontra várias opções de produtos naturais e, com o passar do tempo, se habitua tanto a elas que acaba gostando e tendo, então, uma verdadeira reabilitação alimentar - o que não é nada ruim. Agora, se vc quer se matar de comer porcaria e fica nervosinho com reportagens que tem o papel (importante) de alertar a população sobre os perigos alimentícios, o problema é seu, mas as pessoas tem o DIREITO de saber o que realmente estão consumindo e poder ter uma escolha de consumir ou não, afinal, elas também têm o DIREITO de não ter colesterol alto e viver mais e melhor.

  12. Priscila Postado em 12/Nov/2013 às 15:26

    Engraçado... ninguém menciona a questão financeira. Tirando esses produtos do mercado, que são mais baratos, sem dúvida, do que itens mais saudáveis, qual será a opção para uma família que vive com um salário mínimo? Uma mãe não vai poder levar pra casa um biscoito para o filho porque só vão sobrar produtos que custam o triplo do preço do que aquele que ela poderia levar... acho que a questão vai além do direito de escolha. Quem come essas coisas não come por opção, come porque é mais barato mesmo. Pelo menos o biscoito, a pizza congelada, a manteiga vegetal...

  13. Vagner Postado em 12/Nov/2013 às 15:38

    Uma geração inteira preocupada com gordura trans enquanto são totalmente favoráveis ao uso indiscriminado de bebidas alcoólicas e cigarro. Quem explica a geração coxinha?

  14. Mario Postado em 12/Nov/2013 às 15:41

    Já que é dever do Estado proteger a saúde da população, com o objetivo de evitar gasto no sistema de saúde para que as pessoas saudáveis não tenham que bancar as pessoas doentes, eu penso que o Governo deveria fechar todas as fábricas que produzem os alimentados listados nesta reportagem. Em seguida fechar todas as fábricas de refrigerantes e bebidas alcóolicas, assim como todas as fábricas que produzem cigarros, charutos ou assemelhados. Deveriam ser fechadas também todas as fabricas que produzem poluentes, assim como proibir o uso de carros, ônibus e motos. Por ultimo, o governo deveria implantar no país a Sociedade Amish (famosos pela aversão à tecnologia e por viverem como se ainda estivesse no século 18). Pronto, todos os problemas do Brasil estariam resolvidos!

  15. Rodrigo Postado em 12/Nov/2013 às 15:44

    Pronto, amanhã ou depois teremos traficantes de comida aterrorizando as pessoas de bem. Esses americanos e sua mania de querer resolver tudo com cadeia e bomba.

  16. renato Postado em 12/Nov/2013 às 15:47

    Se os caras podem fazer o que é correto, já o façam nas industrias. Eu não quero ficar lendo rótulos do que eu como... Façam o que é certo, e as Autoridades da qual eu pago imposto para existirem,façam o que é certo, alterem as coisas.... Cuidem de nossa sociedade. Foi assim com o amendoim e o leite.

    • Dalva Postado em 12/Nov/2013 às 15:59

      Leia o texto novamente: "Agência de Drogas e Alimentos revela lista dos alimentos que são excessivamente nocivos à saúde e precisam passar por mudanças no seu processo de fabricação"

  17. Dâniel Fraga Postado em 12/Nov/2013 às 15:54

    Coma maçã!

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2013 às 18:17

      Indiscutivelmente mais saudável. Mas a maça está mais cara que um pacote de bolacha água e sal.

  18. Isabelle Postado em 12/Nov/2013 às 16:22

    Cada um come o que quer, mas isso vai ser refletido na qualidade de vida, na aparência do corpo, no estado de ser... Quando mudei minha alimentação só percebi melhoras. Mais disposição, NUNCA mais adoeci (foi impressionante, pois eu sempre adoecia), melhoras ótimas no meu corpo, pele e cabelo...Me senti bem comigo mesma e consequentemente tudo começou a mudar ao meu redor. O prazer de comer essas coisas é instantâneo, não se compara ao prazer constante de se olhar no espelho e de se sentir bem mentalmente e espiritualmente. Essa indústria está matando, adoecendo pessoas e crianças e ninguém percebe.

  19. Igor Postado em 12/Nov/2013 às 16:54

    Sinceramente, não adianta avisar, a maioria da população brasileira faz piadinhas sobre alimentação, não se preocupam com isso quando estão saudáveis, acham isso besteira, o que não falta é fontes na internet sobre alimentação saudável, se preocupam com isso? jamais, preferem ficar no facebook o dia inteiro postando merda, só se preocupam depois que adoecem, e mesmo assim, colocam a culpa em Deus, e não na má alimentação e outros hábitos não-saudáveis que desencadeiam numa saúde pior.

  20. Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2013 às 17:59

    Se não posso comer minha manteiga em barra então quero que saia das prateleiras: Bebidas alcoólicas (faz mal a saúde e dará gastos aos cofres públicos com tratamento de fígado); refrigerantes (diabetes); carnes (gordura animal é nocivo a saúde); ovos (colesterol); sal (pressão alta); açúcar (danifica os rins); frutas ácidas (estomago); peixes (espinhos pode danificar a garganta) e derivados do leite em geral (intolerância ou diarreia).