Redação Pragmatismo
Compartilhar
Internet 27/Nov/2013 às 20:43
37
Comentários

Jovem ‘mais barato que pão com manteiga’ processa aplicativo Lulu

Aplicativo Lulu, em que meninas ‘avaliam’ rapazes, é contestado na Justiça. Estudante de Direito entra com ação após ser avaliado como “mais barato que pão com manteiga”, “bafo da morte” e “aparadinho”

Não é de hoje que o termo ‘Clube da Luluzinha’ é usado quando um grupo de mulheres se reúne para tratar de assuntos ‘proibidos’ para homens. Na internet, o que era fofoca inocente materializou-se no ‘Lulu’, aplicativo restrito ao público feminino que julga e atribui notas aos rapazes de forma anônima. A nova ferramenta, febre entre as meninas e dor de cabeça para os homens, levanta discussões sobre invasão de privacidade e pode ter sérias consequências judiciais para quem usa e psicológicas para quem é ‘julgado’.

Nas redes sociais, a primeira petição contra o Lulu veio à tona nesta terça-feira. Um estudante de Direito de 26 anos entrou com uma ação contra o aplicativo. Ele se sentiu ofendido ao saber que foi avaliado como “mais barato que um pão com manteiga”, “bafo da morte” e “aparadinho”. Leonardo Vizeu, advogado constitucionalista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RJ), disse que a iniciativa pode e deve ser seguida por quem se sentir lesado pela ferramenta.

“A Constituição garante proteção à intimidade e veda o anonimato. O sujeito exposto pode entrar com ação cível, por perdas e danos, ou penal, por difamação e crime contra a honra. O culpado pode pegar de 3 meses a 1 ano de detenção ou pagar multa de R$ 5 mil a 10 mil”, diz.

Leia também

Já a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática informou que é possível quebrar o sigilo do aplicativo e desmascarar os autores das supostas injustiças virtuais. O mais difícil, porém, é lidar com as feridas psicológicas, diz a psicóloga Alexandra Araújo.

“Pessoas com baixa autoestima podem desenvolver quadro de depressão por acreditarem nos comentários. É uma plataforma perigosa, propícia para disseminar mentira, vingança e cyberbullyng”, avalia.

Visões para o bem e para o mal

Polêmico, o aplicativo Lulu, criado pela jamaicana Alexandra Chong, tem pouco mais de uma semana de existência, já está no ranking dos mais baixados da Apple Store e da Google Play e divide opiniões entre homens e mulheres. Curiosa, a cientista política Maria Victoria Magno, de 22 anos, resolveu baixar o ‘app’ para ver as avaliações do namorado

“Não gostei. Um aplicativo como esse pode gerar desconfiança entre o casal, além de dificultar as relações interpessoais, já que a ideia é ‘fugir’ dos meninos mal avaliados. Nada substitui o encontro cara a cara”, acredita. Já o designer Gabriel Gomes, 26, acha que o Lulu só reflete comentários da ‘vida real’. “Quem não deve não teme. Se uma menina deixa de ficar comigo por comentários dos outros está me fazendo um favor”, diz.

Mas nem todos são tão confiantes. Um universitário que não quis ser identificado criticou: “Pessoas falam mentiras sobre mim publicamente e eu não tenho nem direito de saber quem são? Isso é injustiça”.

Como deletar o perfil do Lulu

Não tem jeito. Se você é do sexo masculino e tem conta no Facebook, automaticamente já existe no aplicativo Lulu. Mas há um jeito — não muito simples, porém rápido — de deletar o perfil dos mais indignados e insatisfeitos. Basta acessar o link http://company.onlulu.com/deactivate . O site em inglês pode ser traduzido para português.

Depois, o usuário deve clicar em ‘remover meu perfil agora’ e esperar até 15 minutos. Se houver falhas, pode repetir o procedimento.

Outra alternativa é enviar um e-mail, indicando seu perfil para [email protected] e esperar que os responsáveis pelo aplicativo retirem-no do ar.

O Dia

Recomendados para você

Comentários

  1. Peterson Silva Postado em 27/Nov/2013 às 21:58

    "Quem não deve não teme." Mesma justificativa pra espionagem, vigilância de governos autoritários, etc. Ridículo

    • Claudio Postado em 28/Nov/2013 às 11:06

      Disse tudo Peterson!!!!

    • Augusto Postado em 28/Nov/2013 às 11:07

      Caceta, meu velho. O que que tem a ver uma coisa com a outra?

      • Shuma Postado em 28/Nov/2013 às 13:26

        Governo autoritário: "nós queremos total liberdade para investigar tudo sobre você e ter acesso a todas as suas informações. Não é necessário se preocupar, pois quem não deve não teme." Sacou?

    • Rubens Postado em 28/Nov/2013 às 12:00

      Não consigo deletar meu profile nem pelo link nem pelo email, da erro, ta de brincadeira ne!

  2. renato Postado em 28/Nov/2013 às 00:27

    Se fosse umas quarenta ou cinquenta, e todas me dessem zero eu não i achar ruim, não mesmo. Eu ia pedir recuperação!!

  3. Rafael Postado em 28/Nov/2013 às 02:32

    Pois eis que surge o app que leva as conhecidas "conversas de banheiro" femininas à rede social. Acho interessante, até. O problema é a dimensão que isso pode tomar, sobretudo levando-se em conta a importância que algumas pessoas atribuem a seus perfis virtuais e às opiniões alheias (que podem tornar-se bullyng num piscar de olhos). Contudo, por outro lado, algumas moças podem provar do próprio veneno, pois caso exagerem na quantidade de avaliações podem ficar "mal faladas" pelas "mal comidas(os)" e futriqueiros em geral. Enfim, às vezes nós damos atenção demasiada a amenidades, enquanto o fundamental é negligenciado. P.S.: não foi mencionado como o rapaz descobriu a avaliação, será que uma "boa alma" o avisou?

  4. Airan Postado em 28/Nov/2013 às 02:34

    O MELHOR texto em relação ao aplicativo!!! http://www.casalsemvergonha.com.br/2013/11/25/lulu-o-app-que-veio-para-provar-que-objetificacao-nao-e-legal-nao-importa-o-genero/

    • Vanessa Postado em 28/Nov/2013 às 11:56

      Ótimo artigo. Resume magnificamente o que eu penso a respeito disso tudo.

  5. Aryewl Postado em 28/Nov/2013 às 07:55

    Isso é complicado. Se o fruto do comentário é uma avaliação, não chega a ser novidade. Isso é assunto de homens e mulheres em mesa de bar e banco de praça. Quanto ao avaliado negativamente, ele nunca ficava sabendo, e se acaso desse o azar de chegar na hora, o máximo que recebia era um olhar de desprezo e uns risos secretos. Mas agora decidiram o seguinte: “comentamos entre nós, que você é fraco de cama, tem pênis muito pequeno, seu carro é tosco, seus gostos são infantis, seu salário é ridículo, seu papo é idiota e íamos deixar esse assunto no banheiro, mas resolvemos colocar nesse aplicativo, onde o Brasil e o mundo todo poderão vê-lo e também avalia-lo. Não estamos interessadas se sentirá mal cm isso, afinal, se te avaliamos tão negativamente, o interesse não é para ficar contigo, é apenas para humilhá-lo” O “aplicativo”, que como sempre, surge gente achando que é uma novidade, já era praticado por adolescentes, desde que a palavra adolescente surgiu. Mas não é uma coisa muito nobre de se fazer. O que pensar da mulher que usa o aparato de rotular? Eu já não sei mais.

    • Gustavo Postado em 28/Nov/2013 às 10:49

      a diferença é que essa é uma mesa de bar que qualquer mulher pode se sentar, um banheiro feminino que qualquer mulher tem acesso, em qualquer lugar do mundo...

  6. Fabrício Postado em 28/Nov/2013 às 11:00

    Há como BLOQUEAR, sim! Para bloquear estes aplicativos é bem fácil, basta: 1) Entrar em configurações. Privacidade. 2) Ir ao Bloquear. Digitar o nome do aplicativo e pronto. Surgirá a seguinte mensagem: Bloquear aplicativos - Após bloquear um aplicativo, ele não poderá mais entrar em contato com você ou obter informações não públicas sobre você através do Facebook.

  7. Lourenço Faria Postado em 28/Nov/2013 às 11:01

    Quem quiser saber seu perfil no Lulu, podem usar esse aplicativo: https://m.luludude.com/auth/login

  8. Carlos Prado Postado em 28/Nov/2013 às 11:03

    Somos avaliados a todos os momentos, mas só as feministas acreditam que isto só aflige as mulheres. O aplicativo ta ai para mostrar que as mulheres podem fazer julgamentos muito maldosos e sem constrangimento algum. O problema do aplicativo é expor e ridicularizar ao público pessoas que não permitiram o uso de sua imagem à isto.

  9. Vanessa Postado em 28/Nov/2013 às 11:11

    Esse aplicativo Lulu não é nada engraçado e não traz benefício nenhum, mesmo. Mas ainda não é pior que o que o que os caras (muitas vezes, os MESMOS caras que estão reclamando de suas "notas" no Lulu) fazem com as mulheres no Whatsapp. Uma coisa é uma plataforma que todo mundo sabe que pode ser usada como "vingancinha" ou coisas assim, expõe o perfil da pessoa e tal, mas basicamente se trata de comentários dos outros. Outra coisa é expor cenas e/ou atos explícitos das mulheres - e não me venha com o papo de que "ela não se deu o respeito", porque todo mundo sabe que os vídeos muitas vezes são feitos escondidos, e mesmo quando não são, a exposição de uma coisa íntima de uma pessoa sem seu consentimento. Ambas as coisas são PURA CANALHICE, não há justificativas para se expor outro ser humano à humilhação desse jeito, mas o que me revolta nessa história toda, muito mais do que o ato da exposição que já é escroto o suficiente, é a HIPOCRISIA (de TODOS, mas principalmente dos homens) que fazem algo "pior" e há mais tempo, rechaçam as vítimas que reclamam e depois ficam aí de "mimimi" quando o orgulhozinho deles é ferido de forma semelhante. Humanos, espécie nojenta, mais uma vez provando que no ** dos outros é refresco!

    • Shuma Postado em 28/Nov/2013 às 13:31

      kill all humans!

    • Brendan Postado em 05/Dec/2013 às 18:36

      Me desculpe, mas eu nunca expus para uma rede internacional a intimidade de nenhuma menina que fiquei na minha vida (deixando claro, rede internacional. Em mesa de bar, com um grupo seleto de amigos os quais confio, sim, já fiz e acho que todos já fizemos, mas aí a escala é outra). Acho que o cara que faz isso sem a permissão da mulher é um filho da puta, então por favor, pense duas vezes antes de usar termos como "TODOS" e "OS HOMENS", agradeço. É bem desagradável se esforçar no seu dia-a-dia pra ser uma pessoa que respeita e visa o bem dos outros, pra depois ver alguém que nem te conhece na internet te chamando de babaca e te acusando de ter feito algo que você nunca fez. Você no seu comentário soou generalista e preconceituosa, e é essa mesma linha de pensamento que deu origem ao machismo que você tanto reclamou, e até outras coisas muito piores. Quanto ao Lulu, sim, é uma vingancinha e exatamente por isso é idiota. Uma das curas do machismo é os homens pararem de objetificar as mulheres, e não as mulheres começarem a objetificar os homens.

  10. Valéria Postado em 28/Nov/2013 às 11:17

    A única coisa que me vem a cabeça nessa hora é, se por acaso o app tivesse função invertida, ao invés de rotular homens, ele rotulasse mulheres? Eu tenho certeza que não estaria havendo esse burburinho todo. O motivo é simples, todos os dias as mulheres são rotulada, são tratadas com adjetivos que as reduzem a objetos (sinto muito por você que acha que chamar de "gostosa" na rua é elogio), a sociedade está acostumada com isso, e quando uma mulher tenta romper esse padrão e procura a justiça como esse rapaz fez, muitas vezes é apenas tachada de escandalosa e o assunto raramente vira matéria. Ou seja, os homens se incomodam? Claro que sim. É anti natural, anti sociedade e anti tudo o que eles "lutaram", que apareça uma ferramenta que permita que as mulheres os objetifiquem.

    • Vanessa Postado em 28/Nov/2013 às 11:50

      Eu concordo com tudo que você disse, Valéria. E sinceramente, eu posso estar sendo até malvada nesse meu sentimento em relação a isso tudo, mas eu acho que foi "uma boa" a invenção desse app, por um simples motivo: objetificar pessoas é uma atitude baixa, escrota, canalha e repugnante, seja quem for! MAS, se o Lulu servir pra fazer com que os homens sintam na pele o dano que esse tipo de coisa causa nas vítimas e resolverem ABRIREM-SE PARA A DISCUSSÃO, já que as mulheres que reclamaram desse tipo de coisa foram tachadas de escandalosas, reclamonas, hipersensíveis e coisas do gênero, olha... eu acho que já é um bom passo. Não é o ideal, já que esse tipo de discussão não deveria precisar de um "incentivo" desse tipo para acontecer, aliás, esse tipo de discussão não deveria nem ser necessária! Mas, se no final das contas isso servir como um "mal necessário", menos mal.

    • Rodrigo Postado em 28/Nov/2013 às 12:38

      Então pronto. Vamos escravizar os brancos, fazer cruzadas contra os católicos, explodir bombas atômicas e Napalm nos EUA, matar milhões de comunistas, invadir a casa de pastores que sejam desonestos e roubar todo o dinheiro deles e das igrejas, prender Fidel e família em casa e não deixar que exerçam o direito de ir e vir, torturar os filhos e netos de torturadores das Ditaduras, mandar alemães para campos de concentração etc. etc. etc. Em vez de evoluir, de adotar novas posturas, vamos, sim, involuir, copiar antigos erros, ser corruptos como os que nos antecederam, ser atrozes como os que nos antecederam, agredir como os que nos agrediram, matar como os que mataram. Afina, se um fez, nós temos o direito de sermos iguaizinhos, não?

      • Amanda Postado em 29/Nov/2013 às 03:19

        Mas parar com os rótulos estúpidos q muitos de vcs dão as mulheres, entre outras "atrocidades" como vc diria, isso eu nao li vc dizer que parariam de fazer, né? Como é ruim reclamar e ainda ter q escutar idiotas zombando do seu direito de reclamar... como foi que eu li diversas vezes no facebook, tantos homens comentarem? "Mimimi", nao é?

      • Rodrigo Postado em 29/Nov/2013 às 12:15

        Prezada, minha crítica engloba todas as atrocidades, todas as formas de desrespeito. Inclusive a repetição do erro, em vez da correção (espero não ter sido essa constatação que tanto te incomodou). Favor não interpretar minha fala de forma distorcida, ok?

      • Igor Muniz Postado em 05/Dec/2013 às 20:27

        Exato. Assim o opressor torna-se o oprimido. Não se muda as estruturas de poder e nem se adota uma nova mentalidade. A utopia é o sonho dos oposicionistas.

      • Amanda Postado em 12/Dec/2013 às 20:35

        Prezado, percebe-se que a sua crítica engloba todo tipo de atrocidade, e eu mantive o meu foco na questão posta aqui (a criação de um aplicativo que permite o homem sentir 1/3 do que é ser uma mulher). Suas críticas sao outros quinhentos, nao menos importantes, mas diferentes do que foi posto em questao. Uma coisa de cada vez. Se vc quer evitar diálogos sem sentido, favor manter o foco na questao, combinado?

    • Aryewl Postado em 28/Nov/2013 às 13:09

      Não entendi bem o sentir na pele. Tenho aparencia incomum, meio esquisita. Pelas minhas roupas meio surradas, e pelos onibus que frequento, já que não tenho carro, fui rotulado desde a infancia, e desde sempre, deixado de lado.Desviam o olhar, como um incomodo. Sempre houve um melhor do que eu, e não haveria muito como as “exes” me rotularem, já que não há “exes”. Geralemente desviam o olhar, e apesar de falarem que “mulher não se guia pela aparencia mas sim pelo coração”, bom, as mesmas não dispensam elogios secretos a um bem nascido geneticamente, e/ou, financeiramente. Depois de muitos anos vendo a cena se repetir, perdi o gosto pela vida e cansei de procurar quem conseguisse olhar para mim, sem babar toda vez que um carinha passasse por perto com o carro do ano. Agora tudo que quero é que a vida passe rápido (já que a maior parte já passou) mesmo sem o LULU eu já era rotulado e igual a mim centenas de outros. Agora vem querer me dizer que só agora o homem vai sentir na pele o que é ser avaliado? Já te elogiaram de alguma maneira, mesmo que vulgar? Alguém já te olhou com cobiça, ou desejo? Alguém já pensou em você, sem voc?e por perto.Garanto que sim. Mas se você tivesse um rotulo que durasse 40 anos, te privando do que as outras mulheres tem, menininha... garanto que seu padrão de homem, se acaso ainda tivesse vontade de ficar com alguém, seria outro. Sei que muito homem otário, que não dá valor a mulher, mas acho que não estária muito a fim de rotular ninguém depois disso.

      • Amanda Postado em 04/Dec/2013 às 03:03

        Prezado, percebe-se que a sua crítica engloba todo tipo de atrocidade, e eu mantive o meu foco na questão posta aqui (a criação de um aplicativo que permite o homem sentir 1/3 do que é ser uma mulher). Suas críticas sao outros quinhentos, nao menos importantes, mas diferentes do que foi posto em questao. Uma coisa de cada vez. Se vc quer evitar diálogos sem sentido, favor manter o foco na questao, combinado?

    • Carlos Prado Postado em 28/Nov/2013 às 13:48

      Não haveria um burburinha, haveria uma guerra aos homens. Avaliações acontecem a todo momento e a todos, e expor desta forma é errado para todos. Mas só as feministas conseguem vitimizar as mulheres de tal forma para dizer que se fosse contra as mulheres nada seria feito. Como pode afirmar algo assim? Agora que é contra homens que muito pouco está sendo feito. Todos os dias os homens e as mulheres são rotulados, mas as mulheres são mais espertas e esperneiam para conseguir atenção para si em cima disto. Quando que uma mulher por fazer isto seria tachada de escandalosa? Isto seria de se esperar quando acontecesse com um homem, que não tem o costume de recorrer a isto, que acha normal, que homem tem que aguentar tais coisas. É de se pensar se as feministas vivem no mesmo mundo que a gente ou se vem de uma versão diferente de matrix, pois nada do que falam pode-se encontrar em nossa realidade.

    • Amanda Postado em 29/Nov/2013 às 03:12

      Outra q disse td que eu ia dizer!!

    • Brendan Postado em 05/Dec/2013 às 18:48

      Na verdade teria repercussão sim, felizmente teria devido aos movimentos feministas. Mulheres são rotuladas por homens em mesas de bar assim como homens são rotulados pelas mesmas em suas mesas, mas aí vem a diferença de falar sobre a intimidade de outras pessoas em um grupo seleto de amigos, e expor isso na internet utilizando ainda por cima o anonimato. Fosse de mulheres para homens, fosse de homens para mulheres, o Lulu é uma coisa ridícula, ele objetifica o homem assim como os machistas objetificaram as mulheres por tanto tempo e estas reclamaram. Esse aplicativo caga na cara do feminismo, dando mais pólvora pros tradicionalistas de plantão falarem que todas as mulheres são fúteis e as feministas são feminazis que só usam o movimento como desculpa pra se agirem feito "vagabundas" (você provavelmente já ouviu esse argumento antes). As pessoas que defendem o Lulu são as maçãs podres que sujam o nome do movimento feminista, que diga-se de passagem, é uma causa nobre. Quanto ao argumento de o Lulu ser uma "vingança"; pense bem: Se um negro te discriminasse hoje por ser branca, você aceitaria numa boa, ou você tentaria conversar com ele pra convence-lo de que a forma com que ele te tratou esta equivocada? Aí você tenta, e ele responde: "Não, porque vocês brancos vivem me discriminando.". Você acharia isso certo? Enfim, não se nivela por baixo, como Ghandi disse: "Um olho por olho e o mundo acaba cego".

  11. José Humberto Postado em 28/Nov/2013 às 11:27

    "There's those thinking, more-or-less, less is more But if less is more, how you keeping score? Means for every point you make, your level drops Kinda like you're starting from the top You can't do that... Society, you're a crazy breed Hope you're not lonely without me... Society, crazy indeed Hope you're not lonely without me..." Pq será q essa música me veio à cabeça?

  12. fernanda Postado em 28/Nov/2013 às 12:29

    verdade as mulheres estao sempre sendo julgada e levando a culpa por tudo ,e culpada dos filhos serm o que sao ,culpada por que foi espancada pelo marido ,culpada por esta na rua e alguem simplesmente resolve estupra-la ,culpada pelas atitude do marido ou namorado ,cupada ,culpada......sociedade e machista porque os homens no geral sao fracos ,nao suporta culpa .

  13. Rodrigo Postado em 28/Nov/2013 às 12:32

    O "Lulu" é a nova plataforma digital para milhões de pessoas fornecerem dados - de forma indiscriminada, para milhões de pessoas outras, além de organizações interessadas em catalogar preferências de consumidores ou possíveis consumidores. Mas, agora, dados mais sensíveis, acerca de preferências afetivas/sentimentais e sexuais e ainda sob o risco de causar dano indenizável a outrem; não bastasse a procrastinação a que se dá via outros aplicativos, agora abre-se a vida inteiramente a conhecidos e desconhecidos. A seriedade anda muito em falta...

  14. Eder Postado em 28/Nov/2013 às 16:43

    É só fazer um aplicativo para avaliar as mulheres também. Fica fácil.

    • Amanda Postado em 29/Nov/2013 às 03:22

      Nao, nao precisa... ja fazem isso o tempo todo, durante anos... nas ruas, na tv, na porcaria do pânico... tem programas criados só pra avaliar mulheres, vc nao sabia?

  15. Vinícius Postado em 28/Nov/2013 às 19:23

    É nessas horas que percebemos quantas pessoas fúteis existem

  16. Caio Postado em 02/Dec/2013 às 15:57

    Eu achei o aplicativo genial, povo leva tudo nem a sério, leva td a nivel de trauma.. Eu hem..

  17. Fernando Postado em 03/Dec/2013 às 19:11

    Homens avaliam mulheres e mulheres avaliam homens. E assim segue o mundo desde tempos imemoriais.