Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 06/Nov/2013 às 16:45
10
Comentários

Instituto Royal encerra atividades após invasão

Instituto Royal divulgou uma nota para informar que decidiu encerrar as atividades de pesquisas em animais

instituto royal beagles
Ativistas resgatam beagles do Instituto Royal (Avener Prado / Folhapress)

Após ter seu laboratório invadido no último dia 18 e ter 178 beagles resgatado por ativistas, o Instituto Royal enviou hoje (6) uma nota onde informa que decidiu encerrar as atividades de pesquisas em animais em São Roque (66 km de SP).

De acordo com o instituto, a decisão foi tomada em assembleia geral realizada entre os seus associados. Ainda segundo a nota, a invasão provocou “elevadas e irreparáveis perdas”. O instituto diz ainda que a retirada dos animais prejudicou uma década de pesquisas e que o grupo teme pela segurança de seus funcionários.

Leia também

A invasão e resgate dos beagles ocorreu após ativistas relatarem que os animais eram maltratados durante as experiências feitas com os animais no laboratório. O instituto sempre negou que maltratava os animais.

Segundo a nota, “o prejuízo causado ao Instituto Royal não é mensurável. Mas é certo que o Brasil inteiro perde muito com este episódio, lamentavelmente”.

O Instituto Royal repudiou novamente a invasão e atribuiu “as ações violentas a dois fatores: as inverdades disseminadas de forma irresponsável – e por vezes oportunista – associadas à falta de informação pré-existente. As consequências dos atos advindos dessa equação resultaram não somente em prejuízo para a instituição, que fecha suas portas, mas também e mais gravemente para a sociedade brasileira, que assiste à inutilização de importantes pesquisas em benefício da vida humana”.

O instituto informa ainda que vai preservar a integridade dos animais que ainda estão sob os seus cuidados e que tomará as “providências necessárias junto aos órgãos regulatórios competentes, para assegurar que continuem sendo dados a eles tratamento e destinação adequados”.

Por conta do fechamento da unidade, o instituto informou que todos os funcionários serão demitidos e que eles já foram informados da decisão. Segundo o instituto, a decisão por enquanto não afetará a unidade Genotox, de Porto Alegre, onde não se faz experimentação animal.

Folhapress

Recomendados para você

Comentários

  1. Felipe Ricci Postado em 06/Nov/2013 às 18:21

    O ativismo burro acabou com o trabalho duro de muita gente, parabéns Luisa Mell e sua trupe, quantas pesquisas subsidiadas com nossos impostos foram destruídas por conta dessa 'rebeldia' sem sentido... O instituto fechou, mas se os maus-tratos estivessem mesmo acontecendo, os culpados não pagaram e nunca iremos saber, porque os gênios roubaram o que seria a prova(diga-se de passagem que nenhum cachorro parecia estar sendo vítima de maus tratos, estavam todos gordinhos e bonitinhos). De quebra, junto com essa rebeldia burra, tivemos uma enxurrada de 'ativistas pelo direito dos animais bontinhos'(porque ninguém vai no Instituto Butantã salvar as cobras e aranhas de sua 'prisão', ou vai salvar ratos de laboratórios) dizendo coisas do tipo: 'faz testes com presidiários' e todo esse mimimi, ou seja, a vida de um animal irracional vale mais do que a de um humano, que tem ligação afetiva com seus familiares e as pessoas no seu ciclo social.. Tudo que consumimos foi testado em animais, infelizmente, por vários motivos, que vão desde custo, precisão, até a vida e o metabolismo dos animais, levando em conta que o homem tem expectativa de vida média de 70 anos e os cachorros 20. O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, esta perto de começar a testar em humanos o exoesqueleto, que foi testado em primatas e desenvolvido a partir do cérebro dos primatas, você acha que uma pessoa que não pode andar, que é totalmente dependente vai se importar como esse equipamento foi desenvolvido? Agora pensem quantas teses estavam sendo desenvolvidas naquele laboratório, quantas pessoas perderam toda a sua pesquisa por causa dessa atitude emocionada destes ativistas... Decepcionante.

  2. renato Postado em 06/Nov/2013 às 20:57

    Já que vão tratar bem os animais, porque não pegam uns oito que estão aqui perto de casa sem cuidados.

  3. Renato Postado em 06/Nov/2013 às 21:07

    Parabéns bando de idiotas, destruiram centenas de pesquisas para nada.

  4. João Postado em 07/Nov/2013 às 09:29

    Parabenizo a página "Pragmatismo Político" pelo desserviço para a ciência brasileira. Por disseminar inverdades, de forma irresponsável, em um ambiente virtual onde há óbvia falta de informação. Parabéns por fazerem parte deste processo! Ver texto abaixo: Instituto Royal: o que é e como funciona?

    • patricia Postado em 07/Nov/2013 às 19:00

      Pois é, li trechos desse texto publicado aqui e é simplesmente ridículo, não tem critério algum, não prova nada. A mídia alternativa quer superar a tradicional sendo pior que (e as vezes tão ou mais manipuladora quanto) a mídia tradicional.

  5. Larissa Postado em 07/Nov/2013 às 10:15

    RESPEITAR E PROTEGER TODA E QUALQUER FORMA DE VIDA É A NOSSA MISSÃO! basta de especismo, o ser humano não é melhor que um beagle!!!! VIVA!!!!

    • Marcos Postado em 08/Nov/2013 às 05:37

      Larissa pare de comer carne de vaca e utilizar praticamente todos os remédios existentes, ai sim faria sentido o que vc diz. Esquerdinhas são a praga desse planeta, por isso que a Russia paradoxalmente é um exemplo de país hoje em dia.

  6. Rafael Lopes Postado em 07/Nov/2013 às 11:12

    Por favor mudem o nome do sitio para Pragmatismo Político e Lirismo Científico.

  7. Thiago Teixeira Postado em 07/Nov/2013 às 19:14

    Ativista = Desocupados = Fumador de Maconha

  8. Gustavo Postado em 12/Nov/2013 às 11:05

    um instituto ~sério~ e ~comprometido~ com a ciência e o bem estar do ser humano encerra suas atividades e pesquisas por motivo da perda de uma parcela de amostras (que é a função dos animais dentro das pesquisas) e alguns danos materiais em infraestrutura (visto que recebe auxílio da união, na casa dos milhões), estando sob investigação, contendo inumeras irregularidades e obscuridade em seu funcionamento e registro. E o problema foi a ação dxs ativistas? acho que não falta informação, falta é capacidade de formular opiniões próprias, ou de compreender o que estão falando. Antes de discutir o sexo dos anjos, se atenham ao caso isolado. Se o instituto é sério e comprometido, não se importaria de facilitar as investigações, de transparecer os registros e nem de discutir o problema. Muito menos encerraria "10 anos" de "importantes pesquisas em benefício da vida humana” que salvariam milhões de pessoas com problemas sérios de falta de maquiagem.