Redação Pragmatismo
Compartilhar
Guerra injustificável 08/Nov/2013 às 10:31
3
Comentários

EUA cercam a China com mísseis sob pretexto de "ameaça coreana"

Governo estadunidense aproveita-se do pretexto sobre os mísseis balísticos da Coreia do Norte, que classifica de “ameaças”, para cercar a China com mísseis e bases militares

tropas navais militares eua china
Frota do Comando Ásia-Pacífico das Forças Armadas dos Estados Unidos. (Us Army)

O governo estadunidense aproveita-se do pretexto sobre os mísseis balísticos da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), que classifica de “ameaças”, para cercar a China com mísseis e bases militares, de acordo com o cientista político Linh Dinh, em entrevista à rede de notícias PressTV, nesta quarta-feira (6).

“Esta ameaça não é real, mas os Estados Unidos a utilizam como pretexto para manter uma presença militar na região, disse Linh, sublinhando que o objetivo principal das forças norte-americanas é conter a China e cercá-la de bases militares em países aliados na região.

Além disso, qualquer tensão intensificada ajuda os Estados Unidos no comércio dos seus armamentos, já que é o maior fornecedor bélico do mundo. A ligação direta entre o Complexo Industrial-Militar com a política de agressão de diversas potências, principalmente dos EUA, tem sido ressaltada por diversos analistas políticos como determinante na manutenção e escalda da violência entre os países.

Leia também

As declarações de Linh, um analista vietnamita-estadunidense, foram feitas depois de o chefe do Comando Ásia-Pacífico das Forças Armadas dos EUA, o almirante Samuel Locklear, ter anunciado que o seu país prepara-se para enfrentar a “ameaça dos mísseis balísticos intercontinentais” da Coreia Popular.

Linh também disse que a RPDC não tem intenções de disparar esse armamento contra os Estados Unidos, inclusive porque isso seria “suicídio nacional” para Pyongyang, e agregou que os EUA estão usando as relações tensas com o país coreano para a sua própria propaganda.

“É ridícula a ideia de que a Coreia do Norte [RPDC] envie mísseis balísticos a Los Angeles ou Seattle”, afirmou o analista. “Os Estados Unidos estão em tão má situação econômica que as pessoas estão cansadas de escutar sobre a Coreia do Norte. Eles têm muitos outros assuntos com os quais se preocupar, como os meios de colocar comida sobre a própria mesa”, pontuou.

Em 2012, o então secretário de Defesa dos EUA Leon Panetta havia anunciado os planos de aumento da frota na região do Pacífico. Na época, a preocupação com o tensionamento das relações com a China já era declarada, inclusive por líderes asiáticos, que pediram mais transparência aos EUA sobre as suas intenções, como no caso de Singapura.

HispanTV e Vermelho

Recomendados para você

Comentários

  1. antonio j. cerqueira Postado em 09/Nov/2013 às 12:59

    como renato russo, quero saber porque o caluniador semrpe precisa d um fio d verdade para poder mentir.

  2. Alex Wie Postado em 12/Nov/2013 às 13:14

    Com relação a belicidade americana, é óbvio, agora, minimizar bizarrice que é a Coreia do NOrte e seu Kim Jong-un, é o que são elas não é mesmo?

  3. Elias Postado em 17/Jul/2014 às 20:21

    Coreia do Norte como todo estado comunista é um crime contra a humanidade e democracia.