Redação Pragmatismo
Compartilhar
América Latina 18/Nov/2013 às 13:13
10
Comentários

Camila Vallejo vence e centro-esquerda avança no Chile

Candidata à deputada pelo Partido Comunista, Camila Vallejo, 25 anos, foi eleita com expressiva votação e se sagrou como uma das cinco personalidades políticas mais bem avaliadas pelo povo chileno

camila vallejo chile
Camila Vallejo vence eleição para parlamento chileno (Arquivo)

Camila Vallejo, ex-presidente da Federação de Estudantes do Chile (Fech), ficou conhecida mundialmente ao liderar manifestações no país em defesa de educação gratuita e de qualidade. Nas eleições celebradas neste domingo (17), a candidata à deputada pelo Partido Comunista foi votada para compor o Parlamento chileno.

Aos 25 anos, Camila levou 43,7% dos votos no populoso distrito de La Florida. “Quero agradecer a todos por tornarem possível este triunfo, que não foi só resultado do esforço e da luta de uma mulher, foi resultado da luta e trabalho de muitos companheiros que acreditaram que podemos mudar o Chile”, disse ela após a vitória.

Camila sintetiza o presente e o futuro do Partido Comunista chileno. A ex-dirigente do movimento estudantil é tratada com carinho especial pelas lideranças da legenda comunista. Em agosto, sua popularidade já contabilizava 44% (percentual que nenhum dirigente comunista havia alcançado depois da ditadura). O resultado das eleições confirmou Camila como uma das cinco personalidades políticas mais bem avaliadas pela população chilena (a única que nunca ocupou um cargo público).

Leia também

Há pouco mais de um mês, Camila deu à luz uma menina, fruto do relacionamento com o estudante cubano Julio Sarmiento. Mesmo grávida, a nova deputada chilena não deixou de frequentar as manifestações e encontros de organizações comunitárias, visitou feiras e comunidades mais carentes, durante a campanha.

Também pelo Partido Comunista, Karol Cariola, ex-líder da Federação de Estudantes da Universidade de Concepción, conseguiu votos para integrar o Parlamento, com 38% no distrito de Recoleta, ao sul de Santiago.

No total, quatro emblemáticos ex-líderes estudantis foram eleitos para o Parlamento chileno no pleito de domingo. Gabriel Boric, ex-presidente da Federação de Estudantes da Universidade do Chile (sucesso de Camila no cargo) e Giorgio Jackson, presidente da Federação de Estudantes da Universidade Católica, figuram entre os votados.

O novo cenário político chileno é reflexo de uma população cansada dos desmandos da direita, representada atualmente pelo presidente Sebastian Piñera. Neste ano em que o Chile completou 40 anos do golpe que depôs o comunista Salvador Allende e instaurou a ditadura de Augusto Pinochet, a resposta e o reconhecimento da população não poderiam ser mais diretos.

Théa Rodrigues, Vermelho e agências

Recomendados para você

Comentários

  1. Caio Postado em 18/Nov/2013 às 21:24

    aqui tem que ter quantos anos pra se eleger deputado?? 35??

    • Thales Postado em 18/Nov/2013 às 21:53

      tem que ter 21 para ser deputado federal, estadual ou prefeito. Governador e vice é 30 anos, Presidente, vice e senador é 35. Vereador é 18 anos

      • Caio Postado em 19/Nov/2013 às 16:23

        A obrigado, presumi que fosse mais pq só vejo velhos, hehe

  2. Alex Postado em 18/Nov/2013 às 21:31

    18 anos Caio.

  3. Alex Postado em 18/Nov/2013 às 21:37

    A visão de ensino superior gratuito da Camila ignora o modelo argentino e o modelo brasileiro.Ela foi buscar na Espanha (não riam) o modelo que propõe para o país dela. Esse modelo era o sonho de consumo do finado Ministro Paulo Renato, nele o estado financia com bolsas os estudantes em faculdades privadas. Era o que o MEC dos anos FHC preparava e que levou Uniban a contratar (e depois demitir) doutores, à Univ. Mogi levar um ex-reitor da USP pra lá e, junto, uns figurões de USP e Unicamp para puxarem recursos da fapesp, etc. Considerando que ela nunca sequer sugeriu que os recursos da "lei do cobre" fossem direcionados para a criação de um sistema público de ensino superior e que grande parte desses recursos tem as forças armadas como destino perpétuo, é difícil acreditar que dessa deputada saia algo que revolucione o ensino superior chileno

  4. Santos Postado em 18/Nov/2013 às 21:37

    Quero ver quando estiver com mais de 50 anos de idade, se vai pensar da mesma forma...

  5. Caio Postado em 19/Nov/2013 às 09:50

    Moro no Chile e garanto que a direita e o liberalismo melhorou a qualidade de vida das pessoas daqui.

    • James Moura Postado em 19/Nov/2013 às 13:51

      É Caio, parece q a maioria da população do Chile discorda de vc. rs

      • Gustavo Postado em 19/Nov/2013 às 21:24

        hahaha, exato!

  6. Esquerdopatite Postado em 20/Nov/2013 às 01:55

    Interessante uma estudante doutrinada para variar, o grande mau no mundo é a influencia de gramsci nas instituições, a ideologia de direita é praticamente inexistente nas universidades gerando partidos de esquerda em toda parte acabando com o progresso real, é triste a realidade atual.