Redação Pragmatismo
Compartilhar
Fotografia 16/Oct/2013 às 10:12
8
Comentários

Fotografia: as "marcas" da maternidade

Ensaio fotográfico de Letícia Valverdes com mulheres anônimas ou não deve virar livro com o relato das mulheres. Fotos são feitas sem qualquer tipo de retoque; ideia do ensaio é mostrar que mulheres são humanas

maternidade leticia valverdes
(Fotos: Leticia Valverdes)

Giovanna Balogh, blog maternar

A gestação muda – e muito – as nossas formas e curvas. As marcas da maternidade podem ser as mais diferentes possíveis. Estrias, seios caídos, barriga flácida, a cicatriz de uma cesárea desejada ou não, enfim, a maternidade é transformadora em todos os sentidos.

Segundo médicos e obstetrizes, o corpo da mulher demora até um ano para voltar ao ‘normal’ após um parto. Antes disso, não adianta buscar milagres nem se sentir ‘menos mulher’ ao ver aquela famosa postar nas redes sociais uma foto com barriga chapada 15 dias depois de ter um filho.

A prioridade da mulher no pós-parto deve ser cuidar daquele serzinho que depende exclusivamente dela e fugir dos esteriótipos de beleza. A amamentação, sem dúvida, é a melhor forma de perder peso de forma natural, orientam os médicos. Mas, uma coisa é certa: nosso corpo –e até a nossa alma – nunca será como antes. E quer saber de uma coisa? Que bom…

Mulheres anônimas ou não têm participado do projeto “Birth Marks – Marcas de Nascença”, divulgando suas fotos em um grupo criado pelo Facebook. Fotos profissionais ou auto-retratos feitos de forma amadora, com o uso até de celulares, são postadas com pequenos relatos dessas mães sobre as suas experiências pós-maternidade.

A ideia é uma só: mostrar que somos humanas. A fotógrafa Leticia Valverdes, 41, resolveu fotografar mulheres de verdade, de carne e osso. “Na era do Photoshop, é um desafio mostrar a mulher sem maquiagem, sem manipulação e pós-produção. São mulheres orgulhosas dos corpos que fabricaram, carregaram e alimentaram outros seres humanos”, diz Letícia, mãe de três crianças.

O projeto começou em abril deste ano quando Leticia resolveu se auto-fotografar. Depois, chamou uma amiga e o projeto passou a crescer. Ao reunir imagens na página do Facebook, a fotógrafa pretende nos próximos meses fazer seções fotográficas com as colaboradoras do projeto. “Queremos futuramente fazer uma exposição e um livro reunindo as histórias e as fotos”, conta.

Leia também

A parceira do projeto de Letícia, a autônoma Anna Gallafrio, 32, foi fotografada com a filha Corinna quando ela tinha seis dias de vida. Para ela, é preciso “vestir com orgulho nossa pele de mãe”. “Dói pacas ver a barriga amolecer, o seio cair, o cabelo mudar…Mas, isso é só parte da mudança toda. O bem estar físico e emocional deve sustentar tudo isso. Não estou falando de desleixo com o corpo, mas ressaltando que nossa pele é nossa história”, diz Anna, que também é mãe de Mattias, 3.

A obstetriz Ana Cristina Duarte, do Gama (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa), diz que a atividade física durante a gestação ajuda na recuperação do pós-parto. “A gestante pode continuar fazendo todo tipo de exercício que já fazia antes, se estiver com uma gestação saudável”, explica.

Ela diz que quem não fazia exercício antes de engravidar também não deve ficar parada e que pode caminhar, fazer musculação, dança, hidrogiinástica ou outra atividade desde que supervisionada por um profissional. Ela comenta que só não pode se exercitar a mulher com ameaça de aborto ou de parto prematuro.

Após o parto, as atividades físicas só devem ser feitas, no mínimo, após seis semanas do parto. “Antes desse período, o ideal é se dedicar aos cuidados com o bebê e a amamentação, mas já é possível fazer caminhadas ao ar livre. Para execícios de impacto, o ideal é aguardar a alta médica. Em algumas situações pode levar até dois meses.”

Apesar dos benefícios dos exercícios, Ana Cristina ressalta que a maioria das mulheres não voltará a ter o ‘corpo de solteira’. “Não é natural que permaneçamos iguais com o passar do tempo e dos esforços da vida. Ser mãe é um upgrade na vida. Pergunte a qualquer mãe se ela trocaria a vida que leva por uma de solteira sem filhos e com o corpo de outrora”, comenta.

Fotos abaixo de Leticia Valverdes

maternidade3
maternidade5
maternidade7

Recomendados para você

Comentários

  1. pedro Postado em 16/Oct/2013 às 10:54

    Continuo achando que tem algo de errado com a nova moral socialmente liberal. É uma necessidade de buscar o feio. Convenhamos: as mulheres da foto têm MUITA BELEZA para mostrar. Com um vestido, um batonzinho, langerie sensual, ou até mesmo fazendo as coisas simples do dia-a-dia, trabalhando. Toda mulher merece ser bonita, e é. Mas vem o fotógrafo modernoso e quer fotografar as estrias, focar a flacidez, dar uma aura mística ao pneu? NÃO! Por que não ressalta os olhos, o sorrizo? Mais uma tosquice querendo chocar, que não leva a lugar nenhum, fotógrafo se esforçando para fazer as mulheres ficarem feias quando não são, mistificando a feiúra para chocar.

    • Issa Postado em 16/Oct/2013 às 11:19

      chocante é a sua ignorância, vá aprender a escrever e também e pensar antes de vomitar essa babaquice toda, o que te faz pensar que as mulheres tem que estar sempre lindas? vc acha q é fácil ser mãe? vc ja pensou no seu corpinho, que lindo ele é? quantos padrões vc é obrigado a seguir? do alto do seu privilegio masculino não né? carregue 5kg dentro da sua barriga por 9 meses, depois tire por um espaço minimo, não gradualmente, mas tudo de uma vez e vejamos como vc fica. vc acha que beleza é só estar sempre jovem, maquiada, loira, penteada? compra uma boneca inflavel e coloca sua lingerie nela.

      • pedro Postado em 16/Oct/2013 às 12:14

        Acho que você não entendeu nada do que eu falei, Issa. Valorizar a beleza da mulher como um todo. Quem é machista aqui? Quem falou em "privilégio masculino" foi você. Para mim a mulher é tão privilegiada como o homem, pois tem a maravilhosa experiência da maternidade, o que não é sofrimento nenhum. Que tal tirar fotos que valorizem a beleza da mulher (até mesmo no cotidiano) e não foquem nos pequenos detalhes, nessa arte que só quer chocar e, na verdade, em nada captou a beleza das mulheres? Será melhor para a auto-estima delas e para o destinatário. Tirar uma foto do rosto, dos olhos; não da estria, para causar impacto. Isso é captar a verdadeira beleza que está presente em todas as mulheres. A arte que valoriza o feio e não o belo tem efeito contrário de gerar repulsa contra a mensagem que deveria passar: MÃES SÃO LINDAS SIM. Mas não são lindas porque têm estrias. O são porque são lindas no conjunto, como mulher, uma estria não define a maternidade, é um subproduto indesejável que só é belo analisado no conjunto harmonioso chamado MULHER. As fotos em si já elegem "defeitos" nas mulheres e os expôe, ou seja, é um duplo moralismo, pernicioso, visando chocar e contrapor o machismo dominante, mas que -- repito -- não atinge o fim desejado com inteligência. Perdoe-me se, na sua concepção, não sei escrever. Talvez tenha que me preocupar mais com a ortografia! Há alguns anos atrás compartilharia contigo em suas críticas ao meu comentário acima. Mas percebi que se queremos ter resultado em nossa busca de esquerda de valorizar o ser humano devemos deixar de lado essa moral "França década de 70" que nossa esquerda está tão erroneamente reimplantando aqui. Sei que posso ser chamado de babaca, ignorante, mas realmente esses termos não se aplicam a mim. E, pensando no meu corpinho, como você sugeriu, nenhum sentimento específico de beleza me vem à mente. Mas caso eu quisesse valorizá-lo e mostrá-lo como belo, não tiraria foto da minha estria lateral. Por natureza também não posso carregar um bebê 9 meses e não acho que uma mulher é moralmente superior por ter feito isso -- como sugerido por você -- nem por estar maquiada. E, finalmente, nunca tive experiência com bonecas infláveis (mas sei que muitos homens fazem isso, o que, seguindo a moral-nova Paris-70, deve ser belo). Quanto à lingerie (é assim que escreve?) digo: uma maravilhosa invenção!

    • sofia Postado em 18/Oct/2013 às 10:03

      Concorde com vç. Nao é somente um trabalho que mostra o feio, mas a meu ver tem tbum énorme efeito anticoncepcional. As meninas val pensar duas vezes antes de ficarem gravidas.

  2. pedro Postado em 16/Oct/2013 às 11:00

    Citando Marco Aurélio: "Até os acidentes dos produtos da natureza têm sua graça e sedução. Muitos exemplos, embora longe de um belo aspecto quando examinados em si mesmos, não obstante, como consequências de obras da natureza, concorrem para a beleza e atração do conjunto" Então para que focar nas estrias se a mulher, como um conjunto, é tão bela?

  3. Juliana Postado em 16/Oct/2013 às 12:17

    Achei bacana isso. ótimo para mostrar que a mulher tem a sua beleza. Eu vejo na rua mulheres que trabalham o dia todo, cuidam dos filho, e mesmo com aquele cabelo amarrado e sem maquiagem já são bonitas, imagine se fossem super produzidas? Acho que as mulheres "anônimas" são bem mais bonitas do que as "modelos capa de revista". Por que ela tem uma beleza natural. Mas também não podemos negar que após engordar, o desejo das mulheres é emagrecer, talvez para se sentir mais bonita e atraente. Não vejo mal nisso. Uma maquiagem, uma boa roupa e uma escova ajudam na autoestima, mas que isso não vire paroia.

  4. Thiago Teixeira Postado em 16/Oct/2013 às 12:45

    Muito legal o trabalho.

  5. luiz carlos ubaldo Postado em 29/Oct/2013 às 13:33

    O corpo é tão somente o que da sustentação a alma para que ela possa encarnar em nosso planeta, o corpo é belo, mas muito mais belo é o espírito particula divina, desconheço quem não adimira e ame o belo, por tanto o amor que sinto e vivo no meu dia a dia não tem espaço para cobrir aquilo que os outros ou alguns julgam que deveria estar coberto, é puro materialismo de um mundo que julgam é pune os que fogem do padrão que estabelecem a partir de conceitos predatórios, como de uma sociedade elitista, você são mulheres lindas!