Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 14/Oct/2013 às 18:59
10
Comentários

Educador pedia sexo a adolescente em troca de boas notas

Conversas obtidas pela polícia mostraram que Educador de 36 anos usava perfil falso no Facebook para pedir sexo a aluno em troca de dinheiro e boas notas na escola

marcos daniel liba educador sexo
Marcos Daniel Liba é acusado de aliciar menor (Foto: Deivide Leme/Tribuna Impressa)

Um coordenador educacional de 36 anos foi preso na sexta-feira (11), em Araraquara (SP), suspeito de favorecimento à prostituição. Marcos Daniel Liba estava na escola em que trabalhava quando foi detido pela Polícia Civil e confirmou ter mantido contato com um adolescente de 15 anos. Em conversas obtidas pela polícia, o educador aparece pedindo sexo ao aluno em troca de dinheiro e boas notas na escola. O advogado dele e da escola envolvida no caso não foi encontrado para comentar o assunto. O educador conseguiu liberdade provisória no último sábado.

Segundo o delegado Elton Negrini, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o coordenador de um colégio particular de classe alta da cidade criou um perfil falso na rede social Facebook e chegou a oferecer de R$ 800 a R$ 1 mil por mês para que o garoto mantivesse relações sexuais com ele. “Tinha trechos das conversas em que oferecia boas notas em provas também”, afirmou o delegado.

As conversas tiveram início em agosto. “De boa com grana e na escola. Dou a prova um dia antes para você tirar boa nota”, disse o homem por trás do perfil falso, segundo os trechos divulgados pela Polícia Civil. Em outro trecho ele dizia: “Não quer uma nota de R$ 100 hoje?”.

Apesar da insistência, o adolescente ignorou os pedidos e desconfiou que o homem poderia ser o educador, já que o suspeito dava detalhes de que o conhecia pessoalmente. “Ele chamava o menino pelo sobrenome, do mesmo jeito que era chamado na escola”, disse Negrini.

Leia também

Investigação

A denúncia foi feita à Polícia Civil na quinta-feira (10), depois que o garoto contou o caso para o padrasto e para o pai. Uma conversa mantida pela rede social na sexta-feira, em que o coordenador dizia que estava na escola, ajudou no momento da prisão, segundo o delegado.

Em depoimento, o coordenador confirmou que manteve apenas contato virtual com o adolescente. O smartphone dele foi apreendido para ajudar nas investigações e para saber se mantinha esse tipo de contato com outros adolescentes.

O educador foi indiciado por favorecimento à prostituição de vulnerável, por tentar aliciar um menor de idade, e incitar a prática de sexo por dinheiro. Após ser ouvido e passar pelo Instituto Médico Legal (IML) ele foi encaminhado à Cadeia de São Carlos e aguarda transferência para a cadeia de Serra Azul.

Liberdade provisória

Marcos Daniel Liba conseguiu liberdade provisória no último sábado. O educador alegou que o aluno de 15 anos o provocou.

“Ele alegou que criou o perfil falso para manter contato com uma mulher, por questões profissionais, e depois o garoto o encontrou e acabou incentivando essas conversas. As provocações vieram por parte do garoto”, afirmou o advogado de defesa.

A liberdade provisória foi concedida ao educador porque ele não possuía antecedentes criminais e tem residência e emprego fixos.

com agência globo

Recomendados para você

Comentários

  1. renato Postado em 14/Oct/2013 às 19:13

    Agora já tem antecedentes. Já não tem emprego fixo. E já mudou.

  2. Gilvan Pereira Postado em 14/Oct/2013 às 19:16

    Deixa os dois uai, que babaquice

    • Guilherme Postado em 15/Oct/2013 às 05:56

      Concordo. O estupro é errado, o coitado só tava tentando a sorte. Perder o emprego sim, prisão não.

  3. Alessandra Postado em 14/Oct/2013 às 19:30

    Sempre a mesma desculpa: a vítima provoca o agressor! Que coisa ridícula. Gostaria de entender como uma pessoa provoca a outra a mostrar o seu pior lado!?!

  4. professora Postado em 14/Oct/2013 às 20:06

    Agora a culpa é do menino! Vai contar outra história desavergonhado.

  5. ELAINE Postado em 14/Oct/2013 às 20:40

    "Educador'?????????

  6. Mauricio Postado em 14/Oct/2013 às 21:15

    Esse educo o bom ( cacofonia )

  7. Cristina Postado em 14/Oct/2013 às 21:41

    A culpa é do menino por atrair atenção do professor, só falta dizer que foi o menino que criou o perfil falso, engraçado a culpa sempre é da vitima.

  8. Depauster Postado em 15/Oct/2013 às 07:31

    Boa e velha educação grega!

  9. Thiago Teixeira Postado em 15/Oct/2013 às 19:17

    Tá cheio disso ... quantos (as) se prostituem por conta de notas e cargos nas empresas. A culpa é dos dois lados.