Redação Pragmatismo
Compartilhar
História 10/Oct/2013 às 14:16
4
Comentários

A carta de amor de um soldado gay ao seu companheiro na Segunda Guerra

Segunda Guerra Mundial: carta revela história de amor entre dois soldados gays. Conteúdo trouxe tanto impacto que a carta circulou em milhares de sites da internet

carta soldado gay segunda guerra
Segunda Guerra Mundial: Carta de amor de um soldado gay ao seu companheiro é divulgada na internet (Getty Images / Huffington Post)

Divulgada uma carta que traz luz a história de amor entre dois soldados gays durante a Segunda Guerra Mundial. O conteúdo da carta trouxe tanto impacto, que a carta circulou em milhares de sites da internet, como o Huffington Post, depois que foi publicada no portal “Letters of Note“.

Leia também

A singular e comovente carta de amor foi escrita pelo veterano Brian Keith a Dave, um outro soldado por quem Brian se apaixonou em 1943, quando se conheceram no Norte da África.

A carta foi escrita por ocasião do seu aniversário e publicada pela primeira vez em setembro de 1961 pela “Revista ONE“, uma revista pro-gay pioneira que começou a ser publicada em 1953. A carta original se encontra, dizem, na Biblioteca do Congresso dos EUA.

Abaixo a carta:

“Esta é em memória do aniversário – 27 de outubro de 1943 – quando o ouvi cantar pela primeira vez no Norte da África. Esta canção traz lembranças dos momentos mais felizes que já vivi – lembranças do show de um soldado das tropas americanas – cortinas feitas com tecido de dirigível – luminárias feitas a partir de latas de chocolate – ensaios que se prolongavam até tarde da noite… e um rapaz bonito, com uma voz de tenor maravilhosa… são memórias de uma de uma noite chuvosa e dois soldados ensopados debaixo de uma árvore solitária na planície africana… Lembranças de uma noite fria e ventosa, em que nos metemos em um teatro para soldados e adormecemos em uma cobertura atrás dos bastidores, os dois, presos nos braços um do outro, e as lembranças do impacto causado ao acordar e ver que, milagrosamente, não tínhamos sido descobertos… Lembranças da felicidade de quando nos disseram que iríamos para casa e a devastação que sentimos quando soubemos que não iriamos juntos. A despedida calorosa em uma praia isolada sob o céu repleto de estrelas da noite africana e as lágrimas que não paravam de cair enquanto, no cais, eu via seu comboio ir longe no horizonte.

Nós prometemos que estaríamos juntos novamente “em casa”, mas o destino sabia mais do que nós. Nunca aconteceu. E assim, Dave, eu espero que, onde quer que você esteja, essas memórias sejam tão preciosas para você como são para mim.

Boa noite, durma bem, meu amor.

Brian Keith.”

com Huffington Post e Juliano Marinho, Nossos Tons

Recomendados para você

Comentários

  1. Talita Postado em 10/Oct/2013 às 17:05

    Lindo! Muito profundo o conteúdo da carta. Uma pena que eles não tenham se encontrado de novo. Um amor perdido deve ser duro de superar... Linda história de amor e admiro muito a coragem desses dois soldados em se assumir um para o outro em uma época em que o preconceito existia mesmo entre aqueles que eram gays, uma vez que a sociedade os pressionava para acreditarem que estavam doentes. Muito bonito mesmo!

  2. Jair Corgozinho Postado em 11/Oct/2013 às 10:01

    Toda fornacde amor é linda! Só não admito o amor a guerras!

  3. Goretti Dias Postado em 11/Oct/2013 às 12:35

    achei lindo demais, e toda forma de amor vale a pena!!!!

  4. Alexandre Lopes Postado em 18/Oct/2013 às 21:07

    Que sensibilidade desse rapaz ! Transformou um momento particular em algo perene . Belíssima carta, belíssimo sentimento !