Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política Externa 20/Sep/2013 às 15:07
9
Comentários

Rússia quer ajudar Brasil em conflito diplomático com EUA

Se o Brasil quer interrogar Snowden para saber mais sobre a espionagem americana, a Rússia pode facilitar o encontro

dilma espionagem eua rússia
Dilma exigiu saber todos os pormenores da espionagem americana (Divulgação)

O embaixador da Rússia em Brasília, Serguei Okopov, disse que o seu país pode mediar um encontro do ex-analista da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, em inglês) Edward Snowden com deputados brasileiros que queiram investigar as acções de espionagem americana no Brasil.

Okopov garantiu à comissão do Congresso, com a qual se reuniu na terça-feira, que consultará as autoridades de seu país sobre a possibilidade de os deputados interrogarem Snowden, que está asilado na Rússia. Snowden começou a divulgar um conjunto de documentos que denuncia os métodos de espionagem da NSA e revela os países e pessoas alvo dessa espionagem. A empresa Petrobras e Dilma Rousseff foram espiadas e a Presidente do Brasil cancelou a visita oficial aos EUA, marcada para 23 de Outubro.

Leia também

A Câmara dos Deputados brasileira aprovou na semana passada a viagem a Moscovo de uma comissão integrada por, pelo menos, seis parlamentares com a missão de falarem com Snowden sobre as actividades de espionagem ao Brasil.

Qualquer reunião está condicionada à aprovação do governo da Rússia e do próprio Snowden, e o encontro não pode violar as normas que garantem o asilo do americano em Moscovo, explicou o deputado federal Ivan Valente em declarações a jornalistas e citado pela agência Efe.

De acordo com Valente, Okopov disse que uma resposta das autoridades de Moscovo deve demorar, pelo menos, uma semana. O diplomata russo, segundo a versão do deputado brasileiro, considera que Snowden estaria interessado em colaborar com o Brasil porque “quanto mais o mundo souber, mais seguro se sentirá”.

As denúncias de Snowden são apoiadas em documentos entregues por este ao americano Glenn Greenwald, que vive no Rio de Janeiro e é colaborador do jornal britânico The Guardian.

Na segunda-feira, Barack Obama telefonou a Dilma, mas fontes da presidência disseram que a Presidente considerou as explicações, que duraram 20 minutos, insuficientes. Em causa está um contrato que Dilma ia assinar, no valor de quatro mil milhões de dólares (o Brasil iria comprar aviões militares aos EUA), e acordos de cooperação na área do biodiesel.

O porta-voz da Casa Branca disse que a visita de Dilma foi adiada para data a anunciar. Jay Carney explicou que Obama concordou com o adiamento e com o motivo de Dilma. Mas, disse Carney, a investigação que Obama prometeu a Dilma sobre a espionagem ao Brasil vai demorar tempo. “Como o Presidente disse anteriormente, ele ordenou um relatório, mas o documento só estará pronto dentro de meses.”

As relações diplomáticas e comerciais entre os EUA e o Brasil melhoraram desde a posse de Dilma, em 2011. Mas a revelação da espionagem da NSA, que interceptou e-mails, chamadas telefónicas de Dilma e dos seus colaboradores durante a campanha eleitoral, e espiou também empresas onde o governo americano tem interesses (a petrolífera Petrobras é uma delas), inquinou as relações e fez reemergir a crítica de que os EUA pretendem encontrar uma forma de explorar a seu favor a riqueza mineral brasileira.

A Reuters avança que Dilma Rousseff irá referir-se às práticas de espionagem americana no discurso que fará na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, na próxima semana.

Público

Recomendados para você

Comentários

  1. renato Postado em 20/Sep/2013 às 22:21

    É brincadeira acharem que isto é conflito entre Países. Tem horas que a m idia é um conflito, que precisa ser explodido..

  2. Eduardo Postado em 21/Sep/2013 às 14:52

    Volto a dizer, a maior potência mundial é os EUA. Ponto. Ou o mundo acha que Inglaterra, França, Arabia Saudita, Israel e outros são aliados deles pelos lindos olhos do OBAMA, não... é porque ficar contra é rabo, é loucura, é ficar a mercê de tudo que é ruim....Temos que ter soberania, mas temos antes de tudo que ter bom senso e não criar uma tempestade onde apenas há chuviscos.

    • Fabio Postado em 22/Sep/2013 às 00:44

      Eduardo, maior potência em decadência. Militarmente, em termos técnicos, piores que a Rússia. Economicamente, sendo destruído pelo "capitalismo" chinês (inclua aí os títulos do tesouro americano que a China detém). Agora, adeus o EUA, de aliado e de força não tem mais nada. Agora a DILMA vai aliar-se ao BRICK, e com forças maiores, e cada vez maiores. Todos os 14 trilhões de PIB americano, PIB bruto, são na realidade 5 já, e a CHINA é que tem 16 trilhões. PODER de compra da CHINA é igual do EUA. O EUA caiu! É bom senso, e bem cartesiano, aliar-se à CHINA, RÚSSIA, e países amigáveis a esses. A tempestade vai cair no EUA, espere e verá. Poder uma nova AL QAEDA, e junto com ela a falência econômico-militar americana. Já 20 cidades declararam falência. Espere o EUA. O resultado: economia = CHINA, poder militar = RÚSSIA!!! Prova de tudo isso é a proteção russa à SÍRIA. Por que o EUA, tão poderoso, não se meteu no quintal russo? Aqueles dois mísseis, estúpidos, foram desativados, e seria o começo da invasão! americanóides e suas propagandas hollywoodianas acabaram.

      • Marcos Postado em 22/Sep/2013 às 20:46

        Fabio vc prefere o modelo Chines/Russo que o Americano? A China é capitalista assim como a Rússia o comunismo/socialismo é utilizado apenas no governo para que o partidão se mantenha no poder, a esquerda não é democrática suas antas.

    • Gabriel Postado em 23/Sep/2013 às 10:49

      os exploradores é que precisam dos explorados e não o contrário.

  3. roberto tonet Postado em 21/Sep/2013 às 19:57

    morte aos americnos!

  4. Haroldo Toto Postado em 21/Sep/2013 às 20:35

    Fuck you american!! Fora lambe cú dos EUA! Viva o Brasil!!

  5. Helton Duarte de Perón Postado em 22/Sep/2013 às 08:20

    A República Socialista do Brasil não pode se por aos pés de potências Neo-Colonialistas, devemos nos impor e se eles querem espionar nossa pátria como sendo inimiga, então que o seja, que o povo brasileiro apoie nossa presidenta guerreira nesta luta contra os inimigos da nação e da pátria brasileira. Não aceitaremos qualquer intervenção Neo-colonialista em nosso território. E se ouve violação de Direitos então que se apure e que os culpados paguem por isso. Avante Pátria Vermelha do Brasil!!

  6. Juniperos Postado em 23/Oct/2013 às 10:12

    De que adianta o direito de poder falar se não temos as o de ser ouvido. Isso é a democracia americana? O direito de se abster de conhecimento e nos tornarmos escravos analfabetos para suprir os mercados norte-americanos? O Brasil não é uma fabrica dos EUA. Precisamos de ovas visões e ovos conhecimentos. Sei que muitos tem medo do estilo da Rússia, mas o estilo norte-americano é traiçoeiro e egoísta. A politica intervencionista que os habitantes de lá amam, se necessário usariam contra nosso pais, por bens como urânio e nióbio. Para os super fãs dos EUA, que não conhecem como é um mapa do Brasil naquele pais, ele sequer tem a Amazônia! Isso aí, eles se deram o direito de mutilar o nosso pais por achar que a Amazônia não pertence ao Brasil. O que esperar de um pais com seu obscuro projeto FEMA e outras bizarrices atômicas e apocalípticas? Obrigado russos, por protegerem Snowden. Ele é uma boa pessoa.