Redação Pragmatismo
Compartilhar
Desigualdade Social 02/Sep/2013 às 16:01
1
Comentário

Preso mais antigo do Brasil deveria estar solto desde 1989

Homem foi preso na década de 60 e recebeu alvará de soltura em 1989. Com cerca de 80 anos, juiz afirma que ele deve ser o detento mais antigo do Brasil

preso mais antigo brasil 1989
“Preso mais antigo do país” teve pena extinta em 1989 mas segue preso

Em 1989, um homem que não teve a identidade revelada deveria ter alcançado a liberdade e saído do sistema prisional brasileiro. No entanto, o detento, encarcerado desde a década de 1960 e com a pena extinta, permanece preso.

O caso foi descoberto pelo Mutirão Carcerário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no Ceará. De acordo com o juiz Paulo Augusto Irion, um dos responsáveis pela operação, este é o “preso mais antigo do país”. “Acho que este ser humano, em uma cadeira de rodas, usando fraldas, deve ser o preso mais antigo do Brasil, pois a informação é de que ingressou no sistema prisional na década de 60 do século passado”, disse o juiz Paulo Augusto Irion, um dos coordenadores do Mutirão, ao portal do CNJ.

Leia também

O caso, descoberto no Instituto Psiquiátrico Stenio Gomes (IPGSG), em Itatinga, na grande Fortaleza, não é isolado. Na mesma unidade, foram encontrados outras cinco pessoas que tiveram suas penas extintas, mas que permanecem recolhidas. O IPGSG funciona em um prédio antigo e as condições dos internos são precárias.

A coordenação do Mutirão Carcerário vai recomendar ao governo cearense a interdição da Casa de Privação Provisória de Liberdade Desembargador Francisco Adalberto de Oliveira Barros Leal e da Cadeia Pública de Tianguá. A primeira unidade, de Caucaia, região metropolitana de Fortaleza, tem como principal problema a superlotação; enquanto a cadeia pública apresentou estrutura precária e péssimas condições de higiene.

O Mutirão Carcerário seguirá para outras unidades prisionais do Ceará e deve terminar no dia 6 de setembro.

com Revista Fórum

Recomendados para você

Comentários

  1. Selton Postado em 02/Sep/2013 às 19:18

    Interessante associar isso ao aumento da maioridade penal.A pouco,estive lendo um artigo que capitulava todas as consequências para o jovem delinquente,e dentre essas consequências,estava a retenção do mesmo em alojamentos para menores infratores.Contudo,essas instituições funcionam em péssimas condições,mesmo recebendo investimentos de até 6 milhões de reais.Logo,cheguei a conclusão: tirar o jovem de um sistema carcerário paupérrimo,para coloca-lo em outro pior,é denigrir o processo de conscientização do menor.Essa matéria é uma pequena prova de que realmente,o sistema carcerário brasileiro precisa ser preconizado.