Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 06/Sep/2013 às 14:52
76
Comentários
Mara Gomes

Medicina no Brasil é branca e classe média

"Vale milhões de vezes mais a vida de um único ser humano do que todas as propriedades do homem mais rico da terra"

Mara Gomes, Blogueiras Negras

A medicina é uma das mais requisitadas e importantes profissões existentes no mundo. Por isso, é preciso ter um grande conhecimento para se tornar médico, uma coisa alcançada com longos anos de estudo.

Para conseguir cursar medicina no Brasil é necessário um conhecimento escolar de qualidade — adquirido, principalmente, em escolas particulares e cursinhos caríssimos.

médicos médicas brancos brasil
Protesto de médicos e estudantes de medicina no Brasil (Foto: ABr)

Nossos médicos são formados, em sua maioria, por uma classe particular de pessoas. Pessoas que possuem um bom dinheiro, estudam em escolas particulares requisitadas, tiveram as melhores oportunidades e viveram uma vida abastada sem muitos problemas financeiros.

São raros os médicos que não vieram desse grupo. Não são todos, é claro, mas se trata da grande maioria. Esse grupo vive em um mundo à parte.

São pessoas que digerem e espalham informações burras da mídia racista e classista. Não entendem os problemas dos menos favorecidos, adoram colocar seus pontos de vista como se fossem os centrais em toda e qualquer discussão de minorias, acham cotas desnecessárias e injustas e dizem que o bolsa família é esmola para acomodar pobre.

Quem nunca encontrou um desses por aí, não é? Encontrei muitos na universidade, psicólogos e futuros psicólogos. E, pior, já até encontrei em postos de saúde. Duvido que alguém que frequenta os postos de saúde não tenha tido o mesmo contato.

Lembra aquele doutor(a) que sem olhar você no rosto demorou menos que 5 minutos para criar um “diagnóstico”? Para eles nós somos clientes e não pacientes.

Será que nos consideram “pessoas”? Porque a nossa medicina deixou de ser humanizada faz tempo. Para muitos médicos não existem pessoas, existe um grande negócio.

Essa é a classe que nos atende nos postos, e não se trata só de médicos. Pessoas assim também estão por trás da grande mídia, e são elas que ditam o que é certo e o que é errado.

Leia também

Sim, isso é assustador, somos controlados pela grande classe média brasileira. No último dia 27 de agosto, vimos o que uma parte dessa corja de sábios ignorantes fez: chamaram médicos cubanos de escravos em sua chegada ao aeroporto de Fortaleza.

Para eles, a regra foi quebrada. É ofensivo ver um médico que não possua o porte hegemônico — o homem branco, classe média com “cara de médico”. O que veio de Cuba foram médicas com “cara de empregada doméstica”: como lidar com isso?

Mas o que é ter cara de empregada doméstica? O que é ter cara de médico? O Brasil tem tantos médicos brancos e empregadas negras que isso acaba entrando para um padrão – que, infelizmente, a classe média usa para classificar todos.

Há sim uma injustiça acontecendo aí e isso é uma questão não só de xenofobia, mas de racismo institucional. A regra foi quebrada e a classe médica ficou enfurecida. Sabemos que eles não estão perdendo empregos. Não um caso de direitos trabalhistas. É algo mais forte que isso e é cego quem não quer ver.

Recentemente a Universidade Federal da Bahia formou uma turma de médicos na qual só 3 ou 4 eram negros. Isso não faz sentido se a Bahia abriga, de acordo com o IBGE, uma população de 70% de negros.

A situação não muda em outros estados brasileiros. Numa favela, quantas pessoas estudam medicina, ou pelo menos têm a esperança real de poder um dia se tornar médico?

Como afirmou Cintia Santos Cunha, estudante brasileira negra da Universidade de Ciências Médicas de Havana: “No Capão Redondo, ninguém sonha ser médico”.

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 06/Sep/2013 às 15:18

    Os médicos brancos cubanos também foram vaiados em Fortaleza, mas só focam nos médicos negros cubanos e falam que é xenofobia e racismo. E falar mal da "classe média branca" também é racismo, pois esse texto da a entender, para quem é leigo, de que os negros são os "bonzinhos" e os brancos são os "malvadinhos". Tudo tem os seu lado bom e o seu lado ruim, inclusive as pessoas, e é a mesma ideia do "Mais Médicos", onde é positivo o fato de se ter médicos em áreas inóspitas, mas é negativo o fato dos cubanos serem os unicos a não receberem diretamente todo o salário, como os outros inscritos no programa. No final até o governo discrimina os cubanos desse jeito...

    • Rosana Postado em 08/Sep/2013 às 00:26

      Interessante... Falam que os médicos cubanos não recebem todo o salário. No Brasil, após pagarmos impostos diretos e indiretos, temos q pagar escola, plano de saúde...Na aposentadoria, alguns poucos idosos, entregam boa parte do que recebem aos planos de saúdee as farmacias em troca de medicamentos... Vivemos em um país rico, com uma "elite" cega... Aff

    • Marco Alencar Postado em 08/Sep/2013 às 02:14

      Os "médicos brancos cubanos" vaiados eram argentinos, uruguaios e brasileiros.

    • Maria Aparecida Jube Postado em 08/Sep/2013 às 07:35

      Seu comentário é por que você não é capaz de entender o sistema cubano onde todos têm chance de estudar medicina ou é má fé mesmo?

    • rodrigo Postado em 08/Sep/2013 às 08:36

      Li um artigo, aqui neste site mesmo, que é bem esclarecedor. Não lembro o título do artigo mas, no artigo, o autor dizia algo mais ou menos assim: os médicos cubanos são funcionários públicos em cuba e são enviados ao Brasil como tal, ao voltarem para Cuba continuarão como funcionários do governo cubano. Quando uma empresa é contratada por nosso pais para prestação de algum serviço de utilidade pública é a própria empresa que paga o salário daqueles que irão trabalhar aqui (e nunca vi médicos questionando isso). Quando um médico estrangeiro consegue validar seu diploma e vem tentar uma oportunidade de trabalho no Brasil recebe diretamente do governo brasileiro, é uma situações diferente. Estes médicos cubanos consideram estar fazendo uma missão humanitária (segundo suas próprias declarações), no entanto, por experiência própria, pois eu dependo do serviço público de saúde, os médicos que encontro, em sua maioria, entendem muito pouco de humanização do atendimento médico. Talvez decorra deste fato tamanha revolta de nossas médicas, patricinhas ou não, brancas ou negras.

    • Robson Postado em 08/Sep/2013 às 13:35

      Mas é uma hipocrisia tamanha dos medicos e seus defensores dizer que agora vocês estão preocupados com o regime cubano, né? Quando se importaram com tal problema? Quando se preocuparam com o cidadão de baixa renda? Nunca... Esta manifestação dos medicos é corporativa e fascista! E outro detalhe, dizer que as medicas cubanas tem cara de empregada domestica, não é preconceito? Alias, não é mesmo, é discriminação, racismo puro. Realmente uma sociedade com pessoas com seu pensamento me faz refletir qual sera o futuro deste país, se o tiver é claro.

    • sonel Postado em 08/Sep/2013 às 15:33

      Que triste e o mundo assiste atónito a esta recusa em ver-se no espelho do povo do BR. Triste um país a varias velocidades ... Ignorância é a mãe de todos os males...e instrução(tanta gente instruida mes sem um pingo de educação nem de bom senso...) não é sinónimo de bom senso e EDUCAÇÂO !!!

      • Karine Maria Postado em 19/Sep/2013 às 14:58

        adorei sua resposta. Realmente, nossa classe média é muito "instruída", mas não é sábia nem educada.

    • Matheus Maia Postado em 09/Sep/2013 às 00:38

      Meu caro, você cometeu erros clássicos de argumentação. Obviamente os médicos Cubanos brancos também foram vaiados, mas só os negros foram comparados com empregados. Depois, qual o sentido de vaiar médicos que vem para o seu país "tapar os buracos" que os médicos daqui não querem encarar? Outro erro. Tomar a exceção pela regra. Não existe crime de "racismo contra brancos" numa sociedade que valoriza a cultura, a aparência física, a forma de se falar e de se vestir mais comuns entre os brancos. Não se pode falar em racismo contra brancos, se ser branco no Brasil é, geralmente, estar nos lugares de prestígio social, é ser bem visto e respeitado, é ser o último a ser suspeito de algum crime. Racismo exige uma relação desigual de poder por parte de quem pratica contra quem sofre, e, o negro, como ser estereotipado no lugar de criminoso, analfabeto e empregado, não tem, geralmente, o prestígio social necessário pra ofender uma "classe média branca", já que são os valores desta classe média branca que são considerados mais valiosos pela TV, universidade, livros didáticos e por todo senso comum. Portanto, ser negro no Brasil é bem diferente de ser branco,visto que o branco esta na norma da branquidade. Não se trata de dizer que um é bom e outro é mal, mas que um é privilegiado e outro desfavorecido, ainda que em situações financeiras diferentes ou não. Outra coisa, procure saber mais sobre como os cubanos recebem seus salários, e como funciona a distribuição de renda do país. Mas procure fontes oficiais e fontes internacionais. Eles não recebem todo o salário por que estudaram de graça, e conseguem se formar mesmo sendo negros de origem pobre, o que não acontece no Brasil com tamanha facilidade. Isso demonstra uma maior eficiência desta educação pública. Não acho que Cuba seja perfeita, mas ao menos saúde e educação gratuita e de qualidade o país tem mostrado ter bem mais que o nosso. Não vou entrar nos detalhes se o regime é assim ou assado, mas ele me vale mais a pena que médicos desumanos recebendo um salário enorme e não fazendo bem seu trabalho, como acontece com a maioria dos médicos de cá. Abraço!

    • Robson Lopes Postado em 10/Sep/2013 às 00:10

      Não é uma questão de ser bom ou mal, simplesmente os médicos atuais não entendem o privilégio que gozam no país, querem tão somente uma reserva de mercado, por meio da força e da intimidação. Mas pelo comportamento que tiveram, devem sim serem tratados como meninos malvadinhos, ou seja, não merecem sequer o que já tem. Uma vergonha essa postura, inclusive a sua defesa.

    • julia Postado em 10/Sep/2013 às 12:56

      por este lado voce esta certo, eu mesma ja me senti muitas vezes discriminada pelo fato de ser branca, eu moro no segundo estado mais negro do país, e quando era criança achava que ser "diferente" era um problema.

    • Gerardo Postado em 10/Sep/2013 às 17:14

      vc é médico não é.

    • Jardel Santana Postado em 10/Sep/2013 às 18:08

      Olá, José Ferreira! Antes de expressar minha opinião a respeito de seu comentário, quero que você leia o seguinte texto http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/07/teste-do-pescoco-revela-racismo-no-brasil.html

    • Jardel Santana Postado em 10/Sep/2013 às 18:15

      O Sr. José Ferreira, ao que parece, é um leitor assíduo da revista Veja e expectador da Globo. Dizer que a "A maioria dos brasileiros não concorda com o repasse direto ao governo cubano", é no mínimo absurdo. Sr. José, a maioria dos/as brasileiros/as, os/as que mais precisam, não estão preocupados/as se o dinheiro será repassado diretamente para Cuba ou não, eles/as querem apenas saúde de qualidade e mais que isso, serem tratados/as como pessoas, o que infelizmente não ocorre, conforme foi bem colocado no texto. Somos tratados/as como mercadorias (digo somos, pois moro em uma periferia, com mais de 600.000 - isso mesmo, mais de seiscentos mil habitantes - e que tem apenas um hospital público. Não preciso nem dizer a situação desse hospital, ou preciso?).

    • Anne Nagle Postado em 10/Sep/2013 às 18:22

      Concordo totalmente com vc. Não entendo em que momento os médicos passaram a vilões. Em outros países, eles são admirados e respeitados. Mas estão querendo nos colocar contra os médicos, com certeza com outras intencoes que nao a saude da populacao. Muitos bem-intencionados nao enxergam isso. Eu percebo, nao me volto contra meus médicos, nem contra aqueles que estudam tanto pra me auxiliarem nas minhas necessidades. E acho que ele têm que ganhar bem mesmo. O problema nao é o medico que ganha muito, mas os demais que ganham pouco. Foquemos nas melhorias para todos.

    • cristiano Postado em 10/Sep/2013 às 22:02

      vc sabe onde acaba tudo isso quando a pessoa,morre ai tudo acaba seja negro ou branco

    • Karine Maria Postado em 19/Sep/2013 às 14:57

      Bom, eu não estava lá, não vi se tinha médico branco ou negro, o que sei é que quem já foi atendido no SUS sabe bem o que é dizerem "é uma virose" e dias depois você ser socorrido pra fazer uma cirurgia de emergência, pq a "virose" era um abscesso causado por uma bactéria comendo seu nariz (tipo como aconteceu comigo). Não tenho NADA, absolutamente NADA contra os médicos que vem de fora. Se eles estão vindo pra TRABALHAR ( e não chegar com 2 horas de atraso no plantão, como eu JÁ VI ACONTECER nas minhas incursões pelo SUS), se eles vem atender o paciente (e não receitar colírio pra todo mundo), se eles estão aqui pra fazer sua parte da melhor maneira possível ( e não usar o resto do mundo como desculpa para seu descaso) então que sejam muito bem-vindos. PS. eu não quero dizer com isso que só trazer médico vá solucionar o problema da saude no Brasil, mas a postura deles até aqui tem sido realmente diferente da postura de nossos médicos. P.S.(2) Sofri tanto no SUS, passei por tantos "diagnósticos de virose" que assim que comecei a trabalhar fui pagar plano de saude, pra ver se isso não acontece mais. O triste é que a maioria da população não pode fazer o mesmo. Abraços

  2. Nilton Carlos Postado em 06/Sep/2013 às 15:57

    Qual a profissão do sr. José Ferreira?

    • Gleidson Postado em 06/Sep/2013 às 20:08

      Seguindo a linha de raciocínio do colega citado, vaiar os médicos cubanos, chamá-los de escravos ou com cara de empregada doméstica não é racismo e nem xenofobia, pois os médicos estavam lá apenas para "defender" seus colegas cubanos contra o malvado Castro e seus aliados petistas...

      • José Ferreira Postado em 06/Sep/2013 às 22:46

        Quem chamou os médicos de "empregados domésticos" foi uma jornalista. Ninguém pode proibir a pessoa de ter pensamentos, o problema é que as pessoas gostam de falsidade, e quando alguém é verdadeiro e fala o que pensa, sofre represálias. As vaias dos médicos foram exageradas, mas tem sentido. A maioria dos brasileiros não concorda com o repasse direto ao governo cubano, em que a OPAS acaba servindo como "lavanderia de dinheiro", visto que parte serve como um "bolsa família" para Cuba, e parte volta ao Brasil para ser usado na campanha dos petistas, e pros seus mensalões....

      • Rogério Postado em 07/Sep/2013 às 11:27

        Pois é. E ninguém pergunta como é que o cubano "paga" seu curso de medicina!

      • sonel Postado em 08/Sep/2013 às 15:41

        Ó sr. José Ferreira poupa os leitores de tanto non-sence... parece já ser um Senhor crescido pela sua forma de escrever , mas transmite uma falta de humildade e uma tamanha ignorância....pelos vistos devemos ser colegas , mas será que o sr. alguma vez ouviu falar em Hipócrates??????? Vergonha e seja um profissional e não uma flor ofendida pah !!! esqueça a 'cor da pele' pah ...a vida é muito mais do que isso e a cor não determina o 'profissionalismo' mas sim o brio de cada um...e o seu falha...! bem haja !

      • José Ferreira Postado em 09/Sep/2013 às 09:37

        Eu não sou médico, e nem amigo de médico, como a maioria pensa. Sou formado em História, portanto sou um historiador, apesar de não estar atuando em minha profissão.

      • Rodrigo Postado em 10/Sep/2013 às 07:57

        Em que momento isso é dito mesmo? Cuidado com o "etiquetamento": "ou é do nosso time ou prontamente será tucano e racista!" O conceito, o direito à cidadania brasileira, não pressupõe a torcida cega pelo PT ou PSDB. Não implica em correlação necessária entre discordar da forma que um projeto é feito (violação da lei e constituição, discriminação com médicos cubanos, persistência do abandono físico de unidades de saúde básica e hospitalares do interior etc.) e racismo. Isso ou vou ter que concluir que quem vaiou Yaoni é um machista, que quem vaia Obama pela espionagem é racista, que quem critica FHC discrimina o idoso... Eis a incongruência, a injustiça, o separatismo de tal pensamento ora em voga. Temos de atentar para a clareza de idéias, para a serenidade, a racionalidade, quando estivermos em discussões, sob pena de a agressão ao interlocutor revelar a mera falta de argumentos contrários.

    • Francisco Postado em 07/Sep/2013 às 21:22

      E ele é maluco de responder, no mínimo reclama dos pedágios caríssimos e nem se lembra que votou no Fernando Henrique, e hoje paga por isso.

  3. A. Xavier Postado em 06/Sep/2013 às 16:22

    Agora que as máscaras dos médicos xenofóbicos caiu, estão tentando dar uma nova cara às manifestações. Ninguém vai cair nessa de que a grande questão para os protestos do conselho de medicina são as condições e trabalho escravo. A última coisa que estão se preocupando é com o salário do Cubano. Sejam francos meus amigos. Se é uma bolsa? Que seja. Da mesma forma que estudantes de Mestrado, Doutorado e mesmo residentes ganham bolsas no período de estudo, esses médicos são bolsistas de uma profissão tão bonita, mas tão preconceituosa no Brasil. Justamente pelo corporativismo e facilidades da formação. Abençoados sejam os cubanos, que tragam consigo a humildade e quem sabe, consigam ensinar aos nossos médicos, um pouco de humanismo.

    • Rita Postado em 08/Sep/2013 às 13:33

      A. Xavier rsrsrs Essa discussão tá tão chata...querem transformar a classe médica agora no grande vilão da história..quando não são..não foram os médicos que inventaram as injustiças sociais e digo mais conheço muitos profissionais, arrisco dizer que são a maioria, frustrados por não poderem atender com qualidade, que se preocupam com os pacientes e tem carga horária de trabalho sobre humana(não esqueçam que toda classe tem sua banda podre). Mas, agora virara os vilões. E pessoal mente não estou e nunca fui contra a vinda de médicos de parte nenhuma do mundo. Sou apenas contra a forma de contratação dos médicos cubanos que para mim são Escravos..SIM. Se vocês preferem fechar os olhos para isso pq apoiam a ditadura e o financiamento do Estado Cubano e de Fidel...problema de vcs. Mas, quem trabalha e não recebe seus salários para decidir o q fazer com ele é ESCRAVO, SIM. Pronto Falei!!! rsrsrs

  4. leonardo Postado em 06/Sep/2013 às 21:24

    acredito que a pessoa segue a carreira de medicina por vocação, qual pesquisa confiável indica que as pessoas escolhem a profissão pelo dinheiro e não pelo amor a área. Este tópico está querendo generalizar mostrando que 98% da população branca são universitários e fazem por dinheiro. Se apenas 11% dos brasileiros possuem curso superior, então 89% dos brancos restantes não tiveram o mesmo privilégio, um boa parcela pode ser pobre também, e virem de escola pública. Possuo muitos amigos brancos que cursaram em escolas públicas e passaram em faculdades publicas, ganharam bolsas em faculdades particulares por puro esforço. Hoje em dia aumenta preço de tudo, menos o salário, qualquer creche de esquina você pai pagar quase o tanto que uma faculdade de medicina ou engenharia.

    • José SIlva Postado em 08/Sep/2013 às 00:19

      Esse é um comentário muito confuso. Não consegui entender bem o que o cidadão quer dizer. Mas comparar um negro com um branco pobre e defender que ambos tem as mesmas chances na vida é de uma ingenuidade absurda (eu ia dizer burrice, mas não quero ofender ninguém)

    • João Carlos Postado em 08/Sep/2013 às 11:11

      "qualquer creche de esquina você vai pagar o tanto que uma faculdade de medicina ou engenharia" Piada do ano, ganhaste uma vaga no zorra total.

    • IANA Postado em 09/Sep/2013 às 18:34

      NÃO POR VOCAÇÃO MAS SIM POR "STATUS". É O QUE MAIS EXISTE NESSE MEIO, MEDICINA POR STATUS, NÃO POR AMOR OU VOCAÇÃO. CONHECI VÁRIOS.

    • Henrique Postado em 13/Dec/2013 às 10:46

      Amam tanto que uma maioria nem preparado é porque não é segredo para ninguém que a classe média,compra vaga para seus filhos despreparados isso que eu chamo de ápice do poder de compra,será que os seus anjinhos lidaram com vidas e não com produtos!!!Por que na Alemanha e USA os futuros médicos são entrevistados pelos diretores do curso e psicólogos para se constatar o perfil acadêmico e aqui não???

  5. renato Postado em 07/Sep/2013 às 16:07

    Caiu a ultima mácara da Sociedade, que nós fazemos parte, Mas era um personagem, que matava e não ia preso, atropelava e não ia preso, errava com consequencias graves e não era punido, não trabalhava e ganhava, recebia grandes investimentos publicos para sua pessoa, e não dava retorno. Ou seja, tiramos a pele dos médicos e colocamos para secar. Ou melhor pela primeira vez o Médico foi colocado na Bancada e Dissecado pela sociedade, hoje sabemos bem mais sobre este ser Branco, que a gente tanto gosta. E por isto não deixaremos os maus Médicos sujarem o nome dos Bons. Aqueles que juraram amar o proximo.

    • Tiago Postado em 13/Sep/2013 às 19:19

      Contra tanto ódio nao ha argumento. Espero que vc esteja feliz em meio a tantos delírios. Agora vemos como vc esta preocupado mais com a saude do povo do que com a desgraça dos medicos. Que deus lhe de muito sucesso. Eu certamente terei pois trabalho simplesmente e nao desejo o mal a ninguém

    • Danilo Postado em 19/Sep/2013 às 15:21

      Seu comentário e resume o pensamentos de 99% dos Brasileiros.

  6. Donizeti Postado em 08/Sep/2013 às 00:18

    Ok. Ok. José Ferreira... Você deve ser branquinho, e de vez em quando falar o que pensa. Bem provavelmente segue a mesma linha de raciocínio da perua que disse que as médicas cubanas tinham cara de empregadas domésticas. Num país em que racismo é crime é proibido sim falar o que pensa. O problema do senhor nem é falar o pensa, é falar sem pensar mesmo. Deve ter seu plano de saúde - pelo qual, também provavelmente, nunca foi atendido por um médico negro. Quanto ao repasse do dinheiro ao governo cubano, fale por si - não há nenhuma pesquisa que aponte que "a maioria dos brasileiros" não concorda com isso. O seu problema é achar que o que pensa vale pelo que pensa a maioria do país. Está bem longe da verdade, meu senhor.

  7. MArcos Garcia Neto Postado em 08/Sep/2013 às 00:49

    Bullshit. Bullshit everywhere. "São pessoas que digerem e espalham informações burras da mídia racista e classista." Ué, você passou 4 parágrafos falando como os médicos são os melhores e mais preparados estudiosos e profissionais. Agora que eles discordam das políticas que vocês idolatram, eles são "xenofóbicos e racistas"? OK. Vocês parecem religiosos fanáticos. Qualquer argumento racional é interpretado como "blasfêmia". Guevara é o Javé de vocês, o qual, apesar de ter algumas boas idéias, era antes de tudo um soldado e queria poder. Cuba é uma ditadura. Quem pode, foge dela. O Brasil fez o "favor" de vincular os médicos estrangeiros ao regime trabalhista cubano, onde o governo apropria-se de seus salários. O dia que algum "esquerdista de plantão" conseguir justificar isso, poderemos conversar de maneira civil e honesta.

    • Juliana Postado em 08/Sep/2013 às 11:01

      Obrigada Marcos... muito obrigada!!!!

    • mara gomes Postado em 08/Sep/2013 às 15:49

      coxinhas, coxinhas everywhere. Não consigo nem entender teu argumento de tão limitado e burro que ele é, acredito que não seja nem digno de resposta. Amigo, vai ler um pouco, por favor, obviamente tu te sentiu ofendido porque faz parte desses que "digerem e espalham informações burras da mídia racista e classista" porque tu está fazendo isso agora.

  8. Jean Flôres Postado em 08/Sep/2013 às 01:03

    Não tenho nada contra a classe branca com condições para bancar o filho num curso de Medicina, mas que esse curso é SUPER elitizado e SUPER excludente, isso é. Todo mundo sabe. Quem garante que só filhos da classe média branca possuem vocação, talento ou aptidão ou capacidade intelectual para se formar em Medicina, por que as outras classes não possuem esse "talento nato" para Medicina??? É quase que o mesmo caso em outras profissões de grande "status" na Sociedade, quase que o mesmo caso da Política, onde os filhos e os netos entram na mesma se privilegiando do poder que seus antepassados deixaram, como se isso bastasse para comprovar a vocação da pessoa para aquela carreira. Isso tudo é culpa dos nossos governantes, que não desenvolveram o Ensino Básico, que deixaram as Universidades Públicas, que foram feitas para todos da população, virarem centros formadores de elites que sempre tiveram melhores condições de ensino quase que totalmente da área privada. Hoje em dia isso está mudando, mas os reflexos da centralização educacional só serão sentidos num futuro próximo. Até lá temos que aguentar uma jornalista retardada e racista publicando em seu Twitter que as médicas cubanas têm cara de empregada doméstica. Garanto que existem muitas empregadas domésticas mais esclarecidas que essa "jornalista".

  9. Jean Postado em 08/Sep/2013 às 01:43

    Não tenho nada contra a classe branca com condições para bancar o filho num curso de Medicina, mas que esse curso é SUPER elitizado e SUPER excludente, isso é. Todo mundo sabe. Quem garante que só filhos da classe média branca possuem vocação, talento ou aptidão ou capacidade intelectual para se formar em Medicina, por que as outras classes não possuem esse "talento nato" para Medicina??? É quase que o mesmo caso em outras profissões de grande "status" na Sociedade, quase que o mesmo caso da Política, onde os filhos e os netos entram na mesma se privilegiando do poder que seus antepassados deixaram, como se isso bastasse para comprovar a vocação da pessoa para aquela carreira. Isso tudo é culpa dos nossos governantes, que não desenvolveram o Ensino Básico, que deixaram as Universidades Públicas, que foram feitas para todos da população, virarem centros formadores de elites que sempre tiveram melhores condições de ensino quase que totalmente da área privada. Hoje em dia isso está mudando, mas os reflexos da descentralização educacional só serão sentidos num futuro próximo. Até lá temos que aguentar uma jornalista retardada e racista publicando em seu Twitter que as médicas cubanas têm cara de empregada doméstica. Garanto que existem muitas empregadas domésticas mais esclarecidas que essa "jornalista".

    • Mario Alves Postado em 08/Sep/2013 às 10:53

      A classe médica formada emuniversidades públicas ainda tem muita gente (como eu) oriundas da classe média inferior ou pobre mesmo. Já nas particulares (com exceções) encontramos muitos filhinhos de papai riquinhos que só fizeram ou fazem medicina pra satisfazer a vontade da família e ganharem carrões. Para esses o paciente é um lixo!

    • sonel Postado em 08/Sep/2013 às 15:45

      'classe branca...? ' o que é isso...poderiam me explicar como se fosse uma criança de 2 anos? por favor ! porrrrrrrra

  10. ricardo Postado em 08/Sep/2013 às 03:10

    Medicina não é classe média é curso de rico, que tem grana para bancar mensalidades e uma série de outras coisas e no caso de públicas é a mesma coisa.

  11. Mario Alves Postado em 08/Sep/2013 às 10:42

    Nas faculdades públicas ainda se entra por vocação e MUITO estudo mesmo em colégios públicos (ou por cotas). Já na particulares, CARÍSSIMAS, só os filhinhos de papais abastados que frequentam as faculdades com carrões a IMENSA MAIORIA éconstituida de gente sem a MENOR vocação e fazmedicina apenas para satisfazer a um desejo babaca da familia. Sou médico com M, vim de familia pobre, tenho colegas tb pobres e que,pensam como eu:melhor ter um estrangeiro que trate os pacientes como seres humanos do que um patricio queo trate como lixo.

  12. Jenifer Postado em 08/Sep/2013 às 11:46

    Uma coisa que me deixa louca é quando falam de racismo contra os brancos. Usam um termo sem fazer a menor ideia do que ele significa. O racismo provém de uma relação de dominação étnica, onde o dominador demonstra seu preconceito por um ser que ele pensa ser menor do que ele. É impossível o racismo contra o branco, a partir do momento que o branco é o dominador e não o dominado. E sobre o mimimi de Cuba, todos os trabalhadores de ensino superior pagam essa taxa ao governo, uma vez que toda a sua formação se deu de forma gratuita, incluindo material, que é caro.

  13. Rui Rosato Postado em 08/Sep/2013 às 12:41

    Ao Pragmatismo Político: Amigo, eu até ia dar opinião, mas o que vc disse multiplica por dois. Não vale a pena porque o problema é bem maior e não podemos mais reverter essa situação. Por longos anos esse sentimento de superioridade bateu no próprio governo do PT. Existe uma certeza de que o Lula é analfabeto, está afundando o país, que o bolsa família ''e feito pra sustentar quem não trabalha e é o cabo eleitoral que mantem o poder, que a dívida e a inflação voltou....Cara, se nem aparecem mais os filósofos da política a indicar o caminho, e a imprensa nào se preocupa com as consequências e está atras do que lhe dá mais ibope, nào podemos esperar algo que não sejam as convulsões sociais num caminho sem volta. Quando a imprensa mostra uma cena de racismo, ela nào mostra a sua opinião do lado certo como fazia antes, que é o lado da lei onde racismo é proibido. São exemplos como esse que devem chamar a atenção das autoridades, porque isso não é falta de governo, mas sim libertinagem demais para pessoas e para a imprensa que fala o que quer e encaminha como quer e não está nem aí para a Lei.

    • MArcos Garcia Neto Postado em 10/Sep/2013 às 20:39

      Lula não está afundando o país. Está melhorando a vida de cada um aos poucos. Começou com o filho dele, hoje empresário milionário. Essa parte ninguém que se diz de esquerda explica.

      • Jaqueline Postado em 11/Sep/2013 às 19:13

        Primeiro esqueça do Lula e se coloca no lugar do povo.

      • José Ferreira Postado em 12/Sep/2013 às 14:35

        E antes do pai ter o poder (poder com a vida de todo mundo), o Lulinha limpava bosta de animais no zoológico. É como diz o velho deitado: "Quem tem pa(i)drinho não morre pagão"...

  14. Iza. Postado em 08/Sep/2013 às 16:24

    Discordo do texto. A culpa da deficiência na educação nas classes menos favorecidas está sendo agora atribuida aos que estudaram anos e ingressaram na faculdade? Infelizmente essa é a realidade, mas onde estão os verdadeiros culpados? Sobre a bolsa família sempre escuto opiniões a favor ou contra essa medida no meio médico ou fora dele. Sempre vão existir pessoas que espalham informações burras, como a jornalista que disse a frase citada no seu texto que comparava as médicas cubanas às empregadas domésticas. Se tivesse sido uma médica... aiai. Essas generalizações que vejo atualmente são até engraçadas de ler. Como pode a população se revoltar contra uma classe, reforçando salários que são muito maiores que a remuneração média brasileira e não ver que este é o salário justo e que todos deveriam ter. Pensar que uma parcela da população que tem (ainda) uma remuneração adequada aos custos de vida no Brasil são inimigos e não parâmetros a serem alcançados faz parte de um complexo que inferioridade enorme do povo brasileiro. Vamos lutar por melhoras e não por pioras. Enquanto isso os governantes se deleitam com o resultado de suas ações, pois todos praticamente esqueceram os milhoes investidos na copa que poderiam construir escolas, hospitais e postos de saúde dignos para a população carente.A população que paga pelos estádios e não poderá sequer assistir a um joguinho de 200 a 300 reais a entrada. Para elas restam medidas emergenciais: levar médicos (verdadeiros heróis) a lugares em que a população tem carência de tudo: saneamento básico, alimentação saudável, ÁGUA, educação e paz. Vamos ver como eles vão se sair e carregar nas costas as consequências de todos esses problemas socieconômicos e ainda responder pelas vidas assumindo o risco por ser O PROFISSIONAL de saúde "faz tudo" (sozinho) nesses locais. Além da culpa por não ter salvado vidas por falta de um exame laboratorial, um ECG ( pois um infarto nao pode esperar 4-6h de viagem para a cidade vizinha). Se é pra fazer vamos fazer direito! E vamos pensar grande também, né? A questão não é medico de cuba. A questão é saúde de Qualidade. É não se contentar com os farelos. Somos donos desse país e merecemos qualidade. Lutar um contra os outros vai trazer o que de bom? Pensem bem.

  15. Maria de Lourdes Cardoso Postado em 08/Sep/2013 às 20:49

    Falei com meia dúzia de médicos e que mais me impressionou foi a frieza com a nossa população que está desassistida. Para eles estes pobres brasileiros vão cair na mão de quem não sabe nada. Argumentei, mas ficou claro que é melhor morrer sem os cubanos do que ao lado de um. Um médico brasileiro que fez residência na França e operou 2000 pacientes juntos com os mesmos médicos só se falavam dentro do hospital, da porta para fora era ignorado pelos colegas franceses e dentro do hospital ele não ficou sabendo absolutamente nada sobre qualquer um deles. Assim caminha a rivalidade.

  16. margot rose Postado em 09/Sep/2013 às 19:40

    quando pararem de se preocupar com a "cor" e focar mais na realidade, todos se darão as mãos e, sim, seremos um povo, sem divisões, sem recalques, mas simplesmente BRASILEIROS!!!

  17. Everton Nunes Postado em 09/Sep/2013 às 22:03

    Acho que existe um erro de avaliação entre o que o autor da reportagem considera "classe média" e o que o IBGE, que deve servir de referência nos diz. Segundo o órgão, a classe média brasileira tem renda mensal entre 5 e 10 salários mínimos (R$ 678), enquanto que os gastos mensais com uma faculdade particular de medicina só com mensalidade não saem por menos de R$ 3.500, incluísse os gastos com o período integral de aulas, livros, computador, acesso à internet, alimentação, às vezes alojamento e os gastos saltam ainda mais. Porém os gastos da classe média não se resumem à educação, habitação consome facilmente 30% da renda, saúde se houver condições, um plano de saúde com coparticipação para uma família de três pessoas custa aproximadamente R$ 500. Após esse breve resumo, é possível que uma família de classe média arque com uma faculdade de medicina privada? E as faculdades públicas? Bom, os processos seletivos estão cada vez mais inclusivos, porém ainda amargamos a hipocrisia de anos de atraso social, onde aqueles que tiveram acesso a uma educação básica de qualidade, quase invariavelmente fora da escola pública, e a cursos suplementares tem logicamente melhores chances de ocuparem os lugares nos concorridos vestibulares. Então, a medicina é esmagadoramente branca, agora de classe média é modéstia do autor, ela é predominantemente rica.

  18. Ana Agostini Postado em 09/Sep/2013 às 22:52

    A maioria dos médicos e estudantes de medicina provém de famílias brancas abastadas? Sim. E a culpa é de quem? Do nosso país piada que não dá educação pro favelado negro filho de empregada. Acordem otários, os vilões são outros....Quem deve dar educação, saúde e segurança??O Estado! Esse partido podre está há doze anos no poder, e a única diferença diante do outro partido podre que estava antes, é que esse usa o populismo e o marketing pra cegar os reacionários...Acorda Brasil, teu imposto paga educação e saúde de primeiro mundo...médicos não são sacerdotes, são profissionais como qualquer outro. Quer cobrar vocação cobre dos padres...

  19. Rodrigo Postado em 10/Sep/2013 às 00:00

    Hitler teve seus judeus banqueiros, joalheiros, brancos. Atualmente a "Nova Velha Mídia" tem sua classe média branca de olhos azuis. Hitler disse que marcharia contra os reacionários soviéticos... E...? Mais ninguém está vendo a piora gradativa dos erros e ausência de contestação pelos seguidores? Generais— Sarney— Collor— Itamar—FHC— Lula— Dilma... Os anos passam e a forma de se fazer política é cada vez mais suja!

    • Paula Fernandes Postado em 10/Sep/2013 às 18:24

      Perfeito, ou são hipócritas ou ignorantes.

  20. Estível Ramos Postado em 10/Sep/2013 às 10:35

    Esse negócio de ficar falando que os médicos cubanos estão sendo discriminados por serem negros, beira a mediocridade. Ora, como falar da Bahia sem falar de brasileiros negros? Da mesma forma, falar de Cuba, onde a maioria da população é negra (menos os irmãos Castro, é claro). O que se discute, de fato, é forma que com o nosso dinheiro está indo para o regime ditatorial de Cuba, de forma sorrateira. Quem está usando quem? Quem está discriminando quem? Quer dizer que se um jovem médico quiser casar com brasileiro, será deportado? Novamente: Quem está discriminado quem?

  21. Julia Postado em 10/Sep/2013 às 12:37

    "Esse grupo vive em um mundo à parte." É exatamente isso que sinto quando estou na casa dos parentes ricos, e os pobres que sao burros nao entendem, nas vezes quando me hospedo em viagens, vejo a vida dele tao tranquila sem problemas e brigas por causa de dinheiro, tem dinheiro pra tudo, pra viver com luxo e tranquilidade, e as coisas que eles falam, eles nao tem noçao da realidade, como quando dizem "como eh que uma pessoa formada faz um concurso nivel medio?" eles nao entendem, que nem todos tem papai e mamae riquinhos pra lhes dar um padrao de vida alto, que muitos precisam trabalhar pra continuar estudando, inclusive pra passar num concurso de nivel superior, muitos se nao trabalharem e ficarem so em casa estudando vao passar necessidade, como eh o meu caso. Adivinha que cursos eles fazem...

  22. Mariana Postado em 10/Sep/2013 às 13:00

    O cubando tem gratidao pelo seus país o ter formado em medicina, eles "repassam" o dinheiro com prazer. ontem mesmo meu marido estava internado num hospital e ate pegou alta antes da hora, com pneumonia, e conversando com os colegas enfermeiros, conseguimos contar quantos empregos nos sabemos que um certo angiologista tem, 6 empregos! 2 publicos, 3 particulares, e 1 consultorio particular dele, e ainda dizem que nao faltam medicos...

  23. monica Postado em 10/Sep/2013 às 13:05

    Nem tive tempo de ler o artigo inteiro, porque tenho que ir trabalhar. Ininterruptamente, pelas próximas 30 horas, em hospitais, prestando assistência aos pacientes do SUS. Sempre estudei em escolas públicas, inclusive na faculdade de medicina. Minha família não era abastada e minha mãe já dormiu no chão em sua própria casa, com a família fazendo racionamento de comida. A diferença entre aqueles tempos e os nossos tempos era que o ensino era de qualidade, desde o básico até a universidade. De muita qualidade!

  24. Alex Carvalho Postado em 10/Sep/2013 às 16:20

    Absurdo, quero ver alguém de escola pública passar em mais de uma universidade federal só estudando enlouquecidamente e sem fazer cursinho. Se passar em mais de 2 faculdades federais nos primeiros lugares pra quem estuda em escola particular é uma surpresa, só digo que pra quem é de escola pública é algo quase impossível de acontecer. ACORDA BRASIL tem muitos brasileiros sonhadores se decepcionando e se sentindo desmotivados!!! Ainda tenho esperança de cursar a medicina, pois, penso em ser médico, pretendo fazer faculdade, mas tou muito perdido em relação a isto.. sempre tive certeza absoluta através da minha fé que um dia vou ser médico e por volta disso quero seguir minha carreira!!!!

  25. GENA Postado em 10/Sep/2013 às 17:57

    É UM ABSURDO MAIS É VERDADE,TEM MUITO RACISMO E PRECONCEITO SIMMMMMMMMMMMM NAO ADIANTA QUERER OMITIR.

  26. josé Postado em 10/Sep/2013 às 18:19

    fácil falar de médico...por que não fez medicina então? por que não abdicou de noites e noites em claro para aprender a tratar e salvar vidas? ridículo seu texto, antes de falar você conheça a realidade de perto, dê um plantão de 24 no SUS, passe sua vida estudando... e não vir dizer que todos sa médicos não são humanizados

  27. Erika Postado em 10/Sep/2013 às 18:52

    vou passar a contar as histórias tristes dos meus colegas de classe para ver se eles são valorizados...posso inclusive contar a minha história triste, mas isso não adiantaria de nada. O governo não irá me valorizá mais por minha história, no máximo consigo um quadro no Faustão. Por favor, fale com qualquer estudante de medicina antes de escrever essas palavras. Por favor, verifique o contra-cheque de um médico e diga se você se responsabilizaria por várias VIDAS, abdicaria da sua e de seus filhos se não fosse por amor. Estou a sua disposição para tirar qualquer dúvida sobre a classe médica. No entanto, por favor, mais cuidado ao falar assim. Isso magoa uma pessoa que estuda para te ajudar a qualquer momento independente do que você pensa, fez ou é, simplesmente por você ser um ser humano, tal qual um ente querido.

  28. caquinti Postado em 10/Sep/2013 às 20:32

    Abaixo a elitização da Medicina!!

  29. caquinti Postado em 10/Sep/2013 às 20:36

    Marina de Lourdes Cardoso, estude um pouco de sociologia, e da medicina cubana.... são só os médicos brasileiros que sabem alguma coisa de Medicina? Nessa meia duzia de médicos tinha algum representante dos médicos cubanos?

  30. Bruna Postado em 10/Sep/2013 às 20:58

    Não sei se este texto é para sorrir ou para chorar, faço medicina, sei da dificuldade que tive para entrar na faculdade, e é particular, vou te falar uma coisa, ninguem vai pagar uma mensalidade de 4500 reais p ganhar 2000, só se for burro. como estudante passo noites em claro, te garanto que não tenho vida social, vou estudar seis anos, portanto não vou ser hipocrita, o individuo não é apenas um paciente, é um cliente sim, igual é para o psicologo, para o fisio, para um professor, então pare de ser hipocrita, se vc quer fazer caridade vai p igreja fazer trabalho voluntario e viver disso...

  31. Verner Postado em 10/Sep/2013 às 21:00

    Existe aí um complexo de inferioridade muito grande. Pobre não é retardado mental. Todos podem chegar onde querem, mas quanto querem realmente? quantos se esforçam? quantos merecem? Sou pobre, mas tenho meus objetivos. O povo deve parar com esse negocio de se achar inferior e ir de encontro com seus sonhos. Se formos entrar nessa de que tudo tem que ser fácil vamos ser cúmplices da maior produção de fracassados do planeta, da produção de um país com déficit em todos os setores e maculado intelectualmente. Dá até desgosto ver tantos brasileiros reclamando das dificuldades e esperando que aqueles que detém o poder lhes dê alguma coisa. A única coisa que eles querem dar é a manutenção da ignorância, pois isso lhes confere autoridade. Meus caros, Levantem e andem!

  32. kamilla Postado em 10/Sep/2013 às 22:27

    Por muito tempo a medicina no Brasil foi branca e classe média. Porém, atualmente existe uma lei que determina a reserva de 50% das vagas das universidades federais para estudantes de escola pública, dividida entre negros e brancos. Sou estudante de medicina da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE e venho de família pobre. Sou a prova viva da mudança desse cenário. Por mais que isso ainda seja uma realidade, daqui a alguns anos não será mais.

  33. Thales Sales Postado em 10/Sep/2013 às 23:49

    Tem um monte (ou seja, não são todos!) de 'filhinhos do papai', como se diz popularmente, dessa área, que arrogantes (em resumo) mesmo. Muita gente vai achar ruim essa matéria... mas é aquela coisa, se a carapuça serviu... é pq a pessoa se sentiu um tanto inserida nisso. Quem não faz ou não se sente parte desse 'grupo', não vai se incomodar com o texto, seja medico ou relacionados, porque sabe que é uma coisa real.

  34. valdete lima Postado em 12/Sep/2013 às 13:44

    Eu estou espantada com a preocupação repentina da sociedade endinheirada preocupadíssima com o salário dos cubanos no Brasil. Sentem pena dos médicos cubanos mesmo sabendo dos trâmites em que foi feito o acordo. Tá com pena, senhor médico... Vá para o interior e sirva o seu País, simples assim

  35. julião Postado em 12/Sep/2013 às 15:39

    Vamos aos fatos concreto e cega de bla, bla, bla. O Brasil é o país do mundo com um dos menores índices de médicos estrangeiros, 1,5%. Os Estados e Inglaterra ultrapassam os 20% em presença estrangeira na medicina. Se considerarmos que é de fato a alta classe média branca que monopoliza o acesso às Escolas de Medicinas e que ela mesma uma profissão atalho que não só assegura status mas prestígio e distinção em qualquer direção do poder, vemos claramente que, explicita ou implicitamente, a maior parte da balbúrdia expressou reserva de mercado sim e nenhuma preocupação com a saúde do Brasil. E mais: não existe solidariedade alguma com as condições trabalhistas dos médicos cubanos, este argumento é pura dissimulação, prática antiga dos cidadãos brasileiros. Imagina a classe médica agora tornou-se internacionalista e defende melhoria nas condições de trabalho de médicos de outros países. Até parece que se assim não fosse, não existiriam os apupos, tampouco a rejeição. A única internacionalidade que conhecemos é a dos anestesistas que não se submetem a regimes de trabalho, são autônomos e recebem sempre em cash, por fora, em quase todo o mundo. Nos Estados Unidos é a mesma coisa.

  36. Guilherme Souza Postado em 16/Sep/2013 às 16:02

    Se só médicos brancos de elite chegam as universidades de medicina, foi provavelmente porque o governo faltou com educação de qualidade no ensino fundamental e médio para o resto da população, mais uma vez culpa do governo que não quer investir massivamente em educação, e para isso toma medidas paliativas para suprir faltas da falta de investimento em educação no país. Ninguém pode ser punido porque estudou em uma escola particular, ou porque levou uma boa vida que os pais lhe proporcionaram, isso é ruim também. E quanto a cota, acho um absurdo, tinha que ser pela renda familiar e não pela raça, e um branco que não teve condições de ter um ensino de qualidade? Não deveria ter o mesmo direito de entrar por "cotas" do que o mesmo negro que não teve essas mesmas condições?

  37. Fialho cesar Postado em 20/Sep/2013 às 02:58

    Esse ex da Universidade federal na Baia ter formado apenas tres ou quatro medicos negros quando a popzlação negra é de 70% , mostra como o atraso da democracia no brasil é um facto vergonhoso

  38. Rodrigo Postado em 12/Oct/2013 às 13:50

    Discordo que medicina seja "uma das profissões mais importantes", medico que não são nem de longe doutores, (isso é outra discussão), apenas fazem diagnóstico e o tratamento é claro, mas na minha opinião a importância maior é do pesquisador, e não do medico de consultório, pois você precisa de medico apenas quando esta doente, portanto pra mim por exemplo, um lixeiro é deveras mais importante que o medico de consultório, sem a coleta de lixo em um prazo pequeno de um ano as cidades virariam um caos sem falar na proliferação de doenças, agora medico de consultório, eu pergunto, quantas vezes você já foi?, medico de consultório tem sua importância sim, mas existem profissões cujo a sociedade da menos atenção mas são indispensáveis como as que sitei, o pesquisador, seja ele de que área for, e o simples lixeiro...o problema de fato é a exagerada exaltação dada e determinadas profissões!