Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 25/Sep/2013 às 11:47
4
Comentários

Marqueteiro de Aécio diz que não usará "mensalão" em 2014

"A gente acabou de sair de uma eleição em que se teve todo o drama público do julgamento, acontecendo diante da TV, e não vi nenhuma candidatura do PT sendo prejudicada por causa disso", afirmou

marqueteiro aécio neves eleições 2014
Aécio Neves é o provável candidato do PSDB para a Presidência em 2014 (Foto: Agência Senado)

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o marqueteiro e antropólogo Renato Pereira, que tocará a campanha presidencial do senador Aécio Neves (PSDB-MG), avisa que o tema “mensalão” não fará parte do discurso do tucano. O que significa que essa discussão só entrará na campanha se José Serra vier a ser candidato por uma outra legenda, como o PPS.

“Não creio que tenha muito impacto, assim como já não teve no passado. A gente acabou de sair de uma eleição, em 2012, em que se teve todo o drama público do julgamento, acontecendo diante da televisão. Não vi nenhuma candidatura do PT sendo prejudicada por causa disso. Acho que tem uma sobrevalorização enorme em relação a isso. Na minha opinião, não é um tema particularmente relevante para o eleitor”, disse ele.

Leia também

Pereira afirmou que o ponto central da campanha de Aécio será outro. “É ´quem muda o Brasil é você´. Por quê? Por duas razões. A grande mudança nos últimos anos – redução da desigualdade e a emergência de milhões de brasileiros – se deve em grande parte ao esforço de cada uma dessas pessoas. Os brasileiros conquistaram melhor lugar ao sol graças ao mérito próprio. O segundo ponto tem a ver com a agenda mais liberal que o PSDB carrega em relação à economia. É uma visão de que o agente da mudança não é essencialmente o Estado. O agente da mudança está na sociedade. São os indivíduos, são as empresas, é a sociedade civil organizada”. afirma.

Pereira já foi marqueteiro de Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro, e, recentemente, teve uma experiência internacional, quando tentou levar Henrique Capriles à presidência da Venezuela, onde foi derrotado por uma margem pequena para Nicolas Maduro.

O marqueteiro diz ainda que, no caso de Aécio, o estilo de vida pessoal, boêmio, não o prejudicará. “Isso tem um efeito bastante limitado porque não é plenamente verdadeiro. Ele é uma liderança política brasileira com uma gestão admirável em Minas Gerais. Tem um legado efetivo como gestor. Do ponto de vista pessoal, você tem um candidato leve, com espírito jovem, capaz de se comunicar muito bem. Capaz de chegar ao nível de proximidade e conversar com intimidade, naturalidade”, afirma.

Na visão de Renato Pereira, haverá quatro candidatos competitivos em 2014: Dilma Rousseff, Aécio Neves, Marina Silva e Eduardo Campos.

com Brasil 247

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 25/Sep/2013 às 13:12

    Aécio deveria ser candidato em 2010 para concorrer pra valer em 2014. E não sei não se ele ganharia as eleições de 2010.

  2. Flávio Postado em 25/Sep/2013 às 14:06

    Boemio? Cheirador, ele quis dizer.

  3. Rodrigo Postado em 25/Sep/2013 às 16:12

    Como usar o mensalão petista, se o mineiro estará, concomitantemente aos Embargos Infringentes, em pleno julgamento (http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-09-21/sob-risco-de-prescricao-stf-tenta-julgar-mensalao-mineiro-em-2014.html)? Ia ser engraçado ver dois macacos sentados, cada um no próprio rabo, querendo apontar o do outro.

  4. Prof. Manoel Postado em 26/Sep/2013 às 14:00

    Não vai usar e nem pode porque existe o mensalão do PSDB em BH; outra: foi FHC que cortou os embargos infringentes para os tribunais superiores, excluindo o STF; mais outra: o 'engavetador' geral da República, Geraldo Brindeiro, colocou sob o tapete tudo o que pudesse manchar a administração tucana... E assim vai