Redação Pragmatismo
Compartilhar
PT 12/Sep/2013 às 12:06
16
Comentários

Luiz Gushiken se despede de amigos

Luiz Gushiken está nos últimos dias de uma árdua luta contra um câncer, mas faz isso de maneira corajosa. Recebe amigos, companheiros de partido e conversa sobre o passado e o presente

gushiken câncer
Luiz Gushiken enfrenta difícil tratamento contra um câncer (Agência Estado)

O ex-ministro do governo Lula e um dos fundadores do PT, Luiz Gushiken, está nos últimos dias de uma árdua luta contra um câncer. Mas faz isso de maneira corajosa. Internado em São Paulo, ele recebe amigos, conversa sobre o passado e o presente.

Abaixo, texto de Paulo Nogueira (DCM)

Gushiken, a mídia e a justiça: uma parábola do país que temos

O que os anos recentes de um dos grandes líderes sindicais das décadas de 1970 e 1980 contam sobre o Brasil de hoje.

A quem apelar?

Montaigne escreveu que o tamanho do homem se mede na atitude diante da morte, e citava como exemplos Sócrates e Sêneca.

Os dois morreram serenamente consolando os que os amavam. Sócrates foi obrigado a tomar cicuta por um tribunal de Atenas e Sêneca a cortar os pulsos por ordem de Nero.

Meu pai jamais se queixou em sua agonia, e penso sempre em Montaigne quando me lembro de sua coragem diante da morte, confortando-nos a todos.

Me veio isso ontem à mente ao ler no twitter a notícia de Luís Gushiken morrera aos 63 anos. Depois desmentiram, mas ficou claro que ele vive seus dias finais num quarto do Sírio Libanês, com um câncer inexpugnável.

Soube que ele mesmo se ministra a morfina para enfrentar a dor nos momentos em que ela é insuportável, e para evitar assim a sedação.

Li também que ele recebe, serenamente, amigos com os quais fala do passado e discute o presente.

A força na doença demonstrada por Gushiken é a maior demonstração de grandeza moral segundo a lógica de Montaigne, que compartilho.

Leia também:
O adeus a Luiz Gushiken
Lewandowski e Barbosa inocentam Gushiken; e a mídia?

Não o conheci pessoalmente, mas é um nome forte em minha memória jornalística. Nos anos 1980, bancário do Banespa, ele foi um dos sindicalistas que fizeram história no Brasil ao lado de personagens como Lula, no ABC.

Eu trabalhava na Veja, então, e como jovem repórter acompanhei a luta épica dos trabalhadores para recuperar parte do muito que lhes havia sido subtraído na ditadura militar.

Os militares haviam simplesmente proibido e reprimido brutalmente greves, a maior arma dos trabalhadores na defesa de seus salários e de sua dignidade. Dessa proibição resultou um Brasil abjetamente iníquo, o paraíso do 1%.

Fui, da Veja, para o jornalismo de negócios, na Exame, e me afastei do mundo político em que habitava Gushiken.

Ele acabaria fundando o PT, e teria papel proeminente no primeiro governo Lula, depois de coordenar sua campanha vitoriosa.

Acabaria se afastando do governo no fragor das denúncias do Mensalão. E é exatamente esta parte da vida de Gushiken que me parece particularmente instrutiva para entender o Brasil moderno.

Gushiken foi arrolado entre os 40 incriminados do Mensalão. O número, sabe-se hoje, foi cuidadosamente montado para que se pudesse fazer alusões a Ali Babá e os 40 ladrões.

Gushiken foi submetido a todas as acusações possíveis, e os que o conhecem dizem o quanto isso contribuiu para o câncer que o está matando.

Mas logo se comprovou que não havia nada que pudesse comprometê-lo, por mais que desejassem. Ainda assim, Gushiken só foi declarado inocente formalmente pelo STF depois de muito tempo, bem mais que o justo e o necessário, segundo especialistas.

Num site da comunidade japonesa, li um artigo de um jornalista que dizia, como um samurai, que Gushiken enfim tivera sua “dignidade devolvida”.

Acho bonito, e isso evoca a alma japonesa e sua relação peculiar com a decência, mas discordo em que alguém possa roubar a dignidade de um homem digno com qualquer tipo de patifaria, como ocorreu. A indignidade estava em quem o acusou falsamente e em quem prolongou o sofrimento jurídico e pessoal de Gushiken.

O episódio conta muito sobre a justiça brasileira, e sobre, especificamente, o processo do Mensalão. A história há de permitir um julgamento mais calmo, e tenho para mim que o papel do Supremo será visto como uma página de ignomínia.

Gushiken não foi atropelado apenas pela justiça. Veio, com ela, a mídia e, com a mídia, o massacre que conhecemos.

Um caso é exemplar.

Uma nota da seção Radar, da Veja, acusou Gushiken de ter pagado com dinheiro público um jantar com um interlocutor que saiu por mais de 3 000 reais. A nota descia a detalhes nos vinhos e nos charutos “cubanos”.

Gushiken processou a revista. Ele forneceu evidências – a começar pela nota e por testemunho de um garçom – de que a conta era na verdade um décimo da alegada, que o vinho fora levado de casa, e os charutos eram brasileiros.

Mais uma vez, uma demora enorme na justiça, graças a chicanas jurídicas da Abril.

Em junho passado, Gushiken enfim venceu a causa. A justiça condenou a Veja a pagar uma indenização de 20 mil reais.

O tamanho miserável da indenização se vê pelo seguinte: é uma fração de uma página de publicidade da Veja. Multas dessa dimensão não coíbem, antes estimulam, leviandades de empresas jornalísticas que faturam na casa dos bilhões.

Não vou entrar no mérito dos leitores enganado, que construíram um perfil imaginário de Gushiken com base em informações como aquela do Radar. Também eles deveriam ser indenizados, a rigor.

Gushiken enfrentou, na vida, a ditadura, as lutas sindicais por seus pares modestos, a justiça e a mídia predadora.

Combateu — ainda combate — o bom combate.

Recomendados para você

Comentários

  1. eriton Postado em 12/Sep/2013 às 13:44

    Atacaram a página foi??? Por quê agora, toda vez que eu vou curtir um post da pragmatismo político aparece "simila to pragmatismo político" e um monte de ícones pedindo para curtir???? Vcs que têm assistência técnica expliquem o que é isso por favor... pois estou sempre participando e curtindo os post da pragmastismo político e gostaria de contar com vcs (brasileiros) para estar protegido das espionagem americana...

    • Administrador
      Administrador Postado em 12/Sep/2013 às 15:42

      Eriton, isso é obra do Facebook.

  2. vALTER mACHADO Postado em 12/Sep/2013 às 14:11

    "o TEMPO NÃO pÁRA"...

  3. Márcia Ferraz Postado em 12/Sep/2013 às 14:44

    Ele é um homem digno e não foi derrotado. A maioria sabe disso.

  4. adriano Postado em 12/Sep/2013 às 15:45

    é muita coincidência essa povo do PT estár com Cancer?

    • Lucas Postado em 13/Sep/2013 às 02:07

      Adriano meu caro...não seja anti ético, o cara tá no fim da vida dele, está se despedindo dos amigos, e você fazendo ironias, tem a santa paciência né....não gostar do partido ou da ideologia política é aceitável, agora satirizar algo, se aproveitando de um estado debilitado de uma pessoa, é de uma maldade extrema, desculpe-me o meu desabafo ! Mas, não poderia deixar de expressar isso...acho que todos merecem respeito, eu já convivi com casos assim na família, e posso te dizer uma coisa, todos nós sofremos, não é fácil você ver aquela pessoa que vc ama, ir aos poucos, e o pior é a impotência, nos sentimos impotentes ! Bom, não falei isso com intuito de querer mostrar algo a mais pra aparecer, mas sim, de despertar para a consciência do respeito a vida ou a individualidade de cada um, principalmente num caso desses, enfim... Abçs!

    • ANDRE Postado em 14/Sep/2013 às 01:26

      Descuta política , não a desgraça dos outros. Amanha pode ser vc

  5. balthar marques Postado em 12/Sep/2013 às 15:58

    a maledicência é uma falta grave ante as leis imutaveis e eternas, e ela se dá quando se propaga um defeito que uma pessoa tenha. uma outra, porém, é bem pior ante a justiça divina: é a calunia, que se da quando alguém inventa nas sombras um suposto defeito do seu semelhante e o propaga. esta falta, seguramente, não será esquecida. socrates disse que é preferivel sofrer uma injustiça que comete-la e adiante, a calunia invejará o câncer de luiz Gushiken.

  6. Portuga Postado em 12/Sep/2013 às 16:30

    Este home devia ser referência para todos os condenados do mensalão e parte do povo brasileiro que achm que nõ vale a pena ser honesto.

  7. Paulo Mack Postado em 12/Sep/2013 às 17:07

    Lembro como hoje, há 30 anos, ainda jovem, vê-lo em um evento de lançamento de sua candidatura a deputado federal. Parece que foi ontem, e vê-lo assim. Mas as dores da política são arduas, mas quem sonhou com um país melhor,ja sabia que não seria fácil, não foi, não é , e nunca será. Bom descanso companheiro Gushiken, petista de corpo e alma!

  8. Ademir Rodrigues Postado em 12/Sep/2013 às 17:29

    Companheiro estamos orando por voce - 71- APELO DE PROTEÇÃO A ENFERMO HOSPITALIZADO * Ó! Chama de Ouro** do Grande Sol Central, aplicai um círculo de fogo em torno do leito de ...e protegei-o; protegei-o, protegei-o. Ó! Chama Verde do Grande Sol Central, descei no quarto de...e protegei-o; protegei- o, protegei-o, protegei-o. Ó! Chama Violeta do Grande Sol Central, enchei todo o hospital onde está...e protegei-o; protegei-o, protegei-o, protegei-o. Ó! Chama Azul do Grande Sol Central, tomai a forma de um zimbório sobre o hospital onde está...e protegei-o; protegei-o, protegei-o, protegei-o. EU SOU! EU SOU! EU SOU! Ó! Chama Azul do Grande Sol Central, tomai a forma de um zimbório sobre o hospital onde está...e protegei-o; protegei-o, protegei-o, protegei-o. EU SOU! EU SOU! EU SOU! * Tem sido observadas nas dependências de hospitais, manicômios, etc., invasões de entidades do astral inferior que estabelecem hospedagem no local. Algumas são frívolas, outras zombeteiras e ainda outras ociosas; mas a grande maioria é constituída por seres de comportamento perverso que vampirizam as energias dos enfermos ali recolhidos. Recomenda-se invocar as chamas para proteção dos pacientes, a fim de não só impedir que sejam vampirizados como também diluir as formas-pensamentos imperantes; e os vibriões resultantes das ideoplastias habituais daqueles grupos perturbadores (e mesmo de alguns doentes). O efeito benéfico das chamas impede a assimilação contínua de substâncias enfermiças, renova a disposição e as defesas orgânicas e mentais dos enfermos. ** A Chama de Ouro (assim como a chama Rosa) substitui toda a matéria consumida pelas Chamas Violeta e Azul. Ela preenche, com amor e perfeição, os vácuos que ficaram nos corpos inferiores, após a extinção dos elementos discordantes. 72- APELO EM FAVOR DOS ENFERMOS EM ESTADO TERMINAL Ó! Deus Todo-Poderoso presente em meu coração, ó! Leto Bem-Amada Leto! ó Bem- Amado Saint Germain e Maria, mãe de Jesus, tomai em vossas mãos de luz as almas dos doentes enquanto padecem e fazei-as subir provisoriamente até a Luz. Ajudai-os a expirar tranqüilamente no tempo preciso. EU SOU! EU SOU! EU SOU! EU SOU, EU SOU , a paz e repouso de todos os doentes. Ó! Deus Todo-Poderoso presente em meu coração, ó! Leto Bem-Amada Leto, ó Bem- Amado Saint Germain e Maria, mãe de Jesus, ajudai assim os doentes e impedi-os de sofrer. EU SOU! EU SOU!, a lei da supressão da dor e da doença. Eu peço e comando que este apelo seja atendido com a rapidez do relâmpago pela luz do Grande Sol Central.

  9. sandra miranda Postado em 12/Sep/2013 às 18:37

    Gente, tira a foto dele do ar... acho que o Gushi não gostaria de ser exposto dessa maneira. A família autorizou? ele autorizou? ele sempre se manteve tão digno, e agora fica exposto desse jeito....

  10. renato Postado em 12/Sep/2013 às 19:25

    Boas palavras, a ele uma morte honrosa! O que mais poderiamos desejar. O tempo é para Sublimar...

  11. renato Postado em 13/Sep/2013 às 16:52

    Uma Homenagem a ele! Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante, E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos, Brilhou no céu da Pátria nesse instante. Se o penhor dessa igualdade Conseguimos conquistar com braço forte, Em teu seio, ó Liberdade, Desafia o nosso peito a própria morte!

  12. Renato Postado em 13/Sep/2013 às 20:01

    Um lutador que foi injustiçado e trucidado pela grande imprensa! Julgaram, condenaram e aplicaram a pena! Quando foi absolvido no Tribunal... Silencio sepulcral!!!!

  13. Kazuhiro Uehara Postado em 14/Sep/2013 às 08:30

    Randi, que a justiça de Deus não falhe contra voce mesmo e não escape da justiça dos homens, também ! Imbencil, beocio, doutorzinho de araque!