Redação Pragmatismo
Compartilhar
Capitalismo 11/Sep/2013 às 11:14
30
Comentários

124 mais ricos do Brasil acumulam 12% do PIB

Forbes divulgou lista das 124 pessoas mais ricas do Brasil, que acumulam um patrimônio que ajuda a entender porque o País é considerado um dos mais desiguais do mundo

eduardo saverin facebook mais ricos
Entre os 124 multimilionários brasileiros apenas o cofundador de Facebook, Eduardo Saverin, constituiu seu patrimônio por meio da internet (Forbes)

Estas 124 pessoas integram a última lista de multimilionários divulgada nesta segunda-feira pela revista ‘Forbes’, que inclui todos os brasileiros cuja fortuna supera R$ 1 bilhão.

O investidor chefe do fundo 3G Capital, Jorge Paulo Lemann, que acaba de adquirir a fabricante de ketchup Heinz e é um grande acionista da cervejaria AB InBev e do Burger King, ficou com o primeiro lugar.

A fortuna de Lemann, de 74 anos, chega a R$ 38,24 bilhões, enquanto o segundo da lista, Joseph Safra, empresário de origem libanesa e dono do banco Safra, tem ativos de R$ 33,9 bilhões.

A maioria das fortunas corresponde a membros de famílias que dominam as grandes empresas de setores como mídia, bancos, construção e alimentação.

Entre os 124 multimilionários brasileiros apenas o cofundador de Facebook, Eduardo Saverin, constituiu seu patrimônio por meio da internet.

Leia também

O empresário Eike Batista, que chegou a ser o sétimo homem mais rico do mundo e perdeu parte de sua fortuna pela vertiginosa queda do valor das ações de sua companhia petrolífera OGX e do resto das empresas de seu conglomerado EBX, ficou em 52º lugar na lista.

A grande fortuna concentrada por estes milionários comprova a veracidade dos indicadores oficiais que classificam o Brasil como um dos países com maiores disparidades entre ricos e pobres.

O índice de Gini do país foi de 0,501 pontos em 2011, em uma escala de zero a um, na qual os valores mais altos mostram uma disparidade mais profunda entre ricos e pobres.

Cerca de 41,5% das rendas trabalhistas se concentram nas mãos de 10% dos mais ricos, segundo dados do censo de 2010, enquanto metade da população vivia, nesse ano, com uma renda per capita mensal de menos de R$ 375.

Revista Exame

Recomendados para você

Comentários

  1. Leandro Postado em 11/Sep/2013 às 14:18

    É preciso um certo critério para avaliar a mera acumulação de capital como um problema social. Em uma economia aberta, a livre iniciativa é combustível para que qualquer um possa empreender, seja eu, seja você que lê este comentário. Acredito que problemas ligados a corrupção sejam até mais graves que este, pois uma regulação de mercado que atendesse aos interesses da coletividade não se restringiria apenas a este viés. Não sou ingênuo em desacreditar que o poder econômico em vários casos possa sobrepor ao poder político, mas simplesmente pautar a todos como iguais é um erro crasso. Direitos iguais e realmente justos para indivíduos diferentes sobretudo.

    • Andre F. Postado em 11/Sep/2013 às 15:21

      Concordo com sua análise! Também creio que a disfunção nos deveres governamentais seja de fato aquilo que engendra uma ampla desigualdade social. Mas pensemos, esse governo corrupto se faz em cima da ignorância do povo, que se encontra nessa condição (de ignorância) por conta do desinteresse do Estado em proporcionar uma qualidade de ensino público geral. É um ciclo vicioso. Aqueles que se sobressaem economicamente, vindos de uma realidade de escassez econômica e que passam para a realidade inversa, são, com certeza, batalhadores e vencedores. Mas uma parcela imensa desses multi-milionários já vieram de berços abastados. Essa breve análise pessoal, me faz ter certeza de que o problema é de fato o desvio das funções públicas; a comercialização dos cargos políticos; o enriquecimento às custas do povo.

    • Marcio Postado em 11/Sep/2013 às 15:49

      O grande problema do empresariado nacional encontra-se na forma de exploração do trabalho assalariado. A mentalidade dos empresários tupiniquins é produzir bem de baixa qualidade, gastando o mínimo possível e pagando os menores salários que puder, enquanto nos países desenvolvidos, a lógica se inverte, uma vez que o consumidor nestes países quer qualidade nos produtos que consome e não há como se obter produtos muitos bons pagando-se salários baixos, a não ser em países como o Brasil, China e tantos outros que exploram o trabalho em um regime de servidão. Essa lógica do capital explorador gera a desigualdade de renda que vemos no Brasil.

      • Ola Marcio Postado em 11/Sep/2013 às 20:49

        "Produzir bem de baixa quaidade, gastando o mínimo possível e pagando os menores salários que puder" . Acho que sua informação é bem desatualizada.

      • Jonas Postado em 12/Sep/2013 às 11:36

        Muitos produtos consumidos nos países desenvolvidos são fabricados na China com a tal "mão de obra explorada" que você cita aí, inclusive alguns produtos da Apple, que certamente são importados para esses países desenvolvidos por empresários que querem pagar mais barato e lucrar mais, a mesma mentalidade, segundo seu comentário, dos empresários tupiniquins. Será que o problema está mesmo na mentalidade dos nossos empresários? Esse problema é bem mais complexo que isso.

      • Daniela Postado em 12/Sep/2013 às 17:59

        Muita boa a sua colocação.

    • Maria Postado em 11/Sep/2013 às 15:50

      O que é justiça? A livre iniciativa é bem vinda, tanto quanto a função social da propriedade e a justiça social. O que se pretende é igualdade de oportunidades, esta gerará uma desigualdade social beeeemmm menor. Mas não temos, e não temos mesmo.

    • Cibelle Postado em 11/Sep/2013 às 15:57

      Você tá lista dos mais ricos, Leandro? kkk

    • Luiz Postado em 14/Sep/2013 às 09:37

      Caro Leandro, Há muitos anos os EUA criaram um sistema de imposto sobre herança com a finalidade precípua de impedir que as famílias acumulassem riqueza indefinidamente, como ocorre em nosso país. Atualmente, quem herda US$ 10.000,00 deixa 18% para o governo americano, o que já é muito. Contudo, quem herda acima de US$ 2.500.000,00 deixa 50% para o governo, isto mesmo, o governo fica com US$ 1.250.000,00. Quem herda acima de US$ 60.000,00 já deixa 26%, e acima de US$ 750.000,00, 39%. Por isso que o Bill Gates e outros são tão generosos. Já que ele vai ter de deixar o dinheiro para o governo de qualquer jeito, então é melhor doá-lo para uma instituição que leva seu nome. Devido a esta fonte de recursos, o governo americano pode retirar o imposto dos alimentos e outros itens de consumo, distribuindo renda e favorecendo as classes mais pobres. Por outro lado, o IPTU é altíssimo, os norte-americanos sempre se informam sobre o IPTU antes de comprar o imóvel. Aqui no Brasil o imposto sobre herança é pequeno e ninguém paga, pois há vários subterfúgios jurídicos para ficar enrolando e escapar do fisco. Nos EUA, dizem que se você pensa que não há nada mais certo que "morte" e "impostos", existe algo mais certo ainda "morte E impostos", ninguém escapa. Muita ingenuidade sua achar que corrupção é um problema maior que estes números, muita ingenuidade mesmo. Adicionalmente, são estas mesmas grandes fortunas que alimentam a corrupção em todas as esferas. Disto ninguém fala. As propinas dentro do país devem ser maiores que as pagas pela Siemens (e a francesa Aston), que alguns estimam em cerca R$ 3 bilhões ao longo dos últimos 20 anos. Se você quiser consultar a tabela sobre imposto sobre herança nos EUA vá para www.globalpropertyguide.com/North-America/United-States/Inheritance. Abraço, Luiz

    • Hugo Postado em 18/Sep/2013 às 01:51

      Prezado Leandro, esses patrimônios estão na sua maioria suportados por legados históricos fortemente ligados à influencia política. A corrupção não é o tema eixo, assim de simples.

  2. Crispim Postado em 11/Sep/2013 às 14:29

    E os membros do PT estão doidos para entrar nesta lista, quanto será que o Lulinha já acumulou desde que o pai se tornou Presidente?

    • ademir Postado em 11/Sep/2013 às 14:38

      Cada delírio!!!!

    • Carlos Prado Postado em 11/Sep/2013 às 14:50

      Não sei. É bastante?

    • FABER Postado em 12/Sep/2013 às 14:01

      Sério mesmo que ainda tem gente que acredita nos boatos de internet? É só dar uma pesquisada rápida que já saberia que o filho do Lula, nem o Lula, não tem nada do que o acusam. Mas se vc pesquisar os bens da filha do Serra, da irmã do Aécio, do filho ( o legítimo ) do Fhc, e do próprio Fhc, do André Esteves, do Pérsio Arida, do André Lara Resende, do Pedro Malan, talvez vc descubra o quanto foi enganado. Mas só se quiser descobrir.

  3. Bel Brunacci Postado em 11/Sep/2013 às 14:35

    Ô louco! Nem parece que o cara aí de cima escreveu em português! Afinal, o que ele defendeu nesse comentário? Quer dizer que qq um tem as mesmas oportunidades para empreender "em uma economia aberta", seja lá o que isso queira dizer? Em que planeta ele vive? Marte? Poder econômico não pode ser "pautado" como igual ao poder político? Onde? Em Vênus?

  4. Lázaro Antonio Postado em 11/Sep/2013 às 14:45

    Já que pode falar BOBAGEM (vá lá): quantos dessa lista são dos outros partidos, especialmente PSDB e antiga ARENA ?????????????

    • Maria Postado em 11/Sep/2013 às 15:55

      Super apropriada a pergunta, mas talvez fique até melhor assim: quantos dessa lista contribuem para as campanhas eleitorais do PSDB [ e do PT] e de qualquer candidato/partido com chances reais de ocupação de cadeiras no legislativo e no executivo?

    • poisé Postado em 11/Sep/2013 às 22:23

      pois é Lázaro, a coxinhisse de alguns é foda mesmo. Playboyzada arrogante e egoísta, esse mundo vai pra vala hora ou outra.

  5. Diego Postado em 11/Sep/2013 às 14:52

    É... nosso amigo Crispim falou bobagem mesmo... sem apelos partidários, é FATO (comprovado em várias e várias pesquisas acadêmicas) que, no período do governo do PT (de Lula a Dilma), a desigualdade social caiu "como nunca antes na História desse País". Evidentemente, não se corrige uma distorção histórica em 4 ou 10 anos... mas fez-se mais, até agora, do que nunca antes havia sido feito.

  6. João Paulo Postado em 11/Sep/2013 às 15:13

    Agora... falar que o Safra é de origem libanesa é sacanagem...

  7. Mauricio Alfredo Postado em 11/Sep/2013 às 15:19

    Desculpem pessoal mas a maioria dos comentário presentes aqui são destituídos de dados técnicos e científicos. O problema da distribuição da renda é um dos problemas, senão o mais sério que o país deveria enfrentar. se quiserem aprofundar na discussão, leiam Partido da Terra: Como os Políticos Conquistam o Território Brasileiro e o Atlas da exclusão social: Os ricos do Brasil. Leiam para entenderem a exclusão social, econômica e política existente entre nós. Estou à disposição para quaisquer informações.

  8. carlos alberto neves Postado em 11/Sep/2013 às 17:34

    Em um pais onde verificamos que o numero de pessoas que tem pavor à esquerda e que classificam toda e qualquer critica ao capitalismo como "ataque marxista" é até normal ler comentarios ops! devo dizer abobrinhas! Somos uma nação onde o pensamento facista é forte e onde pessoas analfabetas politicas vomitam td sorte de absurdos uns sobre os outros...

  9. Robson Postado em 12/Sep/2013 às 08:46

    Livre mercado né? E as oportunidades? São iguais para todos? O filho da doméstica vai frequentar a mesma escola que o filho da patroa? São as mesmas expectativas para o futuro? Não tem como comparar, a desigualdade é muito grande, mesmo sabendo que atualmente a maioria das crianças têm acesso à escola o meio em que elas vivem determina seus anseios, é a realidade de cada um, somos muito frágeis culturalmente, com uma televisão mostrando um monte de porcaria, idolatrando um monte de "artistas" fúteis e desprezíveis, sou professor de escola pública e vejo este cenário na minha cidade!

    • Carlos Postado em 12/Sep/2013 às 10:22

      Calma, velho. A mão invisível de bondade e justiça suprema que rege o mercado ajustará tudo para que todos nós tenhamos as mesmas chances.

  10. Dinara Postado em 12/Sep/2013 às 09:53

    Eles levarão suas fortunas para o caixão... Deixam de ajudar, de melhorar a vida de muita gente, de fazer o mundo um lugar melhor. Para que tanto dinheiro? São uns insanos... Além disso, ninguém acumula fortuna sem a exploração de outros, ou dos recursos naturais... Todos ficarão velhos, avarentos, brochas e infelizes. E as pessoas que se aproximarem serão pelo dinheiro, triste né?!...

  11. Jonas Postado em 12/Sep/2013 às 11:48

    Concordo que todos devam ter as mesmas oportunidades, os mesmos diretos básicos e uma vida digna, e falta muito pra isso acontecer no Brasil, e não somente por culpa dos empresários da lista da Forbes, mas por uma série de fatores políticos e históricos. Dividir melhor os ganhos das empresas com os colaboradores poderia tornar o país menos desigual certamente, mas será que todos estão dispostos a dividir os prejuízos e os riscos que muitos empresários enfrentam diariamente? Será que todos estão dispostos a deixar de investir parte do seu salário em consumo e entretenimento para reinvestir na empresa? Lembre-se que esses empresários tiveram que enfrentar grandes riscos e fazer muitos sacrifícios para chegar nessa lista da Forbes, será que todos estão dispostos a passar por isso? Cooperativismo e comércio justo são formas de amenizar essa desigualdade, e não simplesmente um discurso socialista utópico sem um real embasamento econômico.

    • Davi Postado em 12/Sep/2013 às 17:02

      hAHahHAhaahAHhaHAH, Sim, trabalharam muito. Afinal como se consegue um bilhão de dólares? As pessoas que acordam 4 da manhã pra pegar um busão lotado pra chegar no trabalho e ser explorado por 12 horas por dia 6 vezes na semana também são bilionárias. Acorda beu abor! Empresário não faz nada, tem secretariado pra tudo, ele só é proprietário, geralmente herdado da família. Já ouviu a expressão nascer em berço de ouro, quem é bilionário com certeza já nasceu bilionário.

  12. Renan Postado em 12/Sep/2013 às 12:12

    O problema dessa discrepância é o enriquecimento ilícito, ricos com impostos não corrigidos a sua fortuna e os preços abusivos sem alguém falar sobre. Vide os fabricantes e concessionária de carros no Brasil, que põe a culpa nos impostos(mesmo eles sendo altos) e vendendo carros que custam 10 ,12, 13 mil reais para serem feitos e cobram 60, 80, 90 mil reais e quando alguém os questiona sobre esses valores eles não se declaram. Mesmo os bancos, que cobram juros abusivos

  13. Lucia Postado em 12/Sep/2013 às 12:29

    Ué, cadê os 124? Só citaram 3 nomes....

  14. Luiz Postado em 12/Sep/2013 às 22:52

    É importante considerar também a terrível desigualdade regional. Por isso é necessário combater as oligarquias políticas das regiões mais atrasadas e acelerar o desenvolvimento dessas regiões, como tem sido feito na Bahia desde 2002.