Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Homofobia 21/Aug/2013 às 10:45
17
Comentários

Russos criam "safári" de "caça aos gays" em rede social

Sinal da escalada da homofobia, grupo russo de extrema-direita cria em rede social “safári” para “caçar” gays

A atuação é simples e efetiva. O grupo utiliza o Vkontakte, rede social mais importante da Rússia, para anunciar a data dos “safáris” (como chamam a busca aos “criminosos”) e por módicos 250 rublos (R$ 18), qualquer um pode participar da “caça a pedófilos e a homossexuais”. Para os que estão ainda mais motivados pela “nobre causa de proteger as crianças russas”, o grupo Occupy Pedofilia faz um desconto – três caças por 600 rublos (R$ 43).

rússia homofobia gay agressão

Maksim “Tesak” Martsinkevich (de regata preta e verde) com membros do grupo Occupy Pedofilia, em Kiev, capital da Ucrânia (Reprodução)

O Occupy Pedofilia, grupo russo de extrema-direita, é efeito direto da escalada da violência contra a comunidade LGBT na Rússia. Recentemente, foram aprovadas leis regionais e federais para proibir a propaganda de relações consideradas “não tradicionais” pelos parlamentares russos. A popularidade dos grupos neonazistas vem crescendo paralelamente ao sentimento homofóbico no país e a Internet tem aparecido como terreno fértil para a divulgação das ideias dos movimentos neonazistas.

Leia também

No mês passado, entidades de direitos humanos acusaram Occupy Pedofilia, que se articula principalmente através das redes sociais, pela morte de um jovem gay do Uzbequistão. Apesar das fotos em que o jovem aparece ensanguentado e cercado de sorridentes membros do grupo Occupy, além das inúmeras postagens destacando o “heroísmo” dos extremistas, ninguém foi preso. Por medo de represálias, a maior parte das vítimas do grupo não denuncia à polícia.

VEJA TAMBÉM: GAYS SÃO TORTURADOS NA RÚSSIA

rússia gay homofobia

Participar dos “safáris” custa 18 reais por pessoa. A macabra caça aos homossexuais é organizada por meio do Vkontakte (Reprodução)

Fundado pelo ex-skinhead Maksim “Tesak” Martsinkevich em 2012, logo após ter cumprido uma pena de três anos por incitação a crimes de ódio étnico, o Occupy Pedofilia explica em sua página oficial que o objetivo do movimento é “criar um banco de dados de pedófilos” para que “qualquer um possa conferir se tem algum colega, professor ou médico” que se encaixe no perfil-alvo do Occupy. Em uma das páginas do grupo, há mais de 160 mil seguidores.

rússia homofobia gays

“Pise em um homossexual como merda”, diz cartaz homofóbico (Reprodução)

Os membros do grupo Occupy dedicam seu tempo a encontrar homossexuais ou supostos pedófilos através da Internet e tudo acontece como nos habituais flertes virtuais: frases elogiando a foto do perfil, estabelecimento de uma amizade, troca de telefones e finalmente o encontro real.

Na hora do encontro, a surpresa. A vítima do trote é forçada a confessar para as câmeras que é um pedófilo ou um homossexual (para os “justiceiros russos”, os termos se equivalem) e logo em seguida passam por diversos tipos de humilhação, como ter que tirar a roupa, falar para os “entrevistadores” segurando uma banana, passar maquiagem e até mesmo beber urina. Em muitos dos casos, há também covardes agressões.

Nos vídeos postados na Internet pelo grupo e nas discussões nos fóruns (abertas a qualquer internauta), os ataques mais comuns são aos “viados” – “pidor”, como chamam vulgarmente em russo, numa diminuição do termo “pederasta” – e não aos pedófilos, como anunciam.

Em um dos casos que ganhou maior destaque, o ativista gay Artem Gorodilov, da cidade russa de Kamensk-Uralsky, foi sequestrado no meio da noite e levado até um cemitério onde está enterrado um outro ativista que se suicidou depois de ter sua sexualidade exposta pelo mesmo grupo neonazista.

Na noite em que foi sequestrado, Artem foi obrigado a correr em frente de um carro enquanto carregava uma cruz que havia sido arrancada do próprio cemitério. A Igreja Ortodoxa fez uma denúncia à polícia – por causa da cruz destruída -, os neonazis foram chamados a depor, mas soltos em seguida. Depois de ter sido interrogado pelas autoridades, um dos neonazis atacou Artem outro vez e jogou urina em cima do jovem.

Sandro Fernandes, Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Postado em 21/Aug/2013 às 13:23

    Traduzindo: "Eu não sou gay, mas olhe meu bíceps musculoso como é gostoso..."

  2. Kenia Postado em 21/Aug/2013 às 14:48

    “Eu não sou gay, mas olhe meu shortinho curto e minha bermuda dobradinha com cinto combinando..." meu cohhhh pra esse povo imbecil

  3. Emanuel Guerra Postado em 21/Aug/2013 às 14:52

    hahahahaha Pois é Carlos. A impressão que me passou é que são, no fundo, caras extremamente inseguros quanto à própria sexualidade. "Como eu não tenho certeza se sou gay ou não, eu preciso odiar gay pra provar (pra mim mesmo) que eu não sou gay."

  4. Fernando Henrique Postado em 21/Aug/2013 às 15:11

    Leiam o argumento postado na Fanpage da Embaixada da Rússia no Brasil. A discriminação começa com as relações sexuais não-tradicionais. Ultimamante a Embaixada, bem como as outras representações da Rússia no Brasil, têm recebido várias mensagens com a preocupação sobre a situação com a comunidade LGBT na Rússia depois a adoção da lei sobre a propaganda das relações sexuais não-tradicionais. Neste contexto queriamos comunicar o seguinte. Discriminação de qualquer gênero é proibida na Rússia a nível constitucional de acordo com os compromissos assumidos no âmbito da ONU e disposições correspondentes da Convenção Europeia dos Direitos Humanos. Parte 2 do Artigo 19 da Constituição da Federação da Rússia garante a igualdade de direitos e liberdades das pessoas e dos cidadãos, independentemente do sexo, raça, nacionalidade, língua, origem, status de propriedades e emprego, lugar de residência, relação com a religião, convicções, perecimento a associações públicas, bem como outros fatores, inclusive a orientação sexual. A lei referida proibe somente impor atitudes sexuais não-tradicionais aos menores de idade. Isso não contradiz à Constituição russa, o que foi confirmado pelo Tribunal Constitucional da Federação da Rússia que decretou em 2010 que a família, maternidade e infância no sentido tradicional são os valores que determinam a preservação e desenvolvimento do povo multinacional da Rússia. Ademais, o nosso país, sendo o signatário da Convenção sobre os Direitos da Criança, sempre procede do princípio da melhor defesa dos interesses dos menores de idade, e a legislação russa obriga os órgãos públicos proteger crianças de informação que possa prejudicar a saúde delas, bem como desenvolvimento espiritual. Podemos constatar que os interesses da comunidade LGBT dos cidadãos russos e dos estrangeiros são protegidos pela Constituição e leis russos. Atuam na Rússia várias organizações públicas a representarem os interesses da LGBT, inclusive a Federação do Esporte LGBT que une mais de 30 clubes esportivos. Os esportistas russos da orientação não-tradicional ganharam o 2º lugar em termos da quantidade de participantes e medalhas nos jogos europeus em Budapeste em 2012. No que se refere à lei sobre a propaganda das relações sexuais não-tradicionais, a aplicação dela é controlada pelas cortes russas, levando em consideração o princípio constitucional de não-discriminação. A lei prevê a responsabilidade administrativa, e não penal, imposta em ordem judicial e causada somente pela violação intencional da proibição referida, sendo que a legislação russa não impede os representantes da LGBT de defender os seus direitos por meios legítimos. As informações sobre uma “campanha da violência de grande escala” em relação às pessoas da orientação sexual não-tradicional que seguiu a adoção da lei acima mencionada não correspondem à realidade.

  5. Elton Postado em 21/Aug/2013 às 15:46

    com esses calçãozinhos?

  6. Patriota Postado em 21/Aug/2013 às 15:52

    no máximo um ativo, as demais tudo passiva!

  7. Douglas Hofstadter Postado em 21/Aug/2013 às 16:11

    Acho perfeitamente natural que isso aconteça e não veria nada fora do normal se também queimassem gays em praça pública, já que é o Estado (da Rússia) que atesta (dá o aval a) essa prática, ao promover leis homofóbicas. Achar estranho seria o mesmo que estranhar uma população violenta em um país que pratica a pena capital (EUA, por ex.) ou que mata suspeitos antes de qualquer julgamento (Brasil, por ex.).

  8. poisé Postado em 21/Aug/2013 às 16:40

    russos fazendo "russices"

  9. Marcos Postado em 21/Aug/2013 às 20:03

    A direita é liberal também, por sinal os gays no capitalismo tendem a ser mais protegidos, por isso que nos USA e no ocidente as leis em benefícios a eles crescem.

  10. renato Postado em 21/Aug/2013 às 21:47

    O que me preocupa é o NeoBigodinho, estes caras de clções ou não, não respeitam ninguem. Eu acho que os Nazistas quando tentaram entrar na Russia, acabaram fazendo uns bebes, fato comum em guerras, daí nasceram netos deste naipe. Não andam com mulheres e as Russas são lindas. Ficam correndo atras de gays, e consequentemente só sobra eles, um olhando para cara do outro, e olhando e passando a mão no bicepes, nas pernas, e já era....depois ficam revoltados com a situação, enchem a cara de vodca e começa tudo de novo. e no Inverno então....hum...no inverno nada a fazer.... Estou com medo dos Neonazis.

  11. Rogério Postado em 21/Aug/2013 às 22:21

    Neonazista na Rússia? Mas Hitler não tentou invadir a Rússia?

  12. ari Postado em 21/Aug/2013 às 22:25

    Os russos sao um povo um povo amargo, triste e estranhamente odioso. Uma sociedade que decide mergulhar fundo no ódio pode nao conseguir voltar a superfície. Esse fomento da homofobia e' um sinal claro do que a Russia de fato e'

  13. caio Postado em 22/Aug/2013 às 01:05

    mas esses caras são gays... olha pra eles.. deve haver algum engano. não é possivel. olha a pinta dos caras. hauhauahuah

  14. Alexandre Postado em 22/Aug/2013 às 01:06

    Ahahah, essas bichoquinhas musculosas? Na Rússia, o Right Said Fred é homofóbico? Ahaha

  15. luiggi Postado em 22/Aug/2013 às 11:03

    Bando de michês! Basta dar uma olhada na foto e ver o estereótipo estampado ali: músculos, exibicionismo excessivo de virilidade e uma pitada de "quem é a mais gostosa" da foto"? na pose. São gays e não se aceitam e procuram matar nos outros aquilo que não conseguem matar dentro de si. E depois de transar com outro cara e matá-lo dizem com cara de menina que foi desonrada: - Tive que me defender porque ele queria fazer mal para mim. Covardes. Me poupe...

  16. mateus silva Postado em 03/Sep/2013 às 14:40

    vao criar vergonha bando de porcos , sebosos o que lhes tornam melhores do que nos para achar que devemos ser caçados como animais bando de bicha embutida...bando de salada que leva palmito.

  17. Luciano Postado em 19/Oct/2013 às 18:54

    Bando de marmanjos que ficam fazendo arruaças, agredindo as pessoas... Isso é falta de pegar no cabo da picareta, no cabo da enxada, descarregar um caminhão de vergalhões ou cimento.