Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Saúde 23/Aug/2013 às 11:44
10
Comentários

Maioria dos médicos cubanos vão para o Norte e Nordeste

Médicos cubanos vão atuar em regiões carentes para suprir a demanda de 701 municípios que não foram escolhidos por nenhum médico na primeira chamada do programa Mais Médicos

A maioria dos médicos cubanos (74%), que chegarão ao Brasil na próxima segunda-feira (26), vai trabalhar nas regiões Norte e Nordeste, informou nesta quinta-feira (22) o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.

médicos cubanos no brasil

Mais de 70% dos médicos cubanos vão para o Norte e Nordeste

“A vantagem dos acordos bilaterais é que eles estão vindo para aqueles locais onde o Brasil indica que é preciso um médico. São regiões que não foram escolhidas pelos médicos brasileiros nem estrangeiros”, explicou. O secretário participou, durante a manhã, de um encontro preparatório sobre o Programa Mais Médicos com representantes de prefeituras paulistas.

O anúncio da contratação de profissionais de Cuba foi feita nesta quarta (21) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Espera-se que, até o final do ano, 4 mil médicos cheguem ao país. Nesta primeira etapa do acordo, que inicia na segunda-feira, 400 profissionais desembarcam no Brasil e mais 2 mil são aguardados no dia 4 de outubro. Eles vão passar pelo mesmo processo de avaliação dos médicos com diploma estrangeiro e não precisarão revalidar o diploma.

Leia também

Os cubanos vão suprir a demanda de 701 municípios que não foram escolhidos por nenhum médico na primeira chamada do programa. “São médicos que se dispõem, que têm muita experiência em missões internacionais e já atuaram em outros países. Dentro de um acordo bilateral, eles vão trabalhar em locais onde há infraestrutura e um acolhimento da prefeitura”, destacou Barbosa.

O secretário rebateu a crítica de entidades médicas brasileiras de que esses profissionais estariam vindo ao país em regime de semiescravidão. “Todos esses médicos estão vindo voluntariamente. Terão previdência paga pelo ministério. Alimentação e moradia paga pelo município. Dificilmente isso se assemelha a qualquer coisa parecida com escravidão”, respondeu.

Especificamente sobre os médicos de Cuba, Barbosa reforçou que o Brasil repassará ao governo cubano a mesma quantia destinada aos demais profissionais, R$ 10 mil. O repasse será feito por intermédio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). “Nós repassamos o recurso para a Opas, que, por sua vez, passa ao Ministério da Saúde de Cuba, que paga os cubanos. Eles vão receber o salário que o governo paga em missões no exterior”, apontou, sem informar o valor.

Segundo o secretário, cerca de 30 mil médicos cubanos trabalham em outros países, como Haiti e Venezuela. “Não podemos pagá-los diretamente. O governo cubano só aceita enviar através de um acordo bilateral”, disse. Ele relembrou que essa prática, de importação de médicos, já foi adotada no Brasil, na década de 1990, quando a maioria dos médicos da atenção básica em Roraima, no Tocantins e em alguns estados do Nordeste era de Cuba. “Nunca soubemos de nenhum erro desses médicos e nenhum problema de imperícia. Nem mesmo que tenha havido denúncia de trabalho escravo”, declarou.

Barbosa informou que esses profissionais, assim como os demais contratados, terão alimentação e moradia custeados pelo governo municipal. “Pela formação mais completa que eles têm, específica em atenção básica de saúde, nada indica que eles não vão prestar um excelente trabalho agora”, defendeu. Ele aposta que a contribuição do país parceiro terá impacto, sobretudo, na redução da mortalidade infantil, dos casos de tuberculose, de hanseníase. “Eles vão fazer com que essas pessoas tenham mais acesso à saúde”, declarou.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 23/Aug/2013 às 20:01

    Médicos Cubanos =/, coitados.

  2. Guima Postado em 23/Aug/2013 às 20:16

    Coitado de quem tava sem médico, né? =/

  3. Marcos Postado em 23/Aug/2013 às 23:02

    É um negocio, com to respeito sua ANTA, o governo brasileiro ira pagar para o governo Cubano e a ditadura ira pagar de volta para os escravos médicos um valor bem menor, é um modelo de negocio, Cuba ganha dinheiro com essa merda, é uma maneira legal de fugir da ilha, pode apostar que muitos irão fugir.

  4. Vanderlei Postado em 24/Aug/2013 às 00:43

    Eles estão vindo fazer o trabalho que os MERDAS dos médicos brasileiros, filhinhos de papai, não querem! Que é ir tratar dos pobres, lá longe, norte, nordes... Aí quando achamos uma solução viável, vem uma ANTA, como muitas, e fica especulando o futuro (vão fugir da ilha, a ditadura não vai pagar quase nada, etc etc).

  5. Elmo Lima Postado em 24/Aug/2013 às 23:23

    A elite realmente tem dificuldade de entender o pensamento e a filosofia dos cubanos, não sabem o que significa solidariedade, amor ao próximo, respeito ao ser humano. Foram educados a partir da lógica das casas grandes, vendo o povo pobre de longe nas senzalas. Continuam comportando-se como os coronéis da política. A medicina sempre foi uma das áreas de concentração de poder, basta vê quem são os novos coronéis do Nordeste e como eles tratam a população do interior do país.

  6. oscar Postado em 25/Aug/2013 às 11:59

    SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA DA VINDA DOS MÉDICOS CUBANOS É muito simples: em cada aeroporto, logo em frente à porta do desembarque, instala-se um balcão de recepção, onde os cubanos deverão apresentar-se. No mesmo lugar já estarão presentes os médicos brasileiros protestantes (=os que protestam) contra a vinda dos cubanos, munidos de seus respectivos diplomas e com as malas prontas para o embarque. Cada médico de Cuba que desembarcar será substituído por um brasileiro. O cubano será enviado de volta ao seu país e o brasileiro ocupará o local de trabalho que deveria ser do cubano. Simples, não?

  7. Rodrigo Postado em 30/Aug/2013 às 10:20

    E a verdade veio à tona… Vou incorporar um “esquerdista” (um falso, diga-se de passagem) e escrever um post: “CAIU A MÁSCARA! MOSTRARAM A VERDADEIRA FACE! ERA SÓ EXPLORAÇÃO DE MÃO DE OBRA BARATA E ENVIO DE DINHEIRO PÚBLICO PRA FIDEL! ISSO O PIG ESQUERDISTA NÃO MOSTRA! MÉDICOS QUE EFETIVAMENTE TRABALHAVAm, EM LOCALIDADES A 150 KM DE SALVADOR E PARANÁ, SÃO DEMITIDOS PARA DAR A VAGA A MÉDICOS CUBANOS (quem quiser distorcer os fatos e usar a origem/raça, como adereço de xingamento hipócrita, cuidado, leia duas vezes e guarde sua hipocrisia para si!)!” e (http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1334268-disseram-que-eu-tinha-que-dar-lugar-a-um-cubano-diz-demitida.shtml) “‘Disseram que eu tinha que dar lugar a um cubano’, diz demitida Publicidade NELSON BARROS NETO DE SALVADOR Ouvir o texto Hoje, em Murici, povoado de Sapeaçu (município a 150 km de Salvador), será o último dia de trabalho da médica mineira Junice Moreira, 47, no posto de saúde da família. “Eu estava de plantão na quarta-feira da semana passada quando me ligaram. Disseram que eu tinha que dar lugar a um cubano”, afirma. Prefeituras vão demitir médicos para receber equipes do governo Ministério da Saúde começa a pedir registro a médicos estrangeiros Dilma usa evento de educação para defender programa Mais Médicos O aviso da demissão partiu da Coofsaúde –cooperativa que faz o pagamento dos médicos que trabalham no município, por meio de contrato com a prefeitura. A Coofsaúde confirma a saída de Junice e também que, em seu lugar, entrará um profissional do programa federal Mais Médicos. A Prefeitura de Sapeaçu nega que o substituto de Junice será um médico cubano. Ao ser informada pela cooperativa, a brasileira diz ter se surpreendido.”Respondi que não tinha entendido, que não tinha feito nada errado”, afirma a médica. “Mas deixaram claro: ‘Está vindo aí um médico de Cuba e a senhora vai precisar ceder a vaga a ele’”, completa Junice, que mora no interior da Bahia há sete anos, na vizinha Cruz das Almas. Não teve como resistir. Desligada a tempo de não constar na folha salarial de setembro, Junice diz que seus pacientes chegaram a chorar e a levar lembranças para ela assim que souberam da demissão. “O pessoal de Murici me adora.” Ao todo, foram seis meses trabalhando no “postinho”, como chama o local. Ela diz que a cooperativa até lhe ofereceu uma transferência para outro lugar, mas não aceitou. Junice faz plantão em diferentes municípios da região, como Ubaíra. O caso chegou ao CRM da Bahia, e o presidente do conselho, José Abelardo de Meneses, encaminhou uma denúncia ao Ministério Público. “Não vai ter ‘mais médicos’, como diz o nome do programa, mas mais médicos atendendo ao governo federal”, afirma Meneses. Editoria de Arte/Folhapress ‘VANTAGENS’ O prefeito de Sapeaçu, Jonival Lucas (PTB), confirma a demissão de Junice e a chegada de um profissional do Mais Médicos para substituí-la. Lucas afirma que a médica deixará o cargo por não cumprir a carga horária estabelecida e que o substituto será um profissional brasileiro que já atuou naquela região do interior da Bahia. “Já estávamos procurando outro para assumir o lugar dela”, diz o prefeito do município, que fala em “uma série de vantagens para o município” com o Mais Médicos. “O programa desonera nossa folha, porque o pagamento não é mais feito por nós”, afirma o prefeito. “