Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Justiça 01/Aug/2013 às 00:44
53
Comentários

Juízes Federais querem investigação sobre empresa de Joaquim Barbosa

Associação dos Juízes Federais do Brasil considera caso “gravíssimo, do ponto de vista ético”

joaquim barbosa empresa miami

Juízes querem apuração sobre empresa de Barbosa (Foto: Abr)

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) se manifestou sobre a empresa criada na Flórida, Estados Unidos, pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, para adquirir um apartamento na cidade de Miami, que tem como sede o imóvel funcional onde ele mora. Para o presidente Ajufe, Nino Toldo, o fato de a empresa estar sediada no imóvel funcional que Barbosa ocupa “é gravíssimo, do ponto de vista ético”.

Segundo ele, “não é dado a nenhum magistrado, ainda mais a um ministro do Supremo, misturar o público com o privado”. E completou: “Dos magistrados, espera-se um comportamento adequado à importância republicana do cargo, pois um magistrado, seja qual for o seu grau de jurisdição, é paradigma para os cidadãos”. Questionada a respeito da abertura de procedimento para averiguar a regularidade da operação, a Procuradoria-Geral da República não se manifestou.

Leia também

A Ajufe defende a apuração “rigorosa” acerca das duas situações. “Um ministro do STF, como qualquer magistrado, pode ser acionista ou cotista de empresa, mas não pode, em hipótese alguma, dirigi-la”, afirmou o presidente da entidade, Nino Toldo, referindo-se ao artigo 36 da Lei Complementar 35. “Essa lei aplica-se também aos ministros do STF. Portanto, o fato de um ministro desobedecê-la é extremamente grave e merece rigorosa apuração”, ressaltou Toldo.

Além disso, o fato contraria o Decreto 980, de 1993. Segundo o Ministério do Planejamento, o inciso VII do artigo 8º da norma – que rege a ocupação de imóveis funcionais – estabelece que esse tipo de propriedade só pode ser usado para “fins exclusivamente residenciais”.

Nos registros da Assas JB Corp., pertencente a Barbosa, no portal do estado da Flórida, nos Estados Unidos, consta o imóvel do Bloco K da SQS 312 como principal endereço da companhia usada para adquirir o apartamento em Miami – conforme informado pelo jornal Folha de S. Paulo no domingo passado. As leis do estado norte-americano permitem a abertura de empresa que tenha sede em outro país. A Controladoria-Geral da União (CGU) também assegurou que o Decreto 980 não prevê “o uso de imóvel funcional para outros fins, que não o de moradia”. O presidente do STF consta, ainda, como diretor e único dono da Assas JB Corp. A Lei Orgânica da Magistratura (Lei Complementar 35, de 1979), a exemplo da Lei 8.112/90, do Estatuto do Servidor Público Federal, proíbe que seus membros participem de sociedade comercial, exceto como acionistas ou cotistas, sem cargo gerencial.

Rede Brasil Atual

Recomendados para você

Comentários

  1. Isaac Postado em 01/Aug/2013 às 01:51

    É uma verdadeira caça as bruxas pra cima do Joaquim Barbosa, ser reto e justo nesse país tem efeito contrário. Não é pragmatismo?

    • André Feitosa Postado em 10/Dec/2013 às 23:36

      Usar apartamento funcional como sede de empresa é ser correto e justo, qual foi a droga que usou?

      • José Luiz Postado em 01/Aug/2014 às 17:57

        Deve ter andado muito com o Aécio...

    • Vitor Postado em 22/Dec/2013 às 16:59

      Vou sugerir ao Bill Gates para colocar um bafômetro no Windows,para quando o cara estiver alcoolizado não conseguir comentar.

    • Alexandre Pinheiro Postado em 23/Feb/2014 às 13:04

      Reto e justo? Um cara que condenou sem provas, escondeu provas dos autos, arrumou emprego pro filh numa emissora de TV que deve milhões ao erário... tem alguém meio aloprado aí!

      • nadja Postado em 27/Feb/2015 às 22:43

        Escondeu as provas pq o filho barbosinha recebeu dinheiro do Marcos Valério.

    • Humberto Correia Postado em 01/Aug/2014 às 22:42

      Pau que da em Chico da em Barbosa. Quem deve precisa prestar contas se, se há irregularidades que seja exposto também. Admiro o trabalho que o ex-ministro prestou no expediente do STF. Ninguém está acima da lei. Que ele tenha garantido o direito de provar o contrário. Léi é lei. Ou não?

    • Ênio Duval Postado em 02/Aug/2014 às 23:58

      Não tem nada de reto e justo! É Falcatrua mesmo! Um magistrado não pode ter empresa alguma, segundo a LOMAN - (Lei Orgânica da Magistratura Nacional), não obstante, ele registrou a J.B. Assas Corporation com o único objetivo de "levar vantagem" na compra de um imóvel nos USA, pagando assim menos impostos por se tratar de uma empresa que trará lucro aos USA. Como é o nome disto???

    • AnaCordeiro Postado em 03/Aug/2014 às 00:38

      Isso é ser reto e justo? O que anda acontecendo com esses conceitos no Brasil?

    • Luiz Postado em 05/Aug/2014 às 07:34

      A pergunta é: o que é ser reto e justo? Quem persegue quem neste País? A lei deveria ser a mesma para todos, ao contrário da condução dada pelo dito cujo em tela. Caso o elemento seja realmente "reto", o que temer? E, mesmo que "os bastidores" seja outro, responderá pelo comportamento impessoal com que conduziu o STF.

    • Franco Postado em 05/Aug/2014 às 10:16

      Penso diferente. Penso que são todos iguais

      • nadja Postado em 01/Mar/2015 às 07:41

        É isso que a mídia faz na cabeça das pessoas em massa. Deixar todo mundo pensando assim, que todos são iguais para que roubem à vontade.

    • walter Postado em 19/Aug/2014 às 11:15

      O fato do Joaquim ter colocado o endereço no apartamento funcional está tecnicamente errado, poderia ele ter colocado o de sua casa. Agora transformar isso em fato gravíssimo é no mínimo demasiado já que não há prejuízo a administração. O que a lei veda, é o magistrado exercer órgão de direção (o que não ocorreu), e não o de ser proprietário ou quotista de sociedade. Ademais a criação da empresa teve um fim determinado; a compra do imóvel..

      • nadja Postado em 01/Mar/2015 às 07:49

        Fato gravíssimo sim, agiu de forma incorreta para um magistrado em vários aspectos.1. deu o endereço do supremo como endereço comercial,2. é o dono dá empresa, que não pode,3 escondeu provas relevantes onde se tem a inocência de vários réus,4.seu filho está envolvido com Marcos Valério, 5 falou no julgamento que prendeu de propósito os réus.Sem contar outras barbaridades jurídicas que por falta de conhecimento no assunto não posso explanar.Resultado, manchou nosso jurídico e teve que sair 11 anos antes do Supremo pela portas dos fundos, sem falar ainda que transformou o supremo em casa de celebridades.Há ainda me lembrei: expulsou um advogado em pleno julgamento. Então para nosso judiciário voltar a ser respeitado se faz necessário investigar e punir.

  2. Pedro Postado em 01/Aug/2013 às 06:17

    Isaac, é verdade, uma caça as bruxas contra nosso adorado paladino da justiça. Pra que investigar o cara, se ele é a voz da verdade e da justiça? Deveríamos ficar calados frente à sua tentativa de burlar a lei, frente aos salários de 700 mil reais que já ganhou da UERJ sem trabalhar, por estar em um regime especial. Barbosa para presidente!!

  3. Vinicius Postado em 01/Aug/2013 às 08:12

    O maior cego é aquele que não quer ver. Joaquim Barbosa agiu contra determinações da lei da magistratura. Praticou uma imoralidade ao utilizar-se de brechas legislativas para não pagar tributos. Confundiu o público com o privado ao utilizar o endereço de seu apartamento funcional como sede da sua empresa fictícia. É o magistrado mais adorado pela mídia tradicional de todos os tempos. Ele não é muito diferente daqueles que condenou.

    • Alexandre Pinheiro Postado em 23/Feb/2014 às 13:06

      Desculpe, Pedro, mas ele é MUITO diferente de Dirceu, Genoíno, Delúbio e João Paulo Cunha. Estes são decentes, até prova em contrário!

      • Nahum Postado em 01/Aug/2014 às 23:23

        Caro Alexandre, o Pedro está sendo irônico (ainda que isso realmente não tenha ficado muito claro)...

      • Luiz Postado em 05/Aug/2014 às 07:35

        Desculpe Alexandre, o mau-caratismo de um não justifica o do outro.... a não ser na cabeça do próprio bandido, ok?

    • Walter Postado em 19/Aug/2014 às 11:20

      Vinícios, a criação de uma empresa nos USA para compra de imóvel é padrão. O governo americano inclusive incentiva isto e faz parte dos tramites legais. Quanto a colocar o endereço funcional, há de fato um erro técnico, mas não há prejuízo algum para a administração. Ele poderia ter colocado o endereço de sua casa. Juízes podem ser sócios de empresa, o que não podem é agir ativamente dirigindo a. Já que foi criada para adquirir um imóvel e não para a compra e venda de imóveis.

  4. Jason Postado em 01/Aug/2013 às 10:03

    Atitudes como esta de um magistrado é inadmissível! Esperamos que tais sejam exemplos para sociedade atual, ao burlar a lei este se demonstra igual a qualquer corrupto. Há uma frase antiga que diz: "Se quer conhecer realmente alguém, dê poder a ela". Com todo o poder que recebeu, estamos observando quem Joaquim Barbosa é realmente. Mais um politico brasileiro, fantasiado de Bom moço. Estamos de olho nos corruptos!

  5. Clenice Viana Valadares Postado em 01/Aug/2013 às 10:27

    Aki em São José do Egito,PE,1 procurador do ministerio publico federal (luis vicente de medeiros queiroz neto) abusa do seu poder invade meu terreno e ainda coloca 1a ação contra mim onde se diz vitima.Diz q me axo a Libertadora,a Fidel Castro enquanto ele é o presidente dos estados unidos da america.1/8/2013.

  6. José Silva Postado em 01/Aug/2013 às 10:58

    É a raposa tomando conta do galinheiro. Que moral que esse cara tem pra julgar alguém?!?!?!

  7. Daniel Postado em 01/Aug/2013 às 11:30

    EM ESCALA DE VALORES ÉTICOS : (0) É NADA DE PECADO (1) É PECADO. EM ESCALA DE VALORES POLÍTICOS: VAI DE (0 á 10) 1 Pai Nosso, (11 á 20) 02 Ave Maria, (21 á 30) Hino Nacional com a mão no peito, com olhos fechados e cara de só uma vez e nunca +. ( 31 á 50 ) sou vítima e meu silencio, basta, para apagar desafetos, de (51 ao infinito ) falem com meu/s advogado/s.

  8. admilson Postado em 01/Aug/2013 às 13:00

    Joaquim esta fazendo o que muitos queriam fazer.quero ele presidente

    • jose Postado em 11/Dec/2013 às 09:51

      Nehem como sindico do meu condominio

    • Ans Cordeiro Postado em 03/Aug/2014 às 00:42

      Leva pra sua casa!

  9. João Postado em 01/Aug/2013 às 14:56

    Se é para poder passar de herança para o filho, se é um recurso para pagar menos impostos, até que não é tão ruim... Mas OFFSHORE? Qualquer um que faz esse tipo de negocio poderia usar este tipo de empresa para comprar o Apartamento de forma ilícita...

  10. Dinio Postado em 01/Aug/2013 às 20:37

    EXTRA! EXTRA! EXTRA! A Globo sonegou...Joaquim Bobo arquivou...Luciano Loucura empregou...e o Povo se lascou! Viram...até rimou!

  11. Jorge Postado em 01/Aug/2013 às 21:44

    Mas que desinformação... abrir empresa para comprar apartamento em Miami é o que todo mundo faz para não perder metade do investimento para o fisco dos EUA. Não tem santo em lugar nenhum, muito menos no STF, mas tem coisa mais importante para investigar.

  12. Maria da Graça Silva Postado em 01/Aug/2013 às 22:04

    DOEU ouvir do Ministro Joaquim Barbosa: "“Não confunda a legitimidade que o senhor tem enquanto representante sindical com a legitimidade dos órgãos do Estado. Eu estou dizendo é que órgãos importantes do Estado não se pronunciaram sobre o projeto que vai custar à nação, por baixo, R$ 8 bilhões” “Pelo que eu vejo, vocês participaram de forma sorrateira na aprovação. [...] São responsáveis, na surdina, pela aprovação.” Os senhores não representam o Conselho Nacional de Justiça. Os senhores não representam o STJ, representam seus interesses corporativos legítimos. Mais isso não supre a vontade dos órgãos estatais. Compreendam isso. Os senhores não representam a nação. Não representam os órgãos estatais. Os senhores são representantes de classe. Só isso". AGORA, a hora da vingança...

  13. Rogerio Postado em 01/Aug/2013 às 22:24

    Goooooollllll!

    • luiz carlos Postado em 27/Dec/2013 às 13:30

      deixa o homem fazer justiça nesse pais, tem que prender mesmo tem que mudar o chefão ta com medo isso mesmo joaquim põem pra fuder.

  14. Antonio Sergio Postado em 02/Aug/2013 às 22:22

    Prefiro aguardar o pronunciamento do Ministro Joaquim Barbosa para depois comentar. Deus os abençoe.

  15. Thiago Teixeira Postado em 04/Aug/2013 às 19:53

    Ser um negro bem sucedido no Brasil dura pouco, é muita inveja. Eu sabia que iam achar um podre do cara para o desmoralizarem.

    • Alexandre Pinheiro Postado em 23/Feb/2014 às 13:08

      Podre é o que não falta deste déspota!

  16. Thiago Postado em 05/Aug/2013 às 08:09

    Ah tá colocar o Dias Toffoli, advogado do PT, no STF é bem moral! Mas esse site só sabe atacar o Joaquim Barbosa! Será que esse site recebe verbas publicitárias federais???

    • Juliano Juba Postado em 03/Jan/2014 às 12:20

      Thiago, talvez você não saiba, mas a empresa que mais recebe verbas publicitarias do governo é a Globo. Joaquim Barbosa agiu de forma anti-ética durante todo o processo da AP 470, escondendo provas inclusive. Aplicou a teoria do dominio de fato de maneira errônea, conforme disse o desenvolvedor da propria teoria, o alemão Hans Welzel. Esta claro que a imprensa na sua maioria, tornou-se o maior partido de oposição ao governo federal. A divisão de renda incomoda à elite que sempre ditou as regras e agora vê-se escanteada das grandes decisões e do controle da nação. Joaquim Barbosa não é o herói que o fazem parecer!

      • Nahum Postado em 01/Aug/2014 às 23:31

        Caro Juliano, concordo com sua linha de pensamento. No entanto, o nome do jurista alemão é Claus Roxin.

  17. Daniel Postado em 17/Aug/2013 às 13:38

    Muito estranho ler alguns dos comentários. Vejam, se o cidadão cometeu crimes e se aproveitou de situações ilegais, não faz a menor diferença se outros também o fazem. Devemos averiguar e punir todos que fazem coisas assim. No que concerne a este caso, o que importa se os mensaleiros são bandidos também? Nada. Ambos devem ser punidos. Frases como "Ah tá colocar o Dias Toffoli, advogado do PT, no STF é bem moral" revelam o argumento falacioso "tu quoque", ou seja, em vez de lidar com a acusação em questão, diz-se que "o outro lado também faz bobagem", na tentativa de desviar atenção ou, pior, inocentar completamente o acusado. Esse tipo de pensamento é desonesto ou incapaz.

  18. Marcos Postado em 17/Aug/2013 às 13:50

    Barbosa malvado agora esquerdinhas kkkkk

  19. Rodrigo Postado em 29/Aug/2013 às 14:39

    Tem espaço para mais um a ser investigado? Vamos fazer um pacote completo e investigar a todos? (http://atarde.uol.com.br/politica/materias/1529554-tofolli-relata-acoes-de-banco-no-qual-obteve-emprestimo) "Qui , 29/08/2013 às 08:00 | Atualizado em: 29/08/2013 às 14:13 Toffoli relata ações de banco no qual obteve empréstimo Fábio Fabrini e Andreza Matais | Agência Estado Tags: Toffoli STF Mercantil política [Recomendar] comentários (22) -A A+ José Cruz | ABr Ministro Dias Toffoli explica história do empréstimo Relator de processos envolvendo o Banco Mercantil do Brasil, o ministro do Supremo José Antonio Dias Toffoli obteve empréstimos de valor milionário da instituição financeira. Ao todo, o magistrado obteve R$ 1,4 milhão em operações de crédito a serem quitadas em até 17 anos. Com sede em Minas, o banco de médio porte chegou a dar desconto nos juros dos dois empréstimos realizados pelo magistrado. Esse desconto assegurou uma economia de R$ 636 mil a Toffoli. > Veja mais notícias de Política Segundo o Código do Processo Civil, o Código de Processo Penal e o Regimento Interno do Supremo, que tem força de lei, cabe arguir a suspeição do magistrado por parcialidade quando alguma das partes do processo for sua credora. Toffoli relata ações do Mercantil desde que assumiu a cadeira no Supremo, em 2009. Dois anos depois, ele obteve os dois empréstimos, numa operação considerada "pouco usual" até por funcionários do banco. O primeiro, de R$ 931 mil, foi concedido em setembro de 2011, em 180 parcelas fixas de R$ 13,8 mil, a serem pagas até 2026. Conforme escritura da operação, registrada em cartório, Toffoli deu como garantia de pagamento sua casa no Lago Norte, em Brasília. Liberado três meses depois, o segundo crédito, de R$ 463,1 mil, teve pagamento definido em 204 prestações fixas de R$ 6,7 mil, com vencimento até 2028. Para assegurar o pagamento da dívida, o banco aceitou o mesmo imóvel de Toffoli, fazendo uma "hipoteca em segundo grau". Em ambos os casos, os juros fixados foram de 1,35% ao mês. As parcelas inicialmente definidas nos contratos somavam R$ 20,4 mil, mais que a remuneração líquida de Toffoli no Supremo à época, que girava em torno de R$ 17,5 mil. Em abril deste ano, após decisões do ministro em processos do Mercantil, as duas partes repactuaram os empréstimos, por meio de aditivos às cédulas de crédito originais e transcritas em cartório. Conforme os registros, o banco baixou a taxa para 1% ao mês. Com a alteração, a soma das prestações caiu para R$ 16,7 mil mensais - representa um comprometimento de 92% dos ganhos atuais do ministro no Supremo. Toffoli afirmou ter outras fontes de renda e negou relação entre os processos dos quais é relator e os empréstimos. O banco não quis se pronunciar sobre o caso. Mais que VIP O Estado consultou dois gerentes da agência responsável pelo relacionamento com Toffoli, em Brasília. As taxas oferecidas para empréstimo de mesma natureza a "clientes VIP" variaram entre 3% e 4% ao mês, com parcelamento em, no máximo, quatro anos. O superintendente do Mercantil em Brasília, José Alencar da Cunha Neto, que representou o banco em uma das operações com Toffoli, disse não ter participado da negociação com o ministro. Mas afirmou que a redução de juros, nas condições descritas nas escrituras do negócio, é atípica: "Não saberia dizer o que aconteceu com a negociação. Confesso que não é muito usual." Segundo Cunha, a redução é mais comum quando o cliente oferece mais garantias do pagamento. Assim, como o risco de calote fica menor, é possível aliviar os juros. "Durante a vigência de um contrato, não tem como abaixar a taxa. O que pode ter acontecido é, num novo contrato, ser dada garantia sobre ele, e aí a taxa ser abaixada", explicou. No caso do ministro, conforme documentos registrados em cartório, isso não ocorreu. No STF, Toffoli relata processo em que o Mercantil tenta ser compensado por contribuições que, no seu entendimento, foram feitas em porcentual maior que o devido ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Vaivém Em junho de 2011, três meses antes do primeiro empréstimo, Toffoli negou recurso do Mercantil nesse processo. Segundo ele, não cabia reapreciação do caso, com base na jurisprudência do tribunal, por se tratar de "coisa julgada" em definitivo. Depois de concedidos os dois empréstimos, em janeiro de 2012, ao analisar um agravo regimental do banco, o ministro suspendeu o processo até o julgamento de outros dois recursos nos quais foi reconhecida repercussão geral de questão similar à discutida, ou seja, a possível relativização de "coisa julgada". A repercussão geral é um instrumento que permite ao Supremo selecionar determinado recurso, considerado relevante, para julgamento. A decisão nesse recurso poderá ser aplicada pelas demais instâncias do Judiciário em casos idênticos. O uso desse mecanismo reduz a quantidade de processos enviados ao STF. Em outro processo sob relatoria de Toffoli, o Mercantil questiona lei que aumentou de 3% para 4% a alíquota da Cofins sobre o faturamento de bancos. O processo foi distribuído ao ministro em 16 de setembro de 2011, 14 dias depois de feito o primeiro empréstimo. Em 28 de novembro do mesmo ano, ele reconheceu repercussão geral no caso. (Fábio Fabrini e Andreza Matais) As informações são do jornal O Estado de S. Paulo."

  20. sulivan ipiranga Postado em 10/Dec/2013 às 22:30

    Isso é normal nos estados unidos, a constituição de empresa familiar para compra de imóveis nos estados unidos, diminui a tributação naquele país. Sou corretor de imóveis e aconselho essa prática aos compradores.

  21. Meri Silveira Postado em 11/Dec/2013 às 10:52

    Há muitos juízes no Mato Grosso que verdadeiramente são grande corruptos e que ninguém, absolutamente ninguém faz nada. E agora, por velha perseguição política vamos à caça as bruxas...

  22. Abreu Postado em 22/Dec/2013 às 18:59

    Pois deveriam procurar o que fazer, isso sim! Aposto que as mesas estão lotadas de processos e preferem ver besteiras a que não lhe competem. Se o Ministro Barbosa comprou imóvel com empresa sediada nele em Miami, o QUE DIABOS O BRASIL TEM A VER COM ISSO? Assim como acolheram um assassino italiano por aqui, mas não podem julgá-lo. Não sei se o Sr. Joaquim Barbosa é "lobo em pele de cordeiro" como muitos dizem, mas é fato que seu trabalho está rompendo barreiras e muros que protegem a corrupção brasileira, garanto que há meses atrás ninguém diria que ao menos um dos políticos "peixe grande" brasileiros iria ser preso. Só espero que ele também aplique brevemente o mesmo julgamento ao "desvioduto" PSDBista, irei assistir esse julgamento com pipoca!

  23. Jorge Eduardo Huyer Postado em 23/Dec/2013 às 15:15

    Não queremos ele presidente coisa nenhuma, o queremos ministro do supremo e cobrar dele, que se atenha e julgue os tucanos, os corruptos espalhados até dentro dos próprios tribunais. O trabalho dele é julgar e não governar.

  24. fernando frota Postado em 23/Dec/2013 às 16:12

    qual o problema , eles não tem mais o que fazer , é duro aturar uma pessoa honesta e integra , vcs tem mais juizes para serem investigados , inclusive do STF

  25. joao Postado em 27/Dec/2013 às 21:58

    Joaquim Barbosa abriu uma empresa fantasma com a única finalidade de sonegar imposto no Brasil e nos EUA. Recebeu 700 mil reais da UERJ num período que era professor licenciado remunerado, ou seja, recebeu sem trabalhar na UERJ, mas trabalhava no STF. Declarou como sede da empresa fantasma o apartamento funcional, apartamento funcional não pode ser usado para sediar empresa, ainda que seja fantasma. Gastou 90 mil reais na reforma do banheiro do apartamento funciona (dinheiro público). Viajou para o rio de janeiro para assistir ao jogo da seleção brasileira às custas do dinheiro público, ficou no camarote de Angélica e Luciano Huck, uma semana depois o seu filho estava empregado na globo, justo no caldeirão do Huck, a rede globo recebeu os mandatos de prisão dos petistas antes da polícia federal.

  26. joubert abi ramia antonio Postado em 29/Dec/2013 às 15:58

    PALADINO DA JUSTIÇA !!! E eu, advogado militante,que sou ? Inscv.3.528-OAB=RJ.

  27. Celso Postado em 01/Aug/2014 às 17:43

    Será que só ele está fugindo à ética??? No Brasil pode sim receber quem é licenciado. Pode até arrumar um "Emprego" com um empresário amigo para fugir do cumprimento de uma pena. Pode em nome de "doação pela Internet " levantar dinheiro sabe-se de onde para pagar uma multa de preso. ????!!!!!@!@!! ESTE É O PAÍS DAS FALCATRUAS. BRASIL

  28. Azuir Ferreira Tavares Fi Postado em 01/Aug/2014 às 23:38

    . A PF INVESTIGA TODA GENTE, TEM DO SUPREMO INVESTIGAR. Tem a maior autoridade, boas condições de chegada. É Sua Responsabilidade, e Pra Isso Esta Preparada. Tem o mais conveniente, toda autoridade para atuar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Tem de sempre estar a ver, ninguém deixar interferir. Tem de o supremo proteger e nem imprensa conseguir. Uma Atitude bem prudente, pra nada lhe antecipar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. É pra dar toda Garantia, e os Juizes terem tranqüilidade. Questão de soberania, e ninguém tentar iniqüidade. Pra nenhum grupo demente, querer aos juizes tutelar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Julgamento do Mensalão, a PF tem de estar presente. Pra não haver intromissão, de criminoso insolente. Todo considerado infringente, é pra PF investigar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Questão Público Privado, Dinheiro pra PF investigar. Tem de ter tudo provado, não esperar o que vai dar. Tem de ter resposta Urgente. e de a Nação contemplar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Pra investigar tudo de fato, e ter o dado verdadeiro. Sendo Inocente Pizzolato, vamos lhe proteger inteiro. Pro Juiz não ficar incoerente, e dados errados passar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Pode até investigar, qual foi a votação comprada. Pra tudo se clarear, e a Constituição ser honrada. Pra ficar claro e convincente, e o Juiz poder provar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Tem tanto pra investigar, e com a Justiça contribuir. A PF não pode se ausentar, a PF não pode se omitir. Na sua parte tomar a frente, pois a PF tem de Honrar. A PF investiga toda gente, tem do Supremo investigar. Azuir Filho e Turmas de Amigos: do Social da Unicamp, Campinas, SP, Amigos de Rocha Miranda, Rio de Janeiro, RJ e Amigos de Mosqueiro, Belém, do Pará.

  29. VALMOR Postado em 02/Aug/2014 às 18:04

    A MÍDIA (PRINCIPALMENTE A GLOBO), QUER FAZER DELE O MESMO QUE FEZ COM O COLLOR DE MELO, QUEREM COLOCA-LO COMO PRESIDENTE, OU VICE DO AÉCIO, SÓ NÃO ENXERGA QUEM NÃO QUER. NÃO EXISTE SALVADOR DA PÁTRIA.

  30. itamar Leandro Postado em 19/Aug/2014 às 17:19

    Matéria requentada pelos bando dos PTralhas.