Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Homofobia 21/Aug/2013 às 21:51
36
Comentários

Corinthians contra a homofobia?

O preto, o branco e o arco-íris. Saiba como foi a reação de torcedores na internet após um corintiano sugerir que o clube aproveitasse a oportunidade para levantar a bandeira anti-homofobia

Diego Sartorato, CartaCapital

corinthians homofobia democracia corintiana

Sugestão de bandeira a ser levantada pelo Corinthians: a nova Democracia Corinthiana (Reprodução / Diego Sartorato)

Tornei-me corintiano para discordar da família: do lado paterno, como o sobrenome italiano denuncia, a tradição é torcer para o Palmeiras; do lado materno, a grande maioria é são-paulina. Eu ainda não sabia o que significava status quo, mas o conceito nunca me serviu, e o Timão nunca decepcionou nesse sentido. Minha geração não é a da fila de 23 anos, mas a dos títulos inéditos, de expressão.

A cada vitória suada dos “favelados”, dos “bandidos”, era como se o mundo tivesse virado de ponta cabeça e, por pelo menos 90 e poucos minutos, nada estivesse fora de alcance. Era como se todos os sonhos valessem a pena. Um sentimento difuso que ganhou conteúdo quando ouvi falar pela primeira vez da Democracia Corinthiana de Sócrates, Casagrande, Wladimir e Zenon – descobri com orgulho e alegria que meu time de coração não afrontava apenas os preconceitos pequeno-burgueses, mas também havia desafiado o autoritarismo careta e violento dos militares.

Leia também

O momento é oportuno para relembrar o vanguardismo que está no DNA alvinegro. Não importa se a foto polêmica de Emerson Sheik dando um selinho em um amigo foi protesto legítimo, mera irreverência ou publicidade para o restaurante onde a imagem foi registrada e do qual o camisa 11 é sócio. O gesto chamou a atenção para uma das questões mais sérias do futebol e da nossa sociedade: a homofobia que viceja dentro e fora dos estádios. Infelizmente, ofensas baseadas na sexualidade são comuns no embate entre torcidas há muito (e, não raramente, evoluem para a violência física), mas, na segunda-feira 19, as fileiras corinthianas viraram-se contra o próprio elenco.

A campanha #ForaSheik ganhou corpo rápido nas redes sociais, seguindo à risca o espírito de uma época em que o conservadorismo moral acua governos e impede o avanço de direitos, e pastores-parlamentares pregam a segregação nas ruas, nos templos, pela televisão e até nos consultórios médicos, tentando reverter a constatação científica de que não há nada de patológico na grande variedade de identidades sexuais conhecidas.

Nem Vampeta e Dinei, que posaram nus para uma revista gay, ou Ronaldo Fenômeno, envolvido em uma confusão com travestis, enfrentaram uma onda de difamação tão rápida e virulenta por parte da torcida corinthiana.

De minha parte, preferi um outro tipo de campanha: postei, em um grupo do Facebook dedicado ao clube, o logo da Democracia Corinthiana com as cores do arco-íris, sugerindo que o Timão voltasse à luta, desta vez, a favor da diversidade.

Os comentários reproduzidos abaixo são uma amostra pequena da dose cavalar de ódio contida em quase 200 postagens, que incluem ainda um chamamento para denunciar meu perfil como falso (o objetivo da minha proposta seria “prejudicar” a imagem do Corinthians associando-o à causa gay). Também encontrei apoiadores, mas, mesmo entre eles, havia os que se declaravam simpáticos às liberdades individuais, mas condenavam a atitude de Sheik porque a foto seria motivo para galhofa nas rodas de conversa – um temor que deveria pertencer a algum lugar entre a quarta e a quinta séries do Ensino Fundamental, mas que é cultivado entre marmanjos de todas as torcidas.

Dessa experiência, saí convencido de que o clube não pode ignorar, calar e consentir.

O Corinthians, de fato, não é partido político ou movimento social, e seu objetivo principal não é empreender nenhum tipo de campanha que não seja desempenhada em campo, disputando títulos. Nos últimos anos, aliás, tem se saído cada vez melhor como empresa privada dedicada ao lucro, e nada mais. Mas é insensato ignorar o peso dos símbolos. Independentemente de seu recente sucesso financeiro, o Corinthians é indissociável das lutas por igualdade e liberdade que o acompanham desde que foi fundado como time de operários que teve de cavar à força um espaço na elite do futebol. É, também, voz que fala direto à paixão de 30 milhões de pessoas, e responsável pela forma como utiliza (ou omite) essa influência sobre as massas.

Dirigentes, estejam atentos à oportunidade histórica que está posta para o clube, que tem potencial para fazer deste episódio o início de uma grande reflexão sobre a maturidade da nossa democracia e o respeito aos direitos humanos no Brasil.

Não desperdicem esta chance de posicionar o Corinthians mais uma vez ao lado dos que anseiam por justiça: cedam espaço do uniforme para mensagens de combate à homofobia; produzam campanhas de marketing para as redes sociais; levem faixas de apoio à luta GLBTT para o gramado; incentivem os atletas homossexuais a assumirem-se publicamente e ofereçam a eles o amparo para lidar com o preconceito que, aos poucos, podemos fazer sumir das arquibancadas e das ruas.

Se formos fiéis à grandeza da nossa história, com certeza não vamos deixar de contribuir com um serviço público essencial: a construção de uma sociedade mais pacífica, solidária e unida.

Reações abaixo

corinthians beijo gay sheik homofobia

Imagem / Reprodução / Edição: Pragmatismo Político

corinthians gay homofobia beijo

Imagem / Reprodução / Edição: Pragmatismo Político

Recomendados para você

Comentários

  1. Rogério Postado em 21/Aug/2013 às 22:10

    Imagine um sãopaulino descobrindo que tem um filho corintiano: "Oh meu Deus! O que os vizinhos vão pensar?"

  2. Mayra Postado em 21/Aug/2013 às 22:18

    Curioso comparar a bandeira nazista às dos movimentos do MST e LGBT...

  3. Junior Postado em 21/Aug/2013 às 22:48

    Vão pensar que ele é gay!rs

  4. Bruno Simonelli Postado em 22/Aug/2013 às 00:01

    O pensamento destes corinthianos é tão evoluído quanto o pensamento de uma Porta

  5. Eduardo Postado em 22/Aug/2013 às 01:36

    ...Meu Mengão já teve o Beijoca, e se os cutintianos não querem o Emerson, manda ele pra nós, forcem a diretoria expulsá-lo do elenco e o venda baratinho pro meu Mengão... quem sabe ele nos dê uma libertadores como deu a vocês... Melhor ele dando beijos que dando porrada, agredindo, e fazendo corpo mole em campo. E quem falou que beijo é coisa exclusiva de gays, se olharem para cultura mundial em vários países o beijo é como um aperto de mão aqui no Brasil, e convenhamos a vida particular de cada um é unica e exclusivamente problema de cada um... por maior que ele seja...

  6. Eduardo Postado em 22/Aug/2013 às 01:38

    e só para corrigir a DEMOCRACIA NÃO É CORINTIANA, ela é BRASILEIRA... respeito as diferenças e opções intimas sexuais é problema de cada um.

  7. Marina Postado em 22/Aug/2013 às 10:25

    Liberdade. A grande maioria da torcida corinthiana tá precisando conhecer o significado dessa palavra. Livre pra ser e fazer o que quiser, quando quiser e com quem quiser. Todo ser existente na terra deveria ter esse direito (que a Constituição garante, o que não é muito respeitado).

  8. nathalia Postado em 22/Aug/2013 às 10:27

    Eu sou corinthiana e sinto vergonha por esse bando de neandertal que se acha dono do time ou da vida das pessoas... o cara deu um selinho em um amigo, e se fosse uma relação é problema dele! Bom seria se alguns outros times se manifestassem pelo com bate a homofobia... já que tanta gente tem futebol como cultura e não só esporte, vale a pena tentar colocar tolerância como bandeira! Seria uma bela campanha. Quem compara bandeiras gays, comunistas, nazistas ou MST... não tenho nem o que falar...

  9. Caroline Postado em 22/Aug/2013 às 10:28

    Pelo amor de Deus!!! Fiquei atônica quando li! Comparando gays com nazistas??? Aonde chega a ignorância humana, que se espanta mais com um beijo entre dois homens do que com a corrupção, por exemplo? Uma sociedade que não sabe lidar e aceitar diferenças está fadada ao fracasso!

  10. Márcio Koehn Postado em 22/Aug/2013 às 10:37

    Nenhum dos distintos comentário citados no texto sabe a diferença de uma campanha anti-homofobia e uma campanha gay, são cegos pelo preconceito a ponto de conseguirem ler direito. Freud explica...

  11. Márcio Koehn Postado em 22/Aug/2013 às 10:39

    CORREÇÃO!! Nenhum dos distintos comentários citados no texto sabe a diferença de uma campanha anti-homofobia e uma campanha gay, são cegos pelo preconceito a ponto de NÃO conseguirem ler direito. Freud explica…

  12. Mayara Durães Postado em 22/Aug/2013 às 10:44

    Sinceramente, estou pouco me fudendo para os Corinthianos e sua ignorância cada vez mais absurda. Vai seguir sendo o time mais odiado do Brasil, e é mais odiado por causa dos seus torcedores patéticos, fanáticos e antiquados. (Não se sinta ofendido, afinal, você é Corinthiano e foi esculachado pelos seus.).

  13. luiggi Postado em 22/Aug/2013 às 10:50

    Esse país está doente. Futebol virou coisa sagrada, com dogmas. A honra reside no meio das pernas das pessoas e não no seu caráter. O fascismo está mostrando sua cara de maneira escancarada, amparado pelo pensamento torto que o faz para proeger a família, as crianças, o mundo, a galáxia, etc. Quando os maloqueiros - que ninguém sabe como desempregados tem tanto dinheiro para se deslocar acompanhando os jogos deste time - mataram aquele menino na Bolívia com o foguete e armaram aquela presepada incriminando um menor dias depois (para que não sofresse as sanções penais pelo seu ato por ser menor de idade, claro), o garoto chegou a receber como uma espécie de prêmio uma bolsa de estudos numa instituição privada. E morreu por ali o assunto. A grande mídia, muito interessada nos milhões que o futebol movimenta, criou logo uma campanha de alto teor emotivo para que os corintianos presos na Bolívia fossem soltos - tudo em nome da soberania nacional seriamente ofendida pela arbitrariedade Boliviana! Sei... A verdade é que a família do garoto lá na Bolívia chora pela segunda morte do menino, morte esta causada pela embromação que não vai incriminar ninguém e todos vão sair inocentados, prontos para barbarizar por onde passarem. Futebol se tornou o grande anestésico do planeta. No Brasil é uma verdadeira morfina. Tem poderes miraculosos. Faz com que milhões de pessoas se tornem "patriotas" emocionados durante os jogos da seleção, consegue blindar os maiores larões e falcatruas desde que estejam ligados à CBF ou à FIFA ou ás redes de TV que televisionam os eventos esportivos e por aí vai. Em meio a tanta demanda reprimida e manifestos por justiça de uma coisa podemos ter certeza: o Brasil pode até se acabar sob a quebradeira de protestos, greves e enfrentamentos nas ruas mas os jogos da copa e toda a estrutura que envolve o evento serão religiosamente preservados como se fossem sagrados, um verdadeiro dogma. E quem macular o dogma futebolístico tal como o fez o Sheik com sua atitude totalmente livre de segundas ou terceiras intenções, beijando seu amigo, será excomungado, defenestrado, banido do meio, em nome da honra inter pernas que habita o imaginário popular do esporte-eligião deste país. Isto é loucura. Não. Isto é burrice.

  14. Danilo Postado em 22/Aug/2013 às 11:03

    Corinthians é o time da GLOBO e não do povo.

  15. rafa Postado em 22/Aug/2013 às 11:13

    Corinthianos contra a Homofobia? Justamente os torcedores que mais infernizam o são-paulinos com ofensas de "bambis", desculpem, mas é muita hipocrisia.

  16. Leo Postado em 22/Aug/2013 às 11:22

    Na boa,os corinthianos deveriam ser mais machos e aguentar a gozação numa boa porque faz parte... E essa meia dúzia de imbecis que estão tentando coagir o sheik a fazer sei lá o que eles querem, vão procurar o que fazer, deixem o cara ser feliz!!!

  17. Jonas Postado em 22/Aug/2013 às 11:38

    Ai meu deus, quanta babaquice, quanto homem grande com medo de ser associado ou confundido com gay...grande merda o coríntias, o são paulo, o cacete... grande merda essa máquina de lavagem de dinheiro de tráfico de meninos para o exterior, grande merda se alguém é viado ou não. PQP quanta babaquice, quanta perda de tempo, quanta energia gasta à toa, quantos recursos do planeta gastos alimentando gente que não deveria nem estar vivo. Como é conservador e atrasado esse país. Como esses que se alardeiam tão machos, devem garantir sua masculinidade por que gostam de futebol, pronto, então sou homem, por que gosto de futebol, e esse é um terreno de preservação desse macho. Esse macho brasileiro que estupra, bate e mata mulheres, esse macho que panca um cara por que é bicha, esse macho que não é macho porra nenhuma por que não aguenta ver viado que se treme. Não suportar futebol e todo universo em torno dele não me faz menos homem. Não suporto esse macho brasileiro ignorante e agressivo. E o futebol é um espaço desse homem. Esse homem que come o rabo do outro e de travesti, mas não é viado por que é ativo. Seus merdas...

  18. Henrique Ribeiro Postado em 22/Aug/2013 às 11:46

    Eu só acho que esse vagabundo não deveria estar com o rosto e nome escondidos. Se ele foi "macho" de postar isso nas redes sociais, ele deveria MESMO se expor. Que ridículo!

  19. Bruno D. Postado em 22/Aug/2013 às 11:48

    Eu queria ver se fosse o Sócrates que tivesse beijado outro homem. Na realidade, os corinthianos são preconceituosos por medo das tirações de sarro e tudo o mais. Se todos aceitassem, um dia isso iria perder a graça e tudo ficaria normal, como é e sempre foi.

  20. Povo Postado em 22/Aug/2013 às 12:03

    A discussão é tão pré-histórica, tão nazista, que me dá calafrios que os "30 milhões de loucos (?)" estejam de acordo com o preconceito estampado nos comentários do post do autor!!! E o pior, jogam o "xingamento" - eles xingam de gay, hahaha, piada né!? - para a torcida do rival... É de uma ignorância tamanha, que espero com todas as forças que o clube como instituição, tome a frente e estampe um arco-íris enorme na camisa num próximo jogo... Se tiverem a coragem, que aquele time de vôlei teve no ano passado, e que a torcida compartilhou com muito orgulho!!! Façam história e não sujem a mesma, de mais de 100 anos... Observação: Eles se autodenominam maloqueiros graças a Deus, bandidos e tal...se sentem orgulhosos desses dizeres, mas se ofendem de um suposto comportamento homossexual... Pelo informado, o Emereson Sheik é heterossexual, seguro de tal forma de sua sexualidade que não tem o menor receio de encostar o lábio dele no lábio do amigo... quanta inversão de valores!!! Corinthianos - os babacas - cresçam, evoluam, tragam os 30 milhões às ruas, pra exigir mais respeito de suas diretorias ao torcedor: Pra comer, sempre apenas uma opção e ara! Pra beber, apenas refrigerante e água, caras! Dia de chuva? Que os torcedores se molhem! E quanto ta o ingresso? Cerca de 15% de um salário mínimo! E o horário dos jogos? Depois da novela, pq a Globo manda! Tanta luta justa para ser travada, com o potencial enorme dessa torcida gigante, e nego se importando com um selinho! Que desesperança...

  21. rodrigo Postado em 22/Aug/2013 às 12:17

    O que ele fez foi uma brincadeira, tá longe dele ser gay. O que acontece é que as pessoas são preconceituosas mas não assumem. Cansei de ler frases do tipo: ele faz o que quiser da vida dele, mas estando fora do corinthians. Ora, se se dá o direito dele fazer o que quiser, então pq tem que ser fora do corinthians? Nossa torcida é tão grande que tem todos os tipos de gentes inclusive os homofóbicos. Enão só na nossa torcida, mas em todas. Nunca vi tanta postagens no face associando o ato isolado do sheik à imagem de TODOS os corinthianos são gays. Talvez seja esse o principal motivo de tanta repudiação por parte de alguns torcedores.

  22. Gauche Postado em 22/Aug/2013 às 12:47

    Pastor não pode, como jogador do curintia pode??? HAHAHAHAHAHA Absurdo isso!!! HAHAHAHAHAHA Como tem gente tapada nesse mundo.

  23. Beto Postado em 22/Aug/2013 às 13:31

    Cinco imbecis vão na frente do CT falar bobagens e dizem a Nação está indignada. Ah tá! Olha, esses NÃO me representam, e faço parte da Nação, a Nação deveria é arrumar um emprego e uma escola pra esses coitados.

  24. Rafael Postado em 22/Aug/2013 às 14:01

    a atitude de emerson sheik é do tamanho da hipocrisia corinthiana. antes, para ofender a torcida são paulina, gay servia de ofensa. agora o corinthians tenta se transformar em vanguarda do futebol, tentando glorificar um ato que por anos e anos e anos e anos o clube e seus torcedores não concordavam. parabéns. o marketing deu certo.

  25. renato Postado em 22/Aug/2013 às 15:58

    Mayra, não de bola. Este corintiano é daltônico. estava com bandeira lghtydvb, listrada e achava que é era bandeira do corintia.. Eles estavam quietos, você não notou. Desde que foram campeões e furaram o olho do guri, estava todo mundo quieto. Mas foi só cutucar a onça pintadinha, e pronto, eles não estavam mais aguentando. Todos muito reprimidos, até perderam para aquele timinho, que é para levar a massa ao campo. A massa reprimida...vão detonar o coitadinho do Lumbriguense.

  26. Rodolfo Postado em 22/Aug/2013 às 17:41

    Isso é o que dá uma estratégia de marketing atrapalhada. Foram colocar na cabeça de milhões de gente semi-analfabeta ou iletrada que o time é uma nação - agora aguentem. Toda nação tem suas próprias leis - eles estão fazendo a deles.

  27. Cacique Postado em 22/Aug/2013 às 18:47

    CORINTHIANS, SAI DO ARMÁRIO!!!!!

  28. Karina Postado em 22/Aug/2013 às 19:11

    O que eu percebo em relação a homofobia é uma PIADA, constantemente repetida no melhor estilo: Não tenho preconceito,desde que esteja longe, desde que não seja público,desde que não seja na minha família...E eu não me engano muito com a pseudo-revolução que acreditam estarem acontecendo no Brasil porque muito embora tenha muita gente boa, séria e com ideais bacanas lutando por um país melhor, muita gente em contrapartida não entendeu ainda que antes da revolução de um povo e de um país, precisa existir a revolução individual, real, de cada ser humano. E pelo visto, futebol, religião e política (que nunca são discutidos) estão atrapalhando e muito esse desenvolvimento.

  29. Maria Postado em 23/Aug/2013 às 10:55

    Engraçado dos comentários é que a maioria fala que a torcida corintiana é ignorante, sendo que se tivesse acontecido em qualquer outro time, a reação teria sido a mesma. O brasileiro é homofóbico, isso não é só no Corinthians. Essa questão mostra o conservadorismo dos brasileiros e como as torcidas sempre arranjarão um jeito de se odiar.

  30. Sérgio Postado em 23/Aug/2013 às 20:36

    Como corinthiano desde criancinha, sinto-me envergonhado ao ver um comportamento tão boçal por parte de uma torcida que é tão marginalizada pelo resto do Brasil. Entretanto, sendo um dos clubes mais populares do país, é inevitável que haja uma parcela de imbecis no meio. Discordo de quem acha que isso é problema exclusivamente do Corinthians, como vi em alguns comentários - isso é problema do Brasil e de sua cultura retrógrada e conservadora e prova disso são as piadas dos torcedores rivais ("Corinthians é time de viado" etc.). Eu diria que o problema da homofobia no Brasil está tal e qual o problema do racismo no futebol europeu. Temos muito caminho a percorrer ainda.

  31. Helder de lima couto Postado em 24/Aug/2013 às 22:24

    uma pergunta chamar são paulino,e fluminense de viado tbm não é homofobia?

  32. Osvaldo Postado em 27/Aug/2013 às 16:58

    FUTEBOL: A hipocrisia curintiana me enoja!!! Essa história de bambi começou com o imbecil do Vampeta zuando o SP, pouco tempo depois foi citado no livro do Vera Verão, ou seja, ele tem muita moral pra falar né? O próprio Emerson Sheik quando ganhou a Recopa disse: "um abraço para as moças" zuando o SP e logo depois aparece dando selinho dizendo que é corajoso e que não se importa com os preconceituosos, depois, o "corajoso" pressionado pela Gayviões da fiel disse que foi só uma brincadeira e que ele não é São Paulino. O Tevez quando jogava nesse timeco beijou o Maradona na boca, o Ronalducho gosta de travecos, a maior torcida na parada gay é curintiana, o técnico das categorias de base era pedófilo e foi afastado por abusar sexualmente dos garotos.VCS SEMPRE FORAM OS VERDADEIROS BAMBIS. Sociedade: Em pleno século 21 ainda existe preconceitos com cor da pele, opção sexual e outros tantos. A inversão de valores tá cada dia pior, nossa sociedade trata bem e elogia políticos corruptos, empresários desonestos, enfim qualquer pessoa que tenha $ e poder e por outro lado discrimina e maltrata pessoas honestas que não fazem mal a ninguém e muitas vezes ainda ajudam o próximo, pessoas simples que vivem do seu trabalho honrosamente só por ser negro, nordestino ou gay. Pra quem se acha muito inteligente, julgar as pessoas pela cor da pele ou opção sexual é uma prova de burrice. Vamos nos preocupar com os nossos políticos que nos assaltam todos os dias, deixem os (as) gays em paz, a opção sexual deles não prejudica ninguém e entre eles (as) há inúmeras pessoas de muito valor, honestas, inteligentes, filantropas, de bom caráter, isso é o que realmente importa. Acho que não só o curintia mas todos os clubes deviam fazer essa campanha contra a homofobia.

  33. Rick Postado em 31/Aug/2013 às 00:37

    -Isso tem alguma coisa em comum com os DVD's da série '' OS LUMINATES ''