Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Barbárie 07/Aug/2013 às 17:18
8
Comentários

Caso Tayná: IML teria destruído provas do crime

Caso Tayná: família diz que IML destruiu provas do crime ao queimar roupas da adolescente. Em nota, órgão afirmou que a incineração é procedimento comum após análise

A família da jovem Tayná da Silva, de 14 anos, afirma que o IML (Instituto Médico Legal) queimou as roupas da adolescente e que apenas a calcinha foi preservada. Um pedido foi feito para que o cadáver seja exumado, mas a família disse acreditar que a queima das peças atrapalhe a realização de uma nova perícia.

caso tayná paraná

Caso Tayná: Polícia ainda não identificou assassino de adolescente (Foto: Arquivo Pessoal)

A irmã Márcia Silva afirmou que a roupa deveria ser preservada por poder conter sêmen dos suspeitos. Em nota, o IML diz que tanto o cadarço, quanto as botas e demais pertences da menina Tayná estão guardados no instituto. As roupas dela passaram por várias análises, mas como em casos comuns, o IML incinera o que não serve mais como prova. Isso só acontece caso a família não queira os pertences, que passam a ser considerados lixo especial.

A Associação dos Médicos Legistas entrou com uma representação pedindo que a polícia abra uma sindicância para apurar as condições que o laudo sobre o sêmen foi feito. Segundo a associação, o médico que estava de plantão não fez o exame, mas sim acionou outro que não estava trabalhando, o que seria irregular.

Em nota, a Polícia Científica do Paraná “esclarece que a necropsia do corpo da menina Tayná Adriane da Silva, 14 anos, e a coleta de materiais para exames complementares foram realizadas pelo médico-legista que é chefe do necrotério do Instituto Médico-Legal de Curitiba, Alexandre Gebran Neto. O laudo foi elaborado em conjunto com o diretor do IML do Paraná, Porcídio Vilani. A realização dos exames por parte desses médicos legistas ocorreu por determinação do diretor-geral da Polícia Científica, Leon Grupenmacher, em razão do clamor público que existia em torno do caso, para possibilitar a imediata realização do exame e pela vasta experiência dos médicos legistas designados”.

Leia também

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Paraná denunciou nesta quinta (1º) à Justiça 21 pessoas por envolvimento no caso de tortura a quatro suspeitos de estuprar e matar a adolescente Tayná da Silva.

Uma pessoa foi denunciada por falso testemunho, uma por lesão corporal de natureza grave e abuso de autoridade, e 19 por tortura — duas delas foram acusadas por crime de natureza sexual. Entre os 21 denunciados, estão 16 policiais civis, um policial militar, dois guardas municipais e dois presos “de confiança”.

Os quatro rapazes foram soltos a pedido do Ministério Público após a divulgação do laudo sobre o sêmen. Tayna foi estuprada e a causa da morte foi dada como asfixia. A Justiça ainda não decidiu se autoriza a exumação.

com R7

Recomendados para você

Comentários

  1. Luciana Postado em 07/Aug/2013 às 18:09

    gente, por que o novo do arquivo está tayna-morta? :S

  2. tiago carneiro Postado em 07/Aug/2013 às 18:13

    opa, estamos encobrindo mais algum filho de gente importante.

  3. Carlos John Postado em 07/Aug/2013 às 19:37

    sou paranaense, de curitiba, meu estado é absurdamente facista. um atraso total.

  4. renato Postado em 07/Aug/2013 às 19:40

    Opa, tem gente grande na parada. E acho que não se trata só de um estupro seguido de morte. O negocio é mais embaixo....É peixe grande. Mas a Policia do paraná não pega ninguem mesmo. Cade a menina da mala na rodoviaria. Este cara continua fazendo, ou era só a menina?

  5. renato Postado em 07/Aug/2013 às 19:43

    Já perderam tempo e a moral, para por qualquer um na cadeia. Daqui para frente, serão todos inocentes ou torturados. E quantas pessoas que estão presas, por este grupo, que não tiveram oportunidade de se expressar. Se não me engano, nos EUA, quem foi preso por torturador tem novo julgamento.É lei... Bandidos, colocaram a Policia em xeque. Vão dar um jeito dos caras voltar para cadeia, ou mata-los.

  6. Vinícius Postado em 08/Aug/2013 às 21:29

    Parece que nos dias atuais não se tem mais em quem acreditar... Maldita seja a legitima defesa!

  7. MILA Postado em 09/Aug/2013 às 13:24

    VERDADE VEJA AQUI EM LONDRINA UM ADVOGADO FAMOSO FOI PRESO POR PEDOFILIA