Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Saúde 28/Aug/2013 às 12:35
12
Comentários

O brasileiro de 77 anos que está no Mais Médicos

Nilton Martins dos Santos, 77 anos, diz que a falta de médicos é o maior problema da saúde no Brasil. Ele largou a clínica particular para atuar pelo Mais Médicos, programa que busca profissionais para atuar em regiões carentes

O médico Nilton Martins dos Santos não para. Formado em pediatria, decidiu há 25 anos deixar o Rio de Janeiro para trabalhar como clínico geral na saúde pública em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Mesmo aposentado, continuou a atuar no setor particular, em uma clínica em Guarulhos, onde reside atualmente. Aos 77 anos, com o anúncio do programa Mais Médicos, que busca profissionais de saúde para atuar em regiões com carência de atendimento, decidiu largar a clínica particular e embarcar em mais uma empreitada.

mais médicos brasil

Nilton Martins dos Santos explica que maior problema da saúde no Brasil é a falta de médicos.

Selecionado no programa federal, ele vai atuar como médico em Arujá, na região metropolitana de São Paulo. “Eu já trabalhei no programa Saúde da Família também. Agora eu vim para esse programa Mais Médicos. (…) É um programa novo e quero ver se ele vai funcionar “, conta. “Foi muito bom, porque ele gosta de estar na ativa”, diz a mulher de Martins, Josimar Batista, 43 anos.

Recheado de polêmicas, o programa é alvo de reclamações de diversas entidades médicas, que reclamam de alguns pontos da iniciativa. A começar pela bolsa de R$ 10 mil mensais oferecida pelo governo por um contrato de três anos, ao invés de uma carreira pública, como a de promotor ou juiz.

“Enquanto não tiver médicos no Brasil para preencher as vagas, não tem outro jeito. O povo precisa de atendimento. Eu não sou contra não. Tem muita gente que é contra. Não tem nada que ser contra. Se ele não quer, for contra, vai lá trabalhar”, diz Santos, que acha que os críticos não têm interesse em trabalhar em programas públicos.

Leia também

As entidades reclamam também que o problema de falta de médicos em muitos locais é causado pela falta de estrutura, e não pelos salários oferecidos pelos municípios. Santos discorda.

Falta médico. Estrutura, no caso, nos postos de saúde, não precisa muita coisa. Você precisa de estrutura dentro do hospital. Dentro do hospital você tem que ter tudo. No ambulatório, a gente atende. Com as coisas que tem lá dá para resolver até encaminhar para um hospital. Um infarto, uma hipertensão, um médico comum não resolve ali”, diz o médico.​

Para Santos, o ponto mais polêmico é a revalidação do diploma. Ele acredita que deve se atestar, de alguma forma, se o médico realmente está em condições de trabalhar no Brasil, mas não necessariamente com uma prova. O médico sugere um curso de adaptação. “Há uns 10 anos, tiveram muitos médicos (estrangeiros) que trabalharam, e alguns muito bons. Os que não se adaptaram, foram embora.”

Matheus Pessel, Terra

Tags

Recomendados para você

Comentários

  1. Rejane Lima Postado em 28/Aug/2013 às 14:56

    Que Deus abençoe essa boa alma, e q sirva de lição para os mercenários.

  2. MICHEL Postado em 28/Aug/2013 às 15:34

    Isso sim é um exemplo de homem e de médico, diferente de alguns filhinhos de papai brasileiros e mimados, que só pensam em seu próprio bolso.

  3. um marxista Postado em 28/Aug/2013 às 17:24

    Sempre me posicionei a favor da maioria das colocações do site Pragmatismo Político, porém os últimos artigos - que envolvem basicamente o Mais Médicos - têm me decepcionado muito. Adotando uma postura parecida com o que a Veja adotaria ou adota para afirmar suas visões reacionárias, ou seja, usando casos isolados e subjetivos como indução para impôr sua visão àquilo que é universal , os artigos vêm faltando completamente com qualquer dialética, não conseguindo enxergar a questão em sua totalidade, e apenas se alinhando estritamente às medidas governamentais . A situação da atenção primária brasileira exige intervenções, porém não é com ódio de classe aos médicos que se chegará a algo positivo.

  4. H.92 Postado em 28/Aug/2013 às 17:40

    Esse além de médico é HUMANO.

  5. renato Postado em 28/Aug/2013 às 18:09

    Que maravilha.........................

  6. Ivete Postado em 28/Aug/2013 às 19:28

    Que lindo, Deus abençoe e que tenha muitos anos de vida pela frente e desse tipo de profissional que precisamos.

  7. maria Postado em 28/Aug/2013 às 21:23

    Muito bem é assim que se faz!

  8. Ary Soares - Goiânia Postado em 28/Aug/2013 às 23:02

    A postura desse senhor ajuda a superar a vergonha que senti pela molecagem que vimos em Fortaleza.

  9. Maria de Lourdes Cardoso Postado em 28/Aug/2013 às 23:53

    Você não se parece com UM MARXISTA. Você já leu Marx? Eu faço um comentário sobre "El capital" em http://mexendocomlivros.blogspot.com. O médico em questão não é um caso isolado, Dr. Mário Henrique, gaúcho, fechou o consultório particular e se aposentou pelos SUS e outras aposentadorias que deve ter pago e atende num asilo. Levanta cedo e toma café com os idosos e depois dá carinho, verifica a pressão, a febre, os batimentos cardíacos. Um figuraço de pneumologista e quando eu tive um enfarto pulmonar, ele me atendeu no serviço, todo o tratamento pelo SUS. No momento não temos outra solução e você que não pode abraçar o Brasil sozinho, deixe que outros façam. FHC contratou médicos cubanos e não fez nenhum estardalhaço, ninguém ficou sabendo.

  10. Lucia Lima Postado em 29/Aug/2013 às 09:24

    Pior é adoecer e não ter quem atenda!por pior que seja um médico sabe mais que um leigo,mesmo não sendo esse o ideal, mas esses médicos que reclamam são mimados e nunca ficaram sem atendimento ou precisaram do SUS!a alguns anos fui atendida aqui na minha cidade por um médico cubano, o dr Gilberto e foi de uma competência incrível! os médicos brasileiros confundem o juramento de HIPÓCRATES com HIPÓCRITAS!