Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Homofobia 20/Aug/2013 às 11:54
12
Comentários

Apresentador russo sugere que corações de gays sejam queimados

Apresentador de TV russo propõe que corações de LGBTs mortos sejam queimados. Kiselev diz defender medida pois médicos não conseguem garantir ausência de doenças em sangue e órgãos

“Eu acho que impor multas aos gays por propaganda homossexual para menores não é suficiente. Eles deveriam ser proibidos de doar sangue, esperma. E seus corações, em caso de acidente de automóvel, deveriam ser enterrados no solo ou queimados, como inadequeados para a continuação da vida”. Foi com estas palavras que Dmitry Kiselev, apresentador do canal estatal russo Rossyia 1, o segundo mais visto do país, se referiu em abril do ano passado às minorias sexuais, em cadeia nacional. Quando termina a frase, a plateia aplaude Kiselev.

O vídeo viralizou neste último fim-de-semana na Rússia e foi reproduzido por milhões de pessoas nas redes sociais do país e entre organizações LGBT do mundo inteiro.

apresentador russo gays homofobia

Apresentador de TV russo propõe que corações de LGBTs mortos sejam queimados (Reprodução)

Nos canais russos do YouTube, as palavras de apoio à declaração de Kiselev são uma clara maioria. “Muito bem, Kiselev. Eles devem ser destruídos. (…) Temos que proteger a maioria normal da minoria pervertida (…) Quero que meus filhos e netos tenham uma vida saudável física e psicologicamente, como ordenou deus todo-poderoso”, comentou o usuário Ilya Terechin. “Ele (Kiselev) disse tudo corretamente. Não deem ouvidos a estes lixos tolerantes”, replicou Aleksandr Belyi. “Só uma correção. Não são gays. São pederastas”, disse Paola Uvanovich também em um canal russo do YouTube.

Em entrevista ao jornal russo Izvestia, Dmitry Kiselev tentou se explicar. “As minhas palavras sobre os órgãos dos homossexuais foram uma provocação saudável”. Segundo o apresentador, ele queria apenas levantar a discussão na Duma (câmara baixa do Parlamento russo) sobre a doação de orgãos e sangue por homossexuais. “Não sou homofóbico. Tenho muitos amigos homossexuais. Mas isso (impedir que gays sejam doadores) é uma prática mundial, em quase todos os lugares… Estados Unidos, Europa, Japão, países árabes, menos na Rússia”.

Leia também

Kiselev sugere na entrevista que gays sejam proibidos de ser doadores e propõe que haja uma punição caso mintam. O apresentador de tv russo diz ainda que “os médicos não podem garantir a segurança da doação, então os gays não podem ser doadores”. Segundo ele, os estudos mais sofisticados não conseguem provar a ausência do vírus da AIDS no sangue e no sêmen e afirmou ainda que os médicos russos precisam adotar esta proibição de doação por parte das minorias sexuais.

“Eu só sou contrário ao fato que os representantes de um certo grupo queiram impor algo diferente. As tradições russas dizem que a cultura íntima é… íntima. Não deve ser trazida à praça. Por isso sou contra as paradas gays. Vá para clubes com portas rosas. Eles não são proibidos na Rússia”, declarou Kiselev.

O apresentador disse ainda que, segundo Freud, as crianças são bissexuais e que por isso a propaganda homossexual deve ser proibida na Rússia. E concluiu: “Os corações dos que morrerem deve ser cremados ou enterrados. Não como um ritual. Somente um pequeno caixão ou no crematório. E que descansem em paz”.

A explicação de Dmitry Kiselev não convenceu a todos. Um jovem gay que preferiu não ser identificado porque trabalha no mesmo canal do apresentador disse à reportagem que o problema deste tipo de declaração é a falta de discernimento daqueles que a assistem. “Nem todo mundo vai achar que isso é uma provocação política, um debate. Várias pessoas vão se sentir encorajadas a agredir um gay depois de ver esta declaração”, lamenta.

Opinião pública

Pesquisas recentes do Centro de Opinião Pública Levada indicam que 85% dos adultos russos são veementemente contrários à lei de casamento igualitário. Apenas 5% são favoráveis a união entre pessoas do mesmo sexo, número que caiu em nove pontos percentuais em apenas três anos. A mesma pesquisa mostra ainda que 16% dos entrevistados acreditam que os homossexuais devam ser isolados da sociedade, 22% pensam que eles devem receber tratamento compulsório e 5% acham que os gays devem ser exterminados.

Sandro Fernandes, Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 20/Aug/2013 às 23:06

    MALDITOS USA, só que não kkkkkk.

  2. Lyndy Luca Postado em 21/Aug/2013 às 06:44

    Percebo que existe uma maior concentração de gente ignorante, estúpida e mesquinha nesse país, em que eu jamais pretendo por os meus pés. Que tristeza!

  3. Fernand Mathie Postado em 21/Aug/2013 às 08:24

    A nation of complete ignorants is been formed !!! Poor people, poor politicians, poor country !

  4. luiggi Postado em 21/Aug/2013 às 09:41

    Mas que hipocrisia! Ontem eram tratados como cachorros sarnentos e nem podiam falar em Deus ou religião que a polícia do estado os perseguia. Hoje querem ocupar o lugar de seus antigos algozes promovendo uma limpeza social - bem nos moldes da antiga URSS - matando quem não lhes agrada e, pior, tudo em nome de Deus. Malditos sejam, homofóbicos de merda. Parece que aquele pedaço do planeta é um lugar destinado a não haver paz.

  5. Heder Postado em 21/Aug/2013 às 13:50

    "Eu não sou homofóbico, até tenho amigos homossexuais". Mano, esse cara é um ESTEREÓTIPO VIVO!

  6. Di Souto Postado em 21/Aug/2013 às 17:08

    “Eu não sou homofóbico, até tenho amigos homossexuais” interessante que seja, no Brasil, nos EUa ou na rússia, a desculpa de quem tem preconceitos é sempre a mesma.

  7. Gabo Postado em 22/Aug/2013 às 08:47

    Curioso a ausência dos fundamentalistas da esportista russa homofóbica nesta matéria. Intrigante!

  8. Inácio Postado em 15/Oct/2013 às 17:02

    Vou morar na Rússia. Falta uma lei desse tipo aqui no brasil. Viadinhos de merda. MORRAM!!!