Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Rio de Janeiro 23/Jul/2013 às 15:11
1
Comentário

Repórter Ninja relata detalhes e covardia de sua prisão

Relato de Filipe Peçanha, o Carioca, um dos repórteres NINJA detidos ontem pela PM do Rio

Filipe Peçanha

“Uma mão segura forte meu braço. Um homem alto, de óculos, com uma camisa clara fala: “Me da uma entrevista? Quero pegar um depoimento seu”. Achando estranho, pergunto: “Qual seu nome, pra que veículo?” Ele não responde.

Com a outra mão falava freneticamente ao celular com alguém que parecia coordenar sua ação. Eis que começo a ser levado a força pelo “entrevistador” enquanto um policial fardado chega junto. Ele pede para que eu abra a mochila. Revista, pede meu documento. Não acha nada de suspeito ou ilegal. Ainda assim, me avisa que serei encaminhado para a Delegacia.

“Averiguação”, diz ele.

Naquele ponto, ao meu redor, 1.000 pessoas tomavam a escadaria da igreja do largo do Machado. Inconformadas após a investida da tropa de choque contra os manifestantes que, meia hora antes, já começavam a se dispersar. Seria, em tese, o final das manifestações nos arredores do Palacio Guanabara. Mas a policia preferiu atacar…

mídia ninja filipe peçanha preso

O repórter da Mídia Ninja Filipe Peçanha (Reprodução)

Comigo, 10.000 pessoas assistiam a transmissão da PósTV. Desde as 14h eu estava com a equipe da Midia NINJA em campo transmitindo o primeiro dia da visita do Papa ao Rio de Janeiro. Às 20h30 o policial à paisana me puxa pelo braço.

A comoção foi muito grande. Maior do que podia imaginar. Centenas de pessoas cercaram o carro da polícia enquanto confiscavam meu celular a força e tentavam partir para a 9 DP. No meio do caminho, o mesmo paisana, após me agredir, pede para parar a viatura. “Vou ter que voltar, preciso prender mais um”.

Cheguei na delegacia, mas nao cheguei sozinho. Me esperando, 3 advogados da OAB para defender o caso. Dentro da delegacia a narrativa foi burocratica. Em poucos instantes surge mais um NINJA na sala de espera. Foi detido também. Porque estava ao vivo…

Leia também

Enquanto aguardava as providências, alguns rumores no ar. “A manifestação esta vindo pra cá” comentam os oficiais entre si. Depois de 30min já se ouve o grito nas ruas:”Ei polícia, solta a Midia NINJA!”. Sem acusação formal, dou meu depoimento e, finalmente, sou liberado.

Ao sair senti milhares de pessoas vibrarem. Ali diante da 9ª DP – e diante de seus computadores, onde quer que estivessem. A fusão entre a rede a rua se mostrou mais clara. Eles tentaram derrubar nossa transmissão ao deter um, dois, três NINJAS. Mas eles não entenderam que não é uma câmera, um repórter… é uma rede. Podem até derrubar um. E assim surgem outros 1000.

‪#‎SomosTodosNINJAs‬

PS: Agradeço a todos que se sensibilizaram com a causa e que juntaram esforços para ajudar. Em especial aos advogados da OAB que estiveram envolvidos do começo ao fim, não só do nosso caso, mas de todos os que foram detidos. Mas um ainda sobrou na 9 DP, e corre o risco de ir para um presídio ainda hoje. E é por conta dele que estou saindo nesse momento para transmitir ao vivo direto da 9 DP, novamente.”

Recomendados para você

Comentários

  1. H.92 Postado em 23/Jul/2013 às 16:40

    Só acho estranho isso aqui: https://www.facebook.com/midiaNINJA/posts/207095529448600 - Não tinha outro veículo pra citar que não fosse a Veja? Que a prisão um crime em si não tenho dúvida, deter uma pessoa que só estava transmitindo a manifestação é algo inadmissível.