Redação Pragmatismo
Compartilhar
Contra o Preconceito 30/Jul/2013 às 23:51
28
Comentários

Fã de Mujica, jogador do Palmeiras defende legalização do aborto e maconha

Apreciador de literatura e fã de Pepe Mujica; volante do Palmeiras defende a legalização do aborto e da maconha

Sebastián Eguren fala sobre música, literatura e política com a mesma desenvoltura que comenta esquemas táticos e a cobertura dos laterais. Admirador de José Mujica, presidente do Uruguai, ele defende a legalização do aborto e da maconha, duas medidas encampadas pelo chefe de Estado, ainda que não concorde com o consumo de drogas, como faz questão de enfatizar.

sebastián palmeiras maconha aborto mujica

Sebastián Eguren é fã de Pepe Mujica e defende a legalização do aborto e da maconha (Foto: Palmeiras)

O raciocínio do volante para defender a legalização da maconha é semelhante ao usado por Mujica. Na medida em que a droga jamais foi erradicada e é costumeiramente consumida à margem da lei, é mais vantajoso (ou menos danoso) legalizá-la e criar uma legislação específica para o tema – o presidente uruguaio propõe que a venda seja realizada pelo Estado.

“Não concordo com o consumo de maconha, tabaco e álcool, mas, quando as coisas são fiscalizadas e consumidas legalmente, é favorável a todos. O fato de que o presidente apoie a causa não significa que esteja fazendo apologia. As pessoas consomem maconha e, legalizando-a, o Estado poderá ser ressarcido. O consumo ficaria mais restrito e não haveria um negócio sujo por baixo dos panos. Não me parece ruim”, disse.

Já a legalização do aborto, argumentou Eguren, poderia poupar a vida de várias mulheres. “O aborto sempre fez parte do dia a dia, e muitas garotas morrem. Legalizando, a mulher pode escolher, ela tem que ser parte desse assunto. Esse tipo de coisa deve ser feito dentro da legalidade e cuidando da saúde de quem quer fazer”, declarou.José Mujica, no poder desde 2010, encampa as duas medidas. Em meados dos anos 1960, como integrante dos Tupamaros – movimento de guerrilha uruguaio -, ele foi baleado e passou aproximadamente 14 anos preso. Libertado com a volta da democracia em 1985, retomou a carreira e política e, mesmo eleito presidente, manteve hábitos simples, como dirigir um fusca 1987 e morar em um sítio nos arredores de Montevidéu.

Leia também

“Tenho muitos pontos em comum com seu pensamento e maneira de ser. O mais admirável é que o presidente Mujica teve um passado que poderia fazê-lo governar com rancor, mas ele dirige o país sem pensar no passado. Além disso, gosta de governar pelo exemplo. O Uruguai está em um caminho de justiça social que antes não existia e vem melhorando em várias áreas, mas precisa continuar crescendo”, analisou Eguren.

Durante a Copa de 2010, com a gestão de Mujica recém-iniciada, o Uruguai viveu um momento especial. Bicampeã olímpica (1924 e 1928) e mundial (1930 e 1950), a Celeste reassumiu o papel de protagonista no futebol há tempos perdido ao alcançar o quarto lugar depois de uma vitória histórica sobre Gana nas quartas de final. No país, a celebração transcendeu o aspecto meramente esportivo, conta Eguren.”Vínhamos de uma crise econômica significativa do começo dos anos 2000. O país já tinha melhorado, mas faltava algo para que nosso povo pudesse festejar, e a Copa foi a desculpa perfeita. Fazia muito tempo que o Uruguai não tinha apenas uma cor, a cor celeste. Já não importavam os partidos políticos, a cor da pele e a classe social. Todos saíram às ruas para festejar não um título, mas uma honrosa derrota na semifinal”, contou.

Fã de futebol, o escritor Eduardo Galeano, admirado por Eguren, foi um dos milhões de uruguaios que vibraram com a campanha da Celeste na Copa de 2010. O volante também gosta das obras do falecido compatriota Mario Benedetti, mais um fã de futebol, e do panamenho de origem mexicana Carlos Fuentes, além do galês Ken Follet.

Por influência dos pais, Eguren se acostumou a ouvir Bob Dylan e Pink Floyd desde pequeno. Admirador dos uruguaios Jorge Drexler e No te va gustar, ele também é fã de cantores brasileiros. “Titãs, Legião Urbana, Cazuza, Cássia Eller, Marisa Monte, Adriana Calcanhoto e Ana Carolina”, enumerou. O gosto por política, literatura e música, garante o jogador, não o faz sentir entediado em meio aos boleiros nas concentrações.

“Muitas vezes, as entrevistas só falam de futebol. Se você me perguntar como foi o jogo, vou te responder sobre o jogo. Isso pode acontecer com outros jogadores. Você pensa que a pessoa não gostaria de falar sobre política, mas ela pode ser capaz. Eu me divirto nas concentrações. O futebol é algo estranho: um garoto de 17 anos pode compartilhar o mesmo objetivo de um homem de 35”, afirmou.

Bruno Ceccon e William Correia, Gazeta Esportiva

Recomendados para você

Comentários

  1. Ricardo Rangel Postado em 31/Jul/2013 às 07:47

    Não entendi. Em que uma opinião de jogador de futebol ajuda na causa? Isso deve ser discutido a luz da razão, envolvendo números e dados concretos e não leviandades de usuários ou simples espectadores. Tem coisas mais importantes para se discutir agora que maconha ou aborto.

    • Sergi Postado em 25/Sep/2013 às 10:38

      Blá, blá, blá, não tem nada haver com ajuda de causa, é só uma opinião...

    • Carlos Postado em 19/Nov/2013 às 11:28

      Tudo pela causa, ridicularize os que não concordam. Aqui a razão pouco importa.

    • João Postado em 28/May/2014 às 19:41

      é uma opinião de um cidadão uruguaio sobre seu país, só porque é jogador de futebol não quer dizer que não tenha opinião a respeito de seu País, ele não está defendendo causa apenas respondeu as perguntas da imprensa.

  2. Artur Postado em 31/Jul/2013 às 08:07

    totalmente pertinente o assunto da noticia. é uma discussao atualissima, pois as consequencias sao imediatas. sabe quem é tocado, ou esbarra, em alguma destas leis absurdas. abram-se os olhos, fecham-se as bocas.

  3. Marcos Postado em 31/Jul/2013 às 08:45

    Então só vamos discutir maconha e aborto quando tivermos resolvido as "coisas mais importantes"? E quando é isso?

    • Byanka Postado em 30/May/2014 às 05:17

      Ótima pergunta! Faço eco: quando é isso?

  4. Roni Postado em 31/Jul/2013 às 08:52

    Totalmente pertinente a matéria. Jogadores de futebol sempre dão respostas genéricas até mesmo sobre futebol, e praticamente não arriscam falar sobre outra coisa. Um jogador que apresenta opiniões tão lucidas sobre assuntos tão polêmicos, sem dúvida merece seus créditos. Talvez possa estimular o pensamento de alguns, e é assim que caminhamos...

  5. Vitor Postado em 31/Jul/2013 às 08:52

    Sou corintiano, mas ver um jogador que tem opinião e diz abertamente sem medo da imprensa conservadora é de tirar o chapéu!

  6. Raoni Postado em 31/Jul/2013 às 09:41

    Ver um jogador com opinião política bem estabelecida é caso raro, ainda mais falando abertamente nesse pais de falsos moralistas e hipócritas. Se tivéssemos mais jogadores assim, com a influencia que eles tem sobre os jovens, poderíamos estabelecer diálogos mais elaborados e incentivar a juventude a pensar mais nos fatores que influenciam as nossas vidas.

  7. Juliana Postado em 31/Jul/2013 às 09:48

    Ricardo Rangel, melhor ler certos comentários (o teu, por exemplo) a ser analfabeta.

  8. Junior França Postado em 31/Jul/2013 às 09:52

    Concordo plenamente, foi perfeito nas opiniões...Esta passando da hora de resolver esses problemas cotidianos, todas as medidas sobre a maconha e o aborto com certeza diminuiria ônus para o governo e para a sociedade, chega de hipocrisia, temos que encarar os problemas de frente, sem fanatismo religioso e sem moralismo disfarçado.

  9. Leo Postado em 31/Jul/2013 às 12:51

    Um jogador de futebol com opinião política, que lê livros com teor político e que admira um estadista não conservador????? O mundo acabou e eu não fiquei sabendo...

  10. marcia Postado em 31/Jul/2013 às 13:19

    Postura politica é pra poucos. Sócrates era mestre. Tem gente que acha que jogador nao é cidadao. Por aqui, temas tão importantes como a morte de milhares de mulheres por ano com tentativas ilegais de aborto, são temas secundários. A mim, mulher, é essencial. E o sr Mujica é fera, parabens ao jogador palmeirense que não fala só em bola e mulheres!!!

  11. felipe Postado em 31/Jul/2013 às 14:02

    Muito interessante e pertinente. Parecem contraditórios(jogador e inteligente) e, por isso, merece ser creditado, sim!

  12. Bruno Postado em 31/Jul/2013 às 21:55

    Orgulho de ser palmeirense! Olê porcooooo

  13. lohany lepinski Postado em 31/Jul/2013 às 23:22

    Sou suspeita falar pois sou torcedora do Palmeiras. Mas é realmente surpreendente um jogador entender algo além do que esquema tático. Aplaudo de pé! E que honra ele vir jogar no clube do meu coração.

  14. Ricardo Rangel Postado em 01/Aug/2013 às 06:25

    O aborto e a droga são efeitos colaterais. Temos que combater o que leva a pessoa as drogas (inclusive as legais), temos que combater o consumismo e a alienação, a busca egoísta do prazer, a valorização do TER em detrimento do SER. Não será a legalização do ERRO que o tornará ACERTO. Critico o uso de jogadores, artistas famosos, personalidades várias para defender uma tese ou um interesse, e não a incapacidade destas pessoas, isso é propaganda MIDIÁTICA. Sou comunista e ateu, minhas opiniões não tem cunho religioso. PS: Existem várias formas de analfabetismo.

    • Lukas Postado em 09/Jan/2014 às 10:41

      Meu caro, eu que sou religioso não tenho uma visão tão fechada quanto à sua. Sua opinião nos leva a crer que aborto e drogas são um 'ERRO', mas será que os tais erros não são criação da sociedade?! Quem foi que disse que isso é certo ou errado? E mais, jogadores e artistas também têm o direito de defender as suas teses, sejam elas políticas, econômicas, sociais... e julgo de grande importância que assim o façam. Triste é enxergarmos o jogador de futebol apenas como um jogador de futebol, pois, assim, fica mais fácil da mídia criar este esteriótipo que você mesmo criticou. Eles só serão vistos de maneira diferente quando lhes derem voz ativa fora do âmbito futebolístico. PS: Vale lembrar que o jogador em questão é o uruguaio Sebastián Eguren, jogador da seleção Celeste. Faço essa ressalva, pois, diversas pessoas se mostraram surpresas com o comentário ter sido de um jogador de futebol. Posso dizer que a surpresa seria maior se o jogador fosse brasileiro.

    • sergio Postado em 28/May/2014 às 17:51

      Muitas sensações e um prazer que só quem usou sabe.

  15. Ribeiro Postado em 01/Aug/2013 às 13:41

    O que choca na notícia é um jogador educado! Os caras entram para as escolinhas dos clubes aos sete anos. Dezenas, centenas de milhares de reis são investidos em cada atleta durante a formação. E os caras chegam na vida adulta sem condições de dar uma entrevista.

  16. Marcos Postado em 15/Aug/2013 às 04:16

    Ricardo Rangel perfeito o comentário, as pessoas se drogam geralmente por causa de desgraças da vida ou por causa da fraqueza diante do vicio, assim como matar uma criança fruto de um "relacionamento indesejado" não faz sentido e nunca fez, é como condenar um inocente a morte pois vc foi um babaca. A opinião de um jogador de uma bola de ar realmente é muito importante espero a opinião de algum MC de funk o tipo de "criatura" que me faz ter vergonha de ter nascido humano para eu mudar de ideia kkk

  17. Lauro Postado em 25/Sep/2013 às 11:36

    O cara está certo, chega de hipocrisia. Bebidas alcoólicas pode, tabaco (cigarro) pode, ser corrupto pode...ora bolas, chega de falso moralismo!

  18. Alberto Postado em 29/Sep/2013 às 09:28

    Ricardo Rangel, olha que interessante, você fez questão de mencionar que não é religioso, isso também não tem nada a ver, por que eu já sou super religioso e fumo maconha! Se vivesse no meio da natureza, numa comunidade maravilhosa, sem violência, sem medo, sem esses problemas todos da vida moderna, eu iria fumar do mesmo jeito! Acho que esses fatores que você esta relacionando não tem nada a ver. abraço.

    • sergio Postado em 28/May/2014 às 17:56

      sou ateu e concordo com você. As drogas já estavam aí antes de nós e até alguns animais usam. será que eles tiveram trauma de infância? rsrs