Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 16/Jul/2013 às 11:05
19
Comentários

Homofobia: "ele gritava que me mataria"

"Ele gritava a plenos pulmões que me mataria". Jovem de 21 anos relata como foi agredido pelo pai do namorado no Shopping Paulista, em São Paulo, enquanto a segurança ignorava a situação

Me chamo Fernando Souza, tenho 21 anos, e escrevo esse relato de forma quase “vomitada”. Enquanto o escrevia, tremia. E ainda tremo de nervoso. Essa é uma história de violência e preconceito contra homossexuais, que infelizmente ainda se repete no Brasil.

No dia 8 de julho, meu namorado, de 20 anos, passou a manhã fazendo trabalhos da faculdade no Shopping Pátio Paulista, em São Paulo. Fui encontrá-lo na hora do almoço. Ao chegar, nos cumprimentamos e escolhemos um lugar para almoçar na praça de alimentação.

Estávamos distraídos, quando o pai do meu namorado se aproximou. Segurou meu pescoço violentamente e começou a me xingar. Em meio às diversas ameaças de morte, me chamava de “viado” aos berros. Fiquei apavorado, e meu primeiro instinto foi tentar buscar ajuda.

Após cerca de um minuto de agressões físicas, consegui me soltar. Fui correndo até uma segurança que estava ali perto, em busca de auxílio. Pedi para que ela chamasse reforço. Ela passou uma mensagem pelo rádio.

Enquanto isso, o pai do meu namorado, exaltado, o agarrou e foi com ele recolher suas coisas que estavam na praça de alimentação do shopping. Já estavam deixando o local quando um segurança chegou.

Pedi para que ele chamasse a polícia, para que segurassem o agressor… mas eles nada fizeram. Disseram apenas que eu é que deveria chamar a polícia. Enquanto isso o agressor repetia a plenos pulmões que me mataria, que sabia meu endereço e que viria atrás de mim para me matar. Senti-me amedrontado e sozinho.

Ao meu redor, as pessoas do shopping apenas olhavam, sem oferecer ajuda ou chamar a polícia. Ninguém se moveu.

Quando consegui contatar a polícia, o agressor havia ido embora, levando meu namorado. Ninguém o impediu, ninguém fez nada, mesmo com a clara violência presente na situação. A polícia também se negou a ir ao local já que o agressor não estava mais lá.

Registrei o caso no shopping e na delegacia. Depois, passei o dia sem notícias do meu namorado. Somente na noite do dia seguinte conseguimos nos falar. Ele me relatou que seu pai o havia ameaçado, que se ele não tivesse aceitado ir embora daquele jeito, seu pai voltaria e me mataria. E assim meu namorado foi.

homofobia brasil agressão sp

Jovem de 21 anos relata como foi agredido pelo pai do namorado no Shopping Paulista, em São Paulo, enquanto a segurança ignorava a situação

Quando chegou em casa, o pai dele o agrediu. Deixou diversos hematomas pelo seu corpo. O seu rosto sangrava, ele me disse. Além disso, o agressor e a mãe do meu namorado o trancaram em um quarto por 24 horas. Não lhe deram comida ou água, e ele ficou gritando enquanto seus pais fingiram que nada acontecia.

Desde então, não conseguimos mais nos ver. Os pais do meu namorado tiraram dele todos os meios de comunicação. Mantêm uma grande pressão física e psicológica contra ele, constantemente me ameaçando de morte. A mãe dele chegou a pesquisar meus dados – usando os benefícios da empresa em que trabalha – para chantagear meu namorado. Ela disse a ele: “olha, eu tenho o endereço dele, sei tudo da vida dele, posso mandar matar seu namorado se vocês não terminarem”.

Há um mês e meio, estamos reféns de duas pessoas repletas de ódio. Indivíduos que nos perseguem, ameaçam e agridem apenas porque somos gays.

Leia também

————————————————————————————————————–

* O nome real foi alterado a pedido da vítima.

** Em nota, o Shopping Pátio Paulista lamentou o ocorrido e informou que o acusado da agressão se retirou do local antes da equipe de Segurança ter sido acionada. O Shopping diz ter orientado a vítima a prestar queixa na delegacia.

CartaCapital

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Laís Postado em 16/Jul/2013 às 11:35

    Bom dia, Fiquei extremamente comovida com o relato. Porém, existe um grupo chamado PURPS, aqui está o website: http://www.gph.org.br/purpurina.asp Eles podem ajudar, acredite! Ligue para a Edith, e todo auxílio (no grupo) é gratuito. Procure ajuda,você não está sozinho!

  2. Paulo Postado em 16/Jul/2013 às 11:36

    Ele não foi agredido somente pelo pai do namorado, mas sim por toda a sociedade que é conivente com essa situação....

  3. Leandro Coelho Postado em 16/Jul/2013 às 11:41

    Inacreditável...Isso é resultado de décadas de hipocrisia do Estado e dos meios de comunicação, que se ausentaram do dever de informar, esclarecer, desmitificar, descriminalizar a natureza sexual dos seres humanos. O resultado é esse: uma legião de homofóbicos ignorantes e assassinos. Sinto pena dos dois jovens, e sugiro ao filho do agressor que fuja de casa e nunca mais volte. Seus pais são dois psicopatas...

  4. Aline Alves Postado em 16/Jul/2013 às 11:44

    Sou homossexual e fico sem reação com coisas assim! O pior é que sei que minha família agiria da mesma forma. Não consigo entender tanto ódio, violência e repudio à tentativa de alguém ser feliz. Tenho 22 anos, trabalho, me formei na faculdade, nunca usei drogas, não faço mal a ninguém, assim como creio que esses rapazes não fazem também, e fico as margens da sociedade! Ainda não consigo entender pq orientação sexual é tão mais importante do que o caráter e a postura de alguém! Lamentável.

  5. Rodrigo Postado em 16/Jul/2013 às 11:46

    Bem, seria bom você levar a história adiante até a prisão ou (provavel) multa do pai. Ele não vai aprender mas merece.

  6. Maria Rechidt Postado em 16/Jul/2013 às 11:47

    Impressionante e chocante ao mesmo tempo! Fico aqui pensando até onde vai a capacidade humana em querer controlar os outros. Fico triste em saber que ainda no Brasil existem pessoas com uma mentalidade tão perversa em relação à sexualidade do outro. Por quê em meio a tantas agressões ninguém fez nada? Estavam assistindo de camarote uma violência homofóbica? Acham que o pai tem razão em reprimir a sexualidade do filho? Por que acham que a taxa de suicídio entre gays é alta? É justamente por causa desse preconceito e essas atitudes nefastas dos pais! Quando esse mundo vai evoluir meu Deus? Quando?

  7. Josiane Postado em 16/Jul/2013 às 11:50

    Vivemos a Idade Média Contemporânea, momento de muita violência, falta sentido para as pessoas. Esses pais adoecidos se sentem culpados de algo que ninguém tem culpa, somos diferentes e o que importa é o amor.

  8. Cristiana Postado em 16/Jul/2013 às 11:53

    Revoltante. Existem seres racionais e são mais mais irracionais que os animais. Como é possível uma mãe concordar e participar de tamanha agressão. Esse pais merecem serem abandonados.

  9. Renato Carvalho Postado em 16/Jul/2013 às 11:56

    Um absurdo! Tem que prender esse homem, ele ameaçou o jovem e ainda pôs o filho em uma situação constrangedora em meio ao Shopping... Não é possível que ainda no Brasil exista pessoas tão ignorantes e estúpidas! Tudo por culpa dessa sociedade machista e homofóbica, culpa também desses religiosos que não fazem outra coisa na vida além de perseguir e e criar discórdia, influenciando uma gama de pessoas que se submetem a aceitar tais pregações! Fico impressionado como essas pessoas não estão cientes do mal que fazem aos outros, é muita maldade!

  10. leon Postado em 16/Jul/2013 às 12:05

    A atitude do pai pelo que parece e criminosa , restringir a liberdade de um maior de idade por ex , alias que grande ignorante esse `pai` , seria interessante saber que crimes este pai comete .

  11. Se Postado em 16/Jul/2013 às 12:10

    Denúncie ele, moço ! Disque 100 http://www.safernet.org.br/site/institucional/projetos/cnd/o-que-denunciar http://catracalivre.com.br/geral/servicos/indicacao/ferramenta-recebe-denuncias-online-de-homofobia-e-racismo/ Deus os guarde e os guie

  12. LUIS CARLOS M- DA R. Postado em 16/Jul/2013 às 12:11

    AINDA BEM QUE NÃO ESTA MAIS LONGE A DESTRUIÇÃO DESTE MUNDO PODRE COM TAIS COISAS COMO ESTAS QUE MATAM A SOCIEDADE, MATAM A FAMÍLIA OS PIORES ASSASSINOS SÃO ESTES TIPOS E OS QUE APOIAM ESTAS PRATICAS DEPRAVADAS E NOJENTAS PODRES DO DIABO, MAS A BÍBLIA DIZ QUE ESTES ESTARIAM AQUI E AI OS VEMOS, DESTRUIÇÃO A MÃO ! POIS DEUS VARRERA ESTA COISA AQUI DE CIMA DESTA TERRA, ESPEREM SÓ MAIS UM POUQUINHO E SABERÃO SE É ASIM OU NÃO, A RUSSIA ESTA ALI EXATAMENTE PARA ISTO, COM SEUS MISSEIS APONTADOS PARA TODAS AS NAÇÕES SOBRE A TERRA, E DEUS USARA ELES PARA FAZEREM ISTO !

  13. Anonimo Postado em 16/Jul/2013 às 12:20

    Queria que essa notícia fosse um fato único, mas infelizmente é frequente que isso aconteça. Aconteceu exatamente a mesma coisa comigo (só que no caso eu estou no papel do namorado que fica trancado) e não sei o que é felicidade há mais de dois anos.

  14. Ana Falchi Postado em 16/Jul/2013 às 14:08

    Que coisa mais suja, nojenta e deprimente. Um absurdo. Como eu odeio gente preconceituosa... Torço pra que uma situação dessas ocorra num lugar onde eu esteja presente. Se eu estivesse nesse shopping, teria me metido. Bando de gente desgraçada, NINGUÉM fez nada. E os pais ainda trancaram o menino. O pai o espancou. Ele pode fazer uma denúncia disso. Os dois namorados podem. Monstros nojentos esses pais... E as pessoas que não fizeram nada. E a polícia, que nem ligou. Todo mundo assim deveria ser extinto do mundo. Que ódio.

  15. Thiago Teixeira Postado em 16/Jul/2013 às 22:01

    "Meu namorado ..." É muito pesada a expressão para uma grande parcela da sociedade. Confesso que não sei qual seria minha reação se visse meu filho num shopping fazendo carinho num cara.

  16. Alfredo Cardozo Postado em 17/Jul/2013 às 13:11

    E todo mundo assistiu, calado. Parabéns COXINHAS da av. Paulista! Só tem gente dita "culta", trabalhadora, etc, neste Shopping durante a hora do almoço... A sociedade está doente e os paulistanos estão em estado terminal, já que é aqui que confluem culturas e opiniões diversas. Queria estar no Patio Paulista na hora do ocorrido, eu sei que agiria, não é papo furado. Me espanta saber que as pessoas ILUMINADAS frequentadoras da Paulista ainda não tenham despertado o sentimento de amor ao próximo. Coniventes são criminosos também!

  17. julio Postado em 17/Jul/2013 às 14:39

    horrível , já passei por caso semelhante e sei o abalo físico e psicológico causado. O jeito é os dois fugirem e viverem longe dali, como se fazia antigamente !