Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Saúde 09/Jul/2013 às 15:06
17
Comentários

Filhos do presidente do Sindicato dos Médicos se formaram em Cuba

Filhos do presidente do Sindicato dos Médicos do RS formaram-se em Cuba. Se o dr. Argollo tem o direito legítimo de manter em sua casa dois filhos que são formados em Cuba, por que o povo brasileiro não teria o direito de usufruir do atendimento de médicos cubanos?

Paulo Sant’Ana, ZeroHora

Em meio a essa polêmica sobre a necessidade que o Ministério da Saúde vê de trazer 6 mil médicos estrangeiros para o Brasil, surgiram pessoas que duvidaram da qualidade da formação dos médicos cubanos.

Com a notícia espetacular divulgada pelo Tulio Milman, de que o presidente do Sindicato Médico do RS, Paulo de Argollo Mendes, tem dois filhos médicos que se formaram em Cuba, não cabe mais qualquer dúvida sobre a idoneidade e eficiência dos cursos de Medicina em Cuba.

médicos cubanos

Filhos do presidente do Sindicato dos Médicos do RS se formaram em Cuba (Reprodução)

O doutor Argollo, conhecedor como é da problemática médica, não ia mandar para estudar e formar-se em Cuba dois de seus filhos em vão. Se os mandou, é porque em Cuba a formação médica é melhor até que a do Brasil.

Ora, cabe até uma reflexão amena: se o doutor Argollo tem o direito líquido e legítimo de manter em sua casa dois filhos que são formados em Cuba, por que o povo brasileiro não teria o direito de usufruir do atendimento de médicos cubanos?

Os direitos do presidente do Simers e do povo brasileiro são idênticos. O doutor Argollo obrigatoriamente terá de compartilhar com o povo brasileiro esse privilégio de abrigar em seu lar nada menos do que dois médicos formados em Cuba.

Por sinal, recebi ontem um telefonema de um assessor do Ministério da Saúde em Brasília. Ele me disse que essa pretensão do ministério de importar 6 mil médicos vem exatamente ao encontro de um dos slogans preferidos das entidades médicas gaúchas, divulgado com insistência na Rádio Gaúcha: “Não se faz saúde sem médicos”.

Leia também

Vejam, então, que as entidades médicas gaúchas e o Ministério da Saúde estão perfeitamente sintonizados em suas intenções e ideias sobre a questão da falta de médicos na maioria esmagadora dos municípios brasileiros. Estão pensando por telepatia.

Tenho notado, no meio que percorro, uma absoluta indiferença dos médicos com quem converso na Capital para com essa polêmica da importação dos médicos pelo governo.

É claro que nossos médicos acompanham a polêmica, mas demonstram indiferença, acreditando que, mesmo que sejam importados os médicos, em nada afetarão a carreira dos médicos daqui.

Derivando para o terreno do folclore popular, imagino uma pessoa que necessite de tratamento médico de urgência e telefone para uma unidade de atendimento: “Por favor, estou tendo fortes dores no tórax e no abdômen. Os senhores podiam mandar aqui para minha casa, imediatamente, um médico, mas gostaria que fosse formado em Cuba, tenho mais confiança nos que vieram da ilha de Fidel”.

Ou então outro telefonema: “É da Urgecor? Preciso imediatamente de um médico aqui em casa, acho que estou tendo um infarto. Mas me façam um favor: não me mandem médico formado em Cuba. Quero médico genuinamente nacional”.

Agora, ponha-se no meu lugar: conhecendo a experiência do doutor Argollo e a competência extrema dos médicos Nédio Steffen, Jorge Gross, Matias Kronfeld, Luiz Lavinsky e Sady Selaimen, que me atendem diariamente, se eu não os tivesse à disposição, iria querer um médico cubano.

Recomendados para você

Comentários

  1. Leonardo Postado em 09/Jul/2013 às 15:40

    É só fazer o Revalida......

  2. Vander Postado em 09/Jul/2013 às 18:01

    É só fazer o Revalida.... Qual a dificuldade nisto??? Todo país do mundo exige teste para revalidação do diploma de estrangeiro. Por que o Brasil tem que ser diferente???? Eu sei a resposta mas melhor nem dizer aqui.

  3. JOSEFINA Postado em 09/Jul/2013 às 18:31

    É só fazer o REVALIDA...PRONTO! ELES PODERIAM TER ESTUDADO ATÉ EM LONDRES... É SÓ FAZER O REVALIDA! NÃO queria DIZER ISSO, ser chata, mas devem ter estudado lá porque não passaram na FUVEST/UNICAMP ou Federais AQUI ! Porque qual Pai e Mãe iriam querer seus filhos em CUBA???

  4. Murilo Postado em 09/Jul/2013 às 18:41

    Esses medicos brasileiros são HIPOCRITAS isso sim.

  5. Eduardo Postado em 09/Jul/2013 às 20:34

    com revalida ou não eu quero um médico se dele precisar... amo minha vida e ela depende destes profissionais, como já dependeu um dia... o dia que estes entenderem que são as ferramentas de Deus no mundo eles também entenderão que não é só $$$ que conta.

  6. FERNANDA Postado em 10/Jul/2013 às 01:41

    ESTE DOUTOR ARGOLLO É UM BAITA REAÇA QUE EU ODIAVA VEER NUM PROGRAMA LOCAL CHAMADO GUERRILHEIROS DA NOTÍCIA… ARGHHH… HAVIA GENTE BOA NO GRUPO, COMO O DR. LENIO STRECK, UMA SUMIDADE EM DIREITO, MAS ESTE MÉDICO EU DUVIDO QUE MANDASSE FILHOS PRA CUBA SE ISSO NÃO FOSSE MUIIIIIITO BOM, POIS ELE É UM DIREITÃO DE MARCA, UM CARA INTRAGÁVEL E ARROGANTE. AINDA ASSIM, EU FICO PASMA COM ESSA HISTÓRIA DA QUAL JÁ SEI HÁ UM BOM TEMPO. E POR QUE UM PAI OU MÃE IAM QUERER UM FILHO EM CUBA??? EU ENTÃO PERGUNTO, POR QUE UM PAI E UMA MÃE IRIAM QUERER UM FILHO NOS STATES, O PAÍS MAIS ODIOSO QUE CONHEÇO, E ONDE BRASILEIROS CHAMADOS TURISTAS PODEM SER ALVEJADOS POR UM DRONE CASO AQUELES PSICOPATAS TENHAM UMA VÍRGULA DE DESCONFIANÇA… SE FAZEM ISSO COM SEUS FILHOS, BASTA QUE OUSEM DIZER A VERDADE COMO O TAL RAPAZ QUE BOTOU A BOCA NO TROMBONE??.

  7. Vania paiva Postado em 10/Jul/2013 às 08:35

    Artigo sem consistencia! Faz-se medicina no exterior qdo nao consegue passar no vestibular no Brasil! Simples assim!

  8. Simão Postado em 10/Jul/2013 às 08:49

    Trazer médicos não é uma problemática. O que vejo são os médicos em manifestação que pedem por infraestrutura e isso foi simplesmente ignorado. Imagino que médicos cubanos não possam fazer muito sem ter determinado material que deveriam estar a dispor de todos os nossos profissionais na área da saúde. A verdade é que faltam médicos no interior porque nenhum deles quer trabalhar tanto sem ter uma condição de vida decente. Como sempre o que falta em nosso país é investimento, que na minha ótica, é de maior importância do que essa importação.

  9. Rafael Postado em 10/Jul/2013 às 08:50

    ARGH! Asco do pragpetismo... Já não aguento mais essa defesa CEGA dos interesses do governo PT. Sabe-se MUITO BEM que o PT enviou partidários para as escolas de medicina de Cuba em meados de 2006. 7 anos depois — curiosamente, o tempo de formação — o que acontece? Por favor, expliquem os dois lados da coisa. Vocês idolatram o PT sem enxergar os problemas. Não sou contra o PT ou contra PSDB, porém, por favor, sejam menos parciais! No mais, Vania Paiva resumiu rapidamente o caso extraordinário exposto pelo artigo.

  10. Camila Victorino Postado em 10/Jul/2013 às 13:08

    Interessante algumas pessoas dizerem que quem faz medicina em Cuba é gente que não conseguiu passar em uma universidade pública. Falta de conhecimento de nossa estrutura social e da elitização já muito antiga da medicina no Brasil. Primeiramente, a medicina é um curso dos mais elitizados no Brasil, tendo em sua maioria pessoas provenientes da classe alta e de escolas de ponta do país. Escolas de ponta não são escolas privadas quaisquer. São escolas que cobram mensalidades além dos 1000 reais por mês por aluno. Assim, não passar no vestibular em uma pública, não invalida a inteligência ou sabedoria de um futuro doutor, mas apenas aponta, muitas vezes, para a sua origem social. Por fim, vale lembrar que existem muitas faculdades privadas de medicina, mas mesmo que digamos que alguém não consiga passar em públicas por incompetência, como dizem, as mensalidades giram para além dos 2.000 reais, reiterando o elitismo da carreira. Hoje, a medicina é uma carreira escolhida mais pelo status e pelo dinheiro que se ganhará no futuro do que pelo amor ao tema e aos doentes. Pelo dinheiro que se ganha, torna-se concorrida e é evidente que os mais abastados obterão os melhores lugares. Sendo assim, dizer que quem estuda em Cuba é incompetente, mostra a ignorância do funcionamento do processo de seleção no vestibular, principalmente em cursos extremamente concorridos. Não é por nascer pobre que alguém é menos digno de tornar-se médico e não é por não passar em um vestibular que tem menos amor ao paciente. E é isso o importante: ter amor ao paciente e não ao dinheiro, como a maioria, aliás. Se existe a possibilidade de se tornar médico em um país, mesmo pobre e vítima das circunstâncias da escola pública, por que não? Se não se é tão bom, as provas dos cursos cubanos não deixarão o médico se formar e pronto! O medo aqui não é da incompetência, mas do processo de deselitização da carreira médica e é isso que eles temem: perder seu status e seu poder.

  11. Vander Postado em 10/Jul/2013 às 14:19

    Camila, então o problema esta onde? SIM. Na educação publica do país que esta sucateada. O Brasil virou o país dos remendos e das "soluções" paleativas.

  12. Thiago Teixeira Postado em 11/Jul/2013 às 20:56

    Médicos brasileiros ... vocês vão atender a população de baixa renda a troco de 3.800 mensais? NÃO. ENTÃO ... CALEM A BOCA E VOLTEM PARA SUAS CLINICAS.

  13. Léo Postado em 21/Jul/2013 às 19:20

    galera, na boa, a questão do revalida não serve para o programa "Mais Médicos" (e aqui não farei a defesa do programa, apenas um esclarecimento). E por que? Simples. A ideia do governo é trazer médicos (espanhóis, portugas e etc) para atuarem SOMENTE na atenção básica em MUNICÍPIOS DETERMINADOS PELO PRÓPRIO. A avaliação desses profissionais será feita por universidades públicas q estiverem próximas desses municípios. Desse modo os médicos do programa "Mais médicos" estarão habilitados somente para atuarem nessa modalidade: atenção básica de alguma cidade indicada pelo governo federal. Se eles fizessem o revalida (como vcs alegam q resolveria a problemática, q é beeem mais complexa) eles poderiam atuar EM QUALQUER cidade e especialidade, o q o governo não tem interesse (afinal, já há muitos méciso nas capitais e poucos no interior, ainda mais pouquissimos na atenção báscia). Por isso q os estrangeiros não precisam fazer o revalida e por isso q eles serão acompanhados, monitorados e avaliados pelas faculdades de medicina públicas do país ao invés do revalida. O Programa Mais Médios tem uma série de pontos polêmicos, dos quais a maioria não tenho acordo, mas a questão de impor o revalida para os estrangeiros q vierem nesse programa, não faz sentido, tendo em vista a especificidade do mesmo. Critiquem o programa por outras coisas, mas não com esse argumento FRACO do "só fazer o revalida". Aliás, leiam o programa e se informem mais =]

  14. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Postado em 24/Jul/2013 às 20:14

    CONTRATAÇÃO DOS MÉDICOS CUBANOS: O QUE HÁ POR TRÁS DISSO? http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/05/contratacao-dos-medicos-cubanos-o-que.html

  15. Rick Postado em 29/Jul/2013 às 23:16

    Se Dilma mandar merda pra casa dos "jornalistas" desse site dizendo ser comida, vão se lambuzar todo...

  16. Marcos Postado em 12/Aug/2013 às 23:03

    "por que o povo brasileiro não teria o direito de usufruir do atendimento de médicos cubanos?" Porque usufruir não é exatamente a palavra correta para querer descrever uma consulta com médicos cubanos, eu diria mais que se parece com "tomar um passe".

  17. Alexandre Jose Franco Postado em 30/Aug/2013 às 00:46

    Mesmo com toda desqualificação, sucateamento e 'UTIlização' da educação no Brasil, ja pararam pra analisar os índices de aprovação dos brasileiros nas provas de avaliação de médicos? E nem são cubanos!