Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Racismo não 17/Jul/2013 às 14:24
6
Comentários

Carta aberta a George Zimmerman, assassino de um jovem negro

“Aposto que você nunca pensou que, ao disparar num homem negro, acabaria herdando todas as suas batalhas”

Em meio à indignação geral nos Estados Unidos e no mundo pela absolvição de George Zimmerman, surgiu nas redes sociais uma comovente carta que se difundiu rapidamente entre os indignados com o caso.

jovem negro assassinado eua

Carta aberta a George Zimmerman, publicada nas redes sociais (Tradução – abaixo)

George Zimmerman trabalhava como vigia na cidade de Sanford, no estado da Flórida. Em fevereiro de 2012, ao abordar o jovem negro Trayvon Martin, de 17 anos, Zimmerman disparou e terminou com a vida do estudante, que estava desarmado.

Neste fim de semana, a Justiça dos Estados Unidos absolveu Zimmerman, por considerar que sua ação foi em legítima defesa. A resolução se deu através de um juri, conformado por seis mulheres brancas, que decidiram de forma unânime. Organizações de direitos humanos afirmam que a acusação não levou em conta a questão racial durante o julgamento, o que favoreceu a absolvição. Em pronunciamento oficial, Barack Obama, primeiro presidente negro dos Estados Unidos, pediu que se respeitasse a decisão da Justiça.

Entre as muitas manifestações que ganharam as ruas estadunidenses e inundaram as redes sociais, ganhou destaque a de Alex Fraser, um cidadã0 afroamericano, que publicou uma carta dirigida a Zimmerman em sua conta no Facebook, na que denuncia o que significa ser negro nos Estados Unidos.

Leia também

A carta diz o seguinte:

Querido George Zimmerman,

Pelo resto da sua vida, você sentirá o que é ser um homem negro nos EUA.

LEIA TAMBÉM: CASO GEORGE ZIMMERMAN, OBAMA SE CURVOU À ELITE BRANCA

Sentirá que as pessoas ficam olhando para você. Estarão te julgando por coisas que você considera injustas. Você perderá a oportunidade de conseguir certos trabalhos por motivos que estão fora do seu controle. Você pode se achar um cidadão honrado, mas se perguntará por quê as pessoas preferem prejulgá-lo.

Alguns cruzarão para a outra calçada ao ver você. Alguns te insultarão. Em dias que a raiva for muito forte, você vai querer gritar com o mais profundo da sua alma. Mas, no dia seguinte, terá que levantar da cama, manter-se firme e seguir adiante.

Aposto que você nunca pensou que, ao disparar num homem negro, acabaria herdando todas as suas batalhas.

Desfruta a sua “liberdade”.

Atenciosamente,

Um homem negro que poderia ser Trayvon Martin.

Victor Farinelli, em Maria Frô

Recomendados para você

Comentários

  1. Fábio Luis Siquera Miranda Postado em 18/Jul/2013 às 00:43

    Trayvon Martin, Zambi o tenha.

  2. MArcos Garcia Neto Postado em 31/Jul/2013 às 16:50

    Não acredito que eu tô lendo isso... Ô gurizada, esqueceram da história de "não serem manipulados pela imprensa"? Vocês acompanharam o juri? É ÓBVIO que foi legítima defesa. "Obama se curva à elite branca". O que que vocês têm na cabeça? Isso não tem nada a ver com raça. Foi argumento furado do DA (nos EUA os DA querem condenações para mostrar serviço e se elegerem). Vocês seriam péssimos juízes, hein? Não se julga alguém pela cor da pele. Acompanhem o caso. No máximo dos máximos o que aconteceu foi um "excesso de legítima defesa". Aliás, E DAÍ que 6 mulheres brancas estavam julgado? Elas são automaticamente racistas por serem brancas? Caso vocês não saibam, afirmar isso é um racismo nojento.