Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 18/Jul/2013 às 22:20
13
Comentários

Adolescentes transgêneros lutam contra o preconceito

Casal de adolescentes transgêneros luta contra o preconceito. Ela nasceu menino, ele nasceu menina. Após mudança de sexo, começaram a namorar e hoje tentam ajudar outros jovens que passam pela mesma situação

Igor Zahir, marie claire

casal transgênero

Casal de adolescentes transgêneros luta contra o preconceito (Foto: Reprodução/Youtube)

Nos locais mais improváveis surgem encontros que geram paixão, como a história do casal que se conheceu em uma clínica para tratar distúrbios alimentares. Agora, um outro caso chama a atenção: o de Katie Hill e Arin Andrews. À primeira vista, os dois têm tudo para ser mais um casal adolescente americano. Exceto pelo fato de que ambos fizeram intervenções estéticas para mudar de sexo.

Katie, de 19 anos, nasceu como Luke e iniciou um tratamento hormonal para desenvolver seios naturais sem precisar de implantes de silicone. Um doador anônimo, comovido com a história, colaborou com 40 mil dólares (cerca de R$ 80 mil) para a mudança de sexo de Katie, como presente de aniversário de 18 anos, em 2012. “Mesmo quando tinha 3 anos de idade, eu sabia que, no fundo, queria ser uma menina. Tudo o que eu desejava era brincar com bonecas. Eu odiava meu corpo de menino e nunca me senti bem nele”, disse Katie ao canal do Youtube Barcroft TV.

Leia também

Arin, de 17 anos, nasceu como Emerald, menina que ganhou concursos de beleza e fazia balé. “Os professores separavam os meninos das meninas. Não entendia por que me colocaram entre elas”, disse ele na mesma entrevista. Arin falou também que sempre sonhou em pilotar motos, mas não podia pois diziam que era “coisa de menino. Foi uma tortura todos os dias”. Graças aos pais, ele fez a cirurgia de remoção dos seios e de mudança de sexo.

O ENCONTRO

Os dois começaram a fazer terapia, se conheceram em um grupo de apoio aos transgêneros, em Oklahoma, nos Estados Unidos, e se apaixonaram.

Arin disse ter ficado chocado com a beleza de Katie e que a achava bonita demais para ser transexual. Atualmente, o casal dá entrevistas sobre a história para ajudar outros jovens que passam pela mesma situação, traumas e falta de apoio dos pais. Quanto aos dois, após a difícil aceitação da família, eles lidam bem com o assunto e estão apaixonados. “Somos perfeitos um para o outro porque sofremos os mesmos problemas”, concluiu Katie.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Luis Postado em 18/Jul/2013 às 23:43

    lembrei de uma tirinha: http://mentirinhas.com.br/mentirinhas-353/

  2. Stella Postado em 19/Jul/2013 às 00:08

    A reportagem é muito legal mas não concordo com os seguintes comentários: Dela - "sempre gostei de brincar de bonecas..." - não vejo isso como sinal de "feminilidade"... os meninos também podem gostar de brincar de bonecas e também serão pais... Dele - "sempre quis pilotar motos..." - meninas podem gostar de pilotar motos! Na minha opinião são comentários comos esses que criam preconceitos entre gêneros nas crianças e não permitem a livre e real descoberta da sexualidade...

  3. Isadora Postado em 19/Jul/2013 às 05:39

    Stella, de certa forma este seu comentário me deixa feliz! Pois são essas atitudes que demonstram um tipo de mudança na nossa sociedade tão preconceituosa e excludente. Infelizmente tudo, TUDO, nesse mundo é separado em coisas de menino e menina (por exemplo a divisão de seções masculina/feminina em lojas). E, respectivamente, coisas que o meio impõe como "cabíveis" a cada respectivo gênero fazer. Porque "coisa de mulher" são ridículas para um homem usar/fazer, já que eles sempre são tratados de uma forma superior à elas (estou generalizando, porque é o que acontece na grande esmagadora média) e uma mulher que fizer "coisas de homem" e não for feminina conforme dita o padrão de beleza, bom, ela não é "mulher de verdade"... Mas continue com pensamentos assim e, principalmente, compartilhando eles e podendo influenciar pessoas que são muitas vezes coagidas pelo meio a serem de uma determinada forma que não condiz com a vontade delas mesmas. Esse tipo de atitude é muito, muito, boa! =)

  4. fer Postado em 19/Jul/2013 às 05:42

    "a achava bonita demais para ser transexual"!!!! que boa forma de botar fim aos preconceitos, né?

  5. Samuel Wirtti Postado em 19/Jul/2013 às 08:10

    Concordo com a Stella...

  6. Bruno Postado em 19/Jul/2013 às 09:35

    Stella falou tudo! ainda há muito "pré conceito" camuflado em belas argumentações...

  7. Agnes Postado em 19/Jul/2013 às 09:53

    Stella são comentários feitos por eles mesmos, eu concordo com vc, detesto regras e estereótipos para comportamento, mas é cultural e esta profundamente enraizado no consciente coletivo do ser humano...

  8. Um cara Postado em 19/Jul/2013 às 11:34

    "Bonita demais para ser transexual" como assim? Ser uma mulher transexual é "feio" e ser mulher "de verdade" é bonito? Isso vindo de um homem trans? Sério mesmo produção? A gente acaba sendo transfóbico sem ver. Concordo com a Stella e a Agnes.

  9. Pedro Postado em 19/Jul/2013 às 14:36

    eu gostaria de curtir o post, nao de compartilhá-lo. Não tem a opção de curtir!

  10. Thiago Teixeira Postado em 19/Jul/2013 às 20:17

    Essa Kátie é bem feminina. Mas esse Arim ... não tem nada de homem, cadê o gogó? E que corpinho delicado, é um sapatão.

  11. Pensador Postado em 24/Jul/2013 às 09:44

    A naturesa criou 2 generos sexuais. E os seres humanos com sua "genialidade" criou os demais !!!!!!! PQP

  12. Barillo Postado em 31/Jul/2013 às 00:30

    Tá tudo fudido mesmo. Se só existissem gays normais,teriam meu apoio. Agora,é tanta bizarrice nesse meio,que já começo a ter nojo de todos. Vocês,a cada dia que passa,criam suas próprias armadilhas.