Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 04/Jun/2013 às 19:43
45
Comentários

Professor de história é demitido por evitar conteúdo religioso

Demissão de professor de história abre polêmica entre religião e ensino. Giovani Biazzetto teria sido demitido por se recusar a abordar conteúdos de cunho religioso durante as aulas

professor giovani religião história

Professor Giovanni Biazetto diz que sofreu perseguição religiosa por parte do diretor do Colégio, irmão Olir Facchinello (Foto: Divulgação)

A demissão de um professor de história do Colégio La Salle Pão dos Pobres, de Porto Alegre, levantou a polêmica sobre até que ponto a doutrina religiosa de escolas ligadas a uma crença religiosa, chamadas de confessionais, pode exercer influência sobre o currículo escolar e a pedagogia de uma escola.

O professor de história Giovanni Biazzetto lecionava há quase cinco anos no colégio. De acordo com o professor, ele começou a sofrer perseguição religiosa do novo diretor, irmão Olir Facchinello, que assumiu o cargo em janeiro deste ano. Segundo Biazzetto, foi exigido que ele abordasse conteúdos de cunho religioso nas aulas de história, algo que ele se recusou a fazer.

“Em nenhum momento me disseram que eu deveria dar uma aula com doutrina religiosa. Agora imagina que coerção é para um professor que não tem aquela crença escutar o diretor dizer: ‘todos vocês têm que falar sobre os dons do Espírito Santo em sala de aula’”, disse Biazetto em entrevista ao portal Terra. “Minhas aulas sempre foram estruturadas no debate, na leitura e na escrita. Isso sem contar os projetos educacionais que criamos no colégio e que estão em andamento desde 2010”, completou o professor.

Leia também

Após a demissão de Biazzetto, no dia 17 de maio, um grupo de pais e alunos protestaram em frente à escola contra a atitude da direção. Porém, os alunos e pais que defendem o professor estão supostamente recebendo ameaças por parte da escolar. Uma mãe, que não quis se identificar, disse ao Terra que o grupo teria recebido ameaças de perda de bolsas por parte do La Salle Pão aos Pobres. A escola conta com 430 alunos, sendo que 70% destes possui bolsa integral e 25% bolsa parcial. O grupo de pais e alunos denunciou a ameaça ao Conselho Tutelar e o caso está sendo investigado.

A Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional (LDB) garante às escolas a autonomia quanto a metodologia de ensino, porém exige que sejam contemplados conteúdos obrigatórios. Já a educação religiosa é facultativa. No caso da escola oferecer a disciplina, a LDB determina que deve ser assegurado o respeito à diversidade e proíbe qualquer forma de imposição de uma doutrina aos alunos, o chamado proselitismo religioso.

A LDB deve ser respeitada tanto por instituições de ensino públicas quanto por particulares. De acordo com o Sinepe-RS (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado no Estado do Rio Grande do Sul), a diferença para as escolas confessionais é que as mesmas são autorizadas a dar mais ênfase à religião no seu projeto pedagógico.

Professor história demitido religião

Alunos protestam contra demissão de professor de história (Foto: Ramiro Furquim/Sul21.com.br)

Segundo a coordenadora do programa de pós-graduação em educação da Universidade Metodista de São Paulo, Roseli Fischmann, no caso de optarem por escolas confessionais, os pais devem conhecer qual o tipo de abordagem educacional da instituição de ensino. Entretanto, toda escola, confessional ou não, deve assegurar o ensino dos conteúdos obrigatórios, mesmo aqueles que entram em conflito com a doutrina da instituição.

Segundo nota divulgada pela assessoria de comunicação da rede La Salle Porto Alegre, o motivo da demissão do professor de história foi “uma questão técnico-pedagógica”.

De acordo com a assessora educacional da instituição, Rosemari Fackin, o ensino religioso nas escolas lassalistas segue os parâmetros determinados em lei e trabalha os valores cristãos de forma não catequista. “Não temos a ideia de catequizar os alunos. Fazemos reflexões diárias, o que não quer dizer que seja uma reza ou algo doutrinário. Tanto que temos crianças de outras religiões e que assistem à aula de ensino religioso. E se o pais não quiserem, o aluno pode sair da sala”, explicou Fackin.

com Portal Terra

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 04/Jun/2013 às 20:45

    Deveriam ser demitidos por doutrinarem marxismo nas salas do nosso já sofrido Brasil.

    • Antonio Lima Postado em 15/Sep/2015 às 17:40

      Marcos, ninguém doutrina o marxismo, e sim, ensina sobre as teorias marxista, da mesma forma que ensina sobre a teoria capitalista, humanista, sobre o iluminismo etc. Lugar de religião é nas igrejas. Escola é local de construção de saberes baseados na lógica e na razão.

      • Raimundo Carlos Postado em 19/Sep/2015 às 22:09

        Muito bem, concordo plenamente

    • Robson Postado em 15/Sep/2015 às 19:42

      mas um idiotinha criticando o marxismo sem nunca ter lido uma linha dos livros de Karl Marx ou Friedrich Engels

    • Dri Castro Postado em 20/Sep/2015 às 15:01

      Tá precisando voltar à sala de aula, querido.

  2. Alessandra Garuzzi Postado em 04/Jun/2013 às 20:48

    Ele é professor de História, deve portanto tratar de ciência. Se a escola possui uma filosofia religiosa, que use então as aulas de Ensino Religioso (disciplina existente até em escolas públicas) para tratar dessa filosofia e doutrinar seus alunos. E é doutrinar sim, pois o objetivo de toda escola religiosa, ainda que seus gestores não admitam é doutrinar os seus alunos. Afinal de contas, é claro que que numa escola católica os responsáveis por ela sonham com o dia em que todos os seus alunos e suas respectivas famílias serão católicos fervorosos. Numa escola protestante vão desejar que todos aceitem a Jesus, já numa escola judaica ao contrário. Enfim, vulgarmente falando, "cada um puxa a sardinha pro seu prato". O que não se pode admitir é que os conteúdos e horários das disciplinas científicas sejam usados para esse fim, doutrinar religiosamente. Afinal, é escola ou igreja?

    • Hele Guerreiro Postado em 22/Oct/2013 às 22:56

      concordo. estão fazendo as escolas de igrejas, a comissão de direitos humanos em igreja da política dos nosso país em igreja etc.

  3. Kayo Postado em 04/Jun/2013 às 20:53

    Parabéns Marcos, pelo comentário soberbo! Somos todos gratos, pela alegria que é ler a sua magnífica opinião.

  4. Rodrigo Postado em 04/Jun/2013 às 21:11

    Marcos, doutrina é aquilo que se ensina lá no seu quartel ou igreja...(vede ser militar ou religioso). Se tivesse prestado um pouquinho de atenção nas aulas de história, se é que estudou, entenderia melhor o mundo e não falaria besteira.

  5. Thiago Postado em 04/Jun/2013 às 21:26

    Reacionários ficam loucos quando escutam falar de História.

  6. Ecio Ricci Postado em 04/Jun/2013 às 21:56

    Quando os pais matriculam seus filhos em escolas confessionais (Católicas, Luteranas, Adventistas, Presbiterianas, Metodistas, Espíritas, judaicas, Islâmicas etc.) é porque concordam com a filosofia da escola. Sou professor de geografia em uma escola confessional e tenho total liberdade de elaborar minhas aulas sem a abordagem religiosa. No entanto procuro não entrar em choque com temas polêmicos como é o caso da visão criacionista e evolucionista do mundo. Tento mostrar as duas vertentes e deixar para os professores do ensino religioso defender a versão religiosa. No entanto sou totalmente contrário ao ensino religioso em escolas públicas que devem ser totalmente laicas e respeitando a diversidade da sociedade.

  7. Guilherme Postado em 04/Jun/2013 às 22:18

    Deveríamos "doutrinar" o que? O Neoliberalismo? God!

    • Antonio Lima Postado em 15/Sep/2015 às 17:44

      Guilherme, escola não é lugar para se fazer doutrinações, e sim, de construção do conhecimento. Doutrinamento só poderia ser feito nas igrejas. A escola deve ensinar sobre as diferentes doutrinas, e não, doutrinar ninguém. A propósito, as religiões neopentecostais e evangélicas, de modo geral, estão todas ligas ao neoliberalismo. A doutrina da prosperidade.

  8. Bertone Postado em 04/Jun/2013 às 22:24

    Também já fui demitido de uma escola particular no MA pelo fato de a diretora ter descoberto meu ateísmo. Três dias depois, por pressão de seu advogado e outras pessoas da direção meu pediu perdão com lágrimas de crocodilo. Infelizmente esse tipo de patrulhamento e constrangimento é muito comum em escolas confessionais no Brasil todo. Se o professor acionar a justiça poderá não encontrar emprego em outra escola por causa da cartelização dessas instituições. http://bertonesousa.wordpress.com

  9. Ana Rita Postado em 04/Jun/2013 às 22:43

    É um ato absurdo.Também não precisa ser teólogo para lecionar aspectos ligados a direito e dever do cidadão. É o que Jesus fazia.Porém,uma religião que trata apenas da letra da lei,não é a verdadeira,mas a que aborda o espírito da lei,é a real,a 2a milha.Agaréu.

  10. Daniel Postado em 05/Jun/2013 às 00:55

    Na minha opiniao o ensino religioso e escolas confessionais deveriam ser completamente proibidos. O ensino deve ser laico, ensinando conhecimentos de aceitacao universal como a ciencia e a filosfia, deixando algo tao pessoal como a religiao para as igrejas e outros templos religiosos. E principalmente, a escola deve ensinar o aluno a pensar e refletir sobre a sociedade e sobre a vida, para ele nao chegar um dia e escrever uma bobagem o Marcos escreveu sobre o marxismo.

  11. Professora Postado em 05/Jun/2013 às 01:12

    Dei aula numa escola da rede La Salle e aconteceu algo semelhante comigo.

  12. Müller Postado em 05/Jun/2013 às 07:23

    Meus parabéns ao Professor! faz jus à profissão!

  13. zepires Postado em 05/Jun/2013 às 07:40

    Religião é potoca, deuses não! Até quando vamos aceitar mentira como verdade?

  14. zepires Postado em 05/Jun/2013 às 07:45

    Esse é um estado laico e por assim ser, pelo menos está livre das mentiras da religião. Basta que se leia História!

  15. jr Postado em 05/Jun/2013 às 08:32

    Decisão justa. Eu pago por um colégio religioso, pois não concordo com o bacanal do MEC sob conduta do PT. Logo exijo que meu filho receba este tipo de orientação. Nada mias justo.

  16. Oswaldo Postado em 05/Jun/2013 às 09:48

    "Basta que se leia História" Só lembrando pro cidadão que escreveu isso: Ao longo dos anos a História sempre foi contada na versão do imperador, governador de suas respectivas épocas. Até hoje na História há casos mirabolantes, guerras, enfim uma História que mais se pode chamar de estória na versão de quem estava no comando. Quem aqui quando era criança não idolatrava a Princesa Isabel, por ter "libertado os negros"? Hoje vemos, pelo menos eu vejo na faculdade uma Hitória bem diferente da que me contaram na escola. Quanto a religião, a História dos Hebreus foram tirado da bíblia porque era a única fonte para os historiadores. Quanto a atitude desse diretor, sou membro de uma igreja e não concordo com a atitude dele que se diz religioso, mas de fato nao conhece a História, pois quem estuda História de verdade, nao vota em Alckmins, Serras nem tampouco nos Sarneys.

  17. Altair Ahad Postado em 05/Jun/2013 às 10:23

    o professor está certo... O mec deveria fazer alguma coisa em relação a isso. Triste é ver radicais religiosos defendendo essa medida estúpida. Religião não se mistura com educação! Nenhuma doutrina deve se misturar com educação!

  18. Hidan Postado em 05/Jun/2013 às 11:47

    Acho que como o professor ensina História, deve abordar todos os temas históricos que influenciaram na "evolução" da sociedade.A religião é um tema histórico e na -minha opinião- deve ser tratado, não opinando se é bom ou ruim para sociedade, mas esclarecendo qual foi a posição da ígreja e dos religiosos no decorrer dos tempos, quais ações desses repercutiram no mundo. Lembrando, que só a nível de informação, não se deve impor aos alunos uma religião como sendo certa, e obrigatória.

  19. Fábio Postado em 05/Jun/2013 às 13:28

    Se o Brasil é um estado laico e a LDB diz que a educação religiosa é facultativa nos estabelecimentos de ensino, então isso tem um nome: intolerância e perseguição.

  20. Tania Postado em 05/Jun/2013 às 13:37

    Malditos comunistas Petistas....hehehehehehe...Os Neoliberais e sua falta de argumento. Parabéns ao professor não só pela atitude, mas tb por não trair suas convicções. ( Ou em tempos de esvaziamento intelectual, por TER convicções).

  21. Paula Dentro Postado em 05/Jun/2013 às 13:55

    Marcos, Vá pro inferno

  22. cannabis Postado em 05/Jun/2013 às 14:16

    Acho que por se tratar de uma escola religiosa, nada mais natural que o que é ensinado seja voltado para o cunho religioso. Se a escola é particular, imagino, que ela possa escolher o que entra ou não em sua grade de estudos. Cabe aos pais decidir se matricula ou não o filho em uma escola desse tipo. Muita firula para um assunto besta.

  23. JOÃO Postado em 05/Jun/2013 às 14:49

    "Deveriam ser demitidos por doutrinarem marxismo nas salas do nosso já sofrido Brasil." Taí um dos comentários mais sensatos dessa postagem... É bem cômico isso, pois, o indivíduo pode entrar em sala de aula e pregar sua posição política a torto e a direito, mas quando o assunto é religião chega ser um crime falar sobre dentro da sala de aula. Nada justifica a demissão do professor, nem tão pouco a obrigação dele lecionar religião dentro do seu conteúdo, mas essa hipocrisia dos vermelhinhos de vir crucificar o Marcos por seu comentário, aí já é demais. E ir para Cuba ninguém quer!

  24. Assis Utsch Postado em 05/Jun/2013 às 15:26

    Revelando as Religiões As religiões são apenas superstições mais elaboradas. Mais elaboradas porque ao longo de sua formação seus criadores foram incorporando seus rituais, suas narrativas, primeiro orais, depois escritas, forjaram seus livros, sua doutrina, teologia, sua literatura, etc. As crenças foram perpetuadas através da doutrinação, repetição, usos, costumes e tradições.

  25. Julia Postado em 05/Jun/2013 às 15:46

    Ah, que merda de exagero. Agora falar sobre sexo entre homossexuais na sala de aula para crianças pode, e é exigido pela galerinha tosca, e religião o cara se recusa.

  26. Kênia Postado em 05/Jun/2013 às 16:42

    O problema todo está no fato de o professor quando foi contratado não ter sido avisado que suas aulas deveriam ter alguns tópicos de cunho religioso, ou com abordagem religiosa. Eu estudei em um colégio católico, da rede jesuíta de ensino, nunca tive uma aula, sem contar obviamente as de religião, em que se dissesse que a postura católica sobre o tema era a correta. Hoje eu estou terminando História em uma universidade federal. A escola tem a obrigação de passar os conteúdos previstos nos PCN's, ditados pela LDB, mas como ela vai passar isso é um problema dela. Claro que o ideal é que se apresente as mais diversas opiniões e correntes de pensamento para que o educando possa criar o seu próprio, mas do ideal para realidade existe uma grande diferença.

  27. Lincoln Postado em 05/Jun/2013 às 17:15

    Se fosse escola pública daria para dizer que a escola está errada, mas elas tão é certa, o funcionário não concorda com os objetivos da escola não tem o que fazer lá...

  28. Selton Postado em 05/Jun/2013 às 20:42

    Por isso digo

  29. Selton Postado em 05/Jun/2013 às 20:45

    o brasil está passando por um processo dificílimo de laicização,uma vez que escolas,sejam de rede particular ou pública,impõem o ensino religioso.

  30. Oiced Mocam Postado em 05/Jun/2013 às 21:01

    Toda criança tem sido envenenada – envenenada pelo conhecimento, envenenada pelos pais, a sociedade, o estado e pela igreja. Toda criança tem sido distraída da sua inocência, do seu não saber. E é por isso que toda criança, aos pouquinhos se torna tão sobrecarregada que ela perde toda a alegria da vida, todo o êxtase de ser, e ela se torna exatamente como a multidão, parte da multidão. De fato, no momento que uma criança é perfeitamente condicionada por você, você está muito feliz; você chama isso de “educação religiosa”. Você está muito feliz que a criança que foi iniciada na religião de seus pais. Baseado na premissa de que “o que foi bom para meus antepassados é bom para mim”. Tudo que você fez foi destruir sua capacidade de saber por si mesma. Você destruiu sua autenticidade. Você destruiu sua inocência muito preciosa. Você fechou suas portas e janelas. Agora ela viverá uma existência encapsulada, sem argumentar, questionar e refletir sobre as contradições. Ela viverá na sua própria escuridão interna, envolvida por todos os tipos de teorias estúpidas, sistemas de pensamentos, filosofias, ideologias. Ela estará perdida numa selva de palavras e ela não será capaz de sair dela facilmente. E a criança é tão inconsciente; ela pode facilmente ser condicionada, hipnotizada. Minha opinião completa em: http://livrodeusexiste.blogspot.com.br/2010/05/capitulo-34-educando-as-criancas-sem.html Oiced Mocam

  31. Duilio Duka de Souza Zanni Postado em 05/Jun/2013 às 23:20

    Quero parabenizar o Pragmatismo Político pela publicação da matéria. Lamento os raivosos comentários daqueles que, creio, não entendem nada de uma educação cidadã e muito menos do que é ser um professor que pratica uma educação cidadã. Destilam seus venenos e suas frustrações naquele que querem vê-lo seu escravo, seu capacho, seu amo, ao invés de RESPEITÁ-LO por ser um PROFESSOR. Mas, estamos acostumados. Deixo aqui a minha solidariedade ao Professor, como eu, de História, GIOVANNI BIAZZETTO pela coragem e pela coerência ética. Mesmo sem permissão do Pragmatismo Político, reproduzi esta matéria no meu Blog o qual deixo aqui para conferência. Um baitabraço a todos e a LUTA CONTINUA! http://www.botuka.blogspot.com.br/ DUILIO DUKA DE SOUZA ZANNI Botucatu-SP

  32. Eu, sem freio Postado em 06/Jun/2013 às 00:06

    Foi demitido? Tá no lucro ainda, do jeito que as coisas vão, daqui a pouco voltam a queimar os hereges nas ruas.

  33. Cleydison Postado em 06/Jun/2013 às 11:45

    Que coisa escrota é essa, o professor é pago pra ensinar o que é históricamente correto e, não pregar evangelho!

  34. Oswaldo Postado em 06/Jun/2013 às 16:41

    A religião não impede nenhum tipo de desenvolvimento da criança, nem tampouco de adultos. Tudo depende de como cada um atribui a religião em sua vida. Claro que uma pessoa fanática fica estagnada num universo religioso extremo a ponto de transmitir apatia à todos ao seu redor, inclusive familiares. Conheço pessoas de diversas denominações e posso falar com autônomia que nenhum deles são alienados, condicionados, hipnotizados. Quem diz isso generalizando é um revoltado sem causa.

  35. Andre Postado em 06/Jun/2013 às 20:19

    Marcos eu ia dizer algo, mas mudei de ideia, pois você não deixara de ser estúpido...

  36. Antonio C. Ribeiro Postado em 10/Jun/2013 às 22:30

    O Conflito é antigo e muito bem tratado no filme "o vento será sua herança". Fato verídico ocorrido nos Estados Unidos onde Criacionistas e Darwinistas debatem no tribunal a liberdade de pensamento. Quem não assistiu tente, vai ficar bem esclarecido.

  37. Betina Postado em 25/Jul/2013 às 20:59

    Eu estudei em colégio católico e digo: foram os piores anos da minha vida. A educação era uma porcaria, as aulas de religião tiravam tempo precioso de outras matérias, e ainda tínhamos que ir a capela da escola toda a segunda feira de manhã, rezar. Sério, to lá pra estudar, não pra rezar, se quero fazer isso vou lá pra igreja! Acabei indo pra lá pois é um colégio antigo aqui da cidade de Novo Hamburgo, no RS. Nunca vi tanta hipocrisia religiosa naquele maldito Santa Catarina. Bullying era feito a torto e a direito, professores pouco se lixando para o nível da educação, e os pais pagando 400 reais por mês. Quando saí de lá para um colégio sem nenhum tipo de "filiação" religiosa, era quase como poder respirar de novo - sem ideologias sendo simplesmente enfiadas na nossa cabeça, e muito, mas muito mais foco no ensino. Foi uma ótima escola, a Feevale. Esse professor devia procurar emprego em um colégio NORMAL, sem ideologia alguma a não ser a do bom ensino. Sinceramente, ele tá melhor fora de um lugar desses.

  38. Zero Postado em 21/Sep/2015 às 23:24

    "Duas vertentes"?????? "Plêmica???? Não existem "duas vertentes" para a explicação do surgimento das espécies e das coisas, não existe competição e nem polêmica no mundo da ciência. Existe ciência, estabelecida além do limite da dúvida (teoria da evolução das espécies) e ignorância disfarçada de polêmica (criacionismo, com suas sub-vertentes sutis, como design inteligente, entre outros). E há também um sem número de interpretações religiosas do mundo, onde se imaginam belas histórias sobre o surgimento das espécies e das coisas, nas várias religiões, mas trat-se de literatura, liturgia, tradição, imaginação, criatividade, e deviam ser dexados para a abordagem exclusiva do ensino religioso e das artes. Parear evolução e criacionismo como se fossem "duas vertentes" (talvez de um mesmo modo analítico de operar? ...na cabeça dos alunos jovens?) é muito cínico e mal intencionado.

  39. Max Müller Postado em 20/Sep/2016 às 15:19

    "Os homens, já se disse muito bem, pensam em bandos; e se verá que eles enlouquecem em bandos, ao passo que só recobram a lucidez lentamente e um a um”. Charles Mackay, In: "Ilusões Populares e a Loucura das Massas". Quando a lucidez toma forma na consciência das pessoas, o caminho mais comum é de abortarem todo pensamento religioso e metafísico. A simplicidade toma conta e a vida passa a ser o que ela é, natural e simplesmente. Este é o papel da Filosofia, da História, da Arte, da Antropologia, da Sociologia, da Psicologia, da Biologia, da Física, da Química, da Astronomia. Enfim, do pensamento científico, filosófico e artístico em geral. A religião, a doutrinação política e ideológica, toda forma de dogmatismo e dominação do ser humano pelo ser humano, deixam de ter ares de "verdade absoluta", para entrarem no seu devido lugar: a lixeira da existência miserável, ou da miséria existencial. só o pensamento livre liberta! Longa vida ao professor e seu papel libertador!