Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Mulheres violadas 27/Jun/2013 às 10:54
2
Comentários

Páginas do Femen no Facebook são fechadas por 'pornografia'

Facebook fecha páginas do Femen por considerar conteúdo “pornográfico”. Grupo classifica o fato como “guerra feita por grupos reacionários – de nazistas a fundamentalistas islâmicos”

O grupo feminista Femen denunciou nesta terça-feira (25/06) que várias de suas páginas no Facebook foram encerradas involuntariamente, pois o conteúdo “apresentava pornografia e promovia a prostituição”.

ativista femen bélgica

Ativista do femen detida durante protesto na Bélgica (AFP)

“Informamos ao público o fechamento das nossas principais páginas do Facebook, que eram seguidas por aproximadamente 170 mil pessoas. Esse fato é a continuação da guerra na internet contra o Femen, feita por vários grupos reacionários – de ditaduras nazistas até fundamentalistas islâmicos”, diz nota oficial publicada no Twitter.

O grupo afirma que a plataforma era um dos principais meios de comunicação da campanha para conseguir a liberação de presas políticas ao redor do mundo. “Devolvam à revolução feminina a sua principal voz. Femen não é pornografia”, contesta o grupo.

O fechamento das páginas do Facebook foi mais um capítulo das batalhas – judiciais e políticas – que o Femen têm travado nos últimos meses por suas posições contra o sistema geopolítico atual.

Leia também

Três ativistas do Femen, inclusive, foram condenadas em Tunis no começo de junho a quatro meses de prisão por “atentado contra ao pudor e aos bons costumes”, afirmou em entrevista coletiva à Agência Efe o advogado tunisiano Suhair Bahri, que defende as integrantes do Femen.

Desde então, o grupo faz investidas em todo o mundo a favor das mulheres detidas, aumentando a tensão com autoridades da comunidade internacional.

“Esperava que fossem liberadas, mas infelizmente continuam presas”, disse Bahri antes de afirmar que recorrerá para evitar que as francesas Pauline Hillier e Marguerite Stern, de 27 e 23 anos, respectivamente, e a alemã Josephine Markmann, de 19, cumpram a pena.

As três jovens, acusadas também de “incitar a libertinagem”, foram detidas por protestar seminuas na frente do Palácio de Justiça para pedir a libertação da feminista tunisiana Amina Esbui, que está em prisão preventiva desde o dia 19 de maio.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Zeca Postado em 28/Jun/2013 às 02:10

    Facebook já apagou post do The New York Times por ter seios à mostra, sendo que eram desenhos, era de uma charge, também já apagou por postar pinturas que continham nudez.

  2. ChrisDPF Postado em 12/Jul/2013 às 09:42

    Engraçado. Facebook mantém o vídeo de uma mulher sendo degolada viva - como forma de punição - por grupo de narcotraficantes mexicanos, alegando que tal vídeo não faz apologia à violência e que seria, somente, uma forma de "protesto" contra esse tipo de atitude, ao passo que apaga fotos e vídeos que mostram mulheres seminuas lutando por uma sociedade mais igualitária e menos machista, isto é, protestando de forma legítima e pacífica. É incrível como ainda nos dias de hoje mostrar os peitos de uma mulher ao público seja considerada uma "terrível e imperdoável afronta aos pudores plenamente arraigados na sociedade". Hipocrisia e conservadorismo baratos.