Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Saúde 07/Jun/2013 às 12:23
20
Comentários

Maconha reduz riscos de diabetes, revela estudo

Fumar maconha reduz o risco de diabetes, segundo estudo. Pacientes que fumam a erva regularmente têm níveis menores de insulina em jejum em comparação aos que nunca fumaram

Pessoas que fumam maconha regularmente têm menor risco de desenvolver diabetes, segundo um novo estudo publicado no The American Journal of Medicine. De acordo com o trabalho, os pesquisadores descobriram que pacientes que fumam a erva regularmente têm níveis menores de insulina em jejum em comparação aos que nunca fumaram.

No estudo, os pesquisadores analisaram dados obtidos durante o National Health and Nutrition Survey entre 2005 e 2010 e estudaram os dados de 4.657 pacientes que completaram um questionário sobre uso de drogas. Destes, 579 eram usuários de maconha, 1.975 já tinham usado a droga no passado, mas não eram usuários e 2.103 nunca tinham usado a droga.

maconha diabetes

Pessoas que fumam maconha apresentam menor índice de massa corporal (IMC), outro fator que está associado ao risco de diabetes (Foto: Reuters)

Os cientistas analisaram a quantidade de insulina em jejum de nove horas e a glicose por meio de amostras de sangue. Os usuários de maconha apresentaram níveis 16% menores de insulina em jejum em comparação aos pacientes que nunca tinha usado a droga na vida.

Um dos pesquisadores do estudo, Murray Mittleman, da Unidade de Pesquisa de Epidemiologia Cardiovascular do Beth Israel Deaconess Medical Center, em Boston, disse que pesquisas anteriores já haviam encontrado taxas de obesidade e diabetes mais baixas em usuários de maconha em comparação com pessoas que nunca usaram maconha.

Embora as pessoas que fumem maconha geralmente consumam mais calorias do que os não usuários, dois estudos anteriores também descobriram que eles apresentam menor índice de massa corporal (IMC), outro fator que está associado ao risco de diabetes.

Leia também

Joseph Alpert, professor de Medicina na Universidade do Arizona College of Medicine, afirmou ao jornal Daily Mail que as observações do estudo são notáveis e apoiadas por outros estudos que encontraram resultados semelhantes.

“Precisamos desesperadamente de uma grande quantidade de pesquisa clínica a curto e longo prazo dos efeitos da maconha em uma variedade de situações clínicas, tais como câncer, diabetes e fragilidade nos idosos”, completa Alpert à publicação.

Legalização

A maconha medicinal é legal em 18 Estados dos Estados Unidos e pesquisas recentes sugerem que a maioria dos norte-americanos deseja que a droga seja legalizada.

Uma pesquisa realizada pelo Centro PewResearch mostrou que, pela primeira vez em 40 anos, 52% acham que a droga deveria ser legalizada e 72% afirmam que a repressão à droga não vale o dinheiro que custa ao governo.

Já no Reino Unido, o Sativex, um spray de boca derivado da cannabis, foi licenciado pela agência reguladora do país, mas ainda continua de difícil acesso aos pacientes devido ao seu custo.

Reuters

Recomendados para você

Comentários

  1. DE Postado em 07/Jun/2013 às 13:12

    E aumentam o lucro dos traficantes

  2. alexandrevieira barbosa Postado em 07/Jun/2013 às 13:18

    ja ouvi fala de alimentar porco com maconha e tamebm me falaram que eu comi um pedaço de carne de porco alimentado com maconha mais ate hoje acho que foi mentira euacho serakkkkkkkkkkkkkkk

  3. PAULO ROBERTO ARGUELLES DA COSTA Postado em 07/Jun/2013 às 13:52

    O MELHOR REMÉDIO CONTRA A DIABETES E TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E NÃO INGERIR AÇÚCAR BRANCO QUE É UM VENENO! NÃO PRECISA FUMAR ESTA DROGA MALDITA QUE ALÉM DE MUITOS MALES , TAMBÉM É UM CONDUTOR PARA OUTRAS DROGAS PESADAS! ACORDA BRASIL!!!

  4. Guilherme Postado em 07/Jun/2013 às 14:22

    descordo totalmente com o comentário acima, a maconha não conduz ninguém a experimentar outra droga, sou fumante da erva a 15 anos, e nunca me deu vontade de cheirar cocaína, e fumar crack, por estar fumando maconha, isso pra mim é papo de gente desinformada dobre o assunto e quer colocar o peso do narcotráfico pesado do Brasil na maconha... PARABÉNS AOS CIENTISTAS POR MAIS ESSE AVANÇO NA MEDICINA! DESCRIMINALIZAÇÃO DA MACONHA JÁ!

  5. Paulo Postado em 07/Jun/2013 às 14:44

    Realmente concordo com você que existem outros meios de combater diabetes, assim como concordo que o uso desta droga pode trazer alguns malefícios para algumas pessoas mas tbm pode trazer alguns benefícios para outras, existem bastante estudos comprovando os benefícios da cannabis na medicina. Quanto ao fato de ela ser um condutor para outras drogas, há controvérsias, pois depende muito do estado estado psicológico e físico da pessoa, vai de cada pessoa, conheço muitas pessoas que são usuárias e que nunca tiveram contato com drogas mais fortes. Existem relatos de pessoas que são usuárias de drogas "químicas" que não usam a maconha por não gostar do efeito psicoativo que ela tem a famosa "leseira". Não sou nenhum defensor 4:20 da maconha, só acho que alguns tabus devem ser quebrados.

  6. cecinha da silva Postado em 07/Jun/2013 às 15:49

    Que pena meus conhecidos vai almentar o consumo.kkkkkkkkkkkk

  7. Lucas Postado em 07/Jun/2013 às 15:55

    Enquanto predominar a política proibicionista, a ciência vai engatinhar na pesquisa sobre os benefícios que essa planta pode oferecer ao homem. É claro que também traz malefícios, mas que outra substância hoje caracterizada como droga (e demonizada pela sociedade) tem benefícios medicinais comprovados? Existem milhares de aplicações possivel para essa erva e a medicina e indústria não podem se desenvolver por conta de uma política proibicionista que já está mais que ultrapassada. Sobre o mito de que é a porta de entrada para outras drogas, digo que sou usuário de canabis há 8 anos e não faço uso de qualquer outra droga ilícita, somente álcool e café. O que aproxima de drogas mais pesadas é o tráfico! Se falta maconha na boca, o traficante oferece outra coisa e pessoas de mentalidade fraca podem cair nessa armadilha. Legalizar é preciso tanto para combater o tráfico como para evoluirmos nas pesquisas científicas e tecnológicas.

  8. Anon Postado em 07/Jun/2013 às 16:14

    Esses buds lindos tão me dando água na boca =D Paulo Roberto, se informe melhor antes de falar besteira e passar vergonha. A maconha é uma anti-droga. Além de praticamente não causar dano nenhum ao organismo (ao contrário do álcool e do tabaco), de não causar overdose, e de nunca ter matado ninguém, ela ajuda as pessoas a largarem o vício em drogas mais pesadas, como o cigarro industrializado de tabaco, sem abstinência. A única porta de entrada para outras drogas é essa política imunda do proibicionismo, que força usuários de drogas leves como a maconha a entrar em contato com traficantes que vendem todo tipo de droga.

  9. Jaqueline Postado em 07/Jun/2013 às 16:52

    Já vi relatosde cura decancer com uso da canabis......assistam o video cortina de fumaça é esclarecedor.

  10. Demetrius Postado em 07/Jun/2013 às 17:35

    Paulo Roberto, leve seu cérebro de volta pro asilo, meu amigo.

  11. Aribagachi Postado em 07/Jun/2013 às 19:50

    Se por um lado a maconha reduz a glicemia de jejum em 16%, por outro lado gera a chamada "larica" no usuário (fome) principalmente por coisas doces. Assim ná há custo beneficio para o consumo dessa droga. Melhor dizendo, somente em tratamento de enjoo para quem está fazendo quimioterapia. saiu disso é so apologia. Dizem que maconha é remedio, mas dificilmente se ve alguem fumando um baseado porque está "doente"...

  12. Pedro Postado em 07/Jun/2013 às 20:38

    Paulo Roberto, o senhor ficou sozinho nessa sua ideia conservadora! Faço as palavras do Lucas as minhas! Parabéns, irmão, é por aí!

  13. Sophia Postado em 07/Jun/2013 às 22:15

    Como essa droga tem defensores. Não é necessário ser conservador pra enxergar o mal que qualquer droga faz.

  14. Isaac Postado em 08/Jun/2013 às 20:19

    E aumentam os riscos de esquizofrenia.

  15. Lisandra souza Postado em 09/Jun/2013 às 16:51

    bom agora quem for pego com maconha tem um bom argumneto..sou diabetico !!

  16. Pedro Postado em 09/Jun/2013 às 23:17

    Nossa, só pelos comentários to vendo que muita gente aí só leu o título.

  17. Danillo Postado em 28/Jul/2013 às 18:54

    Apesar das comprovadas aplicações medicinais da maconha (controle de náuseas em pacientes sob quimioterapia, dor em pacientes com câncer), seu uso prolongado e frequente tem sido implicado em vários efeitos nocivos a curto e longo prazo, principalmente relacionados a complicações cardiovasculares (angina, infarto), psiquiátricas (transtornos de humor, psicóticos - esquizofrenia, do pânico), e obstétricas (baixo peso ao nascer), além de infertilidade e síndrome de dependência e abstinência. Para legalizar a droga com intuito somente de facilitar e descriminalizar o consumo recreativo não devem ser usados argumentos baseados em medicina. Na área médica, a maconha tem suas indicações específicas, mas nunca se apoiou seu uso como forma de lazer. E o estudo não mostrou que o uso previne diabetes, até porque essa doença tem causa multifatorial, ainda esclarecida de forma limitada quanto aos seus principais determinantes (especialmente a tipo I), então não há indicação de seu consumo para profilaxia (evitar que a doença se desenvolva). Logo, argumentos da área médica são falhos para sustentar a legalização e descriminalização para fins de consumo recreativo (a grande maioria).

  18. Marcos Postado em 28/Aug/2013 às 01:05

    Apologia as drogas é crime, depois não venham reclamar das guerras nas comunidades pobres, quando a maconha for regulamenta a esquerda deve lutar contra a propaganda da mesma, estimular pessoas ao uso de qualquer tipo de droga é crime alem de fomentar todo o tipo de morte, eu exijo artigos científicos contra o uso da maconha, sejam imparciais pelo menos uma vez.

  19. leo Postado em 29/Aug/2013 às 10:59

    O maior condutor, porta de entrada ou o que queiram chamar, para outras drogas é a bebida alcoolica. Legalize já!

  20. Thiago Teixeira Postado em 29/Aug/2013 às 12:51

    Então vamos todos fumar e comer maconha. Meus colegas gordos maconheiros não foram contabilizados nesta estatística eu acho. Portadores de HIV também tem baixos índices de massa corporal, podemos trocar as sessões de lipo por passagem de seringa numa rodinha.