Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Desigualdade Social 12/Jun/2013 às 15:45
9
Comentários

Aumento de R$0,20 na passagem obriga pobres de SP a pular refeição

O reajuste de R$ 0,20 no preço da tarifa dos transportes públicos na cidade de São Paulo obrigou o paulistano de baixa renda a deixar de fazer refeições e arranjar ‘bicos’ para conseguir pagar o novo valor das passagens

protesto tarifa são paulo

Manifestantes protestam contra aumento da tarifa em São Paulo (Foto: ABr)

“Além de trabalhar como cuidadora 26 dias por mês, ainda chego em casa e preciso fazer bordados e crochê em panos de prato para complementar a renda”, afirmou Humbertina Lima da Silva, 47, nesta quarta-feira (12), na praça da Sé, região central da capital e que foi palco de um enfrentamento entre a polícia e manifestantes que pediam a redução das tarifas na noite de ontem (11).

Humbertina, que ganha pouco menos de R$ 1000 por mês, estima em R$ 50 o valor adicional gasto com transportes após o aumento da passagem. “Por isso os protestos pela redução são importantes”.

A estudante e auxiliar administrativa Caldineya Oliveira Santos, 23, afirma que deixou de se alimentar entre o almoço e a hora em que chega em casa da faculdade. “Almoço no trabalho, por volta do meio dia, e depois só como lá pelas 23h. Meu salário de R$ 900 não permite que eu pague R$ 3,20 no transporte e me alimente direito”, diz.

Leia também

Para o gari Célio Ferreira, 35, o novo preço prejudica muito quem tem um orçamento limitado. “Deixo de comprar alimentos ou às vezes até mesmo uma garrafa de água”, afirmou. Segundo ele, que recebe R$ 800 por mês, o preço justo para o transporte público seria “no máximo R$ 1,50”. Após o reajuste na passagem, Célio passou a gastar R$ 26 a mais por mês.

O office boy Rodrigo Oliveira, 19, reclama que continua recebendo o vale transporte no valor de R$ 3. “Os outros R$ 0,20 eu tiro do meu bolso. Vira e mexe deixo de comer um lanche na rua, porque para quem ganha R$ 700 por mês, como eu, o aumento pesa no orçamento”.

Presos no protesto

Ao menos 20 pessoas foram presas durante o protesto na Avenida Paulista e na Rua da Consolação. Até a manhã desta quarta-feira, dia 12, 13 manifestantes continuavam presos acusados de crime de dano, lesão corporal, desacato à autoridade e formação de quadrilha, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado.

informações de UOL Notícias

Recomendados para você

Comentários

  1. Isabelle Postado em 12/Jun/2013 às 16:30

    Me emociono ao ver o povo brasileiro nas ruas, lutando por seus direitos, seja lá como for. Tudo bem que há o vandalismo, fecham o trânsito em horários de pique. Mas de que adiantaria o protesto se não fizesse algo que realmente chamasse atenção do governo e o preocupasse? Fazer protesto em praça não tem a mesma atenção pro governo, afinal, ''nem incomoda'' nem pressiona da mesma maneira. Se fossemos mais as ruas lutar pelos nossos direitos, contra a corrupção, à favor de uma maior transparência sobre o investimentos do governo, melhoria na educação e saúde talvez as coisas estivessem ''menos ruim''. Até jornais da europa ao falar dos protestos admitem: ''brasileiros, não acostumados a ir às ruas protestar...'' MESMO diante de extrema corrupção, problemas, não vamos as ruas. Esses protestos de agora, que sirvam de exemplo, inspiração. ''Vandalismo''? Bandido e ignorante é a gente, que fica vendo a roubalheira e ainda vota no partido mais corrupto desse país e talvez do mundo, PT. E ainda se cala diante de tudo. Como pessoas que estão sujeitas a serem presas, levarem bala de borracha na cara, são mostradas pela mídia como vagabundos que querem tirar a ordem?? A mídia tá escondendo tudo. Esse lado positivo de brasileiros lutando pelos seus direitos sequer foi mencionado nem tem essa possibilidade! O que mostram é o lado do bom governo que tá detendo esses ''vândalos'', criadores de desordem com ''suas atitudes absurdas''. PIADAAA

  2. Cristiane Postado em 12/Jun/2013 às 16:46

    Isalle faço minha as suas palavras, penso da mesma forma, mais infelizmente ainda nos deparamos com esse tipo de comentário: http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/06/07/protesto-em-sao-paulo-nao-tinha-trabalhador/

  3. luis carlos Postado em 12/Jun/2013 às 17:09

    Sempre que um aumento é concedido a um prestador de serviço será assim, revolta. Mas, dizer que devido a uma alta de 0,20 o paulistano vai ter que parar de comer???? Ai é brincar com a minha inteligência. Vamos pegar o caso dessa senhora que vai gastar r$ 50,00 a mais mensais para pagar o transporte. 50 / 0,20= 250 bilhetes de ônibus,ela terá que usa 11,3 ônibus para ir trabalhar. E possível isso????????

  4. Bruno Eloi Postado em 12/Jun/2013 às 18:26

    Amigos, eu ando de ônibus antes de mais nada....... Algumas coisas são dificeis de engolir nesse protesto: 1 - O povo de verdade, aquele que trabalha, cansadão pelo dia de trabalho iria para a Paulista quebrar tudo e tomar borrachada por causa de R$ 0,20 ???? 2 - Não é obrigação do patrão pagar o vale-transporte ? 3 - Será que o trabalhador indignado com os R$ 0,20 a mais que estão saindo do bolso do seu patrão iria para a Paulista apanhar da polícia por fidelidade ao chefe ? 4 - Pq a midia dá tanta enfase aos bandidos remunerados que estão fazendo esse protesto ao invés de pesquisar quem está por trás ? Se é um protesto organizado, alguém está organizando, certo ? 5 - Convivo com várias pessoas trabalhadoras que pegam ônibus todos os dias e não presenciei em nenhuma delas tal revolta. Claro que ninguém gosta de aumentos, mas em São Paulo pelo menos a tarifa estava em R$ 3,00 por muitos anos. Enfim, são questões para se pensar além do horizonte..... Um abraço povo brasileiro

  5. Isaac Postado em 12/Jun/2013 às 20:11

    Esse país precisa acordar, protestos como esse deveriam ser diários, em todas as classes sociais e trabalhadoras! Chega de comodismo, chega de abuso, o direito deve vir de qualquer forma, nem que seja a ferro e fogo! Acorda Brasil!

  6. Thunder Postado em 13/Jun/2013 às 12:42

    Matéria tendenciosa que saiu na mídia marrom... http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/06/12/aumento-de-r-020-na-passagem-obriga-paulistanos-de-baixa-renda-a-pular-refeicoes-e-arrumar-bicos.htm O que ela faz aqui??? Bem, esta notícia é um pouco estranha e incompleta, pois não considera que os empregados já haviam recebido vale transporte para o mês de trabalho, e que o empregador terá obrigatoriamente de repassar o custo do aumento ao vale transporte no holerite ou cartão de bilhete único. Além disso, o testemunho que fala em acréscimo de 50 reais é extremamente exagerado, pois pressupõe alguém que faz no mínimo 250 viagens sem integração (o que é quase impossível, pois implicaria em mais de dez viagens em um dia). No máximo, os 20 centavos poderiam implicar em 12 reais a mais no mês, porém, que não saem do bolso do empregado, e sim do empregador. Claro que na prática devemos considerar que o transporte é caríssimo, e que não só à trabalho as pessoas se movimentam e, que na hora que o orçamento aperta, é comum as pessoas venderem créditos de vale alimentação, refeição e transporte para pagar dívidas. Além disso, o empregador muitas vezes abaixa o salário, ou não o aumenta, em função dos custos adicionais, como o transporte. De qualquer forma, o transporte caro prejudica o trabalhador, principalmente o transporte caro sem conforto, segurança, limpeza, e insuficiente, mas não foram estes 20 centavos que criaram esta realidade... É o PIG agindo...

  7. Fabiana Postado em 14/Jun/2013 às 07:11

    É claro que os trabalhadores cansados não vão protestar. Gastar mais passagem para ir protestar? Não são só trabalhadores que utilizam o transporte, ou seja, não tem empregador para arcar com as despesas. E acordem: É claro que não é apenas pelos R$0,20. Foi só o estopim e é só o começo. Vai dizer que não tem mais pelo que protestar? É para dizer: Estamos acordados!