Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Homofobia 10/Jun/2013 às 23:58
13
Comentários

Alunos frequentam aula vestindo saia para protestar contra preconceito

Estudantes de colégio particular em SP usam saia para protestar. A ação foi em protesto contra preconceito de que teriam sido vítimas dois estudantes

Cerca de 50 alunos, entre meninos e meninas, vestiram saia hoje (10) para assistir às aulas no colégio particular Bandeirantes, uma instituição tradicional da zona sul da capital paulista. A ação foi em protesto contra preconceito de que teriam sido vítimas dois estudantes, na semana passada.

estudantes saia colégio bandeirantes

Alunos frequentam aula vestindo saia para protestar contra preconceito. (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

Na quinta-feira (6), o aluno João Fraga, 16 anos, vestiu-se com roupas femininas para a festa junina do colégio. Segundo os estudantes, porém, João teria sido repreendido pelo professor de biologia Juvenal Shalch, que teria pedido ao aluno para que se retirasse da sala e trocasse de roupa. Posteriormente, Shalch teria comentado com outros colegas da turma que João confundiu a festa caipira da escola com a Parada Gay, que ocorreu no domingo (2) em São Paulo.

O professor confirmou ter feito o comentário, mas informou que não teve a intenção de parecer preconceituoso. “Eu falei para o João: assim você não vai entrar. O Bandeirantes não é uma escola de bairro. Nós temos alunos que são budistas, desde o judeu ortodoxo ao liberal, adventistas e muitos não admitem”, disse. O professor declarou também que não esperava tamanha repercussão na imprensa. “Nós estamos, hoje, presos a ditadura do politicamente correto. Qualquer coisa que você fala sem querer é motivo de falsas interpretações”, acrescentou.

Leia também

O colégio Bandeirantes não impõe uso de uniformes e, de acordo com Emerson Bento Pereira, coordenador de relações institucionais, também não há qualquer tipo de restrição quanto às roupas que os alunos usam para assistir às aulas. Porém, quando, na sexta-feira (7), outro aluno, Pedro Brener, de 17 anos, chegou à escola usando uma saia longa em solidariedade ao colega que teria sido discriminado um dia antes, foi levado à sala do diretor da escola. “Fui para a sala do diretor pedagógico e ele falou que eu podia ofender alguém, mas disse que poderia ficar no Bandeirantes naquele dia. Mas, na quinta aula, eu fui mandado para casa e eles não me deram razões”.

Segundo o coordenador de relações institucionais, a escola pediu para que o pai do aluno fosse buscá-lo por questões de segurança. “Ele estava trajando uma vestimenta que, para região que a gente vive, a gente tem visto a todo momento, na imprensa, agressões morais ou físicas por questão de gênero. O Bandeirantes não tem nenhum problema com questão de gênero, mas havia uma preocupação com a integridade do aluno”, explicou.

Pedro disse que não concordou com a atitude da escola. “Eu não entendi muito bem, por que eu estaria mais seguro fora do colégio do que dentro? Eu achei [a atitude] desnecessária. Acho que ela [escola] podia ter abraçado a discussão, mas preferiu agir dessa maneira. Espero que agora eles mudem de postura e incluam a discussão no colégio”, disse.

Fernanda Cruz, Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Otávio Postado em 11/Jun/2013 às 00:31

    O 'preconceito' foi contra o dia do troca de uma festa junina que os meninos costumam abusar, esse aí foi de saia pra pagar pau pro amiguinho, o papai dele é jornalista e entendeu tudo errado, achando que o filho tava se engajando numa causa de verdade e vazou tudo pra mídia. Esse é um clássico caso de moleque babaca querendo chamar a atenção, ridículo o ibope que dão pra ele.

  2. Hugo de Oliveira Postado em 11/Jun/2013 às 00:55

    Mesmo que a atitude do aluno não tenha sido movida por algum tipo de protesto, ou pelo intuito de levantar alguma bandeira contra algum preconceito, isso já evidencia a necessidade de colocar-se em pauta assuntos polêmicos, à luz de educadores esclarecidos e corajosos.

  3. claudionor Postado em 11/Jun/2013 às 06:39

    Pérolas aos porcos... Moedas ao vento...Pseudo burguês querendo um momento no Facebook..

  4. lucazan Postado em 11/Jun/2013 às 09:38

    Voces como uma escola particular...formaram pessoas coerentes, politizadas, verdadeiras, inteligentes...e o resultado é esse pessoas formadoras de opiniões...parabens alunos!!!

  5. Eduardo Postado em 11/Jun/2013 às 12:09

    ... não entendo porque os "budistas" judeus ortodoxo" não vão gostar, e daí, era uma festa e se fôsse um Escocês vestindo um Kirch, será que seria proibido de entrar... independente de qualquer coisa é uma forma de valorizar um a mais que o outro... numa democracia não pode um ter suas opiniões mais valorizadas que as de outros... não importa a a crença e sim a liberdade, desde que não se falte ao respeito. Os incomodados que não vá a festa.

  6. Vander Postado em 11/Jun/2013 às 13:00

    Isso é falta de ter o que fazer. Querem seus 15 min de fama no facebook

  7. Cacique Postado em 11/Jun/2013 às 13:17

    É óbvio que os garotos estão querendo aparecer. Afinal, são adolescentes. Isso não quer dizer que o protesto deles não tem razão ou que a escola estava certa. Até porque, um protesto que não quer aparecer, que quer passar despercebido, não é um protesto. Só espero que os pais e professores desses garotos estejam sabendo explicar que muito mais do que chamar atenção, o protesto deve fazer as pessoas refletirem. E que eles estejam fazendo as devidas reflexões também, por exemplo, em relação às piadinhas com amigos gays ou de modos delicados que os adolescentes sempre fazem. No mais, parabéns aos garotos.

  8. CMKY Postado em 12/Jun/2013 às 00:51

    Parabéns aos garotos! Por que o jeito de se vestir/falar/andar/ser do outro incomoda tanto? Por que quando a macheza é supostamente colocada em xeque, a sociedade pira? Por que um garoto não pode usar saia sem ser chamado de bicha? Por que um garoto não pode usar uma saia e ser feliz? Por que uma garota não pode sair com uma roupa curta sem acharem que ela quer ser estuprada? Por quê? Por quê? Parece que as pessoas se irritam quando alguém sai do script de um projetinho de vida senso comum.

  9. Müller Postado em 12/Jun/2013 às 22:29

    Eu fico a matutar...o que que uma saia vai prejudicar a vida de alguém?! nada, penso eu...quem quer vestir vista, quem não quer não vista, é tão simples aí vêm os conservadores e começam a dar faniquitos por causa disso???! Ah, vá cagar!

  10. Sereia Postado em 13/Jun/2013 às 00:55

    Se o intuito foi chamar atenção ou não, pouco importa. Espero que com essa forma de protesto, a escola e o meio em que vivem possa estar aberto às discussões acerca de gênero, liberdade, individualidade, respeito!

  11. Barillo Postado em 14/Jun/2013 às 08:10

    Agora,me diz se isso não é ridículo? O radicalismo ou infantilismo nos "protestos" desse porte já estão nojentos.

  12. indiana Postado em 22/Aug/2013 às 10:00

    SEUS REACIONARIOS QUE COLOCAM PARA TRAS E QUEREM DESMOTIVAR E DESLEGITIMAR TD QUE VAI DE ENCONTRA COM A QUEBRA DO MORALISMO